Uma aeronave da FAB realizou uma interceptação de um avião que transportava 500kg de cocaína. (Foto: VA Santos / Agência Força Aérea)

O Centro de Comunicação Social da Aeronáutica comunica que neste domingo (25/06) um avião A-29 Super Tucano da Força Aérea Brasileira interceptou o avião bimotor, matrícula PT-IIJ, na região de Aragarças (GO), resultando na apreensão de cerca de 500kg de cocaína. A ação faz parte da Operação Ostium para coibir ilícitos transfronteiriços, na qual atuam em conjunto a Força Aérea Brasileira, a Polícia Federal e órgãos de segurança pública.

O avião decolou da Fazenda Itamarati Norte, no município de Campo Novo do Parecis (MT) com destino a Santo Antonio Leverger (MT).

A interceptação, feita pela aeronave de defesa aérea A-29 Super Tucano da FAB, iniciou-se às 13h17 da tarde deste domingo. O piloto de defesa aérea seguiu o protocolo das medidas de policiamento do espaço aéreo, conforme estabelece a Lei 7565/1986 e o Decreto 5.144/2004, interrogando o piloto do bimotor e comandando, na sequência, a mudança de rota e o pouso obrigatório no aeródromo de Aragarças (GO).

Inicialmente, a aeronave interceptada seguiu as instruções da defesa aérea, mas ao invés de pousar no aeródromo indicado, arremeteu. O piloto da FAB novamente comandou a mudança de rota e solicitou o pouso, porém o avião não respondeu. A partir desse momento, foi classificado como hostil. O A-29 da FAB executou o tiro de aviso – uma medida de persuasão para forçar o piloto da aeronave interceptada a cumprir as determinações da defesa aérea – e voltou a comandar o pouso obrigatório.

O avião interceptado novamente não respondeu e pousou na zona rural do município de Jussara, interior de Goiás.

Um helicóptero da Polícia Militar de Goiás foi acionado e faz buscas no local. O avião será removido para o quartel da Polícia Militar de Goiás em Jussara. A droga apreendida será encaminhada para a Polícia Federal em Goiânia.

Brigadeiro do Ar Antonio Ramirez Lorenzo
Chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica

Anúncios

25 COMENTÁRIOS

  1. Devia ter abatido ao criminoso pousar para fugir longe do aeroporto designado. não adianta pegar a droga e sim saber quem era o piloto. a Op. Ostium mesmo assim é ato certo do governo Temer

    • Ao atirar no piloto depois do pouso ja estaria fora da lei de abate e responderia por homicídio doloso.

      • Acredito que o engcarioca falou de abater a aeronave hostil em voo, mas concordo que não dá pra deixar fugir. Fica a minha dúvida. Não seria mais eficiente interceptar com o apoio de helicópteros da própria FAB ou da PF?

      • E mesmo sem atirar na aeronave em voo, a imprensa já cai matando. Como se a FAB veladamente fosse culpada pela "queda"…

  2. Já houve algum abate ou essa lei é só "para inglês ver"? Se sim, quando e qual aeronave?

      • Eu ja conversei com colegas e a maioria dos pilotos é contra o abate.
        No Peru ou Colombia um T-27 derrubou um avião com uma família sem drogas por engano.
        Combate ao tráfico se resolve com operações de inteligência, não com estas operações de poucos resultados práticos.

        • A FAB tem esse luxo de formar pilotos frouxos ? Já tem um frota ultrapassada e pequena, e forma pilotos que são contra derrubar um cessna ? Lamentavel.

          • É, cada vez mais eu vejo que atrás de um teclado tem muito gente "corajosa e destemida".
            Quem tem cérebro pensa antes de apertar o gatilho.

            • Problema grave hoje em dia em que as pessoas querem mudar o sentido do assunto, não estamos falando da minha pessoa, e sim dos pilotos da FAB, um piloto que é contra derrubar um avião sem plano de voo e que não responde faz tanto sentido quando um marinheiro claustrofóbico, ou um paraquedista com medo de altura.

              • Pensando da mesma forma que vc um Oficial da PM da Bahia a anos atirou em um motociclista que furou um bloqueio e respondeu por crime doloso.
                Segundo a promotoria um elemento em fuga não representa um perigo que justifique o tiro nas costas, se fosse um elemento trocando tiros com a Polícia ja era outra coisa.
                .
                Da mesma forma uma aeronave desarmada em fuga não representa nenhum perigo, devendo ser acompanhada e advertida, disparar para derrubar já é altamente discutível, mesmo tendo uma lei que da amparo.
                .
                Citei outro dia o caso da Espanha onde traficantes em lancha são acompanhados por helicopteros da Polícia espanhola armados e jogam a carga fora e voltam a Africa, segundo entrevista dada pelos policiais da Espanha eles só atiram se os traficantes estiverem com armas colocando os policiais ou terceiros em perigo.
                .
                Só complementando, no Ceará policiais foram presos por atirar pelas costas em um suspeito em fuga, é comum vc ver o povão mais ignorante comentando que a Polícia tem que "sentar o dedo" e matar os "vagabundos", mas na prática quando se mata alguem desarmado vem a consequencia.

                • Encerrando o assunto já que aqui não é o local certo, a inversão de valores já afetou voce, um motoqueiro que fura um bloqueio na MINIMA é um va4gabund0, se um ladrão foge tem sim que disparar, nas lanchas que tem como destino a Europa tambem, pois "hoje" a policia teve sorte de se mostrar superior, mas quando a lancha passar com drogas, tenho certeza que ira causar mais mortes e transtornos do que se a policia atirasse, o mesmo para o ladrão.
                  No Brasil quando um policial mata um bandido é preso, e o bandido tratado como vitima, então meu caro, o unico exemplo que nosso país da é de como não fazer as coisas.
                  Olhe os videos da policia americana, onde os bandidos são tratados como devem ser, na base da violencia.

                • Então va morar nos EUA e ser feliz, pois quem está com inversão de valores é você.
                  Pois atirar em avião ou barco desarmado e em suspeito pelas costas é crime em boa parte do mundo civilizado.

                • Strobel, perfeito seu comentário. O uso de arma de fogo, para a polícia, é o último recurso. Para o Super Tucano da FAB, o tiro de destruição tbm o seria.

                  Não perca seu tempo explicando algo pra quem nao quer te ouvir. Rsrsrsrsrs usar meios letais é sempre muito arriscado, tem que ter 100% de certeza. Inteligência é a melhor saída. Quando a operação é bem planejada, é possível prender quadrilhas inteiras sem disparar um único tiro.

                  Abraço a todos

  3. Se a ordem não foi acatada na primeira vez, deveria ser abatido mesmo. Os traficantes começariam a olhar de outra maneira as coisas, perder 500kg no universo do tráfico de drogas não é nada.

  4. Eu acho que a FAB tem realizado os procedimentos adequados quanto à interceptação.
    O abate de aeronaves deve ser usado realmente quando houver ato hostil, que ponha em risco o piloto, ou uma área populada, ou alguma instalação.

    • Ulisses, o que é ato hostil pra vc? Um Cessna com uma .50, isso? Um Baron com uma metranca na janela disparando nos interceptadores? Não se carrega drogas, até onde eu saiba não é comum, carregar em um caça, que ai sim, seria bem hostil.

    • Na minha opinião está tudo errado pois um avião com sobrepeso de carga, voando com excesso de combustível, sem plano de voo, muitas vezes sem mesmo matricula válida e descumprindo ordens da força aérea ainda por cima… Se isso não for passível de abate então que se rasgue as dita lei do abate pois ela é completamente inútil…

      Sinceramente, se querem solucionar o problema, alguns ovos terão que ser quebrados e o procedimento não está totalmente errado, ele é eficaz em determinar se a aeronave é hostil, ninguém chega atirando, problema mesmo é o tempo de resposta… Lembrando daquele caso que o avião fez o retorno da cidade de Barretos se não me engano, sendo acompanhado de perto pela FAB e pela PF… aterrou por falta de combustível a poucos quilômetros da fronteira e com excesso de peso (contrabando). E se esse avião caísse em uma cidade e vitimado pessoas? A culpa não seria da FAB por não ter dado o devido fim a aeronave??? A aeronave cruzou um estado inteiro então tiveram tempo para aplicar a lei.(julgando pelos dados que tivemos na época) Não foi aplicada por que? Porque naquela ocasião a lei era cumprida de forma diferente? (e era mesmo)

      Se a lei existe ela tem que funcionar, mais cedo ou mais tarde ela vai ser cumprida na totalidade e tenho certeza que vai ter sido de forma correta.

  5. No livro Cobra, uma ficção de Frederick Forsyth, os EUA abrem guerra – secreta – contra a cocaína. Uma das medidas (lembrem-se, ficção) foi reclassificar a cocaína como arma química, o que mudou totalmente o contexto, tratando os traficantes como terroristas e permitindo um abate/ataque. Creio que isso seria considerar hostil.
    Mas na realidade, o traficante, a droga, apesar de crime e criminosos, não são hostis à uma nação, que necessite o emprego das Forças Armadas.
    No meu entender, essa lei de abate está ai para ajudar as Forças da Lei e da ordem (ex. Polícia Federal) a, em último caso, não deixar o criminoso fugir (não há pena de morte em nosso país) e não executá-lo. A ideia é "imobilizar" o veículo e não executar vidas humanas. Além do que, não se sabe se há inocentes (reféns) dentro da aeronave ou se é alguém com algum transtornos psicológicos/psiquiátricos que não quer acatar ordem de pousar/seguir. Também é interessante obter as provas do crime, prender (vivo) os suspeitos, para dar sequencia à investigação, conservar a aeronave (que pode ser utilizadas por órgãos governamentais ou peças). Até em guerra se poupa aeronaves do inimigo da destruição – o butim (a Inglaterra tinha um Pucará – levado para lá – capturado intacto na guerra das Malvinas).
    Agora, se o cara poe em risco imediato e evidente outras vidas humanas, entrando em um espaço aéreo movimentado ou sobrevoando de forma ilícita áreas densamente povoadas (imagina um louco querendo atirar um cessna em cima de uma creche ou abalroando um 737!), ai sou a favor do abate sim: uma vida não deve se sobrepor a outras.
    Em relação ao livro citado acima, vale muito a pena a leitura: paralelamente o governo (o responsável) traça uma estratégia de abater secretamente aeronaves de traficantes em pleno oceano Atlântico.

  6. Eu vou dar minha opinião mesmo não sendo piloto nem tão pouco "fabiano"…

    Se fosse piloto militar, poderia até não ser a favor de abate de aeronaves civis mas se receber ordem de abate, meteria fogo sem dó mesmo, militar é pra servir e tem obrigações… Tenho certeza que nossos pilotos são bons no cumprimento do seu dever e se não há abate é por culpa da própria legislação, na verdade até acho que a fab evita as vezes esse tipo de interferência pra não atrapalhar investigações da PF já que na maioria das vezes a aeronave se evade…

    Sabemos muito bem como funciona, quando tem operação, os traficantes diminuem as atividades e voltam a voar mais quando em tempos normais, agora, a lei do abate é falha sim! Eu já vi um ST interceptando uma aeronave onde a mesma simplesmente fez meia volta e retornou para o local de onde saiu (lê-se Paraguai).

    • O Ten. ou Cap. pilotando o Super Tucano vai sim cumprir a ordem recebida, sem dúvida. É um jovem de 25 a 35 anos cheio de adrenalina no sangue.
      Eu conheço o pessoal mais antigo que daria a ordem de abate, estes tem a cabeça no lugar e pensam nas consequencias.

  7. Vou dar o exemplo da JCG(Guarda Costeira do Japão) em duas abordagens onde o suspeito não queria parar, no caso do navio chinês houve até uma colisão, mas não atiraram.
    . JCG x China https://m.youtube.com/watch?v=oB-lAk-9DNw
    .
    No caso dos Norte Coreanos houve reação armada e eles atiraram no navio. Neste caso a ação armada se mostrou necessária.
    . JCG x N. Korean https://m.youtube.com/watch?index=33&v=9-kH3Y
    .
    Um momento de descontração da JCG, para homenagear o AKB-48 dançaram a música Aitakatta usando minissaias em um dia festivo. Se a moda pega.
    . JCG dance Aitakatta https://m.youtube.com/watch?v=MY_nhXtoqv8
    .
    . AKB48 Aitakatta https://m.youtube.com/watch?v=ZrRtgPtdvOA

  8. O que a Polícia precisa é de mais equipamentos de ponta, vejam estes dois casos:

    1- Equipamento para remoção de barricadas:
    Modelo com controle remoto que está sendo oferecido pela Rússia para Myanmar.
    . https://3.bp.blogspot.com/-0z1dmZgJomI/WUygiN9QCD
    .
    Como a PM do Rio de Janeiro remove nestes tempos em que é cada vez mais comum o uso de explosivos com controle remoto por criminosos.
    . https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:A
    .
    2- Veículos blindados para Polícia:
    As Polícias do Brasil todo tem uns 18 carros blindados para operações especiais, só a Tailândia que é menor que a Bahia ou Minas Gerais neste primeiro lote comprou 18 FirstWin de abricação local que está até sendo exportado.
    . https://thaimilitaryandasianregion.wordpress.com/
    .
    A Policia da Indonésia, país que tem aproximadamente população do Brasil tem mais de 250 blindados, de procedencia Sul Coreana e fabricação local.
    . bandung.pojoksatu.id/wp-content/uploads/2016/04/rantis-barracuda-1-730×355.jpg
    .
    . http://cdn.metrotvnews.com/images/library/images/
    .
    . https://autonetmagz.com/wp-content/uploads/2015/0
    .
    . https://encrypted-tbn2.gstatic.com/images?q=tbn:A
    .
    . https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:A

Comments are closed.