Saab

Inicio Tags ETA

Tag: ETA

FAB: Veja como foi o treinamento dos esquadrões de transporte no Exercício Tápio

1
Aviação de Transporte, cuja data é celebrada no dia 12 de junho, realizou transporte aéreo logístico, lançamento de cargas e mobilização e desmobilização de tropas durante o exercício. (Foto: Sgt. Simo / Agência Força Aérea)

A Aviação de Transporte, cuja data é celebrada no dia 12 de junho, participou do Exercício Operacional (EXOP) Tápio, realizado na Ala 5, em Campo Grande (MS), executando transporte aéreo logístico, mobilização e desmobilização de tropas, assalto aeroterrestre com introdução de paraquedistas em áreas de interesse, além do lançamento de cargas.

Anúncios

FAB realiza nove transportes de órgãos para transplante neste mês

12
Somente entre a noite desta terça (21) e a madrugada desta quarta (20) ocorreram dois acionamentos. (Foto: Agência Força Aérea)
Somente entre a noite desta terça (21) e a madrugada desta quarta (20) ocorreram dois acionamentos. (Foto: Agência Força Aérea)

Uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) realizou na manhã desta quarta-feira (22/06) o transporte de um coração de Navegantes (SC) para Curitiba (PR). A receptora, uma senhora de 62 anos, entrou na lista de espera da Central Nacional de Transplantes (CNT) há cinco dias. A situação era de urgência. A paciente estava internada na UTI por causa de choque cardiogênico (insuficiência de irrigação sanguínea). O problema do coração havia afetado também os rins.

Quarto Esquadrão de Transporte Aéreo da FAB recebe sua primeira aviadora

1
A Segundo Tenente Aviadora Natália Saraceni Maciel junto aos outros tripulantes do Bandeirante do 4° ETA. (Foto: 4° ETA)
A Segundo Tenente Aviadora Natália Saraceni Maciel junto aos outros tripulantes do Bandeirante do 4° ETA. (Foto: 4° ETA)

A Segundo Tenente Aviadora Natália Saraceni Maciel realizou na quinta-feira (04/05) seu primeiro voo de instrução na área de São José dos Campos tornando-se a primeira aviadora do 4º Esquadrão de Transporte Aéreo (4º ETA), Esquadrão Carajá, na aeronave de transporte C-95 Bandeirante.

Aeronave da FAB lança ressuprimento para Força Naval durante a Operação Atlântico III

4
O piloto do Bandeirante do 5° ETA sobrevoa a baixa altura sobre a embarcação da Marinha Brasileira. (Foto: Sgt. Rezende / Agência Força Aérea)

O Esquadrão de Transporte Aéreo (5º ETA), sediado em Canoas, no Rio Grande do Sul, lançou neste domingo (25/11) uma carga de equipamento para a Força Naval que participa da Operação Atlântico, no mar territorial entre Santa Catarina e o Espírito Santo. Veja a seguir o vídeo da missão de ressuprimento.

A tripulação do C-95 Bandeirante encontrou a Esquadra da Marinha depois de seguir as coordenadas por mais de uma hora em alto mar. “No oceano, a missão fica mais desafiadora, porque diferentemente do continente, você não tem a referência do relevo”, explica o Comandante da Missão, Tenente Aviador Rodolfo Giacomelli.

A carga de ressuprimento foi lançada próxima do navio. (Foto: Sgt. Rezende / Agência Força Aérea)

Uma equipe da Agência Força Aérea acompanhou o treinamento a bordo da aeronave que sobrevoou a região a pouco mais de 100 metros de altura.

Fonte: Agência Força Aérea

Solicito um minuto da atenção de você leitor do Cavok. Estamos tendo despesas elevadas com servidores devido ao alto tráfego gerado mensalmente, e precisamos da ajuda de todos para continuar mantendo o site estável e permanentemente no ar. Sem a ajuda de vocês, fica inviável manter o Cavok, já que infelizmente as empresas aeronáuticas brasileiras até o momento não anunciaram no nosso site, mesmo sendo o Cavok uma das maiores referências sobre notícias de aviação do país, reconhecido inclusive internacionalmente, e um dos sites de aviação mais visitados do país, senão o maior. Para contribuir, utilize as formas de pagamento online abaixo ou nos botões localizados na barra lateral.




Desde já meu muito obrigado.

Fernando Valduga

Força Aérea Brasileira emprega Bandeirante modernizado a partir de Maringá durante a Operação Ágata 5

6
A aeronave C-95BM do 5° ETA está sendo operada a partir de Maringá na Operação Ágata 5. (Foto: Sgt. Johnson Barros / Agência Força Aérea)

Sistemas de refrigeração, mecânico e hidráulico novos e uma moderna concepção de navegação e comunicação estão entre as características do C-95BM Bandeirante empregado pela Força Aérea Brasileira na quinta edição da Ágata. A aeronave de fabricação nacional voa pelo Quinto Esquadrão de Transporte Aéreo (5º ETA – Pégaso) e está operando a partir de Maringá (PR). Na operação, realiza missões de transporte de pessoal e em apoio à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

“Dentro da Ágata 5, também fazemos missões de misericórdia, para transporte de médicos e dentistas até comunidades carentes onde são realizadas ações cívico sociais. Além disso, estamos prontos evacuações aeromédicas em caso de algum acidente ou incidente com aeronaves”, explica o 1º Tenente Aviador Marcelo Augusto Xavier de Almeida.

A aeronave C-95 Bandeirante modernizada está partindo de Maringá para as missões da FAB na Operação Ágata 5. (Foto: Sgt. Johnson Barros / Agência Força Aérea)

Segundo o Tenente Almeida, o avião ainda pode cumprir missões de transporte aéreo logístico, lançamento de paraquedistas e infiltração e exfiltração aéreas. Possui velocidade de cruzeiro de 350 quilômetros por hora.

O Bandeirante passou por um processo de modernização, foi equipado com novos aviônicos e, em dezembro de 2011, já estava voando. A modernização, associada ao correto gerenciamento do programa, garantirá a operação da aeronave por mais 20 anos na FAB.

Fonte: Agência Força Aérea

V COMAR coordena treinamento operacional da FAB no RS

4
Paraquedistas embarcam numa aeronave C-95M Bandeirante no Aeroporto de Pelotas. (Foto: 5° ETA)

Começou nesta quarta-feira (2/5), no aeródromo de Pelotas (RS), o Exercício Operacional (EXOP) Épsilon 2012, coordenado pelo Quinto Comando Aéreo Regional (V COMAR). O treinamento vai até o dia 17 de maio e também serão realizadas ações em Bagé (RS).

Os militares do V COMAR, do 5º ETA e do BINFAE-CO estão envolvidos em missões diurnas e noturnas e contam, ainda, com a participação de aeronaves e militares do 3º Esquadrão de Transporte Aéreo (3º ETA), sediado no Rio de Janeiro, e do 4º Esquadrão de Transporte Aéreo (4º ETA), sediado em São Paulo.

Participam do exercício em Pelotas as aeronaves do 5° ETA da Base Aérea de Canoas (BACO). (Foto: 5° ETA)

A realização do Exercício fora de sede possibilita aos envolvidos treinar procedimentos em um local diverso de sua rotina, dentro de um contexto tático simulado, proporcionando a capacidade de agir em locais diferenciados com a mesma competência operacional, a exemplo do efetivo do 5º ETA, que executará a formação e a manutenção operacional de suas equipagens.

Além disso, o EXOP tem por objetivo desenvolver o sistema de Comando e Controle do V COMAR, bem como sua capacidade de pronto emprego no apoio às atividades.

Fonte: V COMAR

Esquadrão Pégaso (5º ETA) de Canoas recebe Bandeirante modernizado

8
O primeiro Bandeirante modernizado entregue para o 5° ETA da Base Aérea de Canoas. (Foto: Sgt. Sima / FAB)

A Força Aérea Brasileira (FAB) recebeu o segundo C-95 Bandeirante Modernizado. Ele será operado no 5º Esquadrão de Transporte Aéreo (5º ETA – Esquadrão Pégaso), sediado em Canoas (RS). Na próxima segunda-feira (05/03), será realizada a solenidade de chegada da aeronave, com voo inaugural.

A aeronave será empregada no cumprimento das missões do 5º ETA, como Assalto Aeroterrestre, Infiltração Aérea, Exfiltração Aérea, Ressuprimento Aéreo, Transporte Aéreo Logístico e Evacuação Aeromédica.

O Bandeirante Modernizado passou por melhorias estruturais nos sistemas de refrigeração, mecânico e hidráulico. Também recebeu um moderno sistema de navegação e comunicação com a concepção digital, apresentada nos Multifunction Displays. A modernização, associada ao correto gerenciamento do programa, garantirá a operação da aeronave por mais 20 anos na FAB.

Em dezembro do ano passado, a FAB recebeu o primeiro C-95 Bandeirante Modernizado. A aeronave foi entregue ao Terceiro Esquadrão de Transporte Aéreo (3º ETA – Esquadrão Pioneiro), sediado na Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro (RJ).

Fonte: Agência da Força Aérea

Resultado Cavok Foto Quiz 19-2 – Embraer EMB-120 Brasilia

9
A aeronave Embraer EMB-120 (C-97) Brasilia pertencente ao 5º ETA, sediado na Base Aérea de Canoas, RS. (Foto: Leandro Casella)

Amigos do Cavok, primeiramente peço desculpas pela resposta antecipada. Estou de “férias” com a família, e segue a resposta do primeiro Foto Quiz de 2012: o turboélice Embraer EMB-120 Brasília, desenvolvido para o mercado de aviação regional e que teve muito sucesso junto a companhias aéreas regionais nos EUA. Voou pela primeira vez em 1983 e em 1985 já estava operando. No Brasil foi operado por diversas empresas regionais como Rio-Sul, Pantanal e Rico, e atualmente voa em três companhias: Meta, Passaredo e Sete. Na área militar, voa atualmente no Brasil e no Uruguai. Angola tinha recebido uma aeronave que sofreu um acidente no dia 14 de setembro de 2011. Na Força Aérea Brasileira, 11 aeronaves Brasilia operam junto aos sete Esquadrões de Transporte Aéreo (ETA), e é desginado C-97. Foram fabricadas 354 aeronaves Brasilia entre 1983 e 2001, apesar de alguns pedidos serem produzidos até 2007. Parabéns aos vencedores e até o próximo final de semana.

IMAGENS: Bandeirante modernizado chega ao Esquadrão Pioneiro (3º ETA), no Galeão

11
A primeira aeronave de transporte C-95 Bandeirante modernizada chegou ao 3º Esquadrão de Transporte Aéreo (ETA) no dia 8 de dezembro. (Foto: Ten. Carvalho / 3º ETA)

O Terceiro Esquadrão de Transporte Aéreo (3º ETA) recebeu (8/12) a primeira aeronave C-95 Bandeirante Modernizado na Força Aérea Brasileira.

O Comandante do Esquadrão Pioneiro (3º ETA), Tenente Coronel Aviador Mauro Ido e a tripulação composta pelos 1° Tenente Aviador Douglas da Silva Pinto Alves, 2° Tenente Aviador Rômulo dos Santos Pinto e 1° Sargento BMA Luciano de Araújo Bastos, ficaram responsáveis por transladar a aeronave C-95 modernizada desde o PAMA-AF. (Foto: Ten. Carvalho / 3º ETA)
A modernizada aeronave C-95 CM FAB 2332, já na Base Aérea do Galeão. (Foto: Ten. Carvalho / 3º ETA)
A aeronave C-95 CM na frente do hangar do 3º ETA na Base Aérea do Galeão. (Foto: Ten. Carvalho / 3º ETA)

O Comandante do Esquadrão Pioneiro (3º ETA), Tenente Coronel Aviador Mauro Ido e a tripulação composta pelos 1° Tenente Aviador Douglas da Silva Pinto Alves, 2° Tenente Aviador Rômulo dos Santos Pinto e 1° Sargento BMA Luciano de Araújo Bastos foram os responsáveis por realizarem o translado do C-95 CM FAB 2332 do Parque de Material Aeronáutico dos Afonsos para a Base Aérea do Galeão, onde está sediado o 3° ETA.

O painel da aeronave C-95 CM FAB 2332 do 3º ETA. (Foto: Ten. Carvalho / 3º ETA)
A aeronave chegou ainda de noite na Base Aérea do Galeão. (Foto: Ten. Carvalho / 3º ETA)

Em 1973, o 3º ETA foi a primeira unidade a operar a aeronave Bandeirante na Força Aérea Brasileira e será, novamente, o responsável por iniciar e difundir a nova doutrina de operação nos esquadrões de transporte aéreo.

Fonte: 3° ETA

Aviadora atinge último estágio de operacionalidade no 5º ETA da FAB

0
A Tenente Camila Bolzan realiza uma inspeção pré-voo numa aeronave C-95 Bandeirante. (Foto: Agência Força Aérea / Sd. Trajano)

A Tenente Aviadora Camila Bolzan, do Quinto Esquadrão de Transporte Aéreo (5º ETA – CANOAS), é a primeira mulher a assumir a função de líder de seção na Aviação de Transporte militar no Brasil. A conquista veio depois da avaliação no Exercício Operacional Mandrake, realizado entre os dias 30 de outubro e 3 de novembro, na Base Aérea dos Afonsos, no Rio de Janeiro. A Tenente Camila, comandando a aeronave C-95 Bandeirante, liderou uma formação com mais cinco aeronaves em um treinamento de uma missão real de lançamento de militares da Brigada de Infantaria Paraquedista.

“O exercício angaria bastante experiência operacional, já que não temos oportunidade de realizar esse tipo de treinamento na rotina do esquadrão. Foi bastante emocionante, já que o líder de seção tem a responsabilidade de conduzir o voo de, no mínimo, quatro aeronaves”, afirmou a Tenente Camila. Saiba mais sobre o Exercício Mandrake

A Tenente Aviadora Camila é a primeira mulher a atingir a posição de líder de seção na Aviação de Transporte militar no Brasil. (Foto: Agência Força Aérea / Sd. Trajano)

A oficial da Força Aérea Brasileira sempre quis ser militar. Do cotidiano do Colégio Militar ela seguiu direto para as salas de aula da Academia da Força Aérea (AFA). De acordo com a Tenente Camila, o interesse pela carreira de piloto veio no final do Ensino Médio, com a abertura da primeira turma de aviadoras da Academia. Aos 26 anos, a gaúcha Tenente Camila, além de estar habilitada a liderar uma missão de assalto aeroterrestre em uma situação de conflito, também é instrutora da aeronave.

“Eu escolhi o Transporte pelas funções amplas da aviação, como resgate, transporte de cargas e pessoal e missões operacionais. Fui para Canoas pela tradição do 5º ETA e pela proximidade com Porto Alegre, onde nasci. Desde o começo eu fui bem recebida, pois as pessoas são muito unidas e companheiras”, explicou.

Para a Tenente Camila, os quatro anos na Academia da Força Aérea foram considerados de superação de desafios diários.

“A formação acadêmica é muito rígida e tudo o que viria pela frente era inesperado, já que ingressei na primeira turma. O fato de sair muito jovem de casa, morar longe, em regime de internato dificulta o dia a dia. Mas com muita perseverança e o apoio dos pais e colegas, conseguimos superar os desafios”, contou.

Sobre o Exercício Mandrake

O Exercício Operacional Mandrake reuniu os tripulantes dos Esquadrões de Transporte Aéreo (ETA) da Força Aérea Brasileira e os militares da Brigada de Infantaria Paraquedista do Exército Brasileiro, na Base Aérea dos Afonsos, no Rio de Janeiro. Os objetivos principais do exercício foram treinar os tripulantes para missões de lançamento e familiarizar os paraquedistas com os tipos diferentes de aeronaves. O C-95 Bandeirante foi o avião utilizado no treinamento.

Os militares realizaram o treinamento básico, quando as aeronaves decolavam isoladamente. Os últimos dias foram reservados para a infiltração, quando duas aeronaves lançaram os paraquedistas a baixa altura, e para o assalto aeroterrestre, que envolve quatro ou mais aeronaves em formação. As instruções de líder de seção ocorreram durante o assalto aeroterrestre.

Fonte: Agência Força Aérea

Cavok nas redes sociais

61,781FãsCurtir
340Inscritos+1
6,287SeguidoresSeguir
2,505SeguidoresSeguir
10,510SeguidoresSeguir
2,380InscritosInscrever
Anúncios