Saab

fiqueemcasa

Inicio Tags CASA

Tag: CASA

Acidente com aeronave da Patrulla Águila da Espanha

1

Duas aeronaves Casa C-101 da famosa Patrulla Águila manobram durante exibição. Imagem ilustrativa.

Um Aviojet Casa C-101, pertencente à equipe de exibição da Força Aérea Espanhola “Patrulla Águila”, caiu hoje no mar perto de La Manga, em Múrcia.

Anúncios

225 milhões de Euros para o programa de treinamento do Ejército del Aire

3
O sistema escolhido permitirá a redução de horas de voo nas unidades de conversão operacional em aviões de combate de primeira linha, gerando economia de recursos para a Força e melhor preparação dos alunos. Foto: Robert White.

O Conselho de Ministros da Espanha concordou em modificar os limites estabelecidos na Lei Orçamental Geral 47/2003 para aumentar as despesas, a fim de permitir que o Ministério da Defesa realize a aquisição de uma nova aeronave de treinamento para a Academia Geral do Ar.

Acidente com aeronave do Vietnã que fazia buscas pelo Su-30

6
Uma aeronave CASA C-212-400, similar a que caiu no Vietnã nesta sexta-feira de manhã. (Foto: Jumbero, via Wikipedia)
Uma aeronave CASA C-212-400, similar a que caiu no Vietnã nesta quinta-feira, dia 16. (Foto: Jumbero, via Wikipedia)

Um avião CASA C-212-400 da Guarda Costeira Vietnamita, que estava à procura de um avião de caça desaparecido e seu piloto, desapareceu do radar na quinta-feira, informou a mídia estatal com informações de um oficial militar, sendo o segundo acidente no país em três dias.

Airbus Military entrega o último C212-400 montado na Espanha

4
O 477° C212 fabricado na Espanha, e entregue para Polícia Marítima do Vietnã. (Foto: Airbus Military)
O 477° C212 fabricado na Espanha, e entregue para Polícia Marítima do Vietnã. (Foto: Airbus Military)

A Airbus Military entregou a última aeronave C212-400 montada na Espanha. Essa entrega marca um momento da história da aviação espanhola e o fim de mais de 40 anos de produção contínua do C212 – um dos produtos aeroespaciais mais conhecidos da Espanha – na linha de montagem final da Airbus Military, em Sevilha, Espanha. Desde o seu primeiro vôo em 1971, 477 aeronaves C212 foram construídas para 92 diferentes operadores.

Hoje em dia, 290 aviões C212 permanecem em serviço em 40 países de todo o mundo. Os três países em que há hoje a maioria das C212s em operação são a Indonésia (70 aeronaves), EUA (37) e Espanha (26). Este 477° C212, é o terceiro e último C212-400 para a Polícia Marítima do Vietnã, e foi formalmente entregue no dia 28 de dezembro, encerrando 42 anos de produção contínua do tipo.

Projetado na década de 1960, o C212 foi entregue à Força Aérea Portuguesa e para Força Aérea Espanhola, em outubro de 1974. Após a sua entrada em serviço, a aeronave de transporte tornou-se rapidamente conhecida a nível mundial por sua robustez e confiabilidade. Na verdade, o C212 foi operado com sucesso em todos os cantos do planeta, incluindo na camada de gelo da Antártida. Operadores em algumas das mais difíceis condições de operação a ser encontradas, desenvolveram grande afeição por suas características exclusivamente versáteis e foi implantado em uma extraordinária variedade de papéis que vão desde o transporte até “fazer chover”, de vigilância ultra-sofisticada a busca e salvamento. O escritório de projetos da empresa desenvolveu eventualmente quatro séries diferentes de aeronaves – culminando na C212-400, que fez o seu primeiro voo em 1997, além de uma variedade de versões de missão especial.

O CEO da Airbus Military, Domingo Ureña-Raso, disse: “Cada funcionário da Airbus Military envolvido com o C212 ao longo destes anos, pode estar justamente orgulhoso de produzir um avião que tem servido os seus operadores fielmente durante muitos anos e forneceu a base para o desenvolvimento da CASA para uma empresa de classe mundial que existe hoje na forma da Airbus Military. Os tempos são de seguir em frente, mas será um grande prazer ver o C212 continuar voando nos cantos próximos ou distantes do globo por muitos anos vindouros.”

Tanto os operadores civis como os militares têm se beneficiado da versatilidade e confiabilidade do C212 ao longo de quatro décadas. A partir de agora, os operadores de todo o mundo terão disponível uma nova versão atualizada, renomeada como NC212, que será produzida em conjunto pela PT Dirgantara Indinesia e Airbus Military, e montadas em Bandung (Indonésia). A linha de montagem final da Airbus Military em Sevilha irá agora concentrar-se na produção das aeronaves de transporte C295 e CN235 e nas diversas configurações de missão, bem como no aumento da atividade da linha de montagem A400M.

Solicitamos mais uma vez a ajuda de todos com contribuições espontâneas para o site, que ajudam muito nas despesas de hospedagem. Para contribuir, utilize as formas de pagamento online abaixo ou nos botões localizados na barra lateral. Se você gosta de ver notícias atualizadas aqui, colabore para manter o site no ar. Quem quiser também poderá doar através de depósito na conta corrente: Banco do Brasil – Agência: 0181-3 – C/C: 12.742-6 – Favorecido: Fernando Valduga. Desde já, muito obrigado!




 

Enhanced by Zemanta

Colômbia encomenda adicional aeronave C295 da Airbus Military

1
Um  C295 previamente entregue para Força Aérea da Colômbia. (Foto: Airbus Military)
Um C295 previamente entregue para Força Aérea da Colômbia. (Foto: Airbus Military)

A Força Aérea da Colômbia encomendou mais um Airbus Military C295 que será adicionado aos cinco exemplares já encomendadas para uso no transporte militar e tarefas de ajuda humanitária.

Desde a aceitação de seu primeiro C295 em 2008, a Força Aérea da Colômbia tem aumentado sua frota do tipo e agora opera quatro, com mais dois previstos para entrega. Ela também opera seis aviões Airbus Military CN235-200 e seis do modelo menor C212.

O vice-presidente sênior comercial da Airbus Military, Antonio Rodríguez-Barberán, disse: “Esta segunda encomenda de C295 pela Colômbia em 2012 é profundamente gratificante e confirma a excelente reputação do C295 com a Força Aérea Colombiana.”

Este último pedido eleva o número de C295s e CN235s da Airbus Military vendidos em 2012 para 32 e eleva as encomendas totais de C295 para 115, com 93 atualmente em operação em 15 países.

Iniciamos o ano de 2013, e eu gostaria de desejar um maravilhoso ano para nossos leitores e amigos. Aproveito para solicitar mais uma vez a ajuda de todos com as contribuições para o site, que ajudam muito nas despesas de hospedagem. Para contribuir, utilize as formas de pagamento online abaixo ou nos botões localizados na barra lateral. Quem quiser também poderá doar através de depósito na conta corrente: Banco do Brasil – Agência: 0181-3 – C/C: 12.742-6 – Favorecido: Fernando Valduga. Desde já meu muito obrigado!




Enhanced by Zemanta

Frota de aeronaves C295M da Força Aérea Portuguesa atinge a marca de 10.000 horas de voo

1
A aeronave C295M Persuader da Força Aérea Portuguesa com a especial pintura de 10.000 horas de voo da frota. (Foto: Paulo Mata / Pássaro de Ferro)

Foi apresentada oficialmente na quarta-feira, dia 5 de dezembro, a aeronave C295M Persuader da Força Aérea Portuguesa (FAP) com uma pintura comemorativa das 10.000 horas de voo realizadas pela frota do tipo em Portugal.

Como em ocasiões anteriores, a pintura é de autoria do artista gráfico Miguel Amaral e teve como um dos principais pressupostos o baixo custo de execução, não deixando de representar a simbologia do esquadrão que opera o modelo (Esquadra 502 – Elefantes) e ao mesmo tempo assinala um histórico número atingido em menos de 4 anos, dentro dos quais contudo, houveram inúmeras operações de busca e salvamento, evacuações médicas, vigilância marítima, lançamentos de tropas paraquedistas e muitas toneladas de carga.

A Esquadra 502 mantém permanentemente dois destacamentos nas regiões autônomas, para apoio às populações e ao tráfego marítimo circulante, além das operações a partir da base principal no Montijo.

Fonte: Pássaro de Ferro

Agradecemos as contribuições até o momento. Graças à colaboração de algumas pessoas estamos conseguindo manter o site no ar, pois o valor necessário para manter o Cavok no ar é alto. Continuamos pedindo a ajuda de todos com as contribuições, que podem ser de qualquer valor. Se cada um ajudar um pouco, poderemos assim manter esse local como o melhor site de aviação do Brasil. Continuamos também lutando para conseguir um patrocínio, que ajudaria bastante nas despesas mensais do site. Para contribuir, utilize as formas de pagamento online abaixo ou nos botões localizados na barra lateral. Quem quiser também poderá doar através de depósito na conta corrente: Banco do Brasil – Agência: 0181-3 – C/C: 12.742-6 – Favorecido: Fernando Valduga. Desde já meu muito obrigado!




Enhanced by Zemanta

Filipinas pretende adquirir aeronaves de patrulha marítima de longo alcance

2
O governo das Filipinas está interessado na aquisição de aeronaves de patrulha marítima de longo alcance CASA/IPTN CN-235 MPA. (Foto: IPTN)

O Departamento de Defesa Nacional das Filipinas está visando adquirir suas primeiras aeronaves de patrulha marítima de longo alcance e de vigilância CN-235 da fabricante de aeronaves IPTN da Indonésia, licenciada da fabricante espanhola CASA (EADS), disse um oficial sênior de defesa nesta segunda-feira.

Pedro Paulo Galvez, porta-voz do Departamento de Defesa disse que o país está também avaliando aviões de reconhecimento e de transporte médio de outros países europeus, a um custo menor.

“Como finalista está o avião da Indonésia,” disse Galvez, mas acrescentou que eles também estão de olho em aviões espiões fabricados por outras empresas europeias.

Assim que o presidente Aquino aprovar a aquisição planejada, os aviões serão rapidamente adquiridos visando reforçar a consciência do país no domínio marítimo.

Durante muito tempo, as Forças Armadas das Filipinas tiveram que se basear principalmente num pequeno número de aviões Islander para as suas necessidades de patrulha marítima e territorial.

“O avião de patrulha de longo alcance seria dedicado exclusivamente à realização de vigilância marítima,” disse Galvez, sem citar o avião fabricado na Indonésia.

Além das suas capacidades de vigilância marítima de longo alcance, a aeronave CN-235 pode também ser utilizada como um avião de transporte militar. O maior usuário é a Turquia, com 61 aeronaves.

O avião de vigilância possui dois tripulantes (piloto e co-piloto), e pode transportar 44 passageiros e uma carga útil de 13.120 libras com uma velocidade de cruzeiro de 454 quilômetros por hora, e tem uma autonomia de 2.730 milhas náuticas.

Também está sendo considerado o C-27J Spartan da Itália, um avião de transporte médio.

Anteriormente, o Departamento de Defesa anunciou que está também planejando adquirir um esquadrão de jatos de treinamento avançado T-50 da Coréia do Sul para reforçar sua defesa territorial.

Fonte: Philstar – Tradução e Adaptação do Texto: Cavok

Enhanced by Zemanta

Airbus Military entrega o primeiro avião de patrulha marítima C212 para Polícia Marítima do Vietnã

0
Os tripulantes da Airbus Military sendo recepcionados por oficiais da Polícia Marítima do Vietnã. (Foto: Airbus Military)

A Airbus Military entregou ao Vietnã a primeira de três aeronaves de patrulha marítima C212-400 encomendadas pela Polícia Marítima do Vietnã.

A aeronave, fabricada em Sevilha, Espanha, foi entregue em Gia Lam (Hanoi), no final de um vôo de translado de 10 dias que partiu de Skavsta, Suécia, após a instalação de seu sistema de missão. Ele foi formalmente entregue no ano passado, antes do trabalho de conversão na Suécia.

O voo de translado, comandado pelo piloto capitão Alejandro Grande apoiada por dois co-pilotos, dois engenheiros de vôo e um representante técnico, fez escalasem: Kosice, na Eslováquia; Sitia, Grécia; Luxor, Egito; Riyadh, Arábia Saudita; Muscat, Oman; Ahmedabad e Kolkata, na Índia; e Chiang Mai, na Tailândia, antes de chegar em Hanói.

As três aeronaves serão utilizadas para uma variedade de missões, incluindo patrulha costeira, busca e salvamento, operações de combate à poluição, e aplicação da lei contra o tráfico de bens ou pessoas.

Uma segunda aeronave está em processo de conversão na Suécia e a terceira será transferido de Sevilha até ao final do ano.

Um total de 478 aeronaves C212s foram encomendados por operadores em 42 países em todo o mundo.

Enhanced by Zemanta

Acidente com jato de treinamento C-101 Aviojet da Força Aérea da Espanha

0
Uma aeronave de treinamento a jato CASA C-10EB caiu nessa quinta-feira na Espanha. (Foto: Alex Beltyukov / RuSpotters Team)

O Ministério da Defesa informou hoje que um avião CASA C-101EB Aviojet da Força Aérea da Espanha (Ejército del Aire) caiu durante uma missão de treinamento num campo a nordeste da capital, matando as duas pessoas a bordo. O jato de treinamento caiu num campo em Alcala de Henares, uma cidade a 30 km (20 milhas) a nordeste de Madrid.

A bordo da aeronave estavam um instrutor de vôo e um aluno do 4º ano, que realizavam um voo de treinamento entre Madri e a Base Aérea de San Javier, em Murcia.

A causa do acidente não foi imediatamente conhecida. A Força Aérea abriu um inquérito para determinar as causas do acidente.

C-101 é uma aeronave construída pela CASA, cujas missões são o treinamento básico e o aperfeiçoamento do seu pessoal. A aeronave estava atualmente a serviço da Academia Aérea Geral (AGA) de San Javier (Murcia), no Grupo de Escolas Matacán (GRUEMA) de Salamanca e pelo Centro de Logística para Armamento e Experimentação (CLAEX) Torrejón (Madri).

O ministério não deu maiores detalhes sobre o acidente.

Resultado Cavok Foto Quiz 28-2 – CASA C-101 Aviojet (A-36 Halcón)

17
A aeronave de ataque leve e treinamento CASA C-101 Aviojet (A-36 Halcón) da Força Aérea do Chile. (Foto: Fernando Valduga / Cavok)

Vamos ao resultado! A resposta para essa semana é o jato de treinamento e ataque leve CASA C-101 Aviojet, desenvolvida na metade da década de 1970 para uma requisição da Força Aérea da Espanha. O jato, que recebeu uma encomenda de 88 unidades pela Espanha, entrou em serviço operacional em 1980, e atualmente equipa a equipe de demosntração aérea da Força Aérea da Espanha, a Patrulla Aguila. Além da Espanha, outras três força aéreas utilizam o C-101 Aviojet: Jordânia, Honduras e Chile. Na Fuerza Aerea de Chile, a aeronave é conhecida como A-36 Halcón, que encomendou 22 unidades em 1985, com novos motores e melhorias feitas pela empresa chilena Enaer. Dentre as melhorias, novos aviônicos e a capacidade de levar mísseis Maverick. Foram fabricadas 166 aeronaves C-101, e todas elas estão em operação nas quatro forças aéreas. Parabéns aos vencedores, e acho que agora a competição desempatou um pouco…

EADS North America entrega a segunda aeronave CN235 de patrulha marítima para a Marinha do México

0
A Marinha Mexicana recebeu a segunda aeronave EADS CN235-300 MPA através de um contrato FMS com os Estados Unidos.

A EADS North America entregou a segunda de quatro aeronaves Airbus Military CN235-300 MPA (Maritime Patrol Aircraft), a ser fornecidas para a Marinha mexicana. O contrato de Venda Militar Estrangeira (FMS) assinado entre os governos para as aeronaves é gerido pela Guarda Costeira dos EUA, que usa o CN235-300 na configuração HC-144A Ocean Sentry para missões que vão de busca e salvamento até interdição de drogas. A primeira aeronave foi entregue em novembro de 2011.

Em janeiro desse ano, a EADS North America entregou o seu 13º HC-144A Ocean Sentry para a Guarda Costeira dos EUA, dois meses antes do previsto. O serviço pretende adquirir um total de 36 dos bimotores turboélices.

O México é o primeiro cliente de vendas militares externas dos EUA para a família de aeronaves de transporte aéreo tático CN235, sendo que mais de 250 dos quais já estão em operação por 27 países. A EADS North America também está fornecendo peças sobressalentes, equipamentos de treinamento no solo relacionados à aeronave da Marinha mexicana.

“O HC-144A está desempenhando um papel vital na proteção de nossa nação com a Guarda Costeira dos EUA, e estamos orgulhosos de servir os interesses nacionais do nosso país através do apoio à Marinha do México com uma capacidade igualmente importante”, disse Sean O’Keefe , Presidente e CEO da EADS North America.

Os CN235-300 MPAs melhoram a capacidade do México para apoiar a Iniciativa Mérida, um acordo de segurança cooperativa entre os EUA, México e países da América Central. As missões da nova aeronave incluem segurança interna, busca e salvamento, prontidão militar, transporte de pessoal e carga, interdição de drogas e proteção do meio ambiente marítimo.

Resultado Cavok Foto Quiz 25-2 – EADS CASA C-295

17
A aeronave EADS CASA C-295 (C-105A) Amazonas da Força Aérea Brasileira. (Foto: Newman Homrich / Cavok))

Parabéns aos acertadores que descobriram que a aeronave deste final de semana era o EADS CASA C-295, conhecido no Brasil como C-105 Amazonas. A aeronave de transporte militar, com dois motores turboélices PW127G, foi desenvolvida a partir do avião C-235 também da fabricante espanhola CASA, do grupo europeu EADS. Com 50% a mais de capacidade de carga numa fuselagem esticada, o C-295 fez seu primeiro voo em 1998, e recebeu de imediato um pedido da Força Aérea da Espanha, onde foi integrado em 2001. Até setembro de 2011, 78 aeronaves já haviam sido fabricadas na unidade da EADS localizada no Aeroporto de San Pablo, em Sevilha, Espanha, com mais de 90 unidades já encomendadas. Duas versões adicionais foram criadas, a C-295MPA (Persuader) de patrulha marítima e guerra anti-submarina e a nova versão C-295 AEW&C, com a antena localizada num radome sobre a fuselagem. No Brasil, a Força Aérea Brasileira recebeu 12 unidades do C-295 (designado C-105A Amazonas), visando substituir as antigas aeronaves C-115 Buffalo. Até o próximo final de semana.

FAB recebe terceira aeronave P-3AM Orion

29
A FAB recebeu a terceira aeronave P-3AM Orion para as missões de patrulha marítima. (Foto: EADS CASA / FAB)

A equipe do Grupo de Acompanhamento e Controle na Empresa EADS-CASA (GAC-CASA) recebeu, em Sevilha, Espanha, a terceira aeronave P-3AM do contrato de modernização assinado pelo Comando da Aeronáutica por meio da Comissão Coordenadora para o Programa da Aeronave de Combate (COPAC). O FAB 7200 (P-3A – Orion Modernizado) foi trasladado ao Brasil pela tripulação do 1º Esquadrão do 7º Grupo de Aviação (1º/7º GAv – Esquadrão Orungan), que irá operá-lo na proteção do litoral brasileiro, da Amazônia Azul e de seus recursos naturais. A aeronave chegou a Salvador (BA), sede do esquadrão, no dia 11 de fevereiro.

O P-3AM Orion devolve à Força Aérea Brasileira a capacidade de detectar, localizar, identificar e, se necessário, afundar submarinos. É o que o jargão militar chama de guerra antissubmarina (ASW, na sigla em inglês). A Aviação de Patrulha não realizava missões ASW desde a desativação do P-16 Tracker, em1996. Os atuais P-95 “Bandeirulha”, aeronaves menores e com diferenças operacionais, não oferecem essa possibilidade.

Além da capacidade ASW, o P-3AM também carrega armamentos como os mísseis Harpoon, capazes de afundar navios de guerra além do alcance visual. Com quatro motores, a aeronave tem grande autonomia, podendo permanecer em voo durante 16 horas – isso equivale a uma viagem de Recife a Madri sem escalas. Os sensores eletrônicos embarcados na aeronave são os mais modernos que existem. Tudo isso confere ao P-3AM a capacidade estratégica de vigilância marítima de longo alcance.

O P-3AM assumirá um papel determinante nas missões de busca e salvamento. Por força da Convenção de Chicago, assinada com a Organização de Aviação Civil Internacional (OACI), o Brasil é responsável pela busca e salvamento de aeronaves e navios numa área de mais de 6 milhões de km² (praticamente todo o Atlântico Sul).

A nova aeronave também ajudará na defesa do meio ambiente, identificando responsáveis por derramamento de óleo, tanto acidentais quanto provocados. Os sensores do P-3AM conseguem identificar os rastros na superfície do mar e, desta forma, rastrear a embarcação, mesmo muitas horas depois da abertura dos tanques. Outra atividade ilegal que a aeronave certamente poderá combater é a pesca na Zona Econômica Exclusiva do Brasil, uma faixa de 370 quilômetros a partir da costa brasileira. As embarcações estrangeiras que praticarem a pesca nessa área também poderão receber multas.

Fonte: COPAC/ Agência Força Aérea

Airbus entrega o 13° HC-144A Ocean Sentry para a Guarda Costeira dos EUA

0
A Airbus Military entregou a 13ª aeronave HC-144A Ocean Sentry para a Guarda Costeira dos EUA. (Foto: Airbus Military)

A Airbus Militar, através da subsidiária EADS North America, entregou o 13º avião de patrulha marítima HC-144A Ocean Sentry para a Guarda Costeira dos EUA, a partir de sua linha de montagem final em Sevilha, Espanha, dois meses antes da data de entrega contratual.

O Ocean Sentry é a substituição da frota de antigos jatos HU-25 Guardian da Guarda Costeira e alguns mais velhos aviões HC-130H, e tem estado em serviço numa grande variedade de missões desde que atingiram a capacidade operacional inicial com a Guarda Costeira em 2008. No início deste mês, um HC-144 Ocean Setnry localizou os tripulantes de um avião privado que tinha caído em águas fora da costa de Andros, nas Bahamas, e prestou apoio para um resgate bem sucedido dos dois passageiros por helicóptero da Guarda Costeira.

O HC-144A pode permanecer no ar por mais de nove horas, em comparação com as apenas quatro horas do jato HU-25 que está substituindo. A Airbus Military oferece o Ocean Sentry equipado com um radar de busca, câmeras eletro-ópticas e infravermelhas, um sistema de identificação automática para a coleta de dados a partir de embarcações no mar, e uma suite de comunicações.

Esta é a segunda entrega de Ocean Sentry através de um contrato assinado em 2010, que ainda deve entregar um 14° exemplar em meados de 2012 e inclui opções restantes para até cinco aeronaves. A Guarda Costeira exerceu uma opção para a 15ª aeronave em agosto de 2011. Os planos da Guarda Costeira são para a aquisição de um total de 36 aeronaves HC-144A Ocean Sentry.

O HC-144A é baseado no avião de transporte aéreo militar tático Airbus Military CN235, com mais de 250 dos quais já estando operacionais em 27 países.

Força Aérea Francesa recebe seus dois primeiros novos aviões CN235s

7
As duas novas aeronaves CN235-300 durante chegada na Base Aérea de Creil-Senlis, na França. (Foto: Armée de L'Air)

A entrega dos primeiros dois aviões de transporte Airbus Military CN235-300 para a Armée de l’Air (Força Aérea Francesa) ocorreu na tarde de 06 de janeiro, quando chegaram a Base Aérea 110 Creil-Senlis, França, depois de terem decolado da fábrica no Aeroporto San Pablo, Sevilha, Espanha. Eles haviam sido entreues no dia anterior, no entanto, o mau tempo atrasou a sua partida.

Uma das duas novas aeronaves CN235-300s, de um lote de oito encomendadas, taxia na Base Aérea de Creil-Senlis, na França, no dia 6 de janeiro, após ser transladada desde Sevilha, Espanha. (Foto: Armée de l'Air)

Eles vão ser integrados no Escadron de Transport 3/62 “Ventoux”, cujos pilotos realizaram o vôo de translado de Sevilha para Creil. A Armée de l’Air já tem uma frota de modelos mais antigos CN-235-200, dos quais 20 foram entregues desde fevereiro de 1991, e com uma dessas aeronaves perdida em acidente no dia 17 de dezembro de 2003.

D

No total, a França encomendou 8 aeronaves CN235-300 até a chegada dos novos A400M. (Foto: Armée de L'Air)

evido aos atrasos nas entregas do A400M, a França anunciou no dia 12 de abril de 2010, que tinha encomendado oito novos aviões CN235-300 para agir como tapa-buracos. A primeira aeronave foi oficialmente entregue a agência francesa de compras militares, a Direction Générale de l’Armement (DGA), no dia 17 de novembro de 2011. Todas as oito aeronaves estão programadas para entrar de serviço até o final de abril de 2013.

EADS CASA vai realizar revisão em três aeronaves de caça F-18 Hornet da Força Aérea da Espanha

25
Um caça EF-18A Hornet (C-15) da Força Aérea da Espanha. (Foto: Pablo Blanco)

A companhia aeroespacial EADS-CASA recebeu um contrato de manutenção (Lote 4) avaliado em 3,9 milhões de euros para três caças EF-18 Hornet, designados C-15 na Força Aérea espanhola.

O contrato, negociado sem publicidade, está definido dentro de dois anos. Para 2011, a quantidade é de 3,7 milhões de euros e para 2012 de 200 mil euros.

O Comando de Apoio Logístico da Força Aérea da Espanha aceitou o trabalho no dia 02 de dezembro e definiu que o contrato deve ser encerrado no dia 30 de novembro de 2012.

O programa salienta que os técnicos da EADS-CASA terão que apontar um relatório de defeitos nas três aeronaves e proceder à sua correção.

Fabricado pela McDonnell Douglas nos EUA, depois Boeing, o F-18 entrou em serviço na Força Aérea Espanhola em novembro de 1996 e estão servindo nas alas 46, 12 e 15, bem como no Centro de Logística de Armamento e Experimentação. A última missão internacional em que participaram foi na zona de exclusão aérea sobre a Líbia.

Fonte: Infodefensa – Tradução: Cavok

Airbus Military entrega sexta aeronave C295 para Força Aérea do México

1
A sexta aeronave C295 para a Força Aérea Mexicana, matrícula 3206, vista no dia 2 de dezembro antes de ser entregue. (Foto: Airbus Military)

A Airbus Military anunciou no dia 12 de dezembro que a Força Aérea Mexicana recebeu uma nova aeronave C295 que havia sido encomendada à Airbus Military. Esta encomenda é adicional as cinco aeronaves C295s entregues no ano passado e que a Secretaria de Defesa Mexicana já opera.

A principal utilização da aeronave será de transporte de tropas e pára-quedistas. Ela também pode ser facilmente configurada para evacuação médica (MEDEVAC) ou pode transportar até nove toneladas de carga paletizadas ou a granel.

As capacidades da aeronave C295 a tornam ideal para missões militares, tanto táticas como logísticas, bem como para missões cívicas/humanitárias em que as suas habilidades de decolagens e pousos curtos (STOL) são essenciais para fornecer acesso a locais remotos.

“Quando um cliente retorna, é devido à alta qualidade do produto. Estamos orgulhosos ao fornecer a Força Aérea Mexicana um novo C295 para continuar a cumprir os requisitos mais exigentes da Secretaria da Defesa do México”, disse o chefe de programas da Airbus Military, Rafael Tentor.

A Força Aérea, a Marinha e a Polícia Federal do México tem adquirido produtos de toda a família de aeronaves leves e médias da Airbus Military, incluindo: dez C295 (incluindo esta última entrega), sete CN235 (seis deles na versão de patrulha marítima), e dez C212 (oito deles no versão de patrulha marítima).

Até o momento, a Airbus Military vendeu 86 aeronaves C295 para 14 operadores diferentes.

Airbus começa a entregar as oito aeronaves CN235 adicionais para Força Aérea da França

0
A primeira das oito aeronaves CN235 adicionais para a Força Aérea da França, a 193 '62-HA', foi entregue para DGA da França. (Foto: Airbus Military)

A Airbus Militar anunciou no dia 5 de dezembro que o Centro de Testes de Vôo da Direction Générale de l’Armamento (DGA), parte do Ministério da Defesa da França, recebeu a primeira das oito aeronaves de transporte aéreo médio CN235 encomendadas pela DGA francesa no ano passado. Estas oito aeronaves adicionais serão operadas pela Força Aérea Francesa, junto com os 19 exemplares que já estão em serviço. O último dos sete aviões restantes encomendados será entregue até o final de 2012. As aeronaves serão operadas pela Escadron de Transport 62 em Creil-Senlis.

O CN235 pode transportar até seis toneladas de carga e sua cabine pode ser rapidamente e facilmente reconfigurada para diferentes missões de transporte: soldados, pára-quedistas, evacuação médica, carga, ou uma configuração mista de carga e tropas. Incorpora ainda um sistema especializado de carregamento para cargas paletizadas.

A Airbus Military destaca a flexibilidade e a confiabilidade do CN235, que tornou o modelo uma ferramenta ideal para a Força Aérea Francesa na realização das missões militares tradicionais e cívicas para o benefício da sociedade. Seu desempenho de decolagem e pouso curtos (STOL) e sua capacidade em operar em pistas despreparados e semi-preparadas permitem que o CN235 possa operar mais próximo do teatro de operações junto com outras aeronaves. Isso é muitas vezes crucial quando o CN235 é usado para o transporte de ajuda humanitária após um desastre natural, permitindo a rápida entrega de suprimentos mais perto de onde eles são necessários.

“Estamos muito orgulhosos que a Força Aérea Francesa confiou mais uma vez na Airbus Military e na sua gama de produtos para reforçar a sua frota. Os oito aviões CN235 encomendados da França incorporam as mais recentes tecnologias e sistemas para garantir o melhor desempenho nas missões que irão realizar após a sua entrada em serviço”, disse o chefe de programas da Airbus Military, Rafael Tentor.

A Força Aérea Francesa já opera 19 aeronaves CN235. O Centre d’Essais en Vol do Governo francês também opera três Airbus Military C212s. Até o momento, a Airbus Military já vendeu 211 aeronaves CN235 para 32 diferentes operadores.

Aeronave CN-235 do Corpo Aéreo Irlandês ultrapassa a marca de 30.000 horas de voo

1
A aeronave CN-235 'C-252' do Corpo Aéreo da Irlanda.

O Corpo Aéreo Irlandês atingiu um marco nesta semana com uma de suas duas aeronaves de proteção marítima CASA CN-235MPA completando 30 mil horas de vôo. A Força Aérea opera duas aeronaves CASA CN-235 de patrulha marítima, com os callsigns “Charlie-252” e “Charlie-253”, que entraram em serviço em 1994. A aeronave ‘Charlie 252’, que está ligada ao Esquadrão 101, completou 30 mil horas de vôo desde que entrou em serviço por primeiro.

Trabalhando em estreita colaboração com o Serviço Naval, os dois turboélices CN-235 do Corpo Aéreo Irlandês fornecem uma plataforma aérea de patrulha para a Zona Econômica irlandesa, uma área de aproximadamente 132.000 milhas quadradas ou 16% do total das pescas marítimas da União Europeia. Isso por si só representa uma área quase cinco vezes a área de terra da Irlanda.

As aeronaves CASA operam sete dias por semana, durante todo o ano, principalmente na arena de patrulha marítima, mas também são implantados em papéis de patrulha costeira, bem como de ambulância aérea e nas operações de Busca e Salvamento (SAR). As aeronaves também são utilizadas para o transporte e operações militares de paraquedismo.

No papel crucial de apoio nas missões de SAR, as equipes dos aviões CASA fazem uma ponte de comunicações meteorológicas, operacionais e de informação para os helicópteros de resgate da Guarda Costeira da Irlanda (IRCG) quando eles estão muito longe de terra ou muito baixo para se comunicar com os Centros de Coordenação de Resgate Marinho.

As aeronaves CN-235 já estiveram envolvidas em mais de uma dúzia de missões de apoio de resgate até agora neste ano.

Em setembro, a aeronave Charlie-252 apoiou os serviços de resgate do Reino Unido numa missão em alto-mar no sudoeste da Irlanda. Um membro da tripulação a bordo de um navio de carga sofreu lesões no pescoço depois de uma queda e teve que ser levado de helicóptero para o hospital.

A aeronave CASA do Corpo Aéreo Irlandês foi a primeira a chegar ao local e então fez a ponte de comunicações e apoio para os tripulantes do MV London Express e do helicóptero de resgate Sea King 169 da RAF durante a operação.

Em outro pedaço de história do Corpo Aéreo Irlandês, em agosto do ano passado, enquanto ambos os aviões estavam em manutenção na Espanha, e estavam fora de serviço, um Learjet do Governo irlandês, também operado pelo Corpo Aéreo da Irlanda, foi destacado no papel de apoio aéreo, quando foi enviado para auxiliar o helicóptero de resgate Shannon numa missão MEDEVAC na costa Clare.

Fonte: The Clare Herald – Tradução: Cavok

Força Aérea de Gana recebe sua primeira aeronaves C295

0
A primeira aeronave C295 entregue pela Airbus para a Força Aérea de Gana. (Foto: Airbus Military)

O Força Aérea de Gana recebeu a sua primeira aeronave de transporte C295, de duas que foram encomendadas da Airbus Military. A segunda aeronave será entregue no primeiro trimestre de 2012.

A aeronave está qualificada para o transporte de tropas, tropas pára-quedistas, evacuação médica, e cargas paletizadas e a granel, para o qual está equipado com um sistema de carregamento paletizado.

Vai ser usada principalmente para o transporte interno e também vai desempenhar um papel importante em missões de ajuda humanitária. Suas capacidades de decolagem e pouso em distâncias curtas (STOL) e em pistas semi-preparadas irá fornecer para Força Aérea de Gana um acesso a locais remotos que não eram acessíveis anteriormente.

Este C295 é o primeiro produto da Airbus Military que a Força Aérea de Gana irá operar. Até o momento, a Airbus Military vendeu 85 aeronaves C295 para 14 operadores diferentes.

Cavok nas redes sociais

62,542FãsCurtir
340Inscritos+1
6,547SeguidoresSeguir
2,505SeguidoresSeguir
10,510SeguidoresSeguir
2,780InscritosInscrever
Anúncios