Notícias de aviação militar e civil, com destaque para fotografias e debate sobre assuntos aeronáuticos
TwitterFacebookGooglePinterestYouTubeEmailRSS

Exército colombiano adquire mais dois helicópteros Sikorsky S-70i Black Hawk

Um dos cinco helicópteros S-70i Black Hawk do Exército colombiano. (Foto: Sikorsky Aircraft)

Um dos cinco helicópteros S-70i Black Hawk do Exército colombiano. (Foto: Sikorsky Aircraft)

A Sikorsky Aircraft anunciou na Exibição Internacional de Defesa e Segurança LAAD 2013 que o Exército colombiano adquiriu mais dois helicópteros S-70i Black Hawk. As duas aeronaves vão aumentar a frota junto aos cinco helicópteros S-70i que chegaram no dia 30 de janeiro na Colômbia em operação com a Divisão de Assalto Aéreo das Forças Especiais do Exército colombiano.

“Agradecemos as Forças Armadas colombianas por sua confiança continuada na Sikorsky e na variante S-70i do helicóptero Black Hawk”, disse Jennifer Caruso, vice-presidente de programas para força aérea e exército da Sikorsky. “Estamos satisfeitos por mais uma vez ser capaz de responder rapidamente ao pedido de novas aeronaves.”

Assim como nas cinco aeronaves multi-missão anteriores, as duas novas aeronaves possuem duplo sistema GPS/INS e mapas digitais para um precisa navegação e consciência situacional aprimorada. As aeronaves serão equipadas e personalizadas com uma grua do salvamento e um Sistema de Gestão Integrada de Condições do Equipamento que irá monitorar os motores, transmissão e rotores da aeronave. O contrato também inclui equipamentos de apoio, peças de reposição e treinamento técnico.

As duas aeronaves estão previstas para entrega em outubro de 2013, e em seguida, serão pilotadas por tripulações colombianas até a base de operação especial militar da Aviação do Exército em Tolemaida.

Vendido diretamente pela Sikorsky para agências militares internacionais e governamentais. o helicóptero S-70i oferece a mesma potência e desempenho de transporte que as aeronaves S-70M Black Hawk. O modelo S-70i pode ser facilmente personalizado pela Sikorsky para as necessidades específicas de missão, para inclusão de proteção balística, radar, interior médico, tanques de combustível eXtended Range, um guincho de resgate externo, e gancho de carga, entre outras funcionalidades.

A Colômbia é o primeiro país sul-americano a comprar a versão S-70i do helicóptero Black Hawk. A Polícia Nacional da Colômbia, a Força Aérea da Colômbia e o Exército colombiano também operam 96 helicópteros UH-60L Black Hawk.

 

Enhanced by Zemanta

Acidente com helicóptero Chetak da Marinha da Índia

Um helicóptero Chetak da Marinha da Índia. (Foto: Ministério de Defesa da Índia)

Um helicóptero Chetak da Marinha da Índia. (Foto: Ministério de Defesa da Índia)

Nessa terça-feira, dia 5 de março, um helicóptero Chetak da Marinha Indiana caiu próximo ao porto de Vishakhapatnam. Dos quatro tripulantes a bordo somente dois foram resgatados, com os outros dois ainda desaparecidos.

O helicóptero estava num voo de treinamento quando caiu ao redor das 3 horas da tarde, mas já tinha perdido contato radar a cerca de uma hora antes, cerca de 18 quilômetros ao leste de sua base. A Marinha enviou seus helicópteros e navios para operação de busca.

A Marinha ordenou uma comissão de inquérito para investigar as causas do acidente, disseram

A Marinha Indiana iniciou um processo para aquisição de 56 helicópteros leves para substituir seus antigos modelos Cheetah e Chetak. No total, a Índia pretende adquirir mais de 400 helicópteros avaliados em centenas de milhões de dólares.

Enhanced by Zemanta

Sikorsky e Boeing vão propor projeto de helicóptero baseado no X2 para o Exército dos EUA

A Boeing e a Sikorsky vão propor um projeto conjunto baseado no X2 no programa JMR do Exército dos EUA. (Foto: Boeing)

A Boeing e a Sikorsky vão propor um projeto conjunto baseado no X2 no programa JMR do Exército dos EUA. (Foto: Boeing)

A Sikorsky Aircraft Corp e a Boeing vão apresentar uma proposta conjunta para construir uma aeronave de demonstração com base no projeto do helicóptero demonstrador de tecnologia X2 da Sikorsky, visando a Fase 1 do Programa de Demonstrador de Tecnologia (TD) do Joint Multi-Role (JMR) do Exército dos EUA.

O programa TD do JMR apoia a iniciativa de Futuro Elevação Vertical do Exército dos EUA para entregar a próxima geração de aeronaves de ataque e de transporte vertical.

“A proposta da Sikorsky e da Boeing irá demonstrar como a tecnologia X2, com seus principais rotores coaxiais contra-rotativos, hélice propulsora, e avançado sistema fly-by-wire, vai oferecer uma eficiente velocidade de cruzeiro de 230 kts, melhora a eficiência no voo pairado, e um projeto otimizado do peso num pacote acessível”, disse Samir Mehta, presidente da Sikorsky Military Systems. “Ao alavancar nosso projeto comprovado, podemos oferecer um risco reduzido ao Exército dos EUA, uma melhoria de 100 nós na velocidade, uma melhoria de 60 por cento no raio de combate, e 50 por cento melhor desempenho em voo pairado nas condições high-hot.”

“A equipe da Sikorsky-Boeing para o TD JMR é verdadeiramente uma equipe de igual para igual”, disse Leanne Caret, vice-presidente e gerente geral da divisão da Boeing de elevação vertical. “A Sikorsky irá assumir o papel principal nesta fase de proposta do TD JMR, e a Boeing irá assumir um papel de liderança para a Fase 2, a demonstração de sistemas de missão do programa.

“Nossas empresas estão totalmente comprometidos com a natureza a longo prazo da iniciativa de Futura Elevação Vertical, e vamos contribuir igualmente em termos de capacidade de capital, tecnológica e de risco no nosso caminho para cumprir as exigências do Exército dos EUA”, disse Caret.

As propostas para a Fase 1 do TD JMR sdevem ser enviadas a Direção de Tecnologia Aplicada a Aviação do Exército dos EUA até o dia 6 de março. O Exército deve anunciar sua seleção de um ou mais lances vencedores no final de 2013. As aeronaves de demonstração devem voar até 2017.

Enhanced by Zemanta

ILA 2012: Eurocopter busca reduzir riscos no projeto do Futuro Helicóptero de Transporte

Concepção artística do Futuro Helicóptero de Transporte Pesado que está sendo desenvolvido pela Eurocopter. (Foto: Eurocopter)

A Eurocopter vem realizando estudos de redução de riscos em seu Futuro Helicóptero de Transporte (FTH – Future Transport Helicopter) projeto atualmente sendo trabalhado em conjunto com a Boeing.

O trabalho de pré-design do raramente discutido gigante com dois rotores em tandem foi concluído e a empresa está agora aguardando o próximo conjunto de exigências do pessoal da OTAN, que está sendo esperado para o final do ano.

“Estamos trabalhando para as necessidades do pessoal da OTAN, da França e da Alemanha, mas também pensando nas exigências do programa JMR-Heavy do Exército dos EUA, sendo essas muito similares as exigidas pela OTAN”, disse Hans Weber, vice-presidente do Programa de Helicópteros de Transporte Pesado da Eurocopter, durante o ILA Berlin Air Show.

A seção transversal do FTH exposta no stand da Eurocopter no ILA Berlin.

No stand, a empresa está exibindo uma pequena seção transversal da fuselagem da aeronave para demonstrar o seu potencial tamanho, caso a aeronave seja fabricada. A Boeing, parceira da EADS no projeto, tem cooperado para explorar o negócio por anos, mas a exibição da cabine parece ser novidade na ILA.

“A Eurocopter tem trabalhado com a Boeing nos últimos anos para explorar o projeto de estruturas e tecnologias para o requisito do Futuro Helicóptero de Transporte na Europa”, segundo um comunicado da Boeing. “Juntas, as empresas reuniram-se com representantes de vários países para determinar se o mercado pode sustentar um amplo programa de desenvolvimento de aeronaves com base em um projeto conjunto do rotor.”

A seção transversal, construída por engenheiros da Eurocopter Deutschland nas instalações em Donauwörth e Ottobrunn, tem aproximadamente um metro de comprimento, mas é grande o suficiente para acomodar um veículo blindado sobre rodas ou um container ISO.

O trabalho de desenvolvimento para a seção de fuselagem foi financiada pelo Instituto Federal de Tecnologia de Defesa e Aquisições (BWB). Diagramas mostrados no ILA dão ao FTH uma maior cabine do que a do Sikorsky CH-53K e do Alenia C-27J Spartan.

A seção exibido no ILA não tem piso e nem bancos, e pesa apenas 60 kg. Weber acredita que seria possível para o FTH transportar uma carga de 18.000 kg numa aeronave com um peso máximo de decolagem de 33.000 kg. Em comparação, o russo Mi-26 pode levantar uma carga de cerca de 20.000 kg, mas o seu peso máximo de decolagem está perto de 54.000 kg.

A capacidade de carregar os containeres ISO é considerada uma operação útil.

Vista lateral do Future Transport Helicopter divulgada pela Eurocopter durante o ILA Berlin 2012.

“Nós podemos certificar a aeronave para poder transportar estes recipientes, mas se pudermos encaixar diferentes recipientes com assentos VIP, ou um posto de comando, somos capazes de oferecer uma capacidade multi-missão para o cliente com o custo de certificação ISO”, adiciona Weber.

As reduções de custos de desenvolvimento poderiam surgir da obtenção de uma certificação civil para aeronave, que clientes militares poderiam então se beneficiar para colocar a aeronave em serviço. A Certificação Civil também poderá tornar a aeronave atraente para possíveis clientes civis.

A crise financeira global está atrapalhando as ambições dos ministérios da defesa em todo o mundo, e poderia colidir com as esperanças de Berlim para um grande helicóptero capaz de carregar sua artilharia em torno do campo de batalha internamente. Um plano de backup para o país poderia ser considerar opções prontas no mercado que reduziriam o custo de desenvolvimento.

Se as ambições da Alemanha para um grande helicóptero de última geração começarem a diminuir, a Sikorsky provavelmente vai lançar o projeto CH-53K existente e a Boeing provavelmente vai recorrer ao seu modelo CH-47F, com opções considerando tanto uma cooperação industrial na Alemanha inclusive para a fabricação.

“Este projeto é importante porque vai oferecer uma nova geração de helicópteros de transporte pesado. Estamos vendo agora os caças de quinta geração atuais, mas tipos como o Chinook ainda são de primeira geração”, acrescentou Weber.

Fonte: Shephard / Aviation Week – Tradução e Adaptação do texto: Cavok

Enhanced by Zemanta

Eurocopter finaliza com sucesso turnê de demonstração do X3 nos EUA

A aeronave demonstradora de tecnologia Eurocopter X3 terminou sua turnê pelos EUA com um pouso ao lado do Pentágono, em Washington D.C. (Foto: Eurocopter)

A Eurocopter completou a sua bem sucedida turnê de sete semanas de demonstração do X3 nos Estados Unidos, permitindo que uma ampla gama de operadores civis e militares pudessem testemunhar – e experimentar – as características de vôo deste revolucionário helicóptero híbrido de alta velocidade e longo alcance. O X3 voltou a sua base no Centro de Testes de Voo, em Istres, no sul da França, onde chegou a bordo de um avião de carga fretado que transportou o avião desde a Virgínia nos EUA.

Durante a sua turnê nos EUA, o X3 apareceu em quatro estados, do Texas até a Virginia – registrando mais de 55 horas de voo realizadas pela equipe de teste da Eurocopter, além de oportunidades de voo para 47 pilotos convidados que assumiram os controles para uma apreciação em primeira-mão desta excelente aeronave em qualidades de vôo, manobrabilidade e capacidades de aceleração/desaceleração desde o voo pairado.

A aeronaves realizou um total de 55 horas de voo em demonstração nos EUA, incluindo voos com pilotos norte americanos. (Foto: Eurocopter)

Entre as características de voo do X3 elogiadas por esses pilotos estavam sua excelente estabilidade e o baixo nível de vibração, a impressionante aceleração e desaceleração, a capacidade de fazer descidas íngremes, enquanto controlava a velocidade, a capacidade da aeronave a pairar com nariz para baixo ou nariz para cima, e sua capacidade de ser conduzida por todo o inteiro envelope de vôocom o piloto automático desligado.

A aeronave X3 pode ser visitada, observada e fotografada por diversos convidados civis e militares durante a turnê por diversos locais nos EUA.

“Estamos muito encorajados com o feedback extremamente positivo do potencial futuro dos usuários civis e militares dos EUA, o que confirma mais uma vez a necessidade de uma nova abordagem que combina o jogo de mudança de desempenho com uma economia altamente custo-efetiva”, disse o presidente e CEO da Eurocopter Lutz Bertling. “O X3 representa o futuro da aviação, e estamos convencidos de que podemos melhorar significativamente as operações em diversos setores, como ressaltado pelo feedback que recebemos em cada parada nos Estados Unidos.”

A aeronave híbrida X3 chegando para pouso no Pentágono. (Foto: Eurocopter)

A visita aos EUA marcou a primeira turnê do X3, juntamente com a sua primeira aparição fora da Europa. Ressaltando a maturidade do conceito de helicóptero híbrido da Eurocopter, a aeronave realizou sua turnê inteira conforme planejado, a partir de um evento inicial especial e uma semana de demonstrações em Grand Prairie, Texas, sede da American Eurocopter, subsidiária da Eurocopter nos EUA, seguido por apresentações agendadas no Arsenal Redstone Army Airfield, em Huntsville, Alabama; Simmons Army Airfield, em Fort Bragg, perto de Fayetteville, Carolina do Norte; Manassas Regional Airport em Manassas, Virgínia; Davison Army Airfield em Fort Belvoir, Virgínia; e finalizando com um pouso ao lado do Pentágono, em Washington, D.C.

Durante a turnê nos EUA, o X3 foi pilotado pela equipe francesa da Eurocopter. (Foto: A. Pecchi / Eurocopter)

As apresentações em vôo durante todo a turnê X3 foram realizadas pelo piloto de testes da Eurocopter Hervé Jammayrac, acompanhado pelos engenheiros de vôo de teste Daniel Semioli e Dominique Fournier, juntamente com as equipes de projeto e técnica. Aos pilotos dos clientes foi dada a oportunidade de voar o X3, incluindo os aviadores nos serviços militares dos Estados Unidos, agências de aplicação da lei, prestadores de serviços médicos, operadores de transporte aéreo offshore, e de aeronaves do setor de serviços.

Para o transporte entre a França e os EUA, o X3 foi embarcado num Antonov An-124 fretado. (Foto: Eurocopter)

Até à data, a aeronave híbrida tem demonstrado uma velocidade máxima de 232 nós em 80 por cento de potência, bem como uma taxa de subida de 5.500 pés por minuto. Também tem níveis muito baixos de vibração, sem a necessidade de quaisquer sistema passivo ou ativo de anti-vibração.

O X3 é projetado para ser rentável, o que representa uma grande vantagem nas aquisições militares e civis, bem como nas operações – com a sua velocidade de cruzeiro aumentada em 50% em relação aos atuais helicópteros, enquanto os custos de ciclo de vida serão inferior a 20%.

IMAGENS: China demonstra helicóptero de ataque Z-9WZ para imprensa visando transparência

A China abriu as portas da sua base em Tongzhou para demonstrar aos jornalistas internacionais o helicóptero de reconhecimento armado Z-9WZ.

A China exibiu um de seus novos helicópteros de ataque para a imprensa estrangeira na última terça-feira, na base de Tongzhou, nos arredores de Pequim, numa tentantiva de responder às preocupações sobre o seu crescente poder militar em meio a movimentos cada vez mais agressivas para afirmar sua soberania sobre o Mar da China Meridional.

A China organiza excursões anuais nas suas bases militares para tentar amenizar essas preocupações e responder a críticas sobre uma falta de transparência, mas as autoridades se recusaram a responder a quaisquer questões controversas.

O helicóptero de reconhecimento armado Harbin Z-9WZ é fabricado sob licença da Eurocopter na China. (Foto: REUTERS/Jason Lee)

Os militares habitualmente secretos permitiram uma boa inspeção e fotografias dos helicópteros de reconhecimento armado Z-9WZ que transportam uma variedade de armas. Eles também expuseram toda a gama de armamento disponível para o modelo, juntamente com os cockpits dos Z-9WZs e os capacetes de suas tripulações.

Enquanto o Ministério da Defesa anunciou no fim de semana que vai criar uma guarnição militar formal para o Mar da China Meridional, os oficiais que acompanharam os repórteres na base de Tongzhou, no extremo leste de Pequim, evitaram comentar o assunto.

Na base junto ao 4° Regimento de Helicópteros, o exército chinês possui 12 helicópteros do modelo Z-9WZ.

“Nosso objetivo militar é proteger a paz. Os exercícios de treinamento que realizamos são normais e de acordo com o que sempre fazemos”, disse Zhang Zhilin, o comandante do 4° Regimento de Helicópteros da Aviação do Exército.

A China luta junto as Filipinas, Vietnã, Brunei e Malásia sobre o Mar da China Meridional, especialmente sobre as principais rotas marítimas pensadas para proteger as ricas reservas de energia.

Perguntado sobre se ele e seus militares poderiam ou iriam implantar um destacamento no Mar da China Meridional, Zhang respondeu simplesmente: “Nossas implantações são decididas pelos mais altos líderes.”

O helicóptero Z-9WZ foi exposto na base juntamente com seu armamento disponível, incluíndo canhões, foguetes e mísseis guiados. (Foto: Andy Wong / AP)

O Z-9WZ é “o primeiro tipo de helicóptero de reconhecimento armado” para ser destacado pelo exército chinês, disse o regimento. A declaração parece negligenciar a versão anterior armada da série Z-9, a qual cerca de 80 unidades designadas Z-9W supostamente foram construídas a partir de 1987.

O Z-9, com base no Dauphin Eurocopter, foi construído desde 1981 na fábrica de Harbin, que agora faz parte do Avicopter. A versão Z-9WZ é o desenvolvimento mais recente chinês do tipo e foi anteriormente relatado como o Z-9G. “WZ” presumivelmente significa wuzhuang, que significa “armado”.

A unidade da base, 4° Regimento de Helicópteros, tem 12 Z-9WZs entre um total de 30 aeronaves. Opera os helicópteros de ataque Harbin Z-9, uma versão licenciada de construção do Eurocopter Dauphin II, bem como mais velhos helicópteros de transporte russos Mil Mi-17 e Mi-171, aviões de transporte Y-7 e Y-8 (versões chinesas do An-24), e também leva seus astronautas para base quando eles retornam para a Terra.

A China abriu sua base a jornalista para mostrar que não tem roubado tecnologia norte americana e vem desenvolvendo seus produtos com tecnologia chinesa.

O programa do helicóptero chinês foi manchete no mês passado, quando a United Technologies Corp disse que havia vendido programas para China, que ajudaram a desenvolver o seu primeiro helicóptero de ataque moderno, o Z-10 (ou WZ-10) que não estava presente na base.

Os especialistas ocidentais dizem que o Z-10, sendo o primeiro entregue ao exército de Libertação Popular da China em 2009, está se tornando um dos helicópteros de combate mais modernos e capazes do mundo.

Zhang disse que não tinha conhecimento do caso, no entanto admitiu que gostaria de um hardware mais avançado. Ele também disse que grande parte do treinamento é feito em simuladores, e os pilotos e equipamentos são bem preparados para voarem sob quaiquer condições meteorológicas, de dia ou noite. O regimento possui cerca de 1.000 militares, sendo quase metade de pilotos.

“É claro que esperamos que nosso ambiente de trabalho torna-se cada vez melhor”, disse ele. “É como dirigir um carro, como a diferença entre dirigir um jipe e um carro muito melhor.”

A China tem anunciado as suas ambições militares de longo prazo demonstrando seus novos equipamentos, incluindo o seu primeiro vôo de teste de um avião de caça furtiva no início de 2011 e o lançamento de um porta-aviões em agosto.

A China está aumentando os gastos militares em 11,2 por cento este ano, elevando os gastos oficiais do Exército de Libertação Popular para 670,3 bilhões de yuans (US$ 100 bilhões) para 2012, após um aumento de 12,7 por cento no ano passado e uma seqüência quase ininterrupta de dois dígitos de aumentos através de duas décadas.

Os jornalistas puderam ver uma demonstração do exército chinês com o helicóptero de combate Z-9WZ. (Foto: REUTERS/Jason Lee)

O orçamento público de Pequim é amplamente considerado por especialistas estrangeiros como subestimado em relação ao seu gasto real em modernização militar. Países estrangeiros, incluindo os EUA pediram que a China seja mais aberto sobre suas capacidades de defesa. Embora os oficiais chineses dizem que estão tentando aumentar a transparência, permitindo que atividades como essas com jornalistas estrangeiros..

“Você realmente acha que nós não somos transparentes? Na verdade nós somos extremamente transparentes”, disse o porta-voz do Ministério de Defesa Geng Yansheng, varrendo para longe tais observações. “Esta é a quinta vez que organizamos um tour pela base e vamos continuar fazendo isso.”

Fonte: Reuters e Aviation Week – Tradução e Adaptação do Texto: Cavok