O jato supersônico Mach 3 da USAF, SR-71 Blackbird. (Foto: Lockheed Martin)

O conto diz que o presidente Johnson deveria designar o Blackbird de “RS-71” e que ele confundiu as letras, inverteu-as e disse “SR-71”.

No dia 24 de julho de 1964, o presidente dos EUA Lyndon B. Johnson deu uma entrevista coletiva no auditório do Departamento de Estado com 315 pessoas presentes. Durante anos, ouvia-se dizer que o Presidente Johnson ficou disléxico quando anunciou pela primeira vez que os Estados Unidos haviam desenvolvido uma aeronave de reconhecimento Mach 3. O conto dizia que o presidente Johnson deveria designar o Blackbird de “RS-71” e que ele confundiu as letras, inverteu-as e disse “SR-71”.

Primeiro voo do A-12.

Em 2000, o Coronel da USAF, Richard H. Graham decidiu investigar isso. Entrou em contato com a Biblioteca Lyndon Banes Johnson, em Austin, Texas, e pediu ajuda. O Sr. Michael Parrish, arquivista da Biblioteca LBJ, disse que ajudaria na busca pela verdade. Ele enviou uma cópia do texto exato do discurso que LBJ fez naquele dia em 1964. Aqui está um trecho:

“Boa tarde, senhoras e senhores. Eu gostaria de anunciar o desenvolvimento bem-sucedido de um novo e importante sistema de aeronaves tripuladas estratégicas, que será empregado pelo Comando Aéreo Estratégico. Este sistema emprega a nova aeronave SR-71 e fornece um avião avançado de reconhecimento estratégico de longo alcance para uso militar, capaz de reconhecimento mundial para operações militares.

A Joint Chiefs of Staff, ao revisar o RS-70, enfatizou a importância da missão de reconhecimento estratégico. O sistema de reconhecimento de aeronaves SR-71 é o mais avançado do mundo. A aeronave voará a mais de três vezes a velocidade do som. Ele operará em altitudes superiores a 80.000 pés. Ele usará os equipamentos de observação mais avançados de todos os tipos no mundo. A aeronave proporcionará às forças estratégicas dos Estados Unidos uma notável capacidade de reconhecimento de longo alcance. O sistema será usado durante períodos de hostilidades militares e em outras situações em que as forças militares dos Estados Unidos possam estar confrontando forças militares estrangeiras.

O SR-71 usa o mesmo motor J58 que o interceptador experimental previamente anunciado, mas é substancialmente mais pesado e tem um alcance maior. O peso bruto consideravelmente mais pesado permite acomodar os múltiplos sensores de reconhecimento necessários ao Comando Aéreo Estratégico para realizar sua missão de reconhecimento estratégico em um ambiente militar.

Esse programa de bilhões de dólares foi iniciado em fevereiro de 1963. A primeira aeronave operacional começará a realizar testes de voo no início de 1965. A implantação das unidades de produção no Comando Aéreo Estratégico começará logo em seguida.

Membros apropriados do Congresso foram mantidos totalmente informados sobre a natureza e o progresso deste programa de aeronaves. Mais informações sobre este importante sistema de aeronaves avançadas serão divulgadas de tempos em tempos nos níveis apropriados de classificação secreta militar”.

Nos três lugares em que o discurso do Presidente Johnson dizia, “SR-71”, as fitas de áudio revelavam, “SR-71”. A biblioteca do LBJ também me enviou uma cópia da “Transcrição do Estenótipo da Conferência de Imprensa”, na época em que a Casa Branca usava um estenógrafo que escrevia em taquigrafia o que ouvia, ou pensava ter ouvido, o presidente dizendo.

Parece que foi o estenógrafo que teve dislexia e na transcrição escreveu as palavras “RS-71” em todos os três lugares. A versão do estenógrafo foi entregue aos repórteres de imprensa naquele dia. Com certeza os repórteres analisaram o material e devem ter dito: “Estou certo de que Johnson disse SR-71… mas lemos RS-71? Ele deve ter mudado isso de volta. ”Na verdade, foi o estenógrafo que fez isso de trás para frente. No entanto, em ligeira defesa do estenógrafo que errou, a primeira referência do presidente Johnson ao RS-70, uma versão de reconhecimento do malsucedido Valkyrie, provavelmente descartado.

O único objetivo foi pesquisar o que LBJ deveria ter dito naquele dia, e ele fez isso corretamente. Você encontrará argumentos até hoje sobre o que a Força Aérea, o Comando Aéreo Estratégico (SAC), a Lockheed, Kelly Johnson e alguns membros da tripulação pensavam que o avião deveria ser chamado.

A seguinte história aparece no livro do Coronel Richard H. Graham, Flying the SR-71 Blackbird.


Fonte: The Aviation Geek Club

Nota do Editor: O Blackbird original foi designado como A-12 e fez seu primeiro voo em 30 de abril de 1962. O A-12 de assento único logo evoluiu para o SR-71 maior, que acrescentou um segundo assento para um oficial de sistemas de reconhecimento e carregava mais combustível do que o A-12. A designação SR-71 é uma continuação da série de bombardeiros pré-1962, com a última aeronave construída usando a série sendo o XB-70 Valkyrie. O primeiro voo do SR-71 foi em 22 de dezembro de 1964.

Saiba mais sobre a história desta lenda no Especial:

““A” de ataque: Lockheed A-12 OXCART, o pai do SR-71 Blackbird“,

feito pelo saudoso LaMarca, na sessão ESPECIAIS criada para os fãs de aviação, onde reunimos as nossas melhores histórias em um só local.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

Comments are closed.