A Força Aérea da Suíça escolheu o Saab Gripen NG como nova aeronave de caça multinfunção. (Foto: Saab)

A Suíça, conhecida mundialmente pela aplicação dos padrões mais elevados de aquisição e solicitação das tecnologias estado-da-arte, escolheu o caça Gripen NG da sueca Saab para substituir a frota de caças F-5 Tiger II da Força Aérea da Suíca. Serão adquiridos 22 aeronaves Gripen NG (JAS39 E/F), num programa de aquisição avaliado em menos que US$ 3,2 bilhões. As primeiras aeronaves devem chegar na Suíça em 2015, a partir de um prazo de 3 anos do momento da assinatura do contrato, previsto para o começo de 2012.

O programa Gripen vai criar uma parceria de longo prazo entre a Suíça e a Suécia. A Saab assegura para a Suíça uma estratégia de longo prazo de cooperação industrial visando a criação de empregos sustentáveis de alta tecnologia, transferência de tecnologia e geração de negócios de exportação. A Saab está preparada para iniciar as negociações e aguarda os próximos passos do processo, que inclui a definição do programa de treinamento, inclusive com pilotos sendo treinados na Suécia, e também definir se as aeronaves terão a etapa de montagem final sendo feita na Suíça.

Estavam na competição o caça Dassault Rafale e o Eurofighter Typhoon, além do F/A-18 Super Hornet no começo da competição. A Suíça estudou a modernização dos caças F-5, mas considerou um processo caro.

A decisão do Gripen foi devido ao custo de aquisição e de operaçãoo menor que os outros dois concorrentes, que segundo o Ministro de Defesa Ueli Maurer, no final dos 30 anos de vida operacional vai representar uma economia substancial. Além disso, o contrato prevê uma compensação financeira de 100% com as indústrias suíças.

Gripen está em serviço com as forças aérea da Suécia, República Tcheca, Hungria, África do Sul e Tailândia. A Empire Test Pilots’ School (ETPS) do Reino Unido também opera caças Gripen como uma avançada plataforma de jatos rápidos para os pilotos de teste em todo o mundo.

Anúncios

254 COMENTÁRIOS

  1. Muitos comentários aqui são bem inteligentes. Mas alguns idiotas acham que esses caças são como times de futebol. Fazem torcida para um ou para outro. Nada mais ingenuo…

    A escolha da Suiça é muito bem entendida. O rafale é caro(lembrando que a europa está em séria crise financeira) e os franceses não gostam dos suiços, são arrogantes na visão deles. Quanto ao F-18E/F, os suiços possuem o modelo C/D. Ninguem melhor que eles para saber se vale a pena pagar 3 vezes mais por um caça que não tem 3 vezes mais a capacidade do modalo anterior, sendo que deve haver outros motivos que não vêem a publico.

    Quanto ao Gripen, é um ótimo caça para a Suiça, barato no preço e manutenção, projetado para ser utilizado em pistas de disperção e pode ser rapidamente configurado para diferentes missões com pouca mão de obra.

    O que não devemos confundir que ele atende aos requisitos da Suiça. Não do Brasil…

    O Brasil precisa de um caça de maior raio de ação, mesmo o de Gripen NG (ou E/F) e o Rafale não são totalmente adequados.

    Porem, o que adiante comprar um caça caro e bonito como o Rafale, se nós não dispomos de verbas nem para manter os F-5M em operação, isso que esse caça é o "fusca" dos caças, que pode se achar peças em qualquer lugar.

    O Brasil precisa de reformas políticas, para mudar a mentalidade da nossa administração pública. Mas isso é outra história…

  2. Pra fechar, copiando a postagem do amigo Boomer.
    Thanks Brother…:

    O Rafale foi melhor que o Typhoon no relatório suiço.
    O Gripen teve baixa avaliação e eficiência limitada.

    Durante sua entrevista, Fernand Carrel, o ex-chefe da força aérea suiça e piloto de Mirage IIIS, ocupa o primeiro Rafale sobre o mérito técnico, em seguida, o Eurofighter e por último, o Gripen:

    “No nível operiacional, o Rafale é o líder” Ele diz.
    Segundo ele, os pilotos da Suíça prefere o Rafale, mas ele admite que a decisão final será política e econômica.

    Poucos dias antes suíça faz a sua escolha final, os principais resultados da avaliação operacional armasuisse foram liberados.
    Neste relatório, cada recurso é classificado em 9 pontos, 6 pontos sendo a pontuação mínima para atender ao requisito da Força Aérea Suíça

    Basler Zeitung publicou a pontuação para 2 tipos de missão principal: defesa aérea e ataque ao solo de missão. As pontuações verde refere-se a avaliação de 2008, enquanto as pontuações vermelho refere-se à avaliação 2009 final 2015 inclusive com melhorias.
    http://4.bp.blogspot.com/-UllaAXo7QnY/TtaTpBS5UWI

    O Rafale é classificada em primeiro lugar com 7,28 e 7,41 pontos,
    O segundo Eurofighter com 6,49 e 6,54 pontos,

    Várias citações do relatório:

    “Rafale e Eurofighter apresentaram desempenho geral melhor do que o F-18, Gripen foi o pior” 😆

    “O desempenho do Gripen no compromisso ar-ar, bem como missões de ataque não foi suficiente”

    “Os fatores mais limitantes do projeto Gripen foram o tempo de funcionamento, o desempenho de vôo e a carga máxima de armas” 😆

    “O Rafale é o único avião que tem cumprido as exigências da Força Aérea em todos os tipos de aplicações”

    O Gripen é o terceiro com 5,68 e 5,62 pontos. Portanto, não consegue passar o limite de 6 pontos.

    Assim, o relatório é muito claro quanto à capacidade da aeronave:

    1 – O Rafale é a melhor performance técnica e, portanto, recomendada como pra substituição do Tiger.

    2 – O Rafale ficou em cima do Eurofighter em ambas as missões de defesa aérea e ataque ao solo.

    3 – O Gripen tem deficiências graves e é considerado como um passo para trás em comparação com o F/A-18 operado pela Força Aérea Suíça. 😆

    Fonte: Basler Zeitung

    Sem mais o que dizer, a respeito do pobre, fraco e limitado Gripen.
    Somente bom pra país pequeno e que não vai pra guerra.!!!

    Agora se explica pq foi chutado fácil na India.!!! 😉

  3. O Gripen DEMO É (tempo presente) um airframe de Gripen C/D com todos os (POSSÍVEIS DE INSTALAÇÂO) equipamentos e aviônicos previstos para o FUTURO airframe do Gripen NG oferecido no FX-2 brasileiro.

    Airframe este que estava sendo desenvolvido e projetado com a ajuda da brasileira AKAER. Conforme propagandeado aos quatro ventos como prova cabal de participação tecnológica brasileira no projeto do Gripen NG, coisa impossível em relação aos projetos do Rafale e do F/A-18 Super Hornet programas aeronáuticos já finalizados…

    Para cumprir o prazo de entrega de 2015 e o requisito absoluto de SER O MAIS BARATO DE VERDADE, o JAS 39 Gripen E/F a ser entregue à Suiça terá OBRIGATORIAMENTE que ter o airframe do JAS 39 Gripen C/D como base com MUITO POUCAS MODIFICAÇÕES, pois mesmo sendo uma aeronave mono turbina a proposta da SAAB foi apenas 1 bilhão de dólares mais barata que o segundo colocado (que não sabemos se foi o Rafale ou o Eurofighter Typhoon e no momento o que eu mais queria saber dos Suíços).

    PORTANTO a segunda proposta foi de 4,2 bilhões de dólares (se a diferença foi em dólares mesmo)…

    Assim o SUPER BARATO GRIPEN, NA VERDADE foi (se a matemática na Suiça for a mesma)…

    3,2 bilhões U$ — 100 %

    1 bilhão U$ ——- 31,5 %

    NEM UM TERÇO mais barato que os dois ULTR-SUPER-CAROS-EUROCANARDS do MMRCA indiano !!!!!

    Para quem acha que o JAS 39 Gripen E/F é só 31,5% menos efetivo como aeronave militar que um Typhoon ou um Rafale…

    Pode continuar a achar que está lucrando algo…

    Nos meus tempos antigos de Marinha isso equivalia a expressão "de não se poupar dinheiro para fazer economia"…

    Gastar mais de 70% do custo equivalente dos concorrentes, para levar pouco mais de metade do caça…

    Para mim os políticos suíços são uns pobres otários com medo de pacifistas e verdes e estão enganando suas próprias forças militares…

Comments are closed.