Saab

Inicio Tags AEL

Tag: AEL

VÍDEO: Gripen E da FAB é energizado pela primeira vez

12
Gripen E da FAB com o WAD ligado pela primeira vez.

A Saab divulgou um vídeo onde mostra o primeiro acionamento dos sistemas eletrônicos do Gripen E da FAB, incluindo a tela de grande dimensão WAD da AEL.

Anúncios

LAAD: Saab apresenta o progresso do Programa Gripen para o Brasil

3
Protótipo do Gripen E “39-8”. (Foto: Saab)

A Saab apresentou as mais recentes atualizações do Programa Gripen para o Brasil durante a LAAD International Defence & Security Exhibition, no Rio de Janeiro. A Saab anunciou várias conquistas no último ano, assim como alguns próximos passos.

Saiba como está o andamento do programa Gripen E brasileiro

15
O primeiro Gripen E brasileiro na linha de montagem de Saab de Linkoping, Suécia. (Foto: Saab)

O último ano foi produtivo para o Programa Gripen brasileiro, com vários marcos importantes. Entre outras conquistas, o destaque da produção final da primeira aeronave brasileira (foto em destaque), em Linköping, assim como os grandes resultados do desenvolvimento do Gripen E/F em conjunto entre a Suécia e o Centro Projetos e Desenvolvimento do Gripen (Gripen Design and Development Network – GDDN), em Gavião Peixoto-SP. Saiba como anda o programa, além dos destaques ocorridos em 2018.

AEL Sistemas passa a integrar a cadeia global de produção do Gripen

19
O painel WAD desenvolvido pela AEL e que agora fará parte dos caças Gripen E/F suecos. (Foto: Cavok)

A empresa brasileira, importante parceira e beneficiária do programa Gripen no Brasil desde 2015, amplia acordo com a Saab e torna-se fornecedora da cadeia global da companhia sueca. A AEL Sistemas passa a exportar displays de última geração para equipar os caças Gripen E/F não só no Brasil, mas também na Suécia

BRASIL: Diretoria de Aeronáutica da Marinha assina Acordo de Compensação para aeronaves KC-2

4
Cockpit da aeronave KC-2 modernizada.

Foi concluída, no dia 12 de setembro, a assinatura do Acordo de Compensação (Offset) para as aeronaves KC-2 (C-1A) entre a Marinha do Brasil, representada pela Diretoria de Aeronáutica da Marinha (DAerM) e as empresas Elbit Systems of America (ESA), representada pela M7 Aerospace, e Elbit Systems (ESL).

FARNBOROUGH: Saab revela novidades no programa Gripen E/F

17
O Gripen E realizou voos de testes com mísseis IRIS-T nas pontas das asas e com suportes externos sob as asas. (Foto: Saab)

O programa Gripen E da Saab continua progredindo. A aeronave Gripen com a designação 39-8 conduziu uma série de voos bem-sucedidos levando suportes externos, incluindo pilares da empresa suíça RUAG Aerostructures. O chefe de área de negócios da Saab Aeronautics, Jonas Hjelm, expôs como as próximas duas aeronaves Gripen E para o programa de testes de voo estão se beneficiando das principais decisões de projeto.

AEL Sistemas apresenta produtos e serviços das áreas de defesa e segurança na feira internacional RIDEX

1
O novo painel WAD que equipará o Gripen na FAB será o destaque da AEL na RIDEX 2018.

A AEL Sistemas participa da edição 2018 da Rio International Defense Exhibition (RIDEX) e da Mostra da Base Industrial de Defesa do Brasil (BID Brasil), que acontecem entre os dias 27 e 29 de junho, no Rio de Janeiro. A companhia irá apresentar seus produtos e serviços para as Forças Armadas, além de interagir com clientes em busca de soluções inovadoras que atendam as necessidades do mercado.

VÍDEO: Participação da AEL no programa Gripen, na série Colaboração Real da Saab

5
O WAD Display desenvolvido pela AEL para o caça Gripen E/F.

A Saab divulgou esta semana o 6º episódio da série Colaboração Real, onde mostra como a fornecedora de equipamentos da cabine do Gripen, a AEL, está desenvolvendo três sistemas distintos para o novo caça: a tela panorâmica (Wide Area Display – WAD), o display que permite que o piloto olhe para fora da aeronave (Head up Display – HUD) e o capacete Targo, que projeta todas essas informações. Saiba mais no vídeo a seguir.

AEL entrega o protótipo modelo C do WAD do Gripen brasileiro à Saab

3
A conclusão da terceira etapa do desenvolvimento permitirá que a Saab dê continuidade ao projeto, resultando na preparação e integração da primeira aeronave brasileira.

A AEL Sistemas anunciou a entrega à Saab do modelo C do display panorâmico Wide Area Display (WAD) do Gripen E/F brasileiro, um equipamento com tecnologia de última geração que cumpre os requisitos do programa F-X2 da Força Aérea Brasileira com a Saab.

AEL Sistemas reforça capacidade da indústria brasileira de alta tecnologia na FIDAE

1

No Chile, empresa apresenta sistemas eletrônicos militares e espaciais para defesa e segurança; como o WAD para o Gripen brasileiro.
A AEL Sistemas estará presente na Feria Internacional del Aire y del Espacio (FIDAE), que será realizada entre os dias 3 e 8 de abril, em Santiago, no Chile. O estande da empresa no Pavilhão Brasil, uma parceria ABIMDE/APEx, promoverá produtos e serviços da AEL para as Forças Armadas Brasileiras e delegações internacionais.

AEL participa de Seminário Internacional de Defesa no Rio Grande do Sul

0
Mockup do WAD (Wide Area Display) que será usado no Gripen. (Foto: Gilmar Gomes / AEL)

A AEL Sistemas patrocinará o III Seminário Internacional de Defesa (SEMINDE), realizado entre os dias 8 e 10 de novembro, em Santa Maria, RS, além de expor na mostra tecnológica e também participar de painéis.

AEL entrega protótipos WAD “Modelo B” para o programa brasileiro do Gripen

14

Simulador do Gripen com a tela WAD desenvolvida pela AEL. (Foto: Rudnei Dias da Cunha / Cavok)
A AEL Sistemas (AEL) entregou à Saab, com sucesso e dentro do cronograma, o primeiro protótipo “Modelo B” do display panorâmico Wide Area Display (WAD) para o Gripen brasileiro. Trata-se de um protótipo com mecânica e hardware finais para uso em laboratório, simulador e aeronave (no solo), o que permitirá à Saab dar continuidade às atividades de desenvolvimento de software e sistemas. O Cavok esteve presente no evento.

AEL Sistemas apresenta soluções inovadoras de defesa e segurança na LAAD 2017

1

A tela WAD que deve equipar o novo caça Gripen NG.
No ano em que completa 35 anos de atividades, a AEL Sistemas apresenta na LAAD Defense & Security 2017 um portfólio diversificado e inovador, reforçando o compromisso da empresa em entregar ao mercado nacional produtos diferenciados e tecnologias e soluções customizadas de última geração, já reconhecidos internacionalmente. Um dos destaques do estande da companhia é o cockpit de última geração do novo caça da Força Aérea Brasileira – Gripen NG, que integra a tela panorâmica inteligente Wide Area Display (WAD), o Head Up Display (HUD) e o Targo®, visor montado no capacete (Helmet Mounted Display – HMD).

Saab recebe encomenda do Novo Sistema de Visor Integrado em Capacete para o Gripen E

5
O capacete com visor integrado (HMD) Targo, recentemente adquirido pela agência de aquisição de defesa sueca (FMV) para o caça Gripen E. (Foto: Saab)
O capacete com visor integrado (HMD) Targo, recentemente adquirido pela agência de aquisição de defesa sueca (FMV) para o caça Gripen E. (Foto: Saab)

A Saab, empresa de defesa e segurança, recebeu da Administração de Equipamentos de Defesa (FMV) da Suécia a encomenda de um sistema avançado de visualização integrado ao capacete (HMD – Helmet Mounted Display), denominado Targo. O novo sistema será empregado no caça Gripen E da Força Aérea Sueca. A encomenda tem valor aproximado de 119 milhões de coroas suecas. As entregas vão ocorrer entre 2022 e 2026.

AEL Sistemas apresenta, na 4ª Mostra BID Brasil, inovações para o setor de defesa

12
O painel WAD será destaque no stand da AEL.

A AEL Sistemas apresentará na 4ª Mostra BID Brasil, um dos eventos mais importantes do setor nacional de defesa, tecnologias de ponta lançadas pela empresa.

Saiba como foi o evento da AEL Sistemas para entrega à Saab da aplicação de HMI do WAD do Gripen NG

12
AEL entrega à Saab a aplicação HMI para o WAD do Gripen. (Foto: Fernando Valduga / Cavok)
AEL entrega à Saab a aplicação HMI para o WAD do Gripen. (Foto: Fernando Valduga / Cavok)

Hoje, durante um evento na sede da AEL Sistemas (AEL), ocorreu a entrega de uma versão preliminar do software da Saab que demonstra os conceitos de Interface Homem-Máquina (HMI – Human-Machine Interface) para o futuro WAD (Wide Area Display) que será usado nos caças Gripen NG (F-39) da Força Aérea Brasileira. O Cavok Brasil esteve presente neste importante evento para o programa FX-2, trazendo enorme avanço no desenvolvimento de novas tecnologias no país.

GRIPEN NR BR: Aquisição dos caças para a FAB dá novo fôlego ao fabricante nacional

19
BN-FF473_1027sa_M_20141027100837
Linha de montagem do Gripen na fábrica da Saab em Linkoping (Foto: Saab/divulgação)

A assinatura do contrato de financiamento da compra de 36 caças Gripen NG para a Força Aérea Brasileira (FAB), no dia 25, deu novo fôlego para as empresas brasileiras que atuam na área de defesa e de projetos aeronáuticos. A partir de outubro, 48 técnicos brasileiros de seis empresas embarcam para a Suécia para iniciar os trabalhos de transferência de tecnologia e desenvolvimento conjunto da aeronave.

F-X2: Saab seleciona AEL Sistemas para entrega de aviônicos do Gripen NG

3
A Saab compete no F-X2 da FAB com a caça Gripen NG.
A Saab compete no F-X2 da FAB com a caça Gripen NG.

F-X2_logoA AEL Sistemas SA foi selecionada para o programa FX-2 em relação aos Avionicos para o Gripen NG, se escolhido pela Força Aérea Brasileira. Em 2009, a Saab e a AEL Sistemas SA (“AEL”) assinaram um Memorando de Entendimento (Memorandum of Understanding) para identificar potenciais áreas de cooperação no âmbito do Programa FX-2 do Brasil, incluindo a logística de desenvolvimento, de produção e de longo prazo do Gripen NG.

“A seleção da AEL para o fornecimento dos pacotes de aviônicos para o Gripen NG mostra o compromisso da Saab com a Política de Defesa do Brasil. A Saab ofereceu ampla cooperação com a indústria brasileira gerando aberturas de trabalho, transferências de tecnologia e uma oportunidade de participar em um programa de desenvolvimento conjunto para o Brasil no setor de defesa, bem como uma série de outros negócios”, disse Eddy de la Motte, Chefe do Gripen Exportação.

Agora com base no presente, o Memorando de Entendimento e da cooperação, a AEL vai entregar um extenso pacote de aviônicos se o Gripen for selecionado no programa FX-2, incluindo monitores, processadores, computadores, software, serviços de integração e apoio logístico. Isso permitirá uma parceria de longo prazo para a transferência de tecnologia, permitindo futuro e plena participação no desenvolvimento de tecnologia de aeronaves no Brasil.

“Nossa cooperação no Gripen NG vai apoiar o Brasil na mudança de sua capacidade de tecnologia de defesa, de dependente para independente. Ao participar no processo de desenvolvimento do Gripen NG, AEL Sistemas SA será capaz de apresentar os seus mais recentes monitores, computadores e tecnologias de software em um caça de próxima geração. Ele irá aumentar ainda mais a contribuição bem-sucedida de Sistemas AEL para os militares brasileiros”, diz Shlomo Erez, Diretor Geral AEL Sistemas S/A.


Enhanced by Zemanta

F-X2: Boeing propõe ampliar projeto para vender caças ao Brasil

68
Um caça Boeing F/A-18F Super Hornet da Marinha dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

O pacote de transferência de tecnologia dos caças F18 Super Hornet ao Brasil poderá ser “ampliado” na medida em que seja aprofundada a cooperação e a confiança entre os governos dos Estados Unidos e do Brasil e entre as companhias dos dois lados envolvidas no projeto. Segundo o vice-presidente do Programa Boeing F/A-18, Mike Gibbons, o mesmo o tratamento foi dado pela companhia aos seus atuais clientes desse segmento de defesa.

“O Brasil e os EUA precisam um do outro. Os EUA precisam do Brasil para estar seguro. Por isso, se o Brasil comprar os F18 Super Hornet e tornar-se um aliado dos EUA, a parceria a confiança mútua vai se expandir, e a transferência tecnológica será estendida para um potencial adicional”, afirmou Gibbons ao Estado. “A transferência tecnológica para os nossos atuais clientes está em contínua ampliação, na medida em que aumenta a parceria e a confiança dos dois lados”, completou.

Desde o ano passado, a Boeing tem demonstrado seu especial interesse na ampliação de negócios com o Brasil. Abriu um escritório em São Paulo, enviou como sua representante a ex-embaixadora americana em Brasília Donna Hrinak e, recentemente, fechou acordos com a Embraer para o aperfeiçoamento do A-29 Super Tucano e para apoio nas vendas do cargueiro KC-390 aos EUA e a outros países.

A Boeing também fechou parceria com a AEL, subsidiária no Brasil da israelense Elbit Systems, para o fornecimento de novas telas do painel de controle (como as de um vídeo game de última linha) para os seus caças, inclusive os eventuais F18 a serem entregues ao Brasil. A companhia americana faz dessas parcerias com a Embraer e a AEL exemplos da cooperação que pretende manter com outras empresas brasileiras, seja como fornecedoras de peças e partes ou como parceiras na concepção de futuros aviões.

“O Brasil tem a opção de construir o seu próprio caça. Mas oferecemos uma melhor oportunidade para suas empresas que vierem a construir componentes, já em fase de desenho, para os novos Super Hornet e outros projetos futuros da Boeing”, afirmou Gibbons. “Esse é um trabalho de alta qualidade e mais durável. Além dessa vantagem em curto prazo, queremos oferecer melhor valor agregado para o desenvolvimento de novas aeronaves.”

A rigor, a promessa de transferência tecnológica americana não traz o adjetivo “irrestrito”, presente na oferta da concorrente francesa, a Dassault, com seus caças Rafale. A qualificação pesou na disposição do então presidente Luis Inácio Lula da Silva de dar preferência nesse negócio à França, em 2009.

O compromisso americano está escudado sobretudo na palavra do presidente dos EUA, Barack Obama, que concorre à reeleição em novembro. Em visita ao Brasil, em abril passado, o secretário da Defesa, Leon Panetta, garantiu a ampla transferência tecnológica, inclusive nas áreas sensíveis, se o governo Dilma Rousseff optar pelos Super Hornet. Mas a palavra final sobre tal questão pertence ao Senado americano.

O Senado, na opinião de Gibbons, não teria como recuar. A Boeing, salientou ele, estaria preparada para iniciar a produção assim que fosse fechado o pacote de produção industrial. “Estamos prontos este ano, se for preciso”, afirmou Gibbons, sem deixar transparecer o desapontamento da Boeing com a nova postergação, desta vez para o final de dezembro, da decisão do governo brasileiro sobre o FX2. A expectativa criada pelo próprio ministro da Defesa, Celso Amorim, era de anúncio do vencedor em junho.

No mês passado, o ex-chanceler Amorim extraiu dos três concorrentes do FX2 – a americana Boeing, a francesa Dassault e a sueca Saab – a promessa de congelar suas ofertas de venda até 31 de dezembro. O anúncio deve ser feito antes dessa data.

Esse processo de compras vem se arrastando desde 1998, quando o governo Fernando Henrique Cardoso lançou o programa FX para substituir os Mirage 3 da Força Aérea Brasileira (FAB) com 16 novos caças. A gestão de Lula continuou o processo até 2005, quando o enterrou. Dois anos depois, foi lançado em Brasília o FX2, para a compra de 36 caças.

Segundo o vice-presidente do programa F18 Super Hornet, a Boeing entende ser essa uma decisão que extrapola a aquisição de um produto de defesa. Envolve também a escolha de um país como forte aliado em matéria de segurança e de uma companhia como parceira das empresas brasileiras. “Não estamos frustrados com o novo adiamento. O Brasil será capaz de tomar uma decisão em médio prazo.”

Desde 2007, a Boeing sintetiza sua oferta ao público como a de melhor custo benefício. Os caças F18 Super Hornet já foram testados inúmeras vezes em combate. O preço é um dos segredos da oferta. Mas cada unidade da mesma aeronave vendida para a Marinha americana custou US$ 60 milhões. Dependendo dos requisitos a serem agregados ou descartados pela FAB, custará mais ou menos esse mesmo valor.

Fonte: Denise Chrispim Marin / Estadão

Dica do amigo Symon. Obrigado 😉

IFI analisa ensaios em voo do protótipo P2 do A-1M

58
A aeronave A-1M P2 realizou o primeiro voo no dia 19 de junho de 2012.

O Instituto de Fomento e Coordenação Industrial, organização militar subordinada ao DCTA, realizou recentemente atividades de análise de documentos técnicos e acompanhamento de ensaios para a comprovação da segurança de voo do protótipo P2 (monoposto), do caça A-1M, que voou pela primeira vez no dia 19 de junho. Veja a seguir o vídeo do primeiro voo do A-1M.

As aeronaves A-1 vão receber da AEL Sistemas os displays multifuncionais de cristal líquido para equipar seu painel, cada um deles com duas unidades 6×8 e uma de 4×5 polegadas no centro do console. A comunalidade entre os displays da AEL fornecidos para o F-5M e o A-29 também estará presente na modernização do A-1.

O cockpit da aeronave A-1M feito pela AEL.

A AEL proverá um novo HUD holográfico de grande ângulo de visão que vai exibir também imagens captadas por um sensor infravermelho.

Para inserção dos dados sem baixar a cabeça, o piloto terá um teclado de controle UFCP (Up Frontal Control Panel) instalado abaixo do HUD.

Os novos sistemas de missão do A-1M terão interface para integração do capacete Dash 4 (Display and Sight Helmet), dando ao piloto maiores níveis de consciência situacional. O Dash 4 é dotado de visor digital que disponibiliza parâmetros e imagens essenciais ao voo e à missão sem desviar sua atenção daquilo que acontece no lado de fora da aeronave. Toda a iluminação interna do cockpit será compatível com NVG, permitindo também uma observação clara do ambiente externo em condições de total escuridão.

A combinação NVG com o sensor infravermelho NAV/FLIR vai conferir um notável nível de consciência situacional e de navegação noturna. Está sendo instalado um novo gravador de dados FDR (Flight Data Recorder), indicador de parâmetros de voo e motor EICAS (Engine Indication and Crew Alerting System) e sistema de gerenciamento de armas MIL-STD 1760C.

A AEL está entregando também os computadores de missão para serem instalados aos pares, como medida de segurança. Esses equipamentos receberão informações dos sensores, dos sistemas de navegação e de comunicação, fundido-os, processando-os e disponibilizando-os ao piloto através dos MFD, HUD e HMD, e gerenciarão a pontaria e o lançamento de armas.

Uma segunda aeronave de testes, biposto, deverá voar em 2013, características de alto desempenho da aeronave, como o raio de ação, a capacidade de reabastecimento em voo e os dois canhões serão mantidos. O projeto prevê a entrega de 43 caças subsônicos para a Força Aérea Brasileira até 2017.

“Os A-1M estão recebendo sistemas modernos semelhantes aos que já equipam os nossos F-5M e A-29. A similaridade entre os aviônicos destas aeronaves ajudará na adaptação dos nossos pilotos e representa uma padronização que oferece inúmeras vantagens operacionais, tais como o aprimoramento da doutrina de emprego da FAB e o melhor rendimento das horas de voo”, afirma o Tenente Brigadeiro do Ar Juniti Saito.

Cavok nas redes sociais

61,794FãsCurtir
340Inscritos+1
6,306SeguidoresSeguir
2,505SeguidoresSeguir
10,510SeguidoresSeguir
2,390InscritosInscrever
Anúncios