Saab

fiqueemcasa

Inicio Tags AgustaWestland

Tag: AgustaWestland

Argélia encomenda mais seis helicópteros Super Lynx da AgustaWestland

9
Um dos quatro primeiros helicópteros Super Lynx entregues pela AgustaWestland para a Marinha da Argélia.

O Ministério de Defesa da Argélia fez um novo pedido para seis helicópteros Super Lynx Mk300 para a Marinha argelina. O contrato, aparentemente assinado durante o segundo trimestre deste ano, está colocado nos resultados semestrais da Finmeccanica para 2012, e declara um “contrato de fornecimento de seis helicópteros Super Lynx 300 para um cliente-chave na zona sul do Mediterrâneo”.

O pedido surge na sequência de um negócio que foi feito em novembro de 2007 para quatro helicópteros Super Lynx e seis AW101 Merlins. As aeronaves foram compradas para o papel de Busca e Salvamento (SAR), e as equipes de argelinos para os dois modelos de helicópteros já foram treinadas no Reino Unido.

Todas as aeronaves do pedido de 2007 já foram entregues e estão cumprindo as suas missões na Argélia.

Os detalhes da nova encomenda são vagos, mas as aeronaves deverão operar a partir de duas novas fragatas da Classe MAKO-200 encomendadas da ThyssenKrupp Marine Systems como parte de uma ampla modernização da Marinha argelina.

Os seis adicional Super Lynx serão fabricados na fábrica da AgustaWestland de Yeovil.

A AgustaWestland nunca anunciou publicamente qualquer acordo com a Argélia e não comenta sobre as vendas de helicópteros para aquele país.

A empresa ao que tudo indica é a fornecedora escolhida para uma ampla modernização dos helicópteros para os serviços públicos da Argélia, incluindo sua Gendarmaria e as agências de proteção civil, que comprou helicópteros AW109 e AW139.

O documento dos resultados da AgustaWestland também revela uma venda de cinco AW169s a um cliente do governo dos Emirados Árabes Unidos.

Fonte: Rotorhub – Tradução: Cavok

Anúncios

FARNBOROUGH: AgustaWestland assina acordo para desenvolver novo helicóptero com a Russian Helicopters

1
O novo helicóptero que será desenvolvido na parceria ítalo-russa será um modelo com peso menor que o AW119 Koala.

A AgustaWestland e a Russian Helicopters assinaram um acordo de parceria para produzir em conjunto um novo helicóptero monomotor de 2,5 toneladas. A notícia foi divulgada durante o Farnborough International Airshow pelo CEO da AgustaWestland, Bruno Spagnolini, que disse que o programa global será compartilhado numa divisão 50:50 e é projetado para o mercado mundial através de uma gama de aplicações.

“Este será um completamente novo helicópteros monomotor de 2,5 toneladas que vamos desenvolver em conjunto com nossos colegas da Russian Helicopters. Será totalmente diferente do [AW119] Koala, que está na extremidade superior desta classe. O novo helicóptero será projetado para competir com um custo menor”, disse Spagnolini.

O CEO da AgustaWestland não pode fornecer um cronograma definitivo para o desenvolvimento do novo helicóptero ou qualquer data do primeiro vôo, mas afirmou que o cronograma “será muito rápido”.

O acordo baseia-se no já existente empreendimento conjunto Helivert para a montagem do helicóptero AW139 numa fábrica localizada em Tomilino, perto de Moscou. Spagnolini nota que existe uma capacidade suficiente de reposição na instalação para a produção do novo helicóptero.

Ao mesmo tempo, a AgustaWestland aproveitou o show aéreo para mostrar a semelhança de sua nova família de aeronaves, com os helicópteros AW159, AW169 e AW189 desempenhando um papel de destaque.

FARNBOROUGH: AgustaWestland entrega para o exército britânico os dois primeiros helicópteros AW159 Wildcat

3
Um dos dois primeiros helicópteros AW159 Wildcat entregue pela AgustaWestland para o Ministério de Defesa do Reino Unido, durante o Farnborough International Airshow. (Foto: Steve Dock / MoD UK)

O secretário da Defesa do Reino Unido revelou hoje os primeiros de uma nova frota de helicópteros Wildcat que foram entregues, e confirmou um contrato de 250 milhões de libras para apoio das aeronaves. Os dois primeiros de 62 helicópteros AW159 Wildcat encomendados pelo Ministério de Defesa do Reino Unido foram entregues pela fabricante AgustaWestland durante o Farnborough International Airshow. A empresa baseada em Somerset está se beneficiando dos 250 milhões de libras de um contrato de apoio e treinamento que deve manter 500 postos de trabalho.

O Ministério de Defesa está comprando 34 helicópteros Wildcats para o Exército e 28 do modelo de ataque marítimo, que irão substituir a frota de Lynx operados pelo exército britânico (Army Air Corps) e pela frota naval britânica (Fleet Air Arm).

O Secretário de Defesa do Reino Unido Philip Hammond oficilamente recebe os primeiros helicópteros AW159 Wildcat da AgustaWestland em nome das Forças Armadas. (Foto: Steve Dock / MoD UK)

Os primeiros Wildcats a serem entregues ao Ministério de Defesa são helicópteros do Exército, que entrarão em serviço em 2014. Os primeiros Wildcats da Royal Navy deverão ser entregues para treinamemto ainda este ano, antes de entrar em serviço em 2015.

Os Wildcats do Exército vão ser utilizados principalmente no papel de reconhecimento, oferecendo proteção para os soldados no solo. A versão de ataque marítimo irá proteger a frota da marinha ao redor do mundo.

Ambas as variantes têm motores mais potentes do que o atual Lynx, permitindo que o Wildcat possa ser usado em operações durante todo o ano em todo as condições extremas. O Wildcat também tem uma fuselagem mais robusto para dar uma melhor proteção às tripulações.

As duas versões estão armadas com metralhadoras pesadas e de propósito geral e os helicópteros da Marinha também vão levar torpedos Sting Ray. Os pilotos do Exército e da Marinha vão usar alta tecnologia, graças a um cockpit com dislpays interativos com telas estado-da-arte no conceito glass.

O contrato de apoio e de treinamento de 250 milhões de libras para os Wildcat assinado com a AgustaWestland irá fornecer um centro de formação especializada na Estação Naval da Marinha Real em Yeovilton, onde os Wildcats vão ficar baseados, que incluirá simuladores de voo e uma grande variedade de outros equipamentos para treinar pilotos, tripulações no solo e engenheiros.

FARNBOROUGH: Segundo AgustaWestland AW169 realiza primeiro voo e empresa mostra o primeiro AW169 no evento do Reino Unido

0
O segundo protótipo do AW169 da Agusta Westland realiza seu voo inaugural em Cascina Costa, na Itália. (Foto: AgustaWestland)

A AgustaWestland, uma empresa Finmeccanica, anunciou que o segundo protótipo do AW169, uma nova geração de helicóptero intermediário leve de 4,5 toneladas, completou com sucesso seu primeiro vôo na sexta-feira, dia 6 de julho, em Cascina Costa, na Itália. Enquanto isso, o primeiro protótipo do AW169 chegou pela primeira vez em Farnborough, no Reino Unido, em preparação para sua estréia pública no Farnborough International Airshow, que está sendo realizada de 9 a 15 de julho.

Os dois primeiros protótipos devem ser acompanhados por um terceiro ainda este ano e um quarto protótipo em 2013. O programa AW169 está no cronograma para obter a certificação civil em 2014.

O AW169 é parte da família de nova geração de helicópteros AgustaWestland que inclui os modelos AW139 e AW189. Todos esses helicópteros possuem as mesmas características de alta performance de vôo e características de segurança e compartilham o mesmo layout do cockpit, filosofia de design e conceitos de manutenção. Esta abordagem irá oferecer redução de custos reais em áreas como a formação, manutenção e suporte para os operadores existentes dos AW139, que acrescentam o AW169 e/ou o AW189 nas suas frotas.

O primeiro protítipo do AW169 chegando em Farnborough.

Lançado no Farnborough International Airshow em julho de 2010, o AW169 foi rapidamente encontrando o sucesso no mercado, registrando encomendas de mais de 50 unidades de clientes no mundo inteiro. A versátil, nova geração de helicóptero bimotores, o AW169 foi concebido em resposta à crescente demanda do mercado para uma aeronave que oferece alta performance, atende todas as normas de segurança mais recentes e tem capacidade multi-papel. É o primeiro projeto totalmente novo de helicóptero de sua categoria em décadas e é o único que irá atender todos os requisitos de segurança mais recentes.

O AW169 incorpora várias características de novas tecnologias para fornecer os mais elevados níveis de segurança e de benefícios operacionais para seus clientes. As novas gerações de tecnologias estão incorporadas nos sistemas de rotor, motores, aviônicos, transmissão e geradores de energia elétrica e de distribuição.

O AW169 é alimentado por dois motores PW210A de 1.000 shp cada que vão oferecer para o helicóptero uma capacidade Vertical Categoria A / Classe 1 de até ISA+20 ao nível do mar e com peso bruto máximo. As tecnologias mais recentes incluem um APU com recurso de modos e dispositivos de telas sensíveis ao toque no cockpit.

Coreia do Sul define finalistas para novo helicóptero de ataque do país

11
Os helicópteros Super Cobra da Bell, finalistas na Coreia do Sul. (Foto: Bell Helicopters)

A Coreia do Sul anunciou no dia 29 de maio a sua lista de fabricantes finalistas na competição multi-bilionária para fornecer 36 helicópteros de ataque ao país. Os helicópteros de ataque serão usados para fortalecer a capacidade da Coreia do Sul para lidar com os velozes barcos de combate que Pyongyang frequentemente destaca no Mar Amarelo.

Os três finalistas são a Boeing, a Bell Helicopter Textron, e uma joint venture entre a AgustaWestland e a Turkish Aerospace Industries (TAI). A AgustaWestland é agora uma subsidiária da Finmeccanica da Itália. A Boeing e Bell tem uma longa história de fornecimento de helicópteros para as nações em todo o mundo, enquanto a AgustaWestland-TAI vai entregar os nove primeiros de seus 59 novos helicópteros de ataque T-129 para o Exército turco no final deste ano.

Por ser incluído nesta lista, está sendo considerado um grande impulso para a credibilidade da AgustaWestland, e do novo T-129 da TAI, uma versão turca do helicóptero de ataque A-129 Mangusta. O A-129 foi o primeiro helicóptero de ataque desenhado e produzido totalmente na Europa ocidental.

O helicóptero T-129 da TAI/AgustaWestland foi selecionado finalista sem ter nenhuma aeronave entregue. (Foto: TAI)

A pré-seleção do T-129 constroi uma confiança significativa para a AgustaWestland-TAI pois a aeronave ainda não entrou em serviço ativo e já foi selecionada para competir contra comprovadas aeronaves, como o Boeing AH-64D Apache Block III e o Bell AH-1W SuperCobra. O Eurocopter EC-665 foi considerado um forte candidato, mas não foi incluído na lista de Seul. Um funcionário do governo turco confirmou que representantes do governo sul-coreanos estarão presentes para observar os testes do T-129 em julho.

A maioria dos analistas de defesa consideram o Boeing Apache como sendo o melhor helicóptero de ataque disponível no mundo, com uma linhagem ilustre na história em serviço e o Bell Super Cobra é também reconhecido como uma aeronave de combate confiável, com um impressionante legado. Ambos os helicópteros norte-americanos deverão vir com preços atraentes, que devem exigir que a AgustaWestland-TAI reveja sem dúvida a redução do preço ofertado do T-129.

Os líderes militares sul-coreanos já demonstraram um forte desejo de adquirir o helicóptero AH-64D Block III e a Boeing está ansiosa para fechar este negócio de multi-bilhões de dólares. A Bell Helicopter Textron está igualmente determinada a fechar um acordo nesta competição. A equipe turca-italiana está enfrentando pressão dos americanos, e isso, aliado ao fato de que a Itália está mergulhada numa grave crise econômica, intensifica a pressão sobre esta equipa para ganhar a encomenda. Alguns analistas acreditam que a AgustaWestland e a TAI estarão dispostas a oferecer o T-129 a um preço competitivo, na esperança de vencer as companhias americanas.

A Turquia e a Coreia do Sul têm desfrutado amigáveis ??relações políticas desde os dias do conflito coreano e desenvolveram um nível lucrativo de comércio bilateral nos últimos anos. Adicionando mais tensão na concorrência de helicópteros está o desequilíbrio comercial hoje existente entre Seul e Ancara.

O Apache Block III da Boeing. (Foto: Boeing)

Dos sete bilhões de dólares no comércio entre as duas nações, as exportações da Turquia para a Coreia do Sul representam apenas US$ 500 milhões no total. Este desequilíbrio tem criado algumas dores de cabeça políticas para primeiro-ministro turco Recep Tayyip Erdogan. Junto desta situação, quando as duas nações concluíram recentemente um acordo de livre comércio, foi incluída uma promessa de Seul que medidas apropriadas seriam tomadas para reduzir o desequilíbrio.

Possivelmente em favor da Turquia está uma seleção que em breve será anunciada ao nomear um principal fabrincante para construir uma usina nuclear na região norte do país. A gigante de energia KEPCO da Coréia do Sul está na forte concorrência com uma variedade internacional de candidatos para este contrato de US$ 10 bilhões. Embora o negócio da usina e da aquisição de helicópteros não estarem diretamente ligados um ao outro, a seleção do T-129 poderia equilibrar um pouco mais esse desequilíbrio comercial que existe e poderia dar uma vantagem a KEPCO na competição usina.

Também digno de nota é o fato de que a Turquia constrói obuses para Coreia do Sul no âmbito de um acordo de licenciamento de US$ 1 bilhão. A Korean Aerospace Industries (KAI) também está envolvida num empreendimento conjunto de US$ 450 milhões com a TAI para construir 50 treinadores básicos na fábrica da TAI, um acordo que em breve será concluído. Outro empreendimento, no valor de US$ 500 milhões, é o projeto sul-coreana da Hyundai Rotem no apoio a Otokar da Turquia para produzir quatro protótipos de tanques. Este protótipo de tanque, o Altay, está programado para terminar em 2017.

A Índia recentemente decidiu reduzir o número de competidores para o fornecimento de 22 helicópteros de ataque a um único fornecedor, a Boeing. O russo Mi-28N Night Hunter e uma versão do Huey UH-1N foram recentemente retiradas da competição deixando o Boeing AH-64D Apache Block III como o último candidato restante. Este desenvolvimento é susceptível de dar ao Apache outro impulso positivo na competição sul-coreana e futuros negócios.

Além dos helicópteros de ataque, Seul também está visando vários modelos concorrentes para atender as necessidades da Marinha da Coreia do Sul de helicópteros multi-missão, que podem servir tanto na guerra anti-submarina (ASW) como nas funções de guerra anti-superfície.

No dia 16 de maio, a Agência de Cooperação de Segurança e Defesa dos EUA (DSCA) notificou formalmente o Congresso de uma venda potencial de oito helicópteros Sikorsky MH-60R Seahawk para Seul, um negócio avaliado em aproximadamente US$ 1 bilhão, que seria executado através do programa de Vendas Militares Estrangeiras (FMS). Esta notificação é exigida pela legislação dos EUA e não constitui uma venda concluída.

Seul deve anunciar um vencedor do contrato em outubro, quando o vencedor do novo caça para Coreia do Sul também será anunciado. Todo o pacote de contratos de aeronaves sul coreanas deve ultrapassar os US$ 8 bilhões.

Fonte: Defense Update – Tradução: Cavok

Helicóptero AgustaWestland AW169 realiza seu primeiro voo

1
O novo helicóptero AW169 da AgustaWestland realizou seu primeiro voo no dia 10 de maio. (Foto: AgustaWestland)

A AgustaWestland anunciou hoje que o primeiro protótipo do seu novo helicóptero leve intermediário AW169, da categoria de 4,5 toneladas, completou nessa quinta-feira, com sucesso, seu primeiro vôo. O programa AW169 está dentro do cronograma para obter a certificação civil básica em 2014.

O AW169 foi pilotado pelo chefe dos pilotos de teste da AgustaWestland, Giuseppe Lo Coco, pelo piloto de teste Giuseppe Afruni, e pelos engenheiros de voo de testes Massimo Longo e Stefano Rognoni, na fábrica da empresa em Costa Cascina, na Itália.

O primeiro voo do AW169 foi realizado na Itália. (Foto: AgustaWestland)

O helicóptero apresentou o desempenho esperado durante o vôo de 25 minutos, que incluiu uma avaliação do controle geral do helicóptero e os sistemas básicos. O primeiro protótipo (AC1/I-EASF) será acompanhado por mais duas aeronaves ainda este ano e um quarto protótipo em 2013.

Bruno Spagnolini, CEO da AgustaWestland disse: ‘O AW169 é o único helicóptero de nova geração em sua categoria a ser lançado em décadas, por isso este é um marco importante para o aprimoramento contínuo da faixa de produto da AgustaWestland e para o desenvolvimento de nossa família de nova geração de helicópteros.

“Tanto o AW169 como o AW189 agora estão em voo e o AW139 se estabeleceu como líder de mercado na mesma classe, por isso somos capazes de oferecer ao mercado a linha mais avançada de helicópteros de quatro a oito toneladas de peso nos mais curtos prazos possíveis.

“Os operadores que entram pela primeira vez no mercado de helicópteros, serão capazes de se beneficiar das vantagens de um conceito de família com três helicópteros da nova geração.”

O AW169 já registrou encomendas para 50 unidades e a empresa diz que ele incorpora tecnologias de nova geração, incluindo um modo APU do motor e telas no cockpit sensíveis ao toque.

Helicóptero AW149 faz sua primeira apresentação na Polônia, junto a PZL-Swidnik

2
O helicóptero AgustaWestland AW149 fez sua primeira visita a Polônia, no local onde existe a fábrica da PZL-Swidnik. (Foto: AgustaWestland)

A PZL-Swidnik, uma empresa AgustaWestland, com prazer anunciou que o helicóptero militar de nova geração AW149 foi oficialmente apresentado para uma série de dignitários nacionais e locais no Aeroporto Varsóvia-Babice.

O AW149 foi apresentado para militares poloneses durante os dois dias de visita a Polônia. (Foto: PZL-Swidnik)

Os dois dias de apresentações do helicóptero multimissão AW149 na cidade de Varsóvia faz parte de um tour inicial desta aeronave estado-da-arte na Polônia, com o objetivo de mostrar as suas principais características como a melhor solução para atender as exigências das Forças Armadas Nacionais da Polônia. Dias antes as apresentações do AW149 ocorreram na Base Aérea de Deblin.

Além dos militares, estudantes universitários tiveram a oportunidade de conhecer de perto o AW149.

O AW149 é um helicóptero bimotor da geração mais recente com excelente desempenho e capacidades. O AW149 é uma plataforma desenhada para diversas aplicações, tais como missões de paz, operações de apoio ao combate, transporte tático de tropas e materiais, SAR e CSAR, MEDEVAC / CASEVAC, comando e controle.

O AW149 é um helicóptero biturbina de última geração que está sendo oferecido para os militares poloneses. (Foto: PZL-Swidnik)

O AW149 tem a chance de abrir um novo capítulo na história da indústria da aviação polonesa e na fábrica baseada em Swidnik. A PZL-Swidnik participou do projeto funcional desde o seu início, envolvendo vários engenheiros no âmbito do programa AW149. Um produto concebido na Polônia, o AW149 pode ser fabricado e mantido para as futuras necessidades das Forças Armadas polonesas pela PZL-Swidnik, a companhia de aviação polonesa capaz de projetar, desenvolver e produzir tecnologias avançadas de helicópteros e produtos.

Nicola Bianco, Diretor Geral da PZL-Swidnik, disse durante a apresentação que “o helicóptero AW149 é a resposta mais avançada para os exigentes desafios operacionais futuros dos militares da Polônia. É o único helicóptero de última geração na sua classe, uma combinação de soluções inovadoras apoiadas pela experiência duradoura e longamente estabelecida, e compartilhada no âmbito da indústria de defesa europeia. Apresentando o AW149 aos representantes poloneses, empresas institucionais e militares, bem como Universidades, prova a melhor ocasião para mostrar como este produto pode extraordinariamente de forma rápida reforçar o papel desempenhado pelo país no setor aeroespacial, se escolhido para atender a futura necessidade militar da Polõnia”.

A fabricante polonesas PZL-Swidnik tem plena capacidade para fabricar o AW149.

A PZL-Swidnik é a única empresa polonesa com plena capacidade para projetar, desenvolver e produzir helicópteros com seu próprio projeto. Ela também tem o seu próprio centro de pesquisa e desenvolvimento. A companhia, com mais de 3.500 funcionários, é a maior fabricante de aviação na Polônia e um dos maiores empregadores em Lubelszczyzna. A PZL-Swidnik tem sido uma parte da AgustaWestland desde 2010.

Dinamarca e Rolls-Royce trabalham em conjunto para resolver problema dos motores dos helicópteros EH-101

3
Dois helicópteros AgustaWestland EH101 da Força Aérea da Dinamarca. (Foto: Shephard Media)

A organização Dinamarquesa responsável pela aquisição de equipamento militar Danish Defence Acquisition and Logistics Organization (DALO), está trabalhando juntamente com a Rolls-Royce Turbomeca (RRTM) para urgentemente solucionar os problemas nos motores RTM32 que tem afetado a frota Dinamarquesa de helicópteros EH-101.

Num relatório emitido no dia 17 de Abril, a DALO referenciou o aparecimento de fendas no difusor de palhetas, fendas na câmara de combustão, perda do revestimento de proteção do propulsor e o bloqueamento dos buracos para arrefecimento em 11 motores RTM32.

A DALO e a Rolls-Royce reuniram-se no dia 13 de Abril para desenvolverem um plano de intervenção para solucionar estes problemas.

“A RRTM iniciou um plano de apoio abrangente para mitigar os problemas que tem sido identificados em alguns motores que equipam a frota de helicópteros EH-101 da Forca Aérea Dinamarquesa,” afirmou Francis Kearney, um porta-voz da RRTM.

“Iremos trabalhar em estreita colaboração com a DALO para maximizar a disponibilidade dos motores RRTM32 da frota de EH-101, para que estes helicópteros possam cumprir as necessidades atuais e futuras da Forca Aérea Dinamarquesa.”

A DALO revelou que foi elaborado um plano de recuperação, e que inclui a inspeção dos restantes motores RTM332 e o estabelecimento de um linha de reparação rápida para que os motores afetados possam voltar a operacionalidade o mais cedo possível.

A fase final do plano será desenvolvida em Maio de 2012, baseado nas inspeções da DALO nos restantes motores, na causa de análise do problema nos estudos realizados pela RRTM e com a consolidação da capacidade da linha de reparação rápida entretanto criada.

De acordo com o relatório da DALO, as anomalias não representam um problema para a segurança de voo das aeronaves. O AgustaWestland EH-101 é um helicóptero equipado com três motores, e devido a esse fato existe um estoque razoável de motores sobressalentes, entretanto, atualmente só 10 dos 14 helicópteros podem ser apoiados pela DALO nesta fase.

Este problema forçou o Comando Aéreo Tático Dinamarquês a limitar as operações dos EH-101 a missões de busca e salvamento (SAR).

“Embora o número dos motores danificados reduza o numero operacional dos helicópteros, o problema dos motores não põe em risco o estado de alerta e de preparação a que as missões SAR têm que estar sujeitas,” afirma o relatório.

“Obviamente que preferíamos não estar sujeitos a este problema relativo à disponibilidade dos motores RTM332, mas por um lado estou bastante satisfeito por sermos capazes de resolver este desafio em colaboração com a RRTM ,” afirma o tenente general Per Pugholm Olsen, comandante da DALO.

Fonte: Rotorhub – Tradução: Cavok

Polícia Nacional do Japão encomenda seus dois primeiros helicópteros AgustaWestland GrandNew

0
A Polícia Nacional do Japão adquiriu seus dois primeiros helicópteros AgustaWestland GrandNew. (Foto: AgustaWestland)

A AgustaWestland, uma empresa Finmeccanica, e a Corporação Kanematsu com prazer anunciaram que receberam um contrato da Agência da Polícia Nacional do Japão (JNPA) para o fornecimento de dois helicópteros bimotores GrandNew na configuração policial como parte de um programa em curso para modernizar os helicópteros da Polícia Nacional Japonesa.

As duas aeronaves serão operadas nas prefeituras de Saga e Tottori. A encomenda representa a primeira venda de helicópteros GrandNew para a Agência da Polícia Nacional do Japão e é parte de seu plano para modernizar sua frota com um helicóptero moderno e de alto desempenho.

O helicóptero bimotor leve AgustaWestland GrandNew apresenta aviônicos de última geração, alto desempenho e segurança, uma espaçosa cabine e grande capacidade de carga que antes estava disponível apenas com helicópteros de categoria intermediária, agora oferecido por uma categoria de helicópteros leves mais econômicos.

A seleção do helicóptero GrandNew eleva o número de helicópteros AgustaWestland leves bimotores que operam no mercado policial japonês para 25 e continua crescendo a participação da AgustaWestland no mercado japonês de helicópteros bimotores leves. A AgustaWestland espera que este crescimento continue nos próximos anos.

Andrew Symonds, o presidente da AgustaWestland Japão, disse: “Esta última encomenda é mais uma prova do crescente sucesso que temos vivido no mercado de helicópteros japonês nos últimos anos, indo de encontro com as necessidades governamentais, comerciais e militares, oferecendo as melhores soluções e estabelecendo relações fortes com os nossos parceiros locais. Estamos empenhados em construir este sucesso oferecendo as melhores soluções para os futuros requisitos de helicópteros no Japão”.

AgustaWestland entrega dois helicópteros AW139 à Forca Aérea Egípcia

1
Um dos dois novos helicópteros AW139 destinados para Força Aérea do Egito. (Foto: AgustaWestland)

A AgustaWestland, empresa do grupo Finmeccanica, anunciou hoje que a sua filial AgustaWestland North America, entregou dois helicópteros AW139 à Forca Aérea Egípcia através de um contrato assinado com o Comando de Aviação e Mísseis do Exercito Americano (U.S. Army Aviation and Missile Command – AMCOM) via Foreign Military Sales (FMS).

“Estamos muito satisfeitos por entregar estas duas novas aeronaves aos nossos parceiros internacionais,” afirmou Jeffrey Young, Diretor do Security Assistance Management Directorate, durante a cerimônia de entrega.

A entrega dos dois helicópteros AW139 para a Força Aérea do Egito ocorreu na unidade da AgustaWestland North America na Filadélfia. (Foto: AgustaWestland North America)

Produzidos nas instalações de Filadélfia, nos Estados Unidos, a AgustaWestland configurou estes AW139 Egípcios para missões de busca e salvamento. “A AgustaWestland está orgulhosa de poder entregar estas aeronaves dentro do prazo e no orçamento previsto,” afirma R. Scott Retting, Presidente do Conselho de Administração da AgustaWestland North America. “A nossa equipa cumpriu com todos os compromissos para excedermos as expectativas do nosso cliente e estamos confiantes que o AW139 será um meio bastante importante na frota de helicópteros da Forca Aérea Egípcia.”

Agora que as aeronaves foram entregues, a AgustaWestland continua a apoiar o Exército Americano na formação e instrução das tripulações e fornecendo o apoio e as peças sobressalentes para garantir que estes helicópteros possam ser empregues com eficiência e operacionalidade. Com níveis de segurança e desempenho imbatíveis, o AW139 é um helicóptero multi-missão que permite ao seu utilizador uma flexibilidade de operação num vasto conjunto de missões.

O AW139 tem desempenhos bastante significativos em que se destaca o seu alcance; a maior taxa de peso/potência da sua classe; a sua capacidade de operação em condições de altas altitudes e altas temperaturas numa velocidade de cruzeiro de 165 nós. O AW139 tem uma reduzida assinatura acústica, aviônicos de missão integrados e tem a possibilidade de ser equipado com um completo sistema deicing, permitindo às tripulações cumprir as suas missões em quaisquer condições meteorológicas. Mais de 160 operadores em 50 países utilizam este helicóptero médio bimotor para diversos tipos de missões. Tendo um dos mais modernos projetos de construção da ultima década, mais de 620 helicópteros AW139 já foram vendidos para missões de EMS/SAR, transporte offshore e segurança pública entre outras.

AgustaWestland e Karl Lagerfeld vão cooperar no desenvolvimento de um exclusivo interior do AW139 VIP

0
A AgustaWestland espera que a parceria com a casa de moda Karl Lagerfeld possa criar uma linha exclusiva de interiores VIP para seus helicópteros AW139. (Foto: AgustaWestland)

A AgustaWestland, uma empresa do grupo Finmeccanica, e a casa líder de design de moda Karl Lagerfeld com prazer anunciaram a sua parceria para o projeto de interiores e exteriores de helicópteros VIP. A cooperação se concentrará inicialmente no desenvolvimento de um exclusivo design interior e exterior de um helicóptero biturbina AW139 VIP, com a possibilidade de expandir a parceria para incluir outros modelos de helicópteros comerciais da AgustaWestland.

Através desta cooperação, a AgustaWestland apresenta uma nova solução de edição limitada customizada e se orgulha de oferecer a criatividade e o estilo sofisticado de Karl Lagerfeld à sua crescente base de clientes. A casa de moda estará entrando no setor de design de interiores e exterior de helicóptero pela primeira vez, e está animada em colaborar com a AgustaWestland no helicóptero de maior sucesso em sua categoria em todo o mundo.

Força Aérea Italiana coloca em operação seu novo helicóptero HH-139A

0
O primeiro helicóptero HH-139A que entrou em operação na Força Aérea da Itália para missão de Busca e Salvamento. (Foto: AgustaWestland)

A AgustaWestland, uma empresa Finmeccanica, anunciou que o primeiro dos 10 helicópteros médios bimotores HH-139A entrou em operação na Força Aérea Italiana. A cerimônia foi realizada nessa quinta-feira na Base Aérea de Cervia. Os novos helicópteros vão complementar a frota de antigos helicópteros HH-212 e HH-3F no papel das operações de busca e salvamento em todo o país. Os restantes HH-139As serão entregues para a Força Aérea até o final deste ano e são os primeiros exemplares da variante do AW139M dedicado para uso militar que são entregues.

Os novos helicópteros AgustaWestland HH-139A serão utilizados basicamente nas missões de Busca e Salvamento (SAR). (Foto: AgustaWestland)

Spagnolini de Bruno, CEO da AgustaWestland, disse na cerimônia: “Isso nos dá grande prazer em celebrar a prontidão operacional deste novo helicóptero, vinte anos após o último helicóptero ser entregue à Força Aérea Italiana. Este evento significativo é o primeiro passo importante no apoio ao programa de modernização do serviço, que também vai ver o HH-101 “César”, substituindo os HH-3F Pelicans no papel de Combate SAR. O HH-139A irá complementar o HH-101S, assegurando simultaneamente um salto quântico na capacidade operacional e rentabilidade em comparação com a atual frota de HH-3FS e HH-212S”.

A Força Aérea Italiana encomendou 10 unidades do novo helicóptero HH-139A da AgustaWestland. (Foto: AgustaWestland)

O HH-139A foi selecionado como uma solução provisória para a substituição e programa de modernização da frota de helicópteros SAR da Força Aérea Italiana. Todos os novos AW149, agora em desenvolvimento, foram concebidos para atender a um requisito potencial da Força Aérea Italiana para uma nova classe de helicóptero SAR com certificação esperada para 2013

A Força Aérea Italiana se junta a uma série de outros clientes militares que já estão operando o AW139, incluindo o Corpo Aéreo Irlandês, a Força Aérea dos Emirados Árabes Unidos e as Forças Armadas do Qatar. O HH-139A da Força Aérea da Itália possui um completamente novo trem de pouso reforçado que ??proporciona uma maior distância do solo e uma resistência ao choque melhorada, suite de comunicações seguras, incluindo IFF e um sistema integrado de suítes de defesa pessoal. A aeronave também está equipada com o equipamento relacionado com a função – como grua do salvamento, luz de busca, cortadores de fio, FLIR montado no nariz, gancho de carga, sistema de alto-falante e equipamento de flutuação de emergência.

IMAGENS: Helicóptero Wildcat finaliza testes a bordo da fragata HMS Iron Duke

0
O helicóptero AgustaWestland AW159 Wildcat da Royal Navy se aproxima para pouso no convés de voo da fragata HMS Iron Duke. (Foto: MoD UK / Crown)

A próxima geração de helicóptero da Marinha Real britânica, o Wildcat, completou 20 dias de exigentes ensaios a bordo do HMS Iron Duke, lançando as bases para as futuras operações. O Wildcat aterrissou cerca de 400 vezes no convés de voo da fragata durante o dia e noite, em várias condições climáticas, enquanto o navio navegava ao largo das costas do sul da Inglaterra e norte da Escócia.

A fragata baseada em Portsmouth procurou as condições meteorológicas mais difíceis em todo o Reino Unido desde que o Wildcat chegou no seu convés – sucessor do Lynx que atua na frota – para ajudar a escrever o livro de regras de operação para o novo helicóptero.

A partir de 2015, o Wildcat será o principal helicóptero usado pelas fragatas da Marinha Real, incluindo a Iron Duke e os navios do Tipo 23, e destróieres nas operações ao redor do globo.

Os testes com o Wildcat a bordo do HMS Iron Duke foram realizados nas mais difíceis condições climáticas na costa da Inglaterra e da Escócia. (Foto: MoD UK / Crown)

Embora o Wildcat pareça com a variante final do Lynx MK8, atualmente em serviço com a Air Arm Fleet, é classificado como um novo helicóptero – ele lida de forma diferente desde o começo, não apenas devido aos novos motores e a cauda diferenciada que marca o Wildcat diferente de seus antepassados.

Como resultado, um novo livro de regras tem de ser escrito para definir o que são conhecidos como ‘limites operacionais do helicóptero no navio’ – as diretrizes para as seguras operações do Wildcat, de dia e de noite, em várias condições climáticas, e com cargas diferentes.

Para isso, o Wildcat precisava ir para o mar. Ele passou por dois períodos de 10 dias de testes a bordo do Iron Duke, uma em meados de janeiro, e a segunda no início deste mês, nas regiões desde as águas ao largo da Costa Sul até na região costeira ocidental, Mar da Irlanda e no litoral norte da Escócia, com a fragata procurando por condições climáticas adequadas para estabelecer os limites das operações seguras do Wildcat.

O Wildcat realizou 390 pousos a bordo da fragata Type 23 HMS Iron Duke. (Foto: MoD UK / Crown)

Ao todo, o Wildcat pousou no convés de vôo do Iron Duke 390 vezes, incluindo 148 pousos noturnos – 76 deles usando óculos de visão noturna.

Do ponto de vista do Iron Duke, o novo helicóptero certamente impressionou. O Comandante Nick Cooke-Priest, o comandante da fragata, disse:

“O Wildcat é uma aeronave muito capaz, um sucessor completamente valorizado do Lynx, e uma vez que estiver totalmente maduro irá oferecer uma capacidade melhorada de forma significativa para o domínio marítimo.”

O protótipo ZZ402 realizou uma breve visita ao Iron Duke pouco antes do Natal, quando os pilotos e técnicos testaram alguns dos princípios básicos, tais como se o sistema de recuperação de convés de vôo poderia puxar o Wildcat para o hangar, se o Wildcat caberia no hangar, se ele pode ser facilmente reabastecido e rearmado e se ele se ‘comunica’ com os sistemas de comando da fragata, todos estes dando positivo.

Dois pilotos de teste da Fleet Air Arm avaliaram o protótipo e definiram a dificuldade e a carga de trabalho necessária para cada desembarque em cada condição de tempo diferente ou estado do mar, enquanto uma infinidade de sensores registraram mais de 4.000 itens diferentes de dados dos motores do helicóptero, rotor e transmissão.

Vídeos transmitiram imagens de todas as posições da tripulação, tensões e distensões de todo a estrutura e pás de rotor, parâmetros do motor e caixa de velocidades e material de cargas.

As tripulações aproveitaram para testar outros sensores do helicóptero Wildcat em condições de voo em mar aberto. (Foto: MoD UK / Crown)

As pontuações da tripulação e as cargas de dados estão sendo analisados ??por peritos (que deve durar até perto do final do ano) para definir os limites para operações de dia e noite do Wildcat no mar, em diferentes condições e com cargas diferentes.

Além dos pilotos de testes, dois engenheiros de teste de vôo, engenheiros aeronáuticos, especialistas em instrumentação e pessoal de voo a bordo (para realizar a manutenção no protótipo e movê-lo dentro e fora do hangar da fragata) – totalizando quase 30 pessoas – estavam espremidos a bordo da fragata do Tipo 23, que estava equipado sensores precisos de movimentos do navio e de vento para os testes.

A equipe de testes usou a oportunidade para o Wildcat manobrar no mar pela primeira vez, para testar os seus sistemas de missão, cockpit de visão noturna e sistemas de navegação, abrindo caminho para os deveres do helicóptero na linha de frente daqui três anos.

O Comandante Priest Cooke disse que o helicóptero é “ideal para a natureza e amplitude das operações navais”, e acrescentou que:

“Os comandantes devem estar muito animados com o potencial Wildcat”.

Enquanto os Wildcats abrem seu caminho ao longo da linha de produção na fábrica da AgustaWestland em Yeovil, o ZZ402 vai continuar seus estudos, incluindo testes de radar, sensores eletro-óticos e kits de navegação, e a realização de disparos de mísseis.

O primeiro dos 28 Wildcats da versão naval deve ser entregue a sua futura base da Estação Naval da Royal Navy de Yeovilton, dez dias antes do Natal, para os ensaios com o 700° Esquadrão Aéreo da Marinha.

AgustaWestland avança no desenvolvimento do tiltrotor AW609

4
A aeronave tiltrotora AW609 da AgustaWestland está sendo apresentada durante a Heli-Expo no Texas. (Foto: AgustaWestland)

A AgustaWestland informou essa semana que está avançando com o desenvolvimento do seu muito atrasado programa tiltrotor AW609 depois de assumir o controle total do projeto no final do ano passado. O programa, que remonta a 1996, já havia sido desenvolvido como BA609 numa joint venture com a Bell Helicopters. A aeronave está sendo apresentada na Heli-Expo 2012, no Arlington Municipal Airport, em Dallas, Texas.

Segundo a empresa, os cerca de nove minutos de vôo na Heli-Expo marcaram o primeiro vôo de demonstração pública do AW609 desde o Farnborough Air Show, em 2008. O piloto de teste experimental Pietro Venanzi, que comandou o vôo de demonstração, apresentou a manobrabilidade da aeronave “N609TR” em ambos as configurações da nacele do motor, vertical, horizontal e de transição para o padrão de tráfego, com manobras realizadas na frente dos espectadores.

Similar a aeronave Bell-Boeing V-22 Osprey, mas com cerca de metade do seu tamanho, o AW609 está programado para receber a certificação da FAA no primeiro semestre de 2016, conforme previsão da AgustaWestland. A aeronave tinha um plano original para receber a certificação em 2011.

A aeronave AgustaWestland AW609 durante voo de testes na Itália. (Foto: AgustaWestland)

A Agusta disse que seus dois protótipos da aeronave já completaram mais de 650 horas de vôo, com um trabalho contínuo nas instalações da Itália e no Texas, e empregando cerca de 500 pessoas no total. Uma terceira aeronave está quase pronta na Itália e uma quarta deve ficar pronta em seguida.

De acordo com a Bell, no início da última década, o 609 tinha um preço entre US$ 8-10 milhões ajustados ao ano de entrega. Posteriormente, as estimativas externas sobre o preço foram elevada para cerca de US$ 30 milhões. A AgustaWestland disse que vai anunciar o preço 25 meses antes da entrega do primeiro.

Originalmente voltado para o mercado governamental e militar, a Agusta mais recentemente também tentou lançar o AW609 como uma alternativa para jatos executivos e helicópteros. A empresa disse que já recebeu cerca de 70 encomendas de 40 clientes.

Wildcat inicia testes no mar com a embarcação HMS Iron Duke

2
A versão naval do novo AgustaWestland Lynx Wildcat começou o longo período de testes no mar no Canal da Mancha com a fragata HMS Iron Duke. (Foto: UK MoD)

O Wildcat, o helicóptero de próxima geração da Marinha Real britânica, já começou seus ensaios ainda mais extensos, juntando-se a uma fragata no mar pela primeira vez. O sucessor do confiável Lynx, que serviu a Marinha e ao Exército admiravelmente desde a década de 1970, vai passar o próximo mês voando a partir do HMS Iron Duke no Canal da Mancha, como parte de seus ensaios ainda mais extensos.

O Wildcat é a próxima geração de helicóptero multi-função leve para servir tanto o Exército como a Marinha no futuro. A variante da Marinha do Wildcat será a base de operações de helicópteros em destroieres e fragatas da Marinha Real, com 28 pedidos para o Arm Air Fleet.

Apesar da aeronave se parecer com a antecessora – com a excepção da sua cauda distintiva que melhora a estabilidade do helicóptero – as características Wildcat são suficientemente diferentes para justificar um extenso ensaio de vôo do Lynx, definindo os parâmetros dentro dos quais ele poderá operar com segurança.

Wildcat já foi anteriormente para o mar, com um pouso na parte traseira do navio de treinamento de aviação RFA Argus na costa sul da Inglaterra, em meados de novembro de 2011.

A versão naval do Wildcat decola da fragata HMS Iron Duke. (Foto: Crown / UK MoD)

E o protótipo ZZ402 realizou uma breve visita ao HMS Iron Duke pouco antes do Natal, quando os pilotos e técnicos testaram alguns dos princípios básicos.

Os ensaios foram realizados com o navio parado na Base Naval de Portsmouth. Para os ensaios dos Limites Operacionais do Helicóptero no Navio atualmente em curso, o Iron Duke e o Wildcat foram destacados no mar.

Uma equipe de mais de 30 especialistas se uniu a fragata Tipo 23 para a avaliação, e o navio também foi equipado com instrumentos especializados para registrar todos os aspectos dos ensaios.

Inicialmente os ensaios seriam realizados em Lyme Bay, antes do Iron Duke prosseguir cada vez mais para o oeste, com o intuito de buscar mau tempo para ajudar a definir os limites operacionais do helicóptero “sobre o envelope completo de operações” (cargas e pesos levados pelo Wildcat em todos os tipos de condições climáticas).

Os ensaios devem ter início por volta de fevereiro 2012, após o qual um tempo de cerca de nove meses será necessário para analisar e avaliar todas as informações recolhidas.

Voa pela primeira vez o helicóptero AgustaWestland AW189

1
O primeiro voo do AgustaWestland AW189 realizado na Itália no dia 21 de dezembro. (Foto: AgustaWestland)

A AgustaWestland anunciou hoje que o primeiro protótipo do helicóptero bimotor AW189 da classe de oito toneladas concluiu ontem com êxito seu primeiro vôo. A aeronave foi lançada no Paris Air Show no início deste ano, e este primeiro protótipo fez seu vôo inaugural antes do previsto. A AgustaWestland tem como objetivo obter a certificação civil para o AW189 em 2013, e começar as entregas adiantadas em 2014.

O primeiro AW189 foi pilotado pelo Piloto Chefe de Testes da AgustaWestland Giuseppe Lo Coco, na fábrica da empresa em Cascina Costa na Itália. Ele teve o desempenho esperado durante o vôo que incluiu uma avaliação geral de controle de voo do helicóptero e sistemas básicos. O primeiro protótipo será utilizado para teste do sistema de aviônicos e certificação das opções de equipamentos offshore, enquanto o segundo protótipo, previsto para voar em 2012, será dedicado a um programa de levantamento de carga.

Bruno Spagnolini, CEO da AgustaWestland, disse que “realizar o primeiro vôo do novo AW189 apenas alguns meses após o seu lançamento destaca o nosso compromisso de fornecer ao mercado os helicópteros mais avançados nos menores prazos possíveis. Estamos muito satisfeitos com a resposta inicial do mercado com os principais operadores já tendo se comprometido a comprar o AW189 para as missões offshore de longo alcance.”

Ele disse ainda: “Estamos confiantes à medida que avançamos para a certificação e para produção que muitos outros operadores irão selecionar o AW189 como seu helicóptero de nova geração de Busca e Salvamento, transporte offshore e missões parapúblicas devido à sua capacidade de longo alcance, dos custos operacionais atraentes e das modernas características de segurança.”

A apresentação do AgustaWestland AW189 realizada este ano.

O totalmente novo AW189 foi lançado este ano em resposta à crescente demanda do mercado para um helicóptero multimissão versátil e acessível na classe de 8 toneladas, e que rapidamente encontrou o sucesso no mercado. Um número de vendas já foram garantidas a partir das principais operadoras do serviço offshore de petróleo e de gás, incluindo Bristow Helicopters, Bel Air, e Weststar Aviation Services.

O AW189 é parte da nova geração de família de helicópteros AgustaWestland que inclui os modelos AW169 e AW139. Todos estes helicópteros possuem as mesmas características de alta performance de vôo e características de segurança, e compartilham o mesmo layout do cockpit, filosofia comum de design e conceitos de manutenção. Esta abordagem vai oferece uma economia real em áreas como a formação, manutenção e suporte para as existentes operadoras do AW139 que adicionarem os modelos AW169 e/ou AW189 nas suas frotas.

Definida para entrar em serviço de forma adiantada em 2014, o helicóptero bimotor AW189 está otimizado para o transporte de longo alcance offshore e as missões SAR. A espaçosa cabine com uma configuração padrão de 16 passageiros, oferece ainda uma opção de um layout de alta densidade com 18 assentos ou uma configuração de ultra longo alcance com 12 assentos. Na tarefa SAR, a cabine de 11,2 m3 pode acomodar um console de missão, macas e assentos para a tripulação e para os sobreviventes. Um único ou duplo guincho de resgate está posicionado acima da porta deslizante da grande cabine, no lado estibordo, e uma gama de equipamentos, incluindo holofote, FLIR e radar pode ser instalado.

A visibilidade externa excepcional e a implantação da mais recente tecnologia de aviônicos fazem do AW189 a escolha do piloto. O design da cabine incorpora as mais recentes tecnologias avançadas de consciência situacional que reduzem a carga de trabalho da tripulação e aumentam a segurança.

A nova geração de AW189 vai ao encontro dos mais recentes requisitos de segurança internacionais das agências reguladoras (EASA/FAA Part 29, JAR OPS 3/EU-OPS). O AW189 também pode se beneficiar da extensa e em expansão rede de apoio em todo o mundo da AgustaWestland que já servindo a indústria offshore de petróleo e gás. Uma série de simuladores e dispositivos de treinamento serão progressivamente disponibilizados para atender a base de clientes em todo o mundo para o AW189.

IMAGENS: Helicóptero Lynx Wildcat pousa pela primeira vez numa fragata

2
O helicóptero AgustaWestland Lynx Wildcat "ZZ402" durante aproximação para o primeiro pouso a bordo de uma fragata, a HMS Iron Duke. (Foto: Royal Navy)

A próxima geração de helicópteros da Marinha Real Britânica (Royal Navy), o AgustaWestland Lynx Wildcat realizou no dia 11 de dezembro seu primeiro pouso embarcado, durante um período de testes de três dias com uma fragata Type 23. O helicóptero Wildcat tocou o convés de vôo da HMS Iron Duke, na Base Naval de Portsmouth, como parte de testes intensivos antes do helicóptero ser declarado operacional.

Em apenas três anos, o Wildcat será a espinha dorsal das operações com fragatas e destróiers da Marinha Real, substituindo o Lynx, que tem servido a Arm Air Fleet desde meados dos anos 1970.

O Wildcat está passando por um período de testes a bordo da fragata HMS Iron Duke, antes de começar os testes no mar. (Foto: Royal Navy)

Bem como o pouso na fragata, uma equipe de teste de 31 pessoas garantirá que o Wildcat possa ser movido para dentro e para fora do hangar usando o sistema de recuperação de helicóptero do navio. Testes de reabastecimento e municiamento a bordo também serão realizadas.

Antes que pudesse ter ocorrido qualquer pensamento para tais ensaios, no entanto, a equipe Wildcat – a Agusta-Westland, a empresa que constrói em Yeovil o helicóptero; os especialistas do ministério de defesa; o Centro de Avaliação e Teste de Aeronaves em Boscombe Down; engenheiros e técnicos de aviação da Marinha Real – precisaram realizar algumas verificações fundamentais, por isso os três dias a bordo do Iron Duke nesta semana.

O Lynx Wildcat é a nova geração de helicópteros da Marinha Real Britânica. (Foto: Royal Navy)

O piloto do helicóptero, o Lieutenant Commander Lee Evans, disse até agora que ficou impressionado com o desempenho do Wildcat: “Ela voa como um Lynx, que é bom do ponto de vista de um piloto. É estável, tem um terço a mais de potência do que um Lynx, o que lhe dá muito mais confiança para um piloto.”

O volume de dados e as leituras registradas pela equipe de teste irá demorar cerca de nove meses para ser analisado. “A ciência que acompanha os ensaios é incrível”, disse o Lieutenant Commander Evans.

O Wildcat já completou os ensaios “hot and high” em Colorado, nos EUA, e voou para dentro e fora do navio auxiliar RFA Argus em alto mar, em novembro. No próximo mês o avião vai começar os testes de operação no mar.

Cerca de 62 helicópteros Wildcats estão sendo comprados pelo Ministério de Defesa, 34 para o Army Air Corps (Exército), 28 para o Arm Air Fleet (Marinha). A variante do Exército deve iniciar as operações em 2014, com a versão Naval entrando em serviço no ano seguinte.

Nova unidade da AgustaWestland na Itália comemora um ano com duas entregas de helicópteros NH90

1
O mais novo helicóptero NH90 TTH entregue para o Exército Italiano. (Foto: AgustaWestland)

A AgustaWestland, uma empresa Finmeccanica, anunciou hoje que sua nova linha de montagem final do NH90, localizado em Veneza Tessera, na Itália, concluiu com êxito seu primeiro ano de operações, e comemorou a entrega conjunta de um helicópteros NH90 TTH para o exército italiano e um NH90 NFH para a Marinha italiana no dia 16 de dezembro.

A instalação concluiu nove aeronaves este ano e está planejada para montar e entregar até 18 aeronaves em 2012. A unidade da AgustaWestland de Veneza Tessera, a qual possui uma área de 24 mil m2, é a nova linha de montagem final italiana para os 160 helicópteros NH90s encomendados até agora, pela Itália (Exército e a Marinha, 60 e 56 helicópteros, respectivamente), Holanda (20), Noruega (14) e Portugal (10). A nova fábrica começou a montagem de NH90s há um ano e entregou o seu primeiro helicóptero em junho de 2011. A planta de Veneza Tessera irá expandir progressivamente para se tornar o centro do programa NH90 para todos os clientes AgustaWestland, incluindo a provisão de manutenção, peças sobressalentes, serviços de engenharia, upgrades e modificações, bem como desenvolvimentos futuros de configurações de novos produtos.

O Exército italiano ordenou 60 helicópteros NH90 TTH, que irão substituir os modelos antigos operados atualmente pelo serviço em várias funções utilitárias. A Marinha italiana encomendou um total de 56 NH90s (46 NFH e 10 unidades TTH), que irão substituir helicópteros antigos para uma variedade de funções, incluindo guerra anti-submarina, guerra anti-superfície e utilitárias. O NH90 vai oferecer aos militares italianos um grande aumento na capacidade operacional e eficácia da missão devido à sua tecnologia e desempenho. Um total de 21 helicópteros NH90 terão sido entregues pela AgustaWestland para as forças italianas até o final deste ano.

No mesmo dia, a AgustaWestland também entregou um novo helicóptero NH90 NFH para Marinha Italiana. (Foto: AgustaWestland)

O NH90 TTH versão é projetada para transporte tático de pessoal (16 a 20 soldados) e material. Aplicações adicionais incluem evacuação médica (12 macas), operações especiais e posto de comando aéreo. O modelo NH90 NFH é projetado principalmente para operar de forma autônoma ou conjunta nas missões de Guerra Anti-Submarino (ASW) e anti-superfície (ASuW) missões.

O NH90 é o programa do helicóptero mais bem sucedido da Europa. Os pedidos firmes foram colocados por 14 países, incluindo França, Alemanha, Itália, Holanda, Portugal, Suécia, Finlândia, Noruega, Grécia, Espanha e Bélgica na Europa, bem como Austrália, Nova Zelândia e Omã no exterior. O NH90, desenvolvido nas versões de transporte utilitário TTH e NFH naval, pode satisfazer as necessidades militares de clientes no mundo inteiro para uma ampla gama de papéis.

O programa é gerenciado pela NH90 NAHEMA (NATO Helicopter Management Agency), representando a França, Alemanha, Itália, Holanda e Portugal, e pela NHINDUSTRIES, consórcio industrial que compreende AgustaWestland (32%), Eurocopter (62,5%) e Fokker (5,5%). No âmbito do inteiro programa NH90, a AgustaWestland é responsável pela produção da transmissão principal, eixos de acionamento do rotor de cauda, ??sistema hidráulico, sistema automático de controle de vôo, rampa traseira, fuselagem traseira e computadores de bordo. Além disso, a AgustaWestland também é responsável pela integração global do sistema de missão naval do NH90 NFH para todas as variantes.

AgustaWestland entrega o 22º e último helicóptero Lynx Mk9A para o Exército Britânico

0
O 22º helicópteros Lynx Mk9A entregue pela AgustaWestland para o Corpo de Aviação do Exército britânico. (Foto: MoD UK / Crown / Andrew Linnet)

O último dos 22 helicópteros de apoio Lynx modernizados foi entregue ao Corpo Aéreo do Exército Britânico numa cerimônia realizada sexta-feira, na unidade da AgustaWestland em Yeovil, Somerset. Essa entrega marcou a entrega do último helicóptero modernizado no padrão Lynx Mk9A, três meses antes da data de entrega do contrato final. O primeira helicóptero modernizado Lynx Mk 9A, com motores mais potentes, foi entregue para operar no Afeganistão no dia 25 de maio de 2010, apenas 18 meses depois que o projeto foi iniciado, através de um sistema operacional de necessidade urgente para fornecer um helicóptero leve mais versátil aos comandos em operação.

Os helicópteros modernizados podem operar durante todo o ano nas condições de calor e alta altitude encontradas no Afeganistão, fornecendo apoio de fogo, transporte de tropas e evacuação médicas na maioria das condições exigentes.

Os helicópteros Lynx Mk9A atualmente estão implantados no Afeganistão. (Foto: AgustaWestland)

Além de um novo motor T800 mais poderoso, a atualização inclui instrumentos atualizados e displays digitais, uma caixa de transmissão modificada e uma fuselagem traseira reforçada para lidar com a potência adicional.

Os novos sistemas foram projetados para uma manutenção facilitada, permitindo uma manutenção mais rápida e um menor tempo de recuperação entre as missões.

O protótipo do primeiro Lynx fez seu vôo inaugural no dia 21 de Março de 1971 e foi entrega ao Corpo Aéreo do Exército no começo de 1977. A frota britânica foi submetida a uma série de upgrades e modificações ao longo dos últimos 40 anos, e atualmente é composta dos modelos Mk3 e Mk8 para a Marinha Real e Mk7 e Mk9A para o Exército.

A frota atual de helicópteros Lynx será retirado de serviço durante a próxima década, e será substituída pelo Lynx Wildcat AH Mk1 para o Exército e o HMA Wildcat Mk1 para a Marinha Real, os quais entrarão em serviço em janeiro de 2014 e de 2015, respectivamente.

AgustaWestland pronta para entregar o último helicóptero Lynx Mk9A em dezembro

0
O Exército Britânico vai receber em dezembro de 2011 o 22º e último helicóptero Lynx Mk9A fabricado pela AgustaWestland. (Foto: AgustaWestland)

Uma cerimônia foi realizada hoje nas instalações da AgustaWestland de Yeovil para marcar a conclusão do programa Lynx Mk9A e programar a 22ª e última entrega de um helicóptero Lynx AH Mk9A para o Army Air Corps britânico em dezembro de 2011. O programa de 22 helicópteros foi o resultado de contratos de Urgente Exigência Operacional colocados em novembro de 2008 e março de 2010, ambos concluídos três meses antes do previsto.

Em dezembro de 2008, a AgustaWestland recebeu um contrato de Urgente Exigência Operacional (UOR) para atualizar 12 helicópteros Lynx AH Mk9. Os motores CTS800-4N, que transformam o desempenho do Lynx AH Mk9, foram colocados a frente do programa Lynx Wildcat AW159, juntamente com outros equipamentos. Os novos motores produzem 37% a mais de potência do que os motores Gem equipados com os originais Lynx AH Mk.9 dando ao Mk.9A um aumento significativo na potência que lhe permite operar em condições extremas de calor e grandes altitudes com pesos elevados.

O primeiro vôo de um Lynx AH Mk.9A ocorreu apenas 10 meses após a assinatura do contrato, no dia 16 de setembro de 2009, nas instalações da AgustaWestland em Yeovil. Outra atividade no final de 2009 incluiu o fornecimento de um pacote de suporte abrangente, incluindo um pacote de peças iniciais, publicações técnicas do sistema eletrônico integrado e de treinamento.

Na imagem acima, Graham Cole, Presidente da AgustaWestland entrega uma homenagem ao Brigadeiro James Illingworth, vice-comandante do Comando Conjunto de Helicópteros & Diretor da Aviação do Exército britânico. (Foto: AgustaWestland)

O pacote de formação incluiu treinamento para técnicos de aeronaves e aviônica, bem como para tripulantes e foi concluída até o final de novembro de 2009. Em dezembro de 2010, apenas 12 meses após a assinatura do contrato, a AgustaWestland entregou os primeiros quatro helicópteros Lynx AH atualizado no padrão Mk.9A para o exército britânico. Três desses quatro helicópteros foram usados pela Força Aérea, para a conversão para o tipo e conversão para o treinamento de papéis em sua base em Dishforth, Yorkshire, e no início de 2011 para o treinamento pré-implantação no Quênia. Em março de 2010, a AgustaWestland recebeu um contrato de extensão de 42 milhões de libras do Ministério da Defesa britânico para a atualização de mais 10 helicópteros Lynx Mk.9 do exército britânico.

Este contrato significa que todos os 22 helicópteros Lynx Mk.9 do Exército Britânico seriam atualizados para o padrão Mk.9A num programa de conversão contínua. Após a conclusão do treinamento de pré-implantação o primeiro lote de helicópteros Mk.9As AH Lynx foram destacados para o Afeganistão em abril de 2010, onde imediatamente começaram a operar. A capacidade de operar durante todo o ano em alta altitude, com carga útil muito maior fez o “nove alpha” um ativo extremamente valioso no teatro para as forças britânicas e da coalizão.

Em setembro de 2010 as entregas do primeiro lote de 12 aeronaves foi concluído três meses antes do previsto e em dezembro de 2011, a 22ª aeronave também será entregue 3 meses antes do prazo.

Cavok nas redes sociais

62,515FãsCurtir
340Inscritos+1
6,523SeguidoresSeguir
2,505SeguidoresSeguir
10,510SeguidoresSeguir
2,780InscritosInscrever
Anúncios