Como a Força Aérea russa poderia se aproximar dos EUA?

O recente cessar-fogo na Síria, negociado entre os EUA e a Rússia, abriu o caminho para a cooperação militar na luta contra elementos terroristas na Síria, aparentemente colocando um fim a uma janela de tempo onde caças russos e americanos estavam voando o suficiente para se arriscarem num potencial conflito entre as potências mundiais.

Mas como a Força Aérea russa poderia se aproximar dos aviões dos EUA?

Durante o período da Rússia na Síria, quatro de seus mais recentes e maiores jatos Su-35 Flanker voaram sortidas a poucos quilômetros do único jato de caça de quinta geração operacional do mundo, o F-22 Raptor dos Estados Unidos.

Dadas as diferenças fundamentais entre estes dois jatos de superioridade aérea, vamos dar uma olhada nas especificações técnicas e descobrir qual caça ganharia num hipotético e clássico Dogfight.


F-22 especificações

Velocidade Máxima: 2 700 km/h

Alcance máximo (combustível interno): 2 900 km

Dimensões: Envergadura: 13,56 metros; Comprimento: 18,89 metros; Altura: 5,09 metros

Peso máximo da decolagem: 37 toneladas

Motores: Dois turbofans F119-PW-100 com bocais bidimensionais de vetoração e gerando 15 800 kg de empuxo com pós combustão cada um.

Armamento: Um canhão de 20 milímetros M61A2 com 480 projéteis; baía interna de armas: nas duas baias laterais transporta dois AAM AIM-9X Sidewinder (guiagem por infravermelho) e na baía principal (ventral) transporta 6 AIM-120 (guiagem por radar) ou duas bombas JDAM GBU-32 de 453 kg e dois mísseis AIM-120.


Su-35 especificações

Velocidade máx.: 2 400 km/h

Alcance máximo (combustível interno): 3 100 km

Dimensões: Envergadura: 15,30 metros; Comprimento 22,21 metros; Altura 5,91 metros

Peso de decolagem máximo: 34 toneladas

Motores: Dois turbofan Saturn 117S com bocal direcional (TVC) e gerando cada um 14 500 kg de empuxo com pós combustão.

Armamento: Um canhão (orgânico) GSh-30 de 30mm com 150 projéteis, 12 estações sob as asas e sob a fuselagem para até 8.000 kg de armas, incluindo mísseis ar-ar, mísseis ar-terra, foguetes e bombas.


Manobrabilidade

A Rússia baseou o Su-35 na sólida plataforma do Su-27, de modo que seu status como um caça super manobrável é uma realidade.

Pilotos russos, familiarizados com as gerações anteriores das capacidades de vetorização de empuxo da família de jatos Sukhoi, realizaram proezas espetaculares de voo acrobático, como a “Cobra de Pugachev“.

Por outro lado, o F-22 tem uma grande relação peso/empuxo e bocais dinâmicos nos motores. Estes bocais móveis, mesmo tendo de serem desenhados de forma a manter uma borda que não comprometesse a ‘furtividade’, dão ao caça americano uma real capacidade de empuxo vetorado.

Em tese, o Su-35 manobra melhor que um F-22 em um clássico dogfight.


Guerra eletrônica

Tanto a Rússia quanto os EUA mantém em segredo as informações sobre suas capacidades de guerra eletrônica, mas deve-se supor que elas são, tanto no estado da arte, como quase iguais em eficácia.

No entanto, a capacidade stealth do F-22 permitiria que ele começasse a interferir no jato russo muito antes do Su-35 ter alguma noção da presença do Raptor.


Poder de fogo

Ambos os aviões são equipados com mísseis no estado-da-arte. A necessidade do Su-35 de levar as armas penduradas é uma ligeira desvantagem, mas, em geral, o primeiro avião que avistar e disparar vai ganhar.

O Su-35 pode carregar 12 mísseis, enquanto o F-22 leva apenas oito, mas o Su-35 normalmente dispara salvas de seis mísseis com um misto de buscadores (por infravermelho e radar), o que significa que dos do 12 mísseis, só dois realmente podem representar uma ameaça.

O F-22 poderia abater o Su-35 de uma grande distância, pois é mais difícil de detectar devido à sua vantagem stealth, por isso poderia potencialmente fazer melhor e mais econômico uso de seus mísseis.


Furtividade

Este é o lugar onde as coisas ficam interessantes: Na arena stealth, o F-22 está acima de qualquer outro jato operacional da atualidade.

A seção transversal de radar do Su-35 (RCS – radar cross-section/área visível ao radar) está entre 1 e 3 m². O RCS do F-22 é um segredo militar, mas analistas militares estimam que seja de 0,001 m².

Embora o Su-35 tenha a capacidade hipotética de detectar o F-22 a curta distância usando seu IRST (Infa-Red Search and Tracking) e potencialmente o radar Irbis-E, ambos os sensores teriam que ser orientados para se concentrarem exatamente numa determinada região do céu para ter uma chance de capturar um alvo. Em contraste, o F-22 saberá exatamente onde o Su-35 está em uma escala extremamente longa e pode, enquanto o Su-35 varre o céu, posicionar-se para uma solução de tiro.


Conclusão: Raptor vence o Su-35

O F-22 e o Su-35 provam ser dois aviões de Eras significativamente diferentes. O Su-35 carrega mais mísseis, pode voar mais longe e é, significativamente, mais barato. O Su-35 é um retrabalho sobre uma plataforma já existente da família Sukhoi Su-27, que têm a eficácia provada em dogfighting tradicional, enquanto o F-22 é o primeiro jato verdadeiramente de 5ª geração.

Em combate visual, a balança parece pender para o jato russo, no papel, mas o treinamento e apoio que os pilotos dos EUA recebem é inigualável. Assim, uma luta de um contra um, entre um F-22 e um Su-35, seria essencialmente um lance que se resume à habilidade particular do piloto.

Mas, o F-22 não foi feito para a arena de dogfight tradicional. O Raptor foi feito para abater o seu inimigo muito antes que o inimigo saiba da presença dele.

Um único Su-35 simplesmente tem pouca chance contra um F-22 porque o jato americano emprega tecnologia stealth muito superior. Enquanto um Su-35 poderia potencialmente encontrar um F-22 à distância, usando imagens térmicas, as limitações desses sistemas se sobrepõem aos pontos positivos.

Os pilotos de F-22 não precisam se preocupar com o agilidade do Su-35, pois podem encontrar e alvejar a aeronave de muito mais longe e terminar o combate antes que ele comece.

Historicamente, os aviões fabricados pelos EUA têm vencido os russos, e a nova geração de aviões norte-americanos reinventou o combate aéreo de tal forma que os futuros pilotos nem sequer terão de suar para dissuadir ou derrotar o inimigo.


FONTE: Warrior

Anúncios

58 COMENTÁRIOS

  1. Eu acho que o F-22 é até mais manobrável que Su-35 e poderia ganhar também no dogfight sendo pilotado por piloto de verdade é claro…

    Agora, eu fico com a pulga atrás da orelha quanto a essas noticias de F-22 voando ao lado de outros caças sem serem detectados, tipo nunca dizem se o raptor chegou até lá sozinho ou se foi vetorado por por algum outro sistema de cobertura enquanto voava discreto… Talvez nós ficamos na ilusão de que os sistemas passivos do F-22 seja o ó do borogodó enquanto na verdade nem são assim tão f***… quer dizer, até a FAB diz que faz isso.

    Sei lá, eu depois que soube disso já comecei a desconfiar dessas histórias hahaha.

  2. Vamos adicionar ai o fator "piloto" , mesmo os israelenses reconhecem que a nivel de qualificação a USAF é lider . Com um orçamento gigante os EUA garantem muitas e muitas horas de voo a seus pilotos, isto se reflete em muita experiência.
    Os Russos por outro lado estão enfrentando uma crise econômica grave, podem estar investindo pesado em equipamentos novos mas nao tem $$$ sobrando , sera que conseguem garantir a mesma qualidade na formação de seus pilotos?

    • os russos devem ter alguns pilotos em algum esquadrão de elite com muitas horas de voo, resta saber se treinam as táticas certas dentro da doutrina deles

  3. Vamos analisar por partes.

    Eu pessoalmente acho que comparar caças de gerações diferentes não dá certo mas…

    No quesito velocidade máxima, o F-22 tem tal informação confidencial, então é especulação.

    Na questão de manobrabilidade, temos que manter em mente que a única forma segura de comparar, são com os charts de manobrabilidade, ambos Su-35S e F-22 tem como confidenciais. Qualquer afirmação sobre tal coisa é especulação sem base.

    O F-22 tem uma relação peso/potência consideravelmente maior e diferente do Su-35S, em um dogfight, não teria mísseis pendurados que tiram sustenção, causam arrasto, e forçam o FBW da aeronave a reduzir a carga de G.

    Sobre EW, guerra eletrônica é tão ou mais confidencial que a própria furtividade, nós o público, mal sabemos sobre, dito isso fica difícil de julgar.

    E finalmente sobre a furtividade, a USAF já confirmou o RCS do F-22 quando disse que representava o tamanho de uma bola de gudê de metal.

    Conclusão, o F-22 é um 5G, e assim como quando o F-15 lutou contra caças 3G, pisaria sobre caças de geração passada.

    Vamos aguardar o PAK-FA, que não aparentar focar em furtividade, mas sim em sensores passivos, o que na minha visão é algo relativamente bom.

    • E antes que eu me esqueça, todas aquelas manobras que os Flankers fazem são lindas, não?! Mas sabiam que elas só são possíveis de fazer desligando o limitador de AoA do FBW antes do show?

      Dito isso, em combate, são manobras impossíveis, principalmente a Cobra…

      • Talvez o cobra anule o efeito doppler do primeiro Amraam, quando chegar o segundo o Su-35 vai estar com pouca energia para desviar, isso se o intervalo entre os mísseis for pequeno o suficiente.

        • Como eu já falei acima, para fazer a cobra e outras dessas manobras que as pessoas acham que só os Flankers fazem, somente são possíveis desligando o limitador de AoA do FBW, em combate é algo inviável.

          E mais, existe uma velocidade limite (baixa) para fazer a cobra, pois se ultrapassada essa manobra vai quebrar as asas.

          P.S: Se o AIM-120D realmente tiver um seeker AESA, o cenário de você descreveu não aconteceria.

            • Todo radar utiliza o efeito Doppler, mas a questão é que seekers AESA, por serem um feixe ativo, não seriam enganados, diferente de um PESA.

            • JPC3,

              Ufric,

              Um radar AESA não pode ser iludido por manobras como essas.

              Salvo melhor juízo, em um radar AESA cada emissor pode irradiar ondas em um padrão diferente. Portanto, é impossível uma aeronave ficar perpendicular ao feixe e enganar o radar, como acontecia com modelos mais antigos…

  4. Comparar um caça +4G com um 5g é perda de tempo. Nem o tal radar russo fazendo o que não pode ele qualquer caça russo ou chinês vai perder. E pela noticias do PAK-FA que a pintura antiradiação não funciona e com o chinas devem ser pior. USAF só peva por ter só 181 F-22 . Espero que o sucessor do F-22 apareça logo para enfrentar o perigo russo e chinês

  5. o acordo de cessar-fogo não teve os EUA a mesa de negociações, mas a turquia

    • Os EUA foram excluídos da negociação de acordo de cessar-fogo. Quem participou dos acordos foram: Rússia, Irã, Turquia e Egito(convidado). O editor tem que corrigir o texto.

  6. No curto alcance, o Su-35 dispõe do HMD, o que os próprios pilotos de F-22 gostariam de ter, além do bocal vetorado em 3D. Creio que se chegasse à esse ponto, devido mais ao HMD, que m levaria seria o Sukhoi, mas a propaganda toda é que não se chegaria à esse ponto.
    Lembrando que um EF-18 Growler venceu o F-22, devido ao JHMCS.

  7. E aquela história de que com a implementação do AIM-9X o Raptor passaria ser capaz de transportar 2 por baia lateral em vez dos atuais 1, procede?

    • Com o AIM-9M, por causa de suas superfícies grandes, era impossível. Agora com o AIM-9X, com certeza deve estar sendo estudado.

      • Um porém será se aumentarem o diâmetro para os novos motores, uma vez que, pelo menos a USN apresenta interesse em um alcance maior para o Sidewinder. Mas acho que a seria lá para o block III.

  8. num combate aéreo pode ter muitos senários que de vantagem à um avião, mais também o piloto conta muito.
    num combate ente o f-22 e qualquer outro caça a vantagem está do lado do f-22, mais pode sempre ser vencido pois não há aviões imbatíveis, mais um combate entre um f-22 vs su-35 diria que a vantagem era para o f-22 nuns 90% e 10% para o su-35.

  9. Bom, vamos lá!

    Eu particularmente não gosto de supertrunfos pois eles escondem outros fatores determinantes duma batalha, como os demais componentes da rede tais como AWACS sistemas SAM e outros, e eu diria que isso seria definitivo num encontro entre um Su-35S e o F-22. O F-22 se valendo da furtividade estaria mais protegido dum AWACS inimigo do que o Su-35S que seria detectado a longas distâncias aparecendo como um alvo bem antes, não acredito que ambos sabendo da possibilidade da presença do outro utilizaria varredura ativa pra caçar um alvo, sou cético quanto a eficiência do LPI contra outras antenas de varredura eletrônica e processamento digital moderno. Um dogfight seria algo fortuito e muita coisa teria que dar errado pro F-22 pra isso acontecer.

    • Eu honestamente acho que radar nem vai mais ser usado, sensores passivos como os do F-35 são muito eficientes e não revelam sua posição.

  10. Se for em território americano deve ganhar o F-22. Porém, se for em território russo provavelmente o Su-35.
    Entretanto, se realizar um DogFight puro acho quem ganha seria o Su-35 em relação a sua manobrabilidade, sem prejuízo de suas características táticas em velocidade, ao contrário do F-22 que deve perder nesse quesito, mas se tiver BVR e furtividade acho que o F-22 leva a melhor.
    Contudo, são caças distintos, categorias diferentes cada um com as suas peculiaridades e num cenário mundial cada um deve proteger-se com o material que dispõe. Assim, com certeza o F-22 é superior ao Su-35. Tanto que, as duas aeronaves são excelentes para o quesito ao qual se propõem.
    Fugindo do tópico um pouco, é interessante ter um caça como o F-22 ainda mais para o país que o fabrica. Porém, e um país com restrições financeiras creio que seria mais interessante comprar caças como o Su-35 do que o F-22.
    Entre comprar uns 10 F-22 eu prefiro comprar uns 30 Su-35.
    . http://www.aviatia.net/f-22-raptor-vs-sukhoi-su-3

        • Vamos lá: Pela lógica o F-22 tem vantagens em relação ao Su-35. Porém, muitos aspectos podem influenciar no campo de batalha, principalmente a habilidade do piloto, nível de treinamento e etc… Estas aeronaves são excelentes em todos requisitos, sem dúvidas. O F-22 é Furtivo e tem capacidade BVR superior, em tese, ao Su-35. O Su-35 é 4 geração ++, o F-22 é 5 geração logo é mais capacitado, porém o cenário, habilidades e treinamento dos pilotos, armamento podem influenciar num combate aéreo entre essas duas aeronaves. Não esquecendo, o F-22 tem muito marketing e o Su-35 é um lutador puro criado para derrubar qualquer aeronave da atualidade, se mais ou menos modernos não sei, porém essa é a realidade do momento. O F-22 deixou de ser fabricado e o Su-35 está começando a se inserir no mercado.
          Por que os EUA não convidam uns Su-35 para o Red Flag???
          Finalizando, sem Americanófilos ou Russófilos, o F-22 ganharia do Su-35 se o combate for em BVR, em tese. Porém, se o combate for num dogfight, mano a mano, aproximado acho que o Su-35 leva a melhor.
          Eu gostaria desses dois na FAB sem dúvida.
          Eu gosto do Su-35, F-22, F-18SH, F-16 Block 60/70…, Su-30 SM, Typhoon, J-10, F-15 SE, aeronaves que existem, são atuais, voam e deram certo. O resto é engodo ou perfumaria.

          • O F-22 tem muito marketing e o Su-35 é um lutador puro?
            E você já viu ele abater alguma coisa?

            Porque não convidam o Su-35 para o red flag?
            E deixar os russos examinarem a RCS do F-22 de perto?

            Só lhe pergunto uma coisa: Além de marketing e propaganda russa o que o Su-35 tem???
            O que o Su-35 fez que o raptor não faz?

            Não importa o lugar o F-22 tem vantagem para atirar primeiro.

            Não entendo a razão de insinuar o tempo todo que o F-22 não é tudo isso, enquanto os aviões russos são maravilhas da humanidade infalíveis.

            Até agora o Su-35 também só tem propaganda e nunca fez nada que um F-16 de 30 anos atrás não tenha feito.
            Acredito que o Su-35 seja excelente, mas por enquanto é só propaganda tanto quanto o o raptor.

            Se querem incluir o todo o sistema de defesa russo na conversa então a matéria deveria ser "F-22 versus Rússia" e não Su-35

          • Su-35 é um lutador puro criado para para derrubar qualquer aeronave da atualidade?

            E o Rafale, eurofigther, F-15, F-22, seriam o quê?

            O Su-35 até ser provado em combate é tão propaganda quanto os outros.

            Su-35 não foi criado para derrubar caças de 5°, ele é um reprojeto de um caça dos anos 80 anos. A eletrônica dele, em grande parte, pode ser instalada em Su-27M3 que faria quase a mesma coisa por um preço menor.

            O F-22 já abateu dúzia de F-15, inclusive com AEAS. E o sukhoi?

            • Calma, JPC3. Cada um com a sua opinião. Mas te aconselho a ler mais umas vezes as minhas opiniões que tu vai entender melhor, talvez.
              .
              Não tenho animus de discutir com debatedores para afirmar as minhas ideas, acho válido a sua opinião mesmo não concordando.
              .
              Eu facilito, em tese o F-22 é melhor que o Su-35, pelo fato de ter um BVR de maior alcance, é um caça furtivo e de 5 Geração.
              .
              Na minha opinião, em um combate aproximado o Su-35 leva a melhor.

              • Ninguém perdeu a calma.

                Eu sei que é a sua opinião, como a de todo mundo.

        • Obviamente que não, mas todos os radares de todos os espectros em terra (lembrando que a Russia possui uma das redes mais vastas de radares do mundo) com certeza fariam diversas perspectivas do F-22, e vale ressaltar que toda essa ampla rede é interligada aos sistemas anti aéreos e de guerra eletronica, por isso concordo que o "mando de campo" faça toda diferença, o mesmo vale pro Su-35 nos céus dos EUA.

  11. Perfeito, não há como comparar duas aeronaves extremamente confidenciais. Até a velocidade máxima do F-22 é confidencial.

    Ainda mais aeronaves de gerações diferentes. É como comparar um F-15C com um MiG-23…

  12. A coisa funciona assim..

    O F22, vai evitar do mano a mano porque aí ele vai perder a vantagem da invisibilidade.

    Eu digo evitar, porque por ser stealth ele vai ter a prerrogativa de escolher como engajar o oponente.

    O F22, vai começar o massacre em BVR e caso contrário ainda exista algum oponente no ar quando o F22 chegar em WVR, ele vai estar simplesmente na defensiva e tanto faz as piruetas de show aéreo do Flanker, que já não são mais novidades e as contramedidas contra elas já se mostraram válidas a décadas.

  13. Como vejo um combate entre um F-22 e um SU-35 no dogfifight:

    Splash One: SU-35 abatido sem saber porque.

    []'s

  14. Amigos, um embate entre estes jactos só pode ser analisado sem o manto da ideologia ou da torcida. O F-22 é o Benchmarking a ser batido, assim como foi o Su-27 e assim como foi o F-15. A proposta do Raptor, refinada no F-35, é abater sem precisar se expor. Alguém realmente acha que o T-50 e o J-20 irão para o clássico dogfight? Obvio que irão, mas só depois de esgotadas as tentativas BVR de abate do inimigo. Mas para chegar perto, é preciso sobreviver ao revide inimigo.
    É uma estratégia simples e perigosa ao mesmo tempo. Se uma Força Aérea consigue abater o inimigo sem ser visto, ela não precisa de gigantescas frotas, mas se ela precisa se expor, um baixo número de combatentes, reduzirá substancialmente sua capacidade de combate.

  15. Dogfight, existe isso hoje em dia? ah é, na fab tem kkk.

    Qual a diferença de um P47 e um forevis5? A velocidade kkk.

    • Oxe, lógico que tem… Se o negócio de hoje em diante é ser invisível ao radar a parada vai ter que ser resolvida no mano a mano mesmo uai.

      • Será? Eu não sei não, só os americanos tem aeronaves de 5G que tem participado de combate simulado e importante frisar, são recentes e de uma mesma fabricante que por razões obvias não divulga dados.

        Por hora e por um bom tempo, afirmar que o stealth tratá o combate ao dogfight, é suposição.
        …é só o que eu penso, entendo quem acha o contrário.

        ps* Vale lembrar que na guerra atual há uma rede de sistemas integrados, até forças capengas tem awacs dentre outros sistemas de alerta.

      • Sensores passivos estão aí pra isso.

        P.S: Não existe avião invisível a nada.

  16. Acharam a mesma coisa em fins dos anos 50 e deu no que deu… Só o futuro dirá.

  17. Um mano a mano é imprevisível, mas se os F-22 ou F-35 invadirem o território protegido pela Rússia eles terão uma resposta bem amarga.
    Algumas fontes dizem que os radares de terra da Rússia já pode detectar os "invisíveis". O que preocupa os americanos é o novo sistema de defesa Russo chamado S 400 e S 500, estes sim, de quinta geração. Mísseis com ogivas múltiplas e de velocidade de até 17 vezes a velocidade do som.
    Talvez os russos não ganhem pela qualidade e sim pela quantidade dos caças e pelo poderoso sistema de defesa russo.

    • Aí a gente foge do assunto, então seria Rússia contra F-22 e não Su-35 contra F-22.

      De qualquer forma, ninguém supõem que uma guerra com a rússia, seus S-400 e tudo mais seria fácil.
      Na verdade não dá nem para tentar prever o resultado.

      Ao mesmo tempo imagine os sukhois, não furtivos, tentando bombardear alvos na Europa.

    • Quais fontes ?

      Um SAM com MIRV ?! Esta eu não conhecia..

      A única coisa poderosa, não nuclear, na prática que a Rússia tem contra forças americanas são os russófilos de fórum.

      O resto são só "fontes"

  18. E o Allahu Akbar comeu solto nessa matéria! Gente que não sabe separar ideologia de uma situação hipotética…que vá debater estratégia com as 72 virgens!

    • Já vi isso, na verdade há inúmeros erros.

      O que mais me irritou é usar a taxa de acerto de um AIM-120A como exemplo e não um AIM-120D. Tendecioso demais…

  19. Só em um combate real que se vai descobrir quem leva a vantagem de fato. As informações dessas aeronaves são confidenciais, logo não se pode afirmar um vencedor.

Comments are closed.