A Força Aérea da Suíça escolheu o Saab Gripen NG como nova aeronave de caça multinfunção. (Foto: Saab)

A Suíça, conhecida mundialmente pela aplicação dos padrões mais elevados de aquisição e solicitação das tecnologias estado-da-arte, escolheu o caça Gripen NG da sueca Saab para substituir a frota de caças F-5 Tiger II da Força Aérea da Suíca. Serão adquiridos 22 aeronaves Gripen NG (JAS39 E/F), num programa de aquisição avaliado em menos que US$ 3,2 bilhões. As primeiras aeronaves devem chegar na Suíça em 2015, a partir de um prazo de 3 anos do momento da assinatura do contrato, previsto para o começo de 2012.

O programa Gripen vai criar uma parceria de longo prazo entre a Suíça e a Suécia. A Saab assegura para a Suíça uma estratégia de longo prazo de cooperação industrial visando a criação de empregos sustentáveis de alta tecnologia, transferência de tecnologia e geração de negócios de exportação. A Saab está preparada para iniciar as negociações e aguarda os próximos passos do processo, que inclui a definição do programa de treinamento, inclusive com pilotos sendo treinados na Suécia, e também definir se as aeronaves terão a etapa de montagem final sendo feita na Suíça.

Estavam na competição o caça Dassault Rafale e o Eurofighter Typhoon, além do F/A-18 Super Hornet no começo da competição. A Suíça estudou a modernização dos caças F-5, mas considerou um processo caro.

A decisão do Gripen foi devido ao custo de aquisição e de operaçãoo menor que os outros dois concorrentes, que segundo o Ministro de Defesa Ueli Maurer, no final dos 30 anos de vida operacional vai representar uma economia substancial. Além disso, o contrato prevê uma compensação financeira de 100% com as indústrias suíças.

Gripen está em serviço com as forças aérea da Suécia, República Tcheca, Hungria, África do Sul e Tailândia. A Empire Test Pilots’ School (ETPS) do Reino Unido também opera caças Gripen como uma avançada plataforma de jatos rápidos para os pilotos de teste em todo o mundo.

254 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns ao Gripen e a Gripelândia. A Suiça, um país neutro, que nunca entrou em Guerra com ninguém, nem com o Vaticano, deve ter um caça a altura de suas ambições. Em tempos de crise econômica, nada mais acertado do que gastar Francos Suiços em um equipamento mais barato possível, um tampax, para Suiço ver. Agora, os F5E II devem vir pra FAB 😀
    [ ]s

  2. Esta notícia pode diminuir as chances do Gripen NG no FX2, uma vez que a Suiça deve pegar grande fatia do queijo Suéco. Embora o Brasil seja territorialmente infinitamente 😀 maior que a Suiça, temos uma Força Aérea menor. O território, a dimensão mundial do Brasil exige algo melhor que o gripen, porém o tamanha, dimensão da FAB só cabem os Gripens. Infelizmente, ainda mais com estas suspeitas de corrupção na Força.
    [ ]s
    Pelo menos os Suiços tem um caça novo para sua Força. Possivelmente, não é o melhor, mas o que cabe no bolso dos Suiços. EU acho que é uma espécie de tampax até dias melhores na fábrica de relógios, canivetes, chocolate e paraíso fiscal.

    • Wolfie:

      Não adianta sonhar com 120-200 Rafales. Isso é delírio dos apologistas do "Brasil – Putênfia"

  3. E melhor superhipermegacaça francês de 4/6 geração, batedor de Raptors e ração de Phantom´s perdeu mais uma, e pra um caça de papel!

    Tá sem moral hein?

  4. Rafale perdeu outra é??? Parece que a Gripenlandia estava certa né????

    Bom pra mim deu a lógica, os suiços parece que não são tão fans dos caças franceses, sempre achei estranho eles preferirem o F-18 ao Mirage-2k, que p/ mim seria a escolha mais lógica, deve ser o pós-venda deles.

    []s

  5. Parabéns a SAAB e ao Gripen,

    Não devo esconder que tenho como preferência o caça francês para o Brasil, por vários fators que não cabe enumerar neste post.
    Quano a escolha do Gripn na Suíça, era a escolha mais óbvia, o Rafale e o Typhoon são aeronaves caras de manter e operar, mas não significa que são inferiores ao Gripen por que perderam na Suíça.
    A escolha da Suíça foi estritamente financeira, pois o avião monomotor é indiscutívelmente mais barato de comprar, manter e operar.
    Com certeza, esta compra é muito bem vinda para a SAAB, para provar que seu avião nao é de "Auto-Cad", e mostrar definitivamente as qualidades de seu avião.

    Abs, AntiAereoDaSailva

  6. Engraçado agora o Gripen E/F ser igual ao Gripen NG…

    E o papo que o Gripen NG era um avião TOTALMENTE NOVO e etc…

    Que a AKAER do Brasil ia desenhar um airframe da NOVA aeronave???

    Desde quando o novo Gripen NG ia ficar pronto para entrega em 2015 como se fosse uma aeronave em produção ???

    A verdade é que o que se chama agora de Gripen E/F é a volta dos que não foram…

    O Gripen Demo era o "conteúdo" aviônico do FUTURO Gripen NG num airframe de JAS 39 GRIPEN C/D…

    A SAAB vai APROVEITAR o trabalho feito no programa Gripen NG e INCREMENTAR o JAS 39 GRIPEN numa nova versão baseada no trabalho do Gripen DEMO.

    1) Ganharam a competição na Suíça;

    2) A Suécia vai querer o Kit de atualização para sua frota;

    3) o Gripen NG vai definitivamente para o país dos sonhos…

    EU PASSO…

    • Caro Gilberto,

      A Akaer não ia desenhar, está desenhando.

      Tu não acreditas que o E/F não seja o NG, mas É. aguardemos 😉

      []'s

      • Vai ficar somente na prancheta pra enfeite de escritório.

        Aguarde isso, mas sozinho..rssssss 😉

        Transformar o velho Gripen em versão EF e chamar de NG, é muito engraçado.rssssss

  7. Realmente fico estupefacto com certos comentários aqui escritos, vamos lá ver se percebem de uma vez por todas, o modelo do Gripen suiço é o NG!

    Essa conversa de Rafale é melhor que Typhoon ou Gripen ou vice versa é conversa de quem não percebe nada de aviação militar, hoje em dia o importante é ter um bom avião, com bons pilotos, com boa logística, com boa manutenção, com bom treinamento e acima de tudo um avião adequado às necessidades de cada país. Os três são excelentes aeronaves, as três dariam excelentes vectores para a futura força de caças da FAB. Será que o Brasil devido à sua história e à localização geográfica (não há qualquer problema com os outros países da américa do sul)necessita de ter aviões caros como o Rafale ou Typhoon? Será que a futura força de aviões reabastecedores KC-390+reabastecedores estratégicos que serão adquiridos não resolvem o problema do alcance do Gripen?

    Dizer que o Gripen é uma manta de retalhos de vários países é outra perfeita anormalidade… Sabem qual é o avião comercial mais moderno do mundo? É o Boeing 787… vejam de onde vêm peças para eles serem montados… O mundo de hoje é global.

    Em relação à utilização dos Gripen suecos na operação Unified Protector… não fizeram missões de combate contra alvos terrestres porque o parlamento sueco só autorizou a sua utilização em missões de reconhecimento e de vigilância da zona de exclusão aérea.

    Depois falam no F-20… Pegar num projecto com 35 anos de existência é extremamente sensato 🙂

    Para terminar reitero que quer o Gripen, quer o Rafale, quer o Typhoon são três excelentes máquinas cada uma com as suas virtudes e defeitos.

  8. No meu ver a melhor escolha que podiam ter feito , o GRIPEN é uma alternativa , para países que queiram ter uma caça de 4ª geração , com um bom custo-benefício ,até certo ponto moderno e capaz , sem precisar depender de americanos e russos , e nem se arriscar em comprar aeronaves chinesas , e principalmente que não pese no orçamento na hora de comprar e manter , a SUÍÇA é um país pequeno e neutro , sem histórico de desavenças com seus vizinhos , ou seja não precisa de um caça com alcance de FLANKER , e nem de um tão moderno e poderoso quanto um RAFALE , apenas de uma aeronave com tecnologia atual que possa da-lhes uma certa segurança e que seja páreo para as dos vizinhos , ou seja o GRIPEN atual da conta do recado , e o NG mais ainda , apesar de menos capaz e sofisticado , e principalmente com menos capacidade de crescimento que seus irmão delta-canards , pelo fato de ser mono-turbina e ter um projeto mas velho , os suíços sabem que sua escolha não esta na altura , de um TYPHOON e muito menos de um RAFALE , mas o caça sueco supera os dois outros delta-canards , em um dos principais quesitos da concorrência , o custo pra ter , e principalmente pra manter, e foi ai que o GRIPEN virou a menina dos olhos do alto comando da força aérea suíça , venceu a briga .

    • Ozéias, só algumas considerações. O fato de uma aeronave ser monoturbina, não influi em nada para que a mesma venha a receber novas e melhorias durante sua vida útil, tudo depende apenas se o projeto foi concebido já com a capacidade para recebe-las, tanto é assim que, o F-16 que é reconhecidamente o caça ocidental com maior numero de unidades produzidas, esta constantemente recebendo melhorias (Avionica, radar aesa, etc…); Já com relação a idade do projeto do Gripen, este é contemporâneo de rafale e typhoon. Tendo voado pela primeira vez em Dezembro de 1988, já o primeiro vôo do rafale é de 1986, portanto não há que se dizer que o projeto do gripen seja mais velho que de seus primos europeus.

  9. Por US$ 3,3 bilhões de dólares por 22 caças, cada caça sairia por US$ 150 milhões.

    Aparentemente uma fortuna. Mas essa conta é estupidamente burra, por diversos motivos:

    – Não inclui os 100% de offsets, já confirmados, ou seja: 100% do que for pago á SAAB deverá ser investido na Suíça, por empresas suecas. Só aí, já se pode dizer que o preço dos caças em si cairia teoricamente pela metade, ou seja, US$ 75 milhões;

    – Não inclui o treinamento dos pilotos, já confirmado;

    – Não inclui nenhum equipamento de manutenção, bancadas de testes, manuais, integração e customização de sistemas, treinamento das equipagens de solo, etc,

    Conditio sine qua non para a mínima manutenção operacional em primeiros escalões dos caças na Suíça;

    – Não inclui nenhum "spare parts", os sobressalentes minimamente imprescindíveis para que qualquer força aérea que se preze não corra o risco de ficar com seus caças "groundeados" todo o tempo;

    Ou seja, à primeira vista parece bastante dinheiro, mas ao se pensar com mais vagar pode se deduzir que os Suíços fizeram um excelente negócio.

    Por fim, de se dizer que, segundo jornais suíços, os outros dois concorrentes ofereceram propostas até 25% mais caras do que a do Gripen.

    Assim, pela mesma conta burra, teríamos o Rafale ou o Eurofighter a US$ 4,125 bilhões, ou seja: a bagatela de US$ 187,5 milhões por aeronave!

  10. 236 COMENTARIOS
    .
    PARABENS BLOG (DEMOCRATICO)
    .
    POSSIVELMENTE JA E NUMERO 1 NO BRAZIL NA ARIA DE AVIACAO

Comments are closed.