Saab

Inicio Tags Azul

Tag: Azul

A Moxy poderá voar para o Brasil, diz fundador da Azul e da JetBlue

0
A Moxy vai “copiar” modelo da Azul, diz Neeleman. Foto Valéria Gonçalvez/Estadão.

Prestes a criar uma companhia aérea pela quinta vez, o empresário americano nascido no Brasil David Neeleman afirma que, para ter sucesso no setor, é necessário encontrar um modelo difícil de ser copiado. A receita foi colocada à prova quando Neeleman fundou a Azul – à época, analistas desconfiaram que a empresa não vingaria, pois acreditavam que não havia espaço no mercado.

Anúncios

Em reviravolta, Justiça descarta decretar falência da Avianca Brasil

0
Airbus A320neo da Avianca.

Em uma reviravolta, os desembargadores da 2ª Câmara de Direito Empresarial do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) decidiram nesta terça-feira (10), por três votos a dois, não decretar a falência da companhia aérea Avianca Brasil, que está com a concessão suspensa desde 21 de junho.

Cade aprova parceria entre Azul e Correios

3

 

Operação cria empresa logística integrada para prestação de serviços de transporte de carga e malas postais

O Tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, nesta quarta-feira (13), a criação da joint venture comandada pela companhia aérea Azul e os Correios para prestação de serviços de transporte de carga e malas postais por via aérea e terrestre, em âmbito nacional. A Azul deterá 50,01% da operação, enquanto a ECT ficará com 49,99%.

Para otimizar frota Azul vende 10 ATR 72-600s para NAC

27
Companhia substituirá parte de sua frota de aeronaves ATR 72-600 por aviões maiores e de última geração.

A Azul Linhas Aérea anunciou a venda de dez turboélices ATR 72-600 para a Nordic Aviation Capital (“NAC”) resultando em uma redução da dívida total em cerca de R$ 325 milhões. Cinco unidades sairão da frota da companhia no último trimestre de 2017 e cinco na primeira metade de 2018. O acordo com a NAC também inclui a entrega de três aeronaves novas ATR 72-600 sob leasing operacional na segunda metade deste ano.

Thales fornecerá equipamentos aviônicos para nova frota da Azul no Brasil

0

A frota de 58 aeronaves A320neo da Azul Linhas Aéreas contará com aviônicos da Thales. (Foto: Airbus)
A Thales foi selecionada pela Azul para o fornecimento de equipamentos aviônicos para a sua nova frota de 58 aeronaves A320NEO. Esta seleção representa a última de uma série de contratos assinados durante o ano de 2016, destacando o crescimento da Thales na América Latina no segmento de espaço aéreo civil.

Grupo chinês torna-se maior acionista da companhia aérea Azul

3
A Azul opera com 136 aviões da Embraer, ATR e Airbus. (Foto: Fernando Valduga / Cavok)
A Azul opera com 136 aviões da Embraer, ATR e Airbus. (Foto: Fernando Valduga / Cavok)

A Hainan Airlines, uma subsidiária do Grupo HNA, anunciou nessa semana que concluiu um investimento de US$ 450 milhões na Azul Linhas Aéreas para adquirir uma participação de 23,7% na terceira maior companhia aérea do Brasil, tornando-se assim a sua maior acionista. Além disso, companhia chinesa irá nomear três novos membros para o conselho de administração.

BRASIL: Em crise, cias aéreas devem ter primeira retração em 13 anos

14
GOL Transportes Aéreos Boeing 737-800 PR-GUG, Foto - Ricardo Hebmüller
Entre as aéreas brasileiras, a Gol é a que está em situação mais grave. Somente nos primeiros nove meses de 2015, a companhia registrou R$ 3,2 bilhões de prejuízo / Foto: Boeing 737-800, por Ricardo Hebmüller, em caráter ilustrativo

Depois de vivenciar a era dourada da aviação, quando a demanda chegou a crescer mais de 20% em um único ano, a crise por que passa o setor se agravou em 2015 e não dá sinais de trégua em 2016. Com o dólar alto e a recessão econômica, especialistas já preveem retração na demanda por voos este ano, algo que não acontecia desde 2003. Para enfrentar a turbulência — já são cinco anos de prejuízos bilionários — as companhias aéreas fazem um pouso forçado, com corte de pessoal e redução na oferta doméstica de até 9% em 2016.

Embraer entrega à Azul jato 1.200 da família de E-Jets

2
O Embraer 195 "Azul & Embraer, Embraer & Azul", prefixo PR-AUP, é o 1.200° E-Jet entregue pela Embraer. (Foto: Embraer)
O Embraer E195 “Azul & Embraer, Embraer & Azul”, prefixo PR-AUP, é o 1.200° E-Jet entregue pela Embraer. (Foto: Embraer)

A Embraer entregou hoje, em cerimônia realizada na sede da Empresa, em São José dos Campos, o jato de número 1.200 da família de E-Jets. A aeronave comemorativa, do modelo E195, foi recebida pela Azul Linhas Aéreas Brasileiras, empresa que opera a maior frota de jatos desse tipo no mundo.

BRASIL: FIM do subsídio para a Aviação Regional

17
embraer-190-azul-pr-azd-aeroporto-cascavel-desembarque
Embraer 190 da Azul pousou no dia 30 de maio de 2015 em Cascavel (Foto: Divulgação/Cettrans Azul)

O Brasil está suspendendo um plano de subsidiar a aviação regional, conforme o governo busca inflar contas públicas, de acordo com um oficial da equipe econômica da Presidente Dilma Rousseff.

Azul e Embraer assinam pedido firme para até 50 E-Jets E2

5

Azul_E195_E2

A Embraer S.A. e a Azul Linhas Aéreas Brasileiras S.A. chegaram a um acordo final para a venda firme de 30 jatos E195-E2. O contrato, anunciado como Carta de Intenções (Letter of Intent – LOI) durante a edição 2014 da Feira Internacional de Farnborough, em julho do ano passado, também contempla direitos de compra para 20 jatos adicionais do mesmo modelo, elevando o potencial da encomenda total para até 50 aviões E195-E2.

IMAGENS: Azul presta homenagem a Omar Fontana

2
O Embraer 195 PR-AJU, que recebeu o nome do Comandante Omar Fontana. (Foto: Marcos Junglas / Cavok)
O Embraer 195 PR-AUJ, que recebeu o nome do Comandante Omar Fontana. (Foto: Marcos Junglas / Cavok)

Na manhã do dia 27 de abril, uma cerimônia nas instalações da Embraer em São José dos Campos, interior de São Paulo, lembrou a memória de um pioneiro da Aviação Comercial Brasileira, Omar Fontana, fundador da empresa aérea Transbrasil. Nosso colaborador Marcos Junglas esteve presente, e registrou em imagens a homenagem.

Aeronave da Azul, com 119 pessoas à bordo, realiza pouso de emergência na Base Aérea de Canoas (RS)

12

AZUL-E190-DECOLAGEM-VIRACOPOS-02_3_1

Hoje pela manhã, uma aeronave Embraer 190, pertencente à Azul Linhas Aéreas Brasileiras, que fazia o voo 4111, com destino a Porto Alegre/RS, com 119 pessoas a bordo, precisou fazer um pouso de emergência na Base Aérea de Canoas (BACO).

Azul confirma compra de 63 aviões Airbus A320neo

16
Concepção artística do novo Airbus A320neo nas cores da Azul. (Foto: Fixion / Airbus)
Concepção artística do novo Airbus A320neo nas cores da Azul. (Foto: Fixion / Airbus)

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras terá um novo modelo de aeronave em sua frota a partir de 2016: trata-se do Airbus A320neo. A companhia pretende utilizar os novos aviões para aumentar sua oferta de assentos em rotas de longas distâncias e de alta demanda de clientes.

Azul voará para os EUA em 2015 com novas aeronaves Airbus

66
Concepção artística do Airbus A350-900 nas cores da companhia aérea Azul. (Foto: Fixion / Airbus)
Concepção artística do Airbus A350-900 nas cores da companhia aérea Azul. (Foto: Fixion / Airbus)

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras inicia importante marco em sua história. A companhia anuncia hoje um plano de expansão, que contempla uma nova frota de 11 aeronaves de grande porte. Com elas, a empresa pretende iniciar voos diretos de Campinas para os Estados Unidos a partir do primeiro trimestre de 2015. Esta operação confirma a Azul como uma nova empresa aérea de bandeira brasileira.

GECAS entrega oitava aeronave ATR72-600 para Azul Linhas Aéreas

1
UMa aeronave ATR72-600 da companhia aérea Azul Linhas Aéreas.
UMa aeronave ATR72-600 da companhia aérea Azul Linhas Aéreas.

A GE Capital Aviation Services Limited (GECAS), o braço de leasing e de financiamento de aeronaves comerciais da GE, anunciou que entregou a oitava nova aeronave turboélice ATR72-600 para a Azul Linhas Aéreas Brasileiras. Esta aeronave alugada veio do pedido existente da GECAS com a ATR.

Confira como ficará identidade visual da Azul após fusão com a Trip

7
Uma aeronave Embraer 195 será mantida com a cauda no padrão da Trip e a marca da Azul na fuselagem, como na montagem acima. (Foto: Juliano Damásio / Cavok)

A companhia resultante da união entre a Azul Linhas Aéreas e a Trip Linhas Aéreas, após aprovação das autoridades governamentais, já tem uma nova marca definida: Azul. Pesquisas encomendadas pelas empresas apontaram que a Azul detém hoje uma marca com maior presença e, portanto, com maior conhecimento no Brasil e no mundo. Para simbolizar a união entre as duas companhias, uma nova identidade visual foi criada, trazendo elementos da Trip que preservam o legado desta marca no novo logotipo. Confira abaixo detalhes do novo padrão de identidade visual da Azul após a fusão com a Trip.

Para David Neeleman, CEO e presidente do Conselho da Azul Linhas Aéreas, escolher entre os dois nomes foi uma decisão difícil, pois as duas aéreas souberam construir suas imagens de forma primorosa nos últimos anos. “Esse é o resultado esperado quando o discurso está alinhado com a prática. Ambas as companhias foram hábeis nessa relação e por isso construíram marcas que comunicam os atributos a ela desejados. Logo, a dificuldade de optarmos por uma”, conclui Neeleman.

Já foram definidas todas as pinturas e marcas das aeronaves e até mesmo dos uniformes após a fusão.

“Estou contente com a definição e adoção de uma marca unificada. Isto nos tornará muito fortes, maximizará nossos investimentos, e acima de tudo representará um legado unificado” diz José Mário Caprioli, presidente da Trip Linhas Aéreas.

O logotipo da Azul passará por modificações. A letra “U” na palavra “Azul” passa a ser grafada em tons contrastantes com as letras “A”, “Z” e “L”, de forma a evocar a logotipia atual da Trip, onde a letra “I” é grafada em tonalidades distintas das letras “T”, R” e “P”. Além de remeter ao logo da Trip, a letra “U” destacada em outra tonalidade simboliza a “união” das duas companhias em torno do objetivo de ser a companhia número 1 na escolha dos Clientes. Há ainda outra mudança: as expressões “Linhas Aéreas Brasileiras” e “Brazilian Airlines”, que hoje fazem parte da marca, deixam de existir, uma vez que a empresa já se consolidou como uma companhia aérea e brasileira.

As duas empresas manterão suas marcas por mais algum tempo, porém, passam a incorporar uma assinatura e um selo alusivo ao momento de integração nas aeronaves, cujo tema é “Azul e Trip: juntas pelo Brasil.” Os novos aviões, encomendados pelas duas aéreas, já sairão de fábrica ostentando a nova identidade unificada. Quanto aos aviões já existentes nas malhas das empresas, esses receberão gradativamente a nova identidade unificada quando do cumprimento dos trabalhos de manutenção e repintura, programados para acontecer ao longo dos próximos anos. A expectativa é de que em dois anos toda a frota esteja sob a nova marca.

Algumas ações serão feitas em homenagem às empresas, com o objetivo de que suas atuais marcas sejam lembradas após o surgimento da nova companhia. Como já é tradição da Azul “batizar” suas aeronaves, todos os aviões da Trip ganharão “padrinhos e madrinhas”, que darão nomes aos aviões, e terão uma faixa na cor prata, elemento presente na identidade atual da empresa. Além disso, um Embraer e um ATR da Trip serão mantidos com as pinturas atuais, para todo o sempre. Por fim, um Embraer 195 ganhará uma pintura especial tendo como base a cor prata, presente na identidade da Trip, simbolizando a união das duas empresas.

Em relação aos uniformes, as companhias entendem que esses continuam representando-as muito bem, além de serem bem avaliados por aqueles que os vestem. Assim, para deixar clara a mensagem de união, as companhias resolveram adotar os uniformes hoje utilizados por cada um em diferentes áreas. Dessa forma, os técnicos de manutenção de ambas as empresas passarão a utilizar os uniformes hoje empregados pela Azultec, a divisão de manutenção da Azul. Em contrapartida, toda a equipe de solo, das duas empresas, passarão a vestir o uniforme recentemente desenvolvido para a Trip pela estilista Teresa Santos, que será responsável também por criar um novo uniforme para os comissários na nova companhia. A unidade de cargas, a Azul Cargo, manterá o seu atual traje, com a mudança da marca. O uniforme para pilotos ainda está em definição.

As companhias passam a adotar as cores “azul médio” (no jargão interno, o “azul Trip”) como cor de suporte, assim como o uso pontual da cor cinza-prateado, outra referência direta à identidade atual da Trip. Assim, este novo padrão será gradativamente aplicado a veículos, equipamentos de apoio em solo, edifícios, balcões de aeroportos, materiais impressos e peças promocionais, sempre de acordo com o cronograma estipulado pelas autoridades governamentais.

O trabalho de implantação de uma única identidade corporativa para as duas companhias encontra-se em fase de preparação e desenvolvimento de sua normatização para eventual aplicação. Quando da aprovação do acordo pelas autoridades, ele será gradativamente adotado em todas as aplicações da marca.

A marca Trip deixará de existir após a fusão com a Azul.

Quando duas empresas de tão expressivo sucesso se unem, uma das primeiras perguntas é sempre em relação a qual marca sobreviverá. Neste caso, se pelo resultado, a marca apontada foi a Azul, isto não necessariamente significava que a imagem da Trip irá desaparecer. “Nossa intenção foi a de promover a continuidade do incrível legado que ambas as companhias aportam. Ainda que jovens – a Trip tem somente 14 anos e a Azul menos de quatro anos de idade – trabalhamos para que as duas marcas fossem promovidas e lembradas, com a inclusão de elementos das duas em todo o trabalho de identidade visual nesta nova fase de unificação das companhias” afirma Gianfranco Beting, diretor de Comunicação, Marca e Produto da Azul.

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras e a TRIP linhas Aéreas anunciaram uma acordo de associação em 28 de maio de 2012. Se aprovado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômico (Cade) e pela Agência Nacional de Aviação Civíl (Anac), as empresas passarão a operar sob a holding Azul Trip S/A. Essa associação resultará em uma das companhias aéreas mais competitivas do País, somando cerca de 800 voos diários, 249 mercados atendidos e 99 destinos. A qualidade dos serviços de ambas as companhias já foi atestada por inúmeros prêmios, nacionais e internacionais. Entre eles, Azul e TRIP foram eleitas pela Skytrax World AirlineAwards 2012 como bicampeãs nas categorias “Melhor companhia aérea low-cost da América Latina” e “Melhor Companhia Aérea Regional da América do Sul”, respectivamente.

Enhanced by Zemanta

Azul Linhas Aéreas realiza voo experimental bem-sucedido com biocombustível a base de cana-de-açúcar

3
Uma aeronave Embraer 195 da Azul Linhas Aéreas Brasileiras foi utilizada para realização do voo com biocombustível durante a Rio+20. (Foto: Embraer)

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras, em parceria com a Amyris Inc., Embraer e GE, realizou hoje um voo experimental utilizando um combustível renovável inovador, produzido a partir da cana-de-açúcar. Com destino ao Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, um jato E195 da companhia partiu do Aeroporto de Viracopos, em Campinas, e fez uma passagem sobre a Cidade Maravilhosa, que recebe nesta semana a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20.

Batizado de Azul+Verde, o projeto teve início em novembro de 2009 com o objetivo de testar um novo conceito de desenvolvimento de combustível renovável para jatos potencialmente capaz de reduzir as emissões de gases que contribuem para o efeito estufa. Além de oferecer uma alternativa para combustíveis derivados do petróleo, a iniciativa representa mais um grande passo em direção a uma indústria de transporte aéreo sustentável.

“O compromisso da Azul em reduzir a utilização de produtos petrolíferos voláteis vai além de diminuir nossos custos. O principal objetivo é inovar na prestação de serviços, empregando as melhores tecnologias para evitar a emissão excessiva de carbono e conscientizar nossos Clientes que eles estão optando por uma companhia aérea que, não só se preocupa com o meio ambiente, mas que está agindo para preservá-lo”, disse Flávio Costa, vice-presidente Técnico-Operacional da Azul.

O estudo realizado pelo Icone – Instituto de Estudos do Comércio e Negociações Internacionais, sobre o ciclo de vida dos gases de efeito estufa do bioquerosene da Amyris mostra que este combustível pode reduzir em até 82% a emissão de dióxido de carbono em comparação ao querosene de origem fóssil.

O biocombustível desenvolvido pela Amyris foi utilizado num Embraer 195 da Azul. Foto: Embraer)

“O biocombustível da Amyris foi desenvolvido para ser compatível com o querosene de aviação (A/A-1) para jatos. Desta maneira, foram feitos uma série de testes que mensuraram seu desempenho”, disse John Melo, presidente & CEO da Amyrs. “O voo de demonstração é um marco importante no nosso programa de combustível para jatos e nos permitirá prosseguir nos objetivos de aprovação internacional e de comercialização”, conclui Melo.

Esse combustível, chamado de AMJ 700, é feito com o uso de microorganismos modificados que trabalham como fábricas vivas, convertendo o açúcar em puro hidrocarboneto. Tal método resulta em um querosene renovável que, após certificado, atenderá aos padrões mais rigorosos da aviação e da ASTM – American Society for Testing and Materials.

Para o voo experimental, foi utilizada uma mistura equivalente de querosene de aviação comum com querosene renovável obtido a partir da fermentação da cana-de-açúcar (4,5 mil litros), o que torna esse um voo inédito na aviação brasileira.

“Durante os testes realizados no início deste ano, em Ohio, nos Estados Unidos, o biocombustível da Amyris atingiu os requisitos técnicos desejáveis. Em conjunto com as novas tecnologias constantemente empregadas no desenvolvimento e certificação de motores, este bioquerosene certamente ajudará a cumprir as metas ambientais da indústria de aviação”, disse Steve Csonka, diretor da Estratégia Ambiental e de Ecomagination da GE Aviation.

A aeronave Embraer 195 com biocombustível sobrevoou o Rio de Janeiro, onde está sendo realizado a Rio+20. (Foto: Embraer)

“Desenvolvido a partir do conceito drop-in, não foi necessário implementar qualquer modificação ou adaptação à aeronave antes deste voo demo”, disse Mauro Kern, vice-presidente-executivo de Engenharia e Tecnologia da Embraer. “Os testes realizados pela Embraer com o biocombustível da Amyris no Brasil foram um sucesso. Isto confirma o potencial de desempenho deste combustível renovável, seja em termos técnicos, seja em termos ambientais. Ficamos felizes com o sucesso técnico deste programa e continuaremos comprometidos com o desenvolvimento de tecnologias de ponta capazes de contribuir com a sustentabilidade da aviação, dentre elas, os biocombustíveis”, concluiu.

“A Azul acredita muito na tecnologia apresentada pela Amyris. O Brasil conta com uma abundância de terra produtiva, o que faz com que o cultivo da cana-de-açúcar não compita com os demais cultivos, como por exemplo, o de alimentos,” afirma Adalberto Febeliano, diretor de Relações Institucionais da Azul. “Esperamos que seja possível adotar esse combustível em voos comerciais no médio prazo, com uma produção em larga escala, sendo economicamente viável”, completa.

Este projeto conta com o apoio institucional do Banco Pine, BR Aviation, Total e Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID.

Voo “Azul+Verde” com Biocombustivel de Cana-de-Açúcar Programado para a Rio+20

2
A Azul Linhas Aéreas vai realizar um voo com biocombustível durante a Rio+20. (Foto: Airspeed)

A Azul Linhas Aéreas uniu-se à Amyris, Inc., Embraer e GE para anunciar que foram concluídos com sucesso os testes necessários para que um combustível renovável e inovador para jatos produzido pela Amyris a partir da cana-de-açúcar brasileira seja utilizado em voo de demonstração por um jato EMBRAER 195 da Azul equipado com motores CF34-10E da GE. O voo “Azul+Verde” será realizado no Brasil em 19 de junho, durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável Rio +20.

O combustível renovável para jatos da Amyris foi desenvolvido para atender às especificações de combustíveis Jet A/A-1 e proporcionar desempenho equivalente aos combustíveis convencionais derivados de petróleo em uma série de parâmetros, entre eles propriedades de adequação à finalidade específica e potencial de redução da emissão dos gases que causam o efeito estufa. A matéria prima para o combustível renovável é a cana-de-açúcar, biomassa que pode ser produzida em grande escala e de maneira sustentável no Brasil e em outros países dos trópicos.

As empresas fornecerão informações adicionais sobre os planos do voo em breve, após autorização da Agencia Nacional de Aviação Civil (ANAC).

Trip confirma fusão com Azul e cria terceira maior empresa aérea do país

5
Foto montagem feita no computador de um Embraer 195 da Azul numa suposta mescla com a marca da Trip. (Foto: Juliano Damasio / Cavok)

A companhia aérea Trip confirmou a união com a Azul em um comunicado distribuído a seus funcionários. Com o acordo, será criada uma empresa controladora das duas companhias aéreas, que receberá o nome de Azul Trip S.A.

Na semana passada, o Grupo Estado havia antecipado a fusão, negociada segundo fontes há cerca de seis meses entre os executivos das aéreas.

Inicialmente, as duas empresas seguirão operando de forma independente, com suas marcas e frotas separadas.

Para coordenar a operação, as companhias vão criar um comitê de integração, que deve ser comandado pelo atual presidente da Trip, José Mario Caprioli, que segue a frente da aérea nesse período. De acordo com o comunicado, esse comitê terá a função de buscar as melhores práticas entre as companhias.

Caprioli deve integrar também o conselho de administração da Azul Trip S.A., ao lado do atual presidente do conselho da Trip, Renan Chieppe, e de Décio Chieppe, representando os grupos Caprioli e Águia Branca, acionistas da Trip. O conselho da controladora também incluirá acionistas da Azul e ‘profissionais escolhidos de comum acordo entre as partes’. ?

A combinação das operações da Azul e da Trip deve resultar em uma companhia com uma frota de 112 aeronaves, das quais 62 jatos Embraer e 50 turboélices ATR, informou a Trip em um comunicado sobre a transação a seus funcionários, obtido pela Agência Estado.

De acordo com os últimos dados da Agência Nacional de Aviação Civil, as duas companhias detinham juntas uma participação de 14,23% do mercado doméstico em abril. Segundo a Trip, até o fim do ano as duas empresas terão 120 aviões. Juntas, operarão 840 voos diários em 234 rotas, interligando 96 cidades brasileiras.

Fonte: Estadão

Embraer vende mais 11 jatos E195 à Azul Linhas Aéreas Brasileiras

9
Dois jatos Embraer 195 da companhia aérea Azul Linhas Aéreas Brasileiras.

A Embraer e a Azul Linhas Aéreas Brasileiras assinaram hoje um contrato para a venda de 11 jatos EMBRAER 195. O negócio aumenta o total de pedidos da companhia aérea para 52 E-Jets da Embraer. O valor total desta última aquisição, a preço de lista, é de USD 497,2 milhões. As entregas estão previstas para começarem em 2013.

Adicionalmente aos 23 aviões E195 que já estão em operação, com configuração de 118 assentos, a Azul também opera dez E190 com 106 assentos. Ambos os modelos são a base da frota da Azul, que iniciou operações em 2008 e em poucos anos alcançou a respeitável marca de 12 milhões de passageiros transportados. Com este novo pedido, a Azul se tornará o operador com a maior frota de E-Jets na América do Sul. Todos os aviões são equipados com sistema de entretenimento a bordo individual.

“Este novo pedido da Azul é mais um exemplo do sucesso do E195 no modelo de negócios de empresas de baixo custo”, disse Paulo César de Souza e Silva, Vice-Presidente Executivo da Embraer para o Mercado de Aviação Comercial. “Estou particularmente satisfeito por ter um cliente brasileiro demonstrando a versatilidade do E195 aqui em nosso país.”

David Neeleman, Presidente do Conselho de Administração da Azul Linhas Aéreas Brasileiras, explicou a necessidade de aumentar o tamanho da frota da companhia: “Este pedido enfatiza nossa crença de que o E190 e o E195 são os aviões certos para a crescente frota da Azul no Brasil. Esta capacidade adicional suportará o crescimento lucrativo, bem como a nossa missão principal de oferecer transporte aéreo seguro, confortável e acessível à crescente malha aérea da empresa no país.”

O sucesso comprovado do E195 com empresas de baixo custo é atribuído a sua excepcional confiabilidade operacional e a alta utilização. Atualmente, cada E190 e E195 da frota da Azul voa uma média de 13 horas por dia, a mais alta entre os operadores de E-Jets. O E195 e o E190 também estão em serviço com outras empresas aéreas de baixo custo, incluindo a Flybe, do Reino Unido, a JetBlue, dos Estados Unidos, a nasair, da Arábia Saudita e a Virgin Australia.

Com quase três anos de operações, a Azul Linhas Aéreas Brasileiras conecta 40 destinos – 39 cidades, com 300 vôos diários. Somando-se às oito linhas de ônibus, são 45 cidades brasileiras conectadas pela companhia. A Azul já ultrapassou a marca de mais 12 milhões de clientes transportados desde sua fundação.

Atualmente opera uma frota de 33 jatos EMBRAER 190 e EMBRAER 195. O papel da empresa é estimular o tráfego aéreo e dinamizar a economia brasileira por meio de uma equação tão simples de entender quanto difícil de imitar: preços baixos com alta qualidade de serviços.

O sucesso da companhia é atestado por diversos prêmios conquistados: “Melhor Empresa Aérea do Brasil”, pelas revistas Viagem e Turismo e Avião Revue; “Destaque do Ano de 2009”, do XII Prêmio Aero Magazine de Aviação; “One of the 30 World’s Hottest Brands”, pela Advertising Age de Nova York; e melhor companhia aérea de baixo custo da América Latina pela Skytrax World Airline Awards, premiação reconhecida como referencial de excelência no setor aéreo.

Cavok nas redes sociais

62,240FãsCurtir
340Inscritos+1
6,367SeguidoresSeguir
2,505SeguidoresSeguir
10,510SeguidoresSeguir
2,540InscritosInscrever
Anúncios