Su-35S MAKS 2015
Sukhoi Su-35S ‘Flanker-E’ / Foto: Marina Lystseva

Analistas militares internacionais tem reagido com ceticismo depois do vice-chanceler russo, Sergei Ryabkov, ter declarado na semana passada que Moscou e Islamabad estavam em negociações para o fornecimento, por parte da Rússia, de um lote de caças multifuncionais de superioridade aérea Sukhoi Su-35 (Flanker-E), também conhecido como Super Flanker, à Força Aérea do Paquistão (PAF).

Ryabkov, que não especificou a quantidade de aeronaves negociadas, afirmou acreditar que a ampliação da cooperação militar com o Paquistão não afeta a relação da Rússia com a Índia.

Su-35S - VKS (Marina Lystseva) (2)
Sukhoi Su-35S ‘Flanker-E’ / Foto: Marina Lystseva

Questionado sobre o eventual fornecimento das aeronaves, o Ministério da Produção de Defesa do Paquistão, que também é responsável pelas aquisições militares, não se posicionou a respeito do assunto, embora seja evidente que a PAF necessite de uma aeronave de combate mais robusta.

O Paquistão, que recentemente adquiriu quatro unidades do helicóptero de combate Mi-35M, tem buscado ampliar suas relações com Moscou. Em novembro de 2014, os Ministérios da Defesa da Rússia e Paquistão assinaram um acordo de cooperação técnico militar. Os dois países tem boas relações desde a década de 1960, quando o Paquistão importou equipamentos militares produzidos na URSS.

Na opinião de alguns analistas militares, a eventual aquisição de uma aeronave do porte do Super Flanker permitiria ao Paquistão, além de diversificar os meus meios, apoiar a execução de suas operações navais. Por conta do seu grande raio de ação, o Su-35 proporcionaria à PAF as condições para uma presença significativa no Mar da Arábia, hoje negligenciada em função das limitações do JF-17 Thunder, e mesmo do F-16, além dos envelhecidos Mirage-5PA2/3. Com contantes mudanças no cenário geopolítico da região, não se pode ignorar essa deficiência.

Apesar do otimismo de Ryabkov com relação à postura da Índia diante de uma eventual aquisição do Su-35 por seu arquirrival, o Paquistão, analistas militares entendem que uma enorme crise diplomática poderia ser gerada caso isso se efetivasse, forçando o governo de Nova Délhi a buscar uma relação mais estreita com a Europa e os Estados Unidos.

Embora a Índia esteja visivelmente se esforçando para diversificar suas fontes de equipamentos militares, com a diminuição da dependência em relação à Rússia, e os russos abertamente estejam buscando ampliar sua participação global no mercado de defesa, o que inclui o Paquistão, a relação indo-russa ainda é bastante consistente, o que envolve uma parceria no desenvolvimento do caça de 5ª geração Sukhoi T-50 PAK FA.

Muitos entendem que a real intenção da Rússia, ao divulgar esse suposto negócio para o fornecimento dos Su-35 ao Paquistão, é pressionar a China a efetivar a aquisição de um lotes dessas mesmas aeronaves, haja vista uma possível encomenda chinesa para o Super Flanker tem sido especulada na mídia há uns 3 anos. E por que não dizer que o objetivo também é pressionar a Índia, que tem sido bastante cautelosa nos repasses financeiros para o programa PAK FA, e cujos técnicos, em mais de uma ocasião, já lançaram dúvidas sobre o projeto, afirmando que o desempenho da aeronave estava abaixo do esperado.

Su-35S - VKS (Marina Lystseva) 1
Sukhoi Su-35S ‘Flanker-E’ / Foto: Marina Lystseva

divider 1FONTE: Defense NewsDefense Industry Daily, com informações de Kuryer, direto de Ulyanovsk, na Rússia

EDIÇÃO: Cavok

IMAGENS: Meramente ilustrativas

Anúncios

13 COMENTÁRIOS

  1. Seria interessante um matéria sobre os diversos tipos de Flanker e seus diferentes usuários, daria para entender os diversos modelos.

    • Mas antes disso esperamos a matéria sobre o MiG-31 como sistema de armas e a sua doutrina de utilização. 😉

  2. Para um caça que, segundo alguns diziam durante o FX-1/2, "é só um protótipo….sequer deverá será produzido" ….Hoje além de estar operacional na VVS ainda tem um monte de Países interessados nele!

    Creio que veremos o Su-35S com diversos bandeiras diferentes nos próximos anos!

  3. Parece um negócio pouco provável. A Índia significa ganhos muito maiores.

    JPC3

    Isso seria um trabalho bem difícil… visto as versões serem inúmeras.
    Na Combat Aircraft Monthly deste mês o correspondente na Rússia informa que um relatório para o Ministério de Defesa Russo dá conta que – sem criticar a opção de modernização 2010-2020 – se devia procurar maior standartização nos caças que a Rússia escolheu para modernizar a Força Aérea e Marinha.

    O correspondente indica que se encomendaram caças SU a duas fábricas diferentes e em muitos casos existe pouca similitude entre os caças:

    "The multiplicity of new tactical aircraft
    taken on strength with the Russian Air
    Force’s Frontal Aviation arm is among
    the biggest issues highlighted in the
    CAST report. This trend has even grown,
    despite the general consensus within
    the Defense Ministry on the need to
    eliminate the sheer number of different
    armament systems being purchased. The
    report provides a typical and well-known
    example, citing the different Sukhoi
    Su-27/30 derivatives currently being
    taken on strength by the Russian Air
    Force and Naval Aviation, with little or no
    commonality between them in terms of
    airframe structure, equipment/avionics
    and engines.
    The list of ‘Flanker’ variants being built for
    the Russian military includes the two-seat
    Su-30M2 and Su-30SM, the single-seat
    Su-35S tactical fighter and the two-seat
    Su-34 tactical bomber. All four of these
    heavyweight twin-engine ‘Flanker’ types
    are set to form the backbone of the Frontal
    Aviation arm by 2020, with no less than
    260 examples (built after 2010) in service
    by that time intended to supersede the
    older Su-27 and Su-24 fleets."

    • Grande Afonso…
      Sempre bom vê-lo por aqui.
      Sobre o seu comentário acima, eu concordo que a Índia é um mercado mais lucrativo do que o Paquistão. Eu vejo isso, entretanto, de forma mais ampla. Se a Rússia estivesse realmente preocupada em perder a Índia como cliente, o atual volume de negócios com a China não poderia jamais estar nos patamares atuais.
      Como a Rússia já vende para a China, o Paquistão é só um detalhe a mais. E isso já ocorreu com o Hind, que muita gente julgou o negócio como impossível de se concretizar. Deu no que deu.
      Os russos não tem aliados, tem clientes, e vende a qualquer um que esteja disposto a pagar.

      A grande questão nesse tema é se realmente houve interesse nos caças por parte do Paquistão, ou se a Rússia está apenas fazendo jogo de cena. Creio que só o tempo dirá…

      • Tenho em crer que se a Rússia começar a equipar o Paquistão, a Índia pula fora dos negócios com a Rússia, até porque fica em melhor posição junto dos Estados Unidos – o que tb é bom para estes, pois quer encontrar um parceiro (mais um) que cerque a China, e sirva de contraponto ao crescendo do Império do Meio na Ásia.

        A Índia sabe que quanto à China, não pode fazer nada se esta decidir comprar à Rússia. Já o Paquistão é outra história. E este sim é o seu grande inimigo (nuclear).

        Quanto à Rússia ter clientes… em breve chegará o tempo em que a própria China vai secar o seu mercado.

        Mas aqui a Rússia tb não teve grande escolha nos últimos anos. Podia dar-se ao luxo de não vender??…

        • Com certeza, não!

          Vamos esperar para ver como as coisas se desenrolam…

          Grande abraço!

  4. LaMarca

    Não quero dizer com isto que a Rússia não possa fazer negócios com o Paquistão, já aconteceu no passado. O negócio do Mi-35 é pequeno, são apenas quatro unidades, e isso mostra o quanto a Rússia sabe que com o Paquistão está sempre a pisar "ramos verdes", a Índia pode ouvir…

  5. Tudo a ver esta compra caso venha ocorrer:
    1- seria um tapa na cara da Índia que preferiu o Rafale deixando de lado o Mig35.
    2- seria uma advertência a Índia caso haja novas mudanças em sua politica de aquisição de equipamentos.
    3- seria um mimo à China pois Paquistão é um truta dos sinos.

    talvez seja uma leve mudança de mercado…e lado.

  6. Vender SU35S para os Paquistaneses seria politicamente incorreto…. para os Indianos.. 🙂

    Afinal, com uma grande frota de SU-30 e parceria no PAKFA, ficaria difícil para os indianos aceitarem esse negócio. Acredito que não rola não.

    Se os russos venderem o SU-35, os Indianos deveriam ir imediatamente de F-35. hehehehehe

    []'s

  7. Índia comprando o Rafale e F-35….3…2…1…vendido!!!!!

    Vai jogar os indianos de bandeja para os Europeus e Americanos…

    Como o colega disse acima, já ouço barulho de champanhe na Dassault e Lockheed Martin….

Comments are closed.