Saab

fiqueemcasa

Inicio Tags DCTA

Tag: DCTA

BRASIL: FAB e Avibras assinam Contrato de Transferência de Tecnologia do Foguete Espacial VSB-30

1

O Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), localizado em São José dos Campos (SP), e a Avibras Indústria Aeroespacial S/A assinaram, n segunda-feira (27/01), o Contrato de Transferência de Tecnologia do Foguete Espacial VSB-30.

Anúncios

FAB: Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial assina acordo com a Suécia

0
O acordo é para a pesquisa da interface homem-máquina relacionada a área de fator humano.

O Diretor-Geral do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), Tenente-Brigadeiro do Ar Luiz Fernando de Aguiar, assinou, no início de outubro, um ajuste de implementação baseado no acordo de cooperação firmado entre o Brasil e a Suécia em matéria de defesa.

FAB: Workshop do DCTA discute atividades do KC-390 em 2018

0
A previsão é que a primeira aeronave seja entregue ainda este ano. (Foto: Bruno Orofino / Cavok)

O Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) sediou, em São José dos Campos (SP), o 120 Workshop de Desenvolvimento e Certificação do Projeto KC-390. Durante o evento, realizado em março, foram discutidos apoios governamentais, previstos em contrato, que o Ministério da Defesa fornecerá à Embraer para a realização das Campanhas de Ensaio no ano de 2018.

FAB: Operação do DCTA analisa desempenho da aeronave C-95 Bandeirante

7
Operação do DCTA irá aprimorar o manual de voo da aeronave Bandeirante.

Com o objetivo de atualizar os gráficos de desempenho em subida da aeronave C-95 na configuração de decolagem e aprimorar seu manual de voo, o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) ativou a Operação Bandeirante. Sob a coordenação geral do Major Aviador Clóvis Martins de Souza, os estudos, iniciados em fevereiro deste ano, foram divididos em três fases com voos nas áreas de ensaio de São José dos Campos (SP) e contou com o apoio de uma aeronave cedida pelo 1º/ 5º GAV, sediado em Natal, e outra do 1º ETA, localizado em Belém.

FAB e Embraer realizam testes de segurança no A-29 Super Tucano

2
O objetivo é verificar a vida úitl da aeronave que há quatro anos é operada pela Esquadrilha da Fumaça.

A Força Aérea Brasileira (FAB) e a EMBRAER realizam testes de segurança na aeronave de número 7 do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), conhecido como Esquadrilha da Fumaça. O objetivo é acompanhar e monitorar o perfil de voo do A-29 que atua na posição Isolado. Participam da campanha de ensaios os seguintes órgãos da FAB: Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo (IPEV), Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) e Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI), do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), além de engenheiros da EMBRAER.

Protótipo do Bandeirante é removido para restauro no DCTA em São José dos Campos (SP)

2
Frequentadores do Parque Santos observam retirada do avião Bandeirante
para revitalização no DCTA. (Foto: Claudio Vieira / PMSJC)

A prefeitura de São José dos Campos retirou no sábado (29) o protótipo do avião Bandeirante do Parque Santos Dumont, na região central da cidade, em uma operação que durou cinco horas. A retirada do avião foi realizada pelas secretarias de Manutenção da Cidade e de Mobilidade Urbana, com o apoio de ex-funcionários da Embraer e alunos do Cephas. O mutirão contou com a participação de 28 pessoas e foi acompanhado por munícipes que frequentam o Parque Santos Dumont.

Brasil poderá ter acesso a sinal de GPS militar

10
GPS militar confere precisão e confiabilidade às missões aéreas.

O sucesso das operações aéreas militares em tempos modernos envolve dois conceitos em sistema GPS: localização precisa e proteção às informações. Esse é o tema de um estudo conduzido por cerca de três anos no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em São José dos Campos (SP).

Instituto de Pesquisa e Ensaios em Voo utiliza Xavante durante curso

10
A aeronave Xavante do IPEV usada para testes de voo junto ao DCTA. (Foto: Carlos Santos)
A aeronave Xavante usada para testes de voo com o IPEV em São José dos Campos. (Foto: Carlos Santos)

Quem mora perto do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), em São José dos Campos (SP), provavelmente percebeu um ruído diferente na manhã desta quinta-feira (28/02). Nas próximas três semanas, alunos e instrutores do Instituto de Pesquisa em Voo (IPEV), subordinado ao DCTA, estarão envolvidos na calibração anemométrica, atividade que inclui voos rasantes com a aeronave Xavante. A atividade faz parte da grade curricular do Curso de Ensaios em Voo do IPEV.

O Capitão Castilho e o Coronel Silva, pilotos que estão encarregados dos testes com a aeronave Xavante. (Foto: Carlos Santos)
O Capitão Castilho e o Coronel Silva, pilotos que estão encarregados dos testes com a aeronave Xavante. (Foto: Carlos Santos)

Nessa etapa do curso, é realizado um conjunto de testes nos sensores da aeronave para verificar se estão em pleno funcionamento. Assim, os pilotos fazem passagens com variadas velocidades e altitudes. Neste momento, os instrutores da própria aeronave verificam fatores como angulagem, pressão, temperatura, velocidade e altura. Em solo, estão engenheiros e instrumentadores fazendo as mesmas medições e comparando, em tempo real, os dados obtidos a partir da aeronave. Quando há discrepância, é sinal de que os equipamentos da aeronave precisam ser calibrados.

Durante o teste foram realizadas 12 passagens, sem pouso, entre 7h30 e 9h. De acordo com o Capitão Diogo Castilho, copiloto da aeronave, estes testes precisam ser realizados sempre no início da manhã, devido às condições climáticas. Nesta hora há menos turbulência e ventos fortes. “As aulas do Curso de Ensaios em Voo iniciaram há três semanas, mas a calibração é que vai fornecer os pilares de conhecimento que serão utilizados até o final do curso”, explica o aviador.

Curso de Ensaios em Voo

A aeronave Xavante vai permencer durante três semanas voando sobre São José dos Campos. (Foto: Carlos Santos)
A aeronave Xavante vai permencer durante três semanas voando sobre São José dos Campos. (Foto: Carlos Santos)

O Curso tem duração de, aproximadamente, onze meses, e as modalidades de asa rotativa (helicóptero) e asa fixa (avião) são intercaladas a cada ano. Neste ano o curso é de asa fixa, e é por isso que está sendo utilizado o Xavante – o IPEV, inclusive, é a única organização da FAB que voa com esta aeronave. Os profissionais especialistas em ensaios em voo estão envolvidos nas aquisições e modernizações de aeronaves, além de serem responsáveis pelos sistemas embarcados – que podem ser desde um instrumento de navegação até um armamento. Apenas seis instituições, no mundo, formam este tipo de mão de obra e a única que está no hemisfério sul é o IPEV.

Fonte: ACS/DCTA

Enhanced by Zemanta

Instituto de Aeronáutica e Espaço do DCTA realiza ensaios do Projeto DPA-VANT

17
O  DPA 3 sendo preparado para o ensaio no CTA.(Foto: Cap QEM Eduardo Bento Guerra / CTEx)
O DPA 3 sendo preparado para o ensaio no CTA.
(Foto: Cap QEM Eduardo Bento Guerra / CTEx)

O Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE), do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), realizou ensaios do Projeto DPA-VANT, com corrida no solo de protótipos do VANT Acauã. O objetivo principal dos ensaios foi a aquisição de dados para identificação de parâmetros para o controle automático da aeronave no solo. Também foram verificadas a nova configuração das plataformas de voo (sistema elétrico e barramento de dados CAN-Aerospace) e a instalação de novos equipamentos, como DGPS (GPS Diferencial) e laser altímetro.

A equipe preparando o VANT Acauã para os testes de corrida de táxi no solo. (Foto: Cap QEM Eduardo Bento Guerra / CTEx)
A equipe preparando o VANT Acauã para os testes de corrida de táxi no solo. (Foto: Cap QEM Eduardo Bento Guerra / CTEx)

O Projeto DPA-VANT tem como objetivo o desenvolvimento de um demonstrador de tecnologia de um Sistema de Decolagem e Pouso Automáticos (DPA) para Veículos Aéreos Não Tripulados (VANT). O projeto é coordenado pelo IAE e conta com a participação do Centro Tecnológico do Exército (CTEx) e do Instituto de Pesquisas da Marinha (IPqM). É apoiado pela Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (FUNDEP), com recursos financeiros da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP).

A equipe de ensaio do programa DPE2. (Foto: SO BFT João Batista de Lima / IAE)
A equipe de ensaio do programa DPE. (Foto: SO BFT João Batista de Lima / IAE)

O Projeto DPA-VANT utiliza o Sistema de Navegação e Controle desenvolvido no Projeto VANT, que inclui as funções de piloto automático, navegação autônoma e retorno à base em caso de perda de link de comunicações. O Projeto VANT foi concluído com sucesso, em junho de 2010, após a realização de 59 voos de ensaio na área da Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga/SP. Como plataforma de ensaio é utilizado o VANT Acauã, construído pelo DCTA, com 5 m de envergadura e 150 kg de peso máximo.

O VANT Acauã antes de iniciar os testes de corrida de táxi a noite. (Foto: SO BFT João Batista de Lima / IAE)
O VANT Acauã antes de iniciar os testes de corrida de táxi a noite. (Foto: SO BFT João Batista de Lima / IAE)

Nos ensaios foram realizadas nove corridas com sucesso, com velocidades estabilizadas entre 10 e 60 km/h. Os principais itens analisados foram a atuação da bequilha, a eficiência do sistema de freios e a aceleração lateral da aeronave. Cerca de 30 pessoas participaram dos ensaios, incluindo integrantes do IAE, CTEx, DTCEA-SJ e INFRAERO.

O VANT durante corrida de táxi na pista do CTA. (Foto: SO BFT João Batista de Lima / IAE)
O VANT durante corrida de táxi na pista do CTA. (Foto: SO BFT João Batista de Lima / IAE)

Segundo o Engenheiro Flavio Araripe d’Oliveira, Coordenador do Projeto DPA-VANT, os dados obtidos nos ensaios possibilitarão que em 2013 sejam realizados ensaios em voo com decolagem e pouso comandados pelo piloto automático do VANT Acauã. As tecnologias pesquisadas nesse projeto poderão ser incorporadas em futuros VANT operacionais a serem supridos pela indústria nacional, como o VANT Falcão, em desenvolvimento pela AVIBRAS.

Fonte: IAE

Agradecemos as contribuições até o momento. Graças à colaboração de algumas pessoas estamos conseguindo manter o site no ar, pois o valor necessário para manter o Cavok no ar é alto. Continuamos pedindo a ajuda de todos com as contribuições, que podem ser de qualquer valor. Se cada um ajudar um pouco, poderemos assim manter esse local como o melhor site de aviação do Brasil. Continuamos também lutando para conseguir um patrocínio, que ajudaria bastante nas despesas mensais do site. Para contribuir, utilize as formas de pagamento online abaixo ou nos botões localizados na barra lateral. Quem quiser também poderá doar através de depósito na conta corrente: Banco do Brasil – Agência: 0181-3 – C/C: 12.742-6 – Favorecido: Fernando Valduga. Desde já meu muito obrigado!




Enhanced by Zemanta

IMAGENS: FAB realiza lançamento de bombas guiadas a laser

22
A Força Aérea Brasileira realizou o primeiro teste de lançamento de bomba guiada a laser com uma aeronave A-1. (Foto: DCTA)

A Força Aérea Brasileira realizou nesta terça-feira (1/5) o primeiro lançamento de bomba guiada a laser no estande de tiro de Saicã, a 110 km da cidade de Santa Maria (RS), tendo o A-1 (AM-X) como aeronave plataforma.

Os testes fazem parte do programa de certificação do emprego de armas guiadas a laser realizado pela FAB em Santa Maria. (Foto: DCTA)

O lançamento faz parte da campanha de certificação das configurações armadas do A-1 com bombas guiadas a laser no Brasil. O kit de guiamento laser é instalado em diversas bombas de fins gerais (BAFG). A partir da instalação dos kits, a BAFG passa a ter uma excelente precisão.

Os voos são realizados com uma aeronave A-1, nas configurações armadas definidas pelo Estado Maior da Aeronáutica (EMAER) e serão utilizados para o processo de modernização das aeronaves (projeto A-1M), em execução pela EMBRAER.

Os testes estão todos sendo realizados no estande de tiro de Saicã, em Santa Maria. (Foto: DCTA)

A Operação Poker é coordenada pelo Departamento de Ciência e Tecnologia da Aeronáutica (DCTA), com a participação do Instituto de Pesquisas e Ensaios em Voo (IPEV), Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI), Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE).

As empresas AEL e Rafael também participam dos testes com as bombas guiadas a laser. (Foto: DCTA)

Além do DCTA, participam da campanha os Esquadrões 1º/10º GAv, 3º/10º GAv, 1º/12º GAv, com o suporte da Base Aérea de Santa Maria (BASM), do Parque de Material Bélico (PAMB) e das empresas Aeroeletrônica e Rafael. Os voos de certificação continuarão até 10 de maio na cidade de Santa Maria (RS).

Fonte: DCTA

Cavok nas redes sociais

62,518FãsCurtir
340Inscritos+1
6,528SeguidoresSeguir
2,505SeguidoresSeguir
10,510SeguidoresSeguir
2,780InscritosInscrever
Anúncios