O novo jato russo fez uma estréia surpresa no show aéreo MAKS 2017 na semana passada, voando todos os dias.

O SR-10 é um biplace subsônico que tem duas aplicações: como um jato esportivo e como um treinador de jatos leves para pilotos militares. Foi desenvolvido por uma nova e pouco conhecida organização chamada SAT, que é um acrônimo russo para “Modern Aviation Technologies“.

Parece que a SAT não possui outros projetos além da família SR-10. Muito provavelmente, é uma ramificação do escritório de projetos Sukhoi. Muito se falou sobre um jato leve, todo de compósitos, e que complementaria o Yakovlev Yak-130 como um avião compacto, fácil de voar e acessível.

O SR-10 tem um peso bruto de três toneladas e é capaz de manobrar a 9g graças a uma alta relação empuxo/peso. O motor é o antigo, mas confiável Ivchenko/Motor-Sich AI-25TL, gerando 1.750 kg de empuxo. A alta relação empuxo/peso é vista como uma necessidade para que o avião possa manter grandes ângulos de ataque por uma duração suficiente para treinar pilotos de caça novatos como gerenciar esses regimes de voo. Após a anexação da Crimeia, as relações entre a Ucrânia e a Rússia se deterioraram. Isso levou a uma decisão da SAT para re-motorizar o SR-10 com o motor NPO Saturn AL-55, desenvolvido para o Indian Advanced Jet Trainer, também conhecido como HAL HJT-36.

Além disso, o SR-10 possui uma asa enflechada para à frente, juntamente com amplas extensões de fuselagem a asa (LERX). Esta configuração dá ao jato uma performance muito boa em grandes ângulos de ataque, ao mesmo tempo em que é fácil de manusear em todos os regimes de voo.

Apesar das dúvidas, o programa prosseguiu bem e aprovou uma avaliação preliminar do Ministério da Defesa em 2014. O primeiro protótipo lançado em agosto de 2015 voou pela primeira vez em dezembro. Os vôos de teste prosseguiram bem e, no verão de 2016, a Russian Air and Space Force (VKS) tomou a decisão de apoiar financeiramente o projeto SR- 10 e sujeitar os protótipos aos ensaios de avaliação na base aérea em Kubinka.

A fábrica da Tactical Missile Corporation em Smolensk só tinha experiência suficiente para fazer estruturas compostas, mas recebeu ordens para iniciar os preparativos para a produção em série do SR- 10. As empresas de aviônica especializadas foram encarregadas de desenvolver um glass cockpit para o avião.

A força aérea russa pretende usar o SR- 10 como substituto direto para o Aero L-39 Albatros no curso inicial de treinamento. O Yak-130, maior, será para o treinamento de armas, e o Yak-152, menor, para um papel de triagem.


FONTE: AINonline

8 COMENTÁRIOS

  1. A Rússia está testando o novo YAK-152 para instrução primária e básica e ja tem o YAK-130 para instrução especializada de caça.
    Só faltava um avião monomotor para substituir o L-39 na intrução avançada, o novo L-39 NG com a Republica Tcheca voltada ao ocidente com motor e aviônica americanos está fora de questão.
    Ai está um bom substituto, vamos ver como avançam os testes. A motorização é a mesma do Instrutor avançado da India o que o coloca teoricamente na mesma faixa.

  2. Do meu ponto de vista, os fantásticos treinadores de nova geração saíam tão caros de operar e comprar que não conseguiram substituir os antigos, tendo que as forças que os usam voltar à por um treinador intermediário. Ponto para Hawk, L39NG e K-8.

    • Com certeza não vai ser tão fácil de pilotar como o L-39, que podia ser utilizado na instrução primária, mas caso escolham o SR-10 o aluno não vem mais do zero, vem do YAK-152 que com seu motor V12 biturbo diesel com intercooler, assento ejetável e glass cockpit ja podera entregar um aluno bom de voo para a instrução avançada.

  3. Estao se esforçando , isso nao se pode negar , mas isto ai eh mais uma perda de tempo , os EUA descartaram este conceito ainda na decada de 70 , definitivamente os russos querem pegar clientes distraidos e entusiasmados , um pais serio nao cai nesta armadilha ! kkkk, escolheram ateh a cor para impactar a torcida , poderia ter as setes cores do arco iris !