Tags Post com a tag "787"

Tag: 787

Boeing 787 pode ser vulnerável a ataques cibernéticos, segundo especialista em segurança

1
Cabine de comando do Boeing 787-8 Dreamliner.

Um especialista em segurança cibernética afirma que as falhas de segurança na rede de aviônicos do Boeing 787 tornam a aeronave vulnerável a ataques remotos.

Anúncios

PARIS AIR SHOW: Korean Air anuncia intenção de adquirir 30 Boeing 787 Dreamliners

0
Aeronaves 787-9 e 787-10 nas cores da Korean Air. (Foto: Boeing)

A Boeing, Korean Air e Air Lease Corporation anunciaram hoje no Paris Air Show que a companhia planeja adicionar 30 novos aviões 787 Dreamliner à sua frota, com o compromisso de comprar 10 novos 787-10s e 10 aviões adicionais 787-9 avaliados em US$ 6,3 bilhões a preços de tabela atuais. Como parte deste acordo, a Korean Air também arrendará 10 787-10s da ALC.

Grupo Lufthansa adquire 20 aeronaves Boeing 787-9 Dreamliners

2
Boeing 787-9 nas cores da Lufthansa.

O Grupo Lufthansa está constantemente avançando na modernização de sua frota de longa distância e em uma reunião hoje, com base na recomendação do Conselho Executivo, o Conselho de Supervisão aprovou a compra de um total de 40 aeronaves de última geração para as companhias aéreas do grupo. Além dos 20 adicionais A350-900 que divulgamos aqui, a Lufthansa também encomendou 20 aviões Boeing 787-9, que juntos basicamente substituirão aviões de quatro motores. Os novos aviões serão entregues entre o final de 2022 e 2027.

Qantas apresenta nova logotipia e novos assentos que vão equipar os 787 Dreamliners

0
A nova pintura da Qantas, que vai acompanhar os novos 787-9 Dreamliner que a companhia aérea receberá em 2017. (Foto: Qantas)
A nova pintura da Qantas, que vai acompanhar os novos 787-9 Dreamliner que a companhia aérea receberá em 2017. (Foto: Qantas)

A Qantas anunciou ontem (26) a sua nova pintura de aeronaves e o novo logotipo, e é apenas a quinta atualização na história da Qantas. A última atualização foi feita em 2007, quando a companhia aérea recebeu o A380. Não é nenhuma coincidência, então, que o novo logotipo e pintura acompanhe a entrega do primeiro 787 da companhia aérea, previsto para outubro de 2017. A famosa cauda com o canguru estilizado foi lançado pela primeira vez em 1944.

IMAGENS: Primeiro 787 Dreamliner fabricado é doado ao Japão

5
Chegada do primeiro 787 Dreamliner fabricado (ZA001) ao aeroporto em Nagoya, no Japão. (Foto: Boeing)
Chegada do primeiro 787 Dreamliner fabricado (ZA001) ao aeroporto em Nagoya, no Japão. (Foto: Boeing)

Mais de 100 funcionários do governo japonês e líderes da Boeing, juntamente com seus parceiros fornecedores, comemoraram no dia 7 de julho de 2015 a doação feita pela Boeing do ZA001, o primeiro 787 Dreamliner produzido, para o Central Japan International Airport (Centrair), em Nagoya, no Japão, onde ele será colocado em exposição estática.

PARIS AIRSHOW: Boeing recebe US$ 50,2 bilhões em pedidos de aeronaves

3
Um Boeing 787-9 Dreamliner participa da demonstração em voo durante o 51° Paris Air Show em Le Bourget.
Um Boeing 787-9 Dreamliner participa da demonstração em voo durante o 51° Paris Air Show em Le Bourget.

A fabricante norte americana Boeing informou que recebeu pedidos e compromissos para 331 aviões, avaliados em US$ 50,2 bilhões durante o Paris Airshow, realizado no aeroporto de Le Bourget, nos arredores de Paris. O resultado ficou abaixo da concorrente europeia Airbus, que atingiu a marca de 421 aeronaves no valor de US$ 57 bilhões. O destaque da Boeing foi a demonstração amplamente divulgada do 787-9 Dreamliner.

Boeing próxima de confirmar desenvolvimento do 787-10X e clientes esperam o 777X

1
A Boeing está quase decidida em lançar oficialmente o programa de desenvolvimento de uma versão duplamente esticada do 787, o 787-10x. (Foto: Boeing)

Enquanto a Boeing se aproxima de dar o sinal verde para o 787-10X, sem dúvida uma das decisões mais fáceis de marketing que tem enfrentado em uma década, seus clientes e fornecedores ainda estão esperando a outra decisão sobre o lançamento do 777X .

Os potenciais compradores, do que será o maior avião bimotor do mundo, foram informados pelo fabricante no início de novembro, quase ao mesmo tempo quando a Boeing começou oficialmente a falar sobre o derivado duplamente esticado 787-10X com as companhias aéreas e empresas de leasing.

Desta vez, a Boeing silenciosamente reconheceu ter recebido a aprovação do conselho para começar as negociações sobre o 787-10X sem a fanfarra normal, tradicionalmente associada com a “autorização para oferecer” (ATO). O movimento, no entanto está sendo amplamente visto como um sinal claro da determinação da Boeing tanto em afastar a concorrência do Airbus A350, bem como sua crescente confiança na melhoria da capacidade de seu sistema de produção 787.

O aspecto furtivo da ATO permanece igualmente intrigante, embora acredita-se estar mais ligada a um desejo de firmar antes um lote de clientes lançadores iniciais do que ter a incerteza de última hora sobre a configuração final. A Boeing disse que a autorização para começar a discutir o 787-10X é “condicionada à obtenção da aprovação final do conselho para o lançamento do programa, numa data ainda-a-ser-determinada.”

A empresa acrescenta: “O tempo de uma decisão de lançar o programa vai depender da resposta do mercado durante a próxima fase de nossas discussões sobre o avião.” Dada a programação atual, potenciais clientes não identificados disseram que a decisão de lançamento da empresa não está sendo esperado pelo conselho da Boeing até início do próximo ano.

O 787-10X é um 787-9 esticado em 18 pés para 224 pés, possibilitando adicionais 43 passageiros. Embora esteja vindo a disputar mercado com o Airbus A350-900 em capacidade, o alargado 787 é apontado como um “assassino” do A330, com excepcionalmente baixos custos assento/milha. A aeronave deverá ter 320 assentos com um alcance entre 6.700-6.750 milhas náuticas, com um peso máximo de decolagem ligeiramente inferior a 7000 libras mais pesado do que o 787-9, que agora está na montagem inicial.

A Boeing acrescenta que vai “trabalhar em estreita colaboração com clientes de companhias aéreas e de leasing para definir os principais recursos e características do 787-10X, e que antecipa forte demanda do mercado para este terceiro membro e maior da família 787.”

Os principais mercados são esperados para ser as principais rotas do Oriente Médio para a Europa e Ásia, assim como os serviços transatlânticos para as operadoras, incluindo a British Airways e a Singapore Airlines, que estão entre os clientes de lançamento previstos. Assumindo que uma decisão firme de lançamento ocorra no início de 2013, a entrada em serviço será muito esperada para 2018-19.

Outro projeto que a Boeing vem adiando é o da nova versão do “Triple Seven”, o 777X, que terá novas asas e novos motores muito mais eficientes. (Foto: Kaktus Digital)

Enquanto o 787-10X toma forma, a Boeing monta uma estratégia contra o A350 com o derivado duplamente esticado e o 777X, o lançamento de um novo avião irá determinar o sinal verde para o outro. Para a Boeing, a questão-chave no 777X permanece sendo o tempo, e apesar do lançamento do A350-1000 continuar mostrando sinais de mais atrasos para segunda metade da década, a Boeing parece estar fazendo as decisões de tecnologia corretas no seu novo grande derivado bimotor.

Em comparação com o relativamente simples duplo alongamento do 787-10X, o desenvolvimento de uma aeronave com novos motores e novas asas de seu 777-200LR/300ER, para eventual entrada em serviço em 2019, é um trabalho muito maior em termos de custo, de tecnologia e de táticas de marketing. Bem como opções importantes sobre o uso de compósitos nas inovações do sistema de asa e importante, sem dúvida, a maior decisão da Boeing é se vai usar a opção única ou dupla de motor.

A General Electric, na pole position para fornecer os motores para o novo derivado, está aderindo a um plano de teste de tecnologia para o GE9X para motorizar o 777X, apesar da incerteza contínua sobre p calendário de desenvolvimento da Boeing. A fabricante de motores está executando uma série de esforços de demonstração de tecnologia para apoiar a certificação FAR33 do motor em 2018, e a entrada em serviço em 2019.

“Mesmo que a Boeing ainda esteja descobrindo o que eles querem fazer, nós estamos fazendo a tecnologia”, disse o gerente geral do programa GE90, William Millhaem. “É a coisa certa a fazer para a indústria.”

Embora a GE também esteja relutante em dar detalhes específicos de calendário, espera-se que executem a primeira versão de um novo núcleo para o GE9X tão cedo quanto 2014. Uma decisão final “Toll Gate 6” sobre a definição do projeto ocorrerá provavelmente por volta de 2015, com o primeiro motor iniciando os testes no prazo de 2016. Dado este tempo, o motor seria testado numa plataforma em voo Boeing 747-400 da GE em 2017, com a certificação no ano seguinte.

Os testes chaves de maturação de tecnologia na corrida para o projeto do novo núcleo incluem a avaliação prevista de uma relação 27:1 de pressão-compressor de alta pressão (HPC). A versão inicial de uma unidade de 11 estágios será testada em óleo na GE e nas instalações a gás em Massa, Itália, em meados de 2013, e será a mais elevada taxa de pressão do compressor de seu tipo ainda desenvolvido por um motor comercial da GE.

O teste avançado do compressor na plataforma irá verificar a configuração “para olhar se algo inesperado acontece em 27:1 e ver o que acontece quando nós sangramos o ar para fora e se conseguirmos as aprovações certas”, disse Millhaem, que acrescenta que as avaliações serão utilizadas para melhorar o desenho de linha de base antes do primeiro núcleo ser construído. O avançado compressor “E3” (Energy Efficient Engine) 19:01 desenvolvido com a NASA foi fundamental para o sucesso do original GE90, enquanto o HPC evoluído do GEnx tem uma razão de pressão de 23:01. A relação de pressão total para o GE9X inteiro é similarmente orientada para um ambicioso 60:1, comparado com a proporção de 50:1 para 40:1 entre o GEnx para o GE90.

“Com o motor GE9X estamos continuando essa estratégia, mas estamos chegando no armário de tecnologia para puxar coisas novas a partir do pool de tecnologia do 9X”, disse Millhaem. “Se começar com uma escala GEnx-1B, temos cerca de meio caminho para o que a Boeing está nos pedindo para fazer para o 777X”, disse ele. O 777X tem como objetivo a queima de combustível em torno de 10% menor do que o 777 atual equipado com o motor GE90-115B, mantendo os custos de manutenção existentes.

Outro trabalho está focado num fan de quarta geração que irá operar a uma velocidade maior que as dos motores atuais.

Fonte: Aviation Week – Tradução: Cavok

Solicito um minuto da atenção de você leitor do Cavok. Estamos tendo despesas elevadas com servidores devido ao alto tráfego gerado mensalmente, e precisamos da ajuda de todos para continuar mantendo o site estável e permanentemente no ar. Sem a ajuda de vocês, fica inviável manter o Cavok, já que infelizmente as empresas aeronáuticas brasileiras até o momento não anunciaram no nosso site, mesmo sendo o Cavok uma das maiores referências sobre notícias de aviação do país, reconhecido inclusive internacionalmente, e um dos sites de aviação mais visitados do país, senão o maior. Para contribuir, utilize as formas de pagamento online abaixo ou nos botões localizados na barra lateral.




Desde já meu muito obrigado.

Fernando Valduga

Enhanced by Zemanta

Cavok nas redes sociais

60,698FãsCurtir
340Inscritos+1
5,969SeguidoresSeguir
9,047SeguidoresSeguir
1,941InscritosInscrever
Anúncios
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.