Saab

Inicio Tags Marinha Brasileira

Tag: Marinha Brasileira

MARINHA: Revisão geral do canopi da aeronave AF-1C é concluída na BAeNSPA

6

Foi concluída com sucesso, na Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia (BAeNSPA), no dia 7 de novembro, a revisão geral do canopi destinado à aeronave AF-1C N-1021 (bi-posto), que está em processo de modernização na Embraer, com previsão de entrega à Marinha do Brasil em março de 2020.

Anúncios

Marinha Brasileira leiloará o porta-aviões “São Paulo”

6
O porta-aviões A-12 São Paulo, que agora deve ser leiloado.

A Marinha brasileira começou o processo para leiloar seu único porta-aviões. A tentativa de venda do NAe São Paulo (A-12) deixa a frota brasileira com apenas um navio de aviação, o porta-helicópteros multipropósito (PHM) Atlântico.

Marinha do Brasil recebe 5ª aeronave AF-1 modernizada pela Embraer

16
Entrega da Aeronave AF-1B N-1013, modernizada pela Embraer. (Foto: Marinha do Brasil)

No dia 6 de setembro, com a entrega da aeronave modernizada AF-1B N-1013 ao Setor Operativo, foi concluída mais uma fase do contrato de modernização dos AF-1B/C.

Helibras apresenta o novo H135 da Marinha Brasileira

0
A Marinha do Brasil receberá outros dois H135 equipados com kit aeromédico. (Foto: Helibras)

A Helibras, subsidiária brasileira da Airbus Helicopters, participou no dia 29 de agosto do evento de comemoração do 103º aniversário da Aviação Naval, em São Pedro da Aldeia (RJ). Na ocasião, a fabricante expôs o helicóptero biturbina leve H135 que será entregue à Marinha do Brasil até o fim do ano.

Marinha emprega Super Cougar para apagar focos de incêndio durante “Operação Verde Brasil”

1
UH-15 abastece o Bambi Bucket para apagar foco de incêndio em Altamira-PA.

O helicóptero UH-15 Super Cougar está sendo empregado na “Operação Verde Brasil” para combater focos de incêndio no município de Altamira, Pará, no norte do país.

ASPIRANTEX 2019: FAB apoia exercício da Marinha do Brasil

1
Base Aérea de Florianópolis apoia exercício da Marinha do Brasil.

A Base Aérea de Florianópolis (BAFL) apoiou a Operação Aspirantex 2019, da Marinha do Brasil, que ocorreu no período de 11 a 30 de janeiro, na área marítima compreendida entre Rio de Janeiro (RJ) e Montevidéu, no Uruguai. Cerca de 40 militares e duas aeronaves AF-1 do Primeiro Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque (VF-1) estiveram alocados na BAFL.

Helibras entrega terceiro H225M CSAR para Marinha Brasileira

9
O terceiro H225M C-SAR entregue para Marinha Brasileira. (Foto: Helibras)

A Helibras entregou no dia 27 de dezembro, nas suas instalações em Itajubá, Minas Gerais, o 4º helicóptero H225M do ano à Marinha do Brasil, sendo este o terceiro e último na configuração C-SAR (Busca e Resgate em Combate).

Militares da FAB participam de treinamento de pouso embarcado com a Marinha Brasileira

4
O helicóptero H-36 Caracal da FAB pousou pela primeira vez a bordo do Navio Doca Multipropósito Bahia (NDM Bahia), da Marinha do Brasil (MB). (Foto: Tenente Airton)

O Helicóptero H-36 Caracal, do Esquadrão Puma (3º/8º GAV), da Força Aérea Brasileira (FAB), efetuou, pela primeira vez, um pouso embarcado em um navio em alto mar. A missão ocorreu, nessa quarta-feira (24), no Navio Doca Multipropósito Bahia (NDM Bahia), da Marinha do Brasil (MB) e contou, também, com a participação do Exército Brasileiro (EB).

BRASIL: Helicóptero da Marinha destelha casas ao tentar pousar no Rio de Janeiro

4
Helicóptero da Marinha estava na cidade para participar das festividades da 54ª Exposição Agropecuária (Foto: Prefeitura de Miracema)

Um helicóptero da Marinha Brasileira destelhou três imóveis na manhã deste sábado (28) ao tentar pousar em uma escola municipal da cidade de Miracema, no Noroeste Fluminense. Segundo a Defesa Civil do município, o incidente aconteceu por volta das 9h no bairro Santa Tereza e ninguém ficou ferido.

Aviador Naval brasileiro obtém ótimo desempenho em curso na Marinha dos EUA para pouso em porta-aviões

7
O Tenente da Marinha Brasileira durante treinamento nos EUA.

Em dezembro de 2017, mais um oficial aluno do Curso de Aperfeiçoamento de Aviação para Oficiais (T-1/2013), o Capitão-Tenente Ricson Raggio Mello, concluiu o curso E2/C2 Pipeline, na Marinha dos Estados Unidos.

VÍDEO: Helicóptero H225M da Marinha Brasileira

10
Helicóptero H225M em versão operacional, o mais complexo já desenvolvido pela empresa. (Foto: Yam Wanders / Heibras)
Helicóptero H225M em versão operacional, o mais complexo já desenvolvido pela empresa. (Foto: Yam Wanders / Heibras)

A mais nova versão do H225M desenvolvido para a Marinha Brasileira (MB) para missões anti-navio e vigilância marítima, conforme os testes são avançam, caminha para a certificação operacional em 2018.

Voa o primeiro A-4M modernizado para Marinha Brasileira

28
A aeronave AF-1 "N-1011" está sendo usada como protótipo para o programa de modernização dos A-4 da Marinha Brasileira.
A aeronave AF-1 “N-1011” está sendo usada como protótipo para o programa de modernização dos A-4 da Marinha Brasileira.

Na quarta-feira, dia 17 de julho, voou pela primeira o protótipo do modernizado A-4M que será usado pela Marinha Brasileira. A aeronave s/n 1011 realizou um voo dentro da normalidade desde Gavião-Peixoto, interior de São Paulo, onde está a unidade da Embraer responsável pelo trabalho de modernização.

Marinha do Brasil recebe segunda aeronave UH-15 “Super Cougar”

19
O segundo helicóptero EC725 entregue para Marinha Brasileira. (Foto: Marinha Brasileira)
O segundo helicóptero EC725 entregue para Marinha Brasileira. (Foto: Marinha Brasileira)

No dia 31 de janeiro, a Marinha do Brasil recebeu a segunda aeronave UH-15 “Super Cougar”, de um total de 16. Com o indicativo visual N-7102, a nova aeronave foi recebida em voo e incorporada ao acervo do Esquadrão HU-2, em São Pedro da Aldeia (RJ).

A entrega das aeronaves modelo EC-725BR faz parte do projeto do Ministério da Defesa HX-BR.

Fonte: Marinha Brasileira

Solicitamos mais uma vez a ajuda de todos com contribuições espontâneas para o site, que ajudam muito nas despesas de hospedagem. Para contribuir, utilize as formas de pagamento online abaixo ou nos botões localizados na barra lateral. Se você gosta de ver notícias atualizadas aqui, colabore para manter o site no ar. Quem quiser também poderá doar através de depósito na conta corrente: Banco do Brasil – Agência: 0181-3 – C/C: 12.742-6 – Favorecido: Fernando Valduga. Desde já, muito obrigado!




Enhanced by Zemanta

Cassidian e ATECH juntam forças no fornecimento de Sistema Aviônico Avançado de Missão para os helicópteros EC725 da Marinha do Brasil

3
O helicóptero EC725 da Marinha Brasileira. (Foto: Helibras)

A brasileira ATECH, empresa do Grupo EMBRAER, e a CASSIDIAN, empresa da divisão de defesa e segurança da EADS, uniram-se para formar o consórcio internacional que será responsável pelo fornecimento do Sistema de Gestão Tática de Dados para os oito helicópteros EC725 da Marinha Brasileira. As aeronaves fazem parte do Programa H-XBR conduzido pelo consórcio Helibras/Eurocopter e que envolve a produção de um total de 50 helicópteros para uso das Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica), no Brasil. O contrato, no valor de mais de 40 milhões de euros será concluído em 2017.

O Programa H-XBR é uma iniciativa de contratação conjunta para as Forças Armadas e guarda relação com a Estratégia Nacional de Defesa (END) – documento de Estado “focado em ações de médio e longo prazo com o objetivo de modernizar a estrutura nacional de defesa”. Esse programa – que está sendo desenvolvido para criar uma base industrial nacional capaz de também conceber e produzir aeronaves de Asas Rotativas no país – compreende um processo de nacionalização e domínio da tecnologia para a produção dos helicópteros, em linha com uma política de utilização do poder de compra para internalizar toda a capacidade produtiva no país.

“Participar desse consórcio, atuando nesse programa do Ministério da Defesa do Brasil, coordenado pela Força Aérea Brasileira, é uma grande honra e responsabilidade para uma empresa que tem se dedicado ao domínio da chamada tecnologia crítica”, afirma Tarcísio Takashi Muta, presidente da ATECH. “Nossa presença como integrante do consórcio é o reconhecimento da nossa capacidade e experiência na absorção de tecnologia de defesa, sistemas embarcados em aeronaves e comunicações táticas de alto desempenho. Trata-se de uma continuidade no avanço da autonomia tecnológica brasileira, um dos pilares da consagrada Estratégia Nacional de Defesa”.

“Nossas empresas têm uma reconhecida trajetória no campo dos sistemas de gerenciamento de missão”, afirma Dr. Rolf Wirtz, CEO da Cassidian Mission Avionics. “Juntos nós iremos prover a Marinha do Brasil com um sistema confiável e versátil que irá capacitá-la para desempenhar suas missões de vigilância marítima”.

O TDMS é baseado no SAMSARA – Sistema de Gerenciamento de Missão da CASSIDIAN– o qual processa dados de sensores de diversas fontes, que permitem uma consciência situacional e também o controle de armas e sistemas de autoproteção. Portanto, o TDMS aprimora a detecção em tempo real de movimentos na superfície, permitindo às forças de segurança tempo suficiente de reação.

Esse sistema de missão será desenvolvido no Brasil pela ATECH, que também será responsável, sob a supervisão do novo Centro de Engenharia da Helibras, pela integração de sistemas e suportará os testes em solo e em voos na fábrica da empresa, em Itajubá, MG. Igualmente, os serviços de suporte para a Marinha do Brasil serão providos pela ATECH.

“A exemplo do que já faz em relação a outros helicópteros de uso militar, como o Esquilo e o Pantera, a Helibras já possui expertise no acompanhamento de processos de integração de sistemas, tendo investido pesadamente no desenvolvimento dessa especialidade, em função do programa de fabricação dos EC725, para o qual multiplicou o número de engenheiros dedicados, além de contratar fornecedores de softwares específicos”, explica Eduardo Marson, presidente da Helibras.

O sistema de gerenciamento de missão SAMSARA, base para o TDMS, encontra-se em operação na aduana francesa. A CASSIDIAN possui larga experiência em missões aviônicas, sendo responsável pelo sistema de missões de aeronaves de transporte e por sistemas aviônicos para diversas plataformas operadas pela OTAN (Organização do Tratado Atlântico Norte).

Solicito um minuto da atenção de você leitor do Cavok. Estamos tendo despesas elevadas com servidores devido ao alto tráfego gerado mensalmente, e precisamos da ajuda de todos para continuar mantendo o site estável e permanentemente no ar. Sem a ajuda de vocês, fica inviável manter o Cavok, já que infelizmente as empresas aeronáuticas brasileiras até o momento não anunciaram no nosso site, mesmo sendo o Cavok uma das maiores referências sobre notícias de aviação do país, reconhecido inclusive internacionalmente, e um dos sites de aviação mais visitados do país, senão o maior. Para contribuir, utilize as formas de pagamento online abaixo ou nos botões localizados na barra lateral.




Desde já meu muito obrigado.

Fernando Valduga

Enhanced by Zemanta

Atech e Cassidian entram em projeto da Helibras

1
O primeiro helicóptero EC725 da Marinha Brasileira. (Foto: Anthony Pecchi / Eurocopter)

consórcio formado pela Atech, do grupo Embraer, e a europeia Cassidian, braço da EADS, foram selecionadas pela Helibras para fornecer o sistema tático de missão naval de oito helicópteros EC-725, comprados pela Marinha brasileira.

O Valor apurou que, somente a parte da Atech, está avaliada em R$ 30 milhões. A participação da empresa no projeto foi possível por sua experiência e conhecimento adquiridos nos programas Sivam/Sipam (Sistema de Vigilância e Proteção da Amazônia) e P-3BR, aeronave de patrulha marítima da Força Aérea Brasileira (FAB).

O P-3BR, que teve início em 2005, é um programa de modernização que envolve nove aeronaves e está estimado em US$ 500 milhões. A FAB já recebeu três aeronaves modernizadas. No acordo que previa absorção de tecnologia, feito com a EADS Casa, da Espanha, a Atech participou do desenvolvimento do sistema de missão do P-3.

Com esse novo contrato com a Atech/Cassidian, sobe para 15 o número de brasileiras que participam do desenvolvimento de algumas partes dos helicópteros que estão sendo fornecidos para as Forças Armadas Brasileiras, no programa batizado de H-XBR. Cada Força Armada receberá 16 helicópteros.

Além da Atech, participam do H-XBR a Toyo Matic (usinagem), Inbra Aerospace (peças estruturais em material composto), Turbomeca (motores), ATE, Sagem /TM do Brasil (piloto automático); Aernnova do Brasil (cone de cauda metálico), Rhode & Schwartz (rádios), Akaer (projetos de engenharia); SDV Brasil (logística); AEL Sistemas (cockpits) e Microturbo (unidades de potência auxiliar).

As empresas brasileiras capacitadas no programa EC-725, segundo a Helibras, poderão fazer parte da cadeia global de fornecimento da Eurocopter, grupo francês que controla a Helibras, exportando seus produtos para outros helicópteros fabricados pela companhia no mundo.

A fábrica da Helibras em Itajubá (MG) foi ampliada para abrigar a produção do modelo EC725 e atender ao projeto de nacionalização dos helicópteros, que até 2020 terão 50% de conteúdo nacional. O governo brasileiro comprou 50 unidades do EC-725, em 2008, para serem utilizados em missões de transporte e proteção civil.

O contrato de aquisição dos helicópteros, no valor de € 1,8 bilhão, prevê contrapartida comercial, industrial e tecnológica, conhecida no jargão militar como acordos de “offset”. A Helibras investiu R$ 420 milhões na construção de um hangar e de algumas instalações auxiliares, como uma fábrica de cabos elétricos e uma unidade de montagem das caixas de transmissão dos helicópteros.

A nova fábrica da Helibras, que está sendo inaugurada oficialmente hoje, também atenderá a outros projetos na área de defesa, como a modernização de 34 helicópteros Pantera, da Aviação do Exército (AvEx). O contrato com o Exército, de R$ 375,8 milhões, prevê a troca de motores, aviônicos (aparelhos embarcados) de navegação e rádios das aeronaves.

A ampliação da fábrica de Itajubá também foi acompanhada do crescimento do número de funcionários. Segundo a Helibras, desde quando foi assinado o contrato com o governo brasileiro, em 2008, foram contratados cerca de 400 empregados. A empresa tinha 300 funcionários e prevê chegar a mil nos próximos cinco anos.

Fonte: Valor Econômico / Virginia Silveira

Enhanced by Zemanta

Marinha do Brasil assina contrato de compra de mísseis Penguin

7
Os mísseis Penguin adquiridos pela Marinha do Brasil serão usados nos helicópteros MH-16. (Foto: Kongsberg Defence Systems)

A Marinha do Brasil assinou um contrato com a empresa norueguesa Kongsberg para entrega de mísseis anti-navios Penguin e associados equipamentos, avaliados em 33 milhões de euros.

O Capitão Marvio Assonso Rêgo Gavino, da Marinha Brasileira, e Pal Bratlie, Vice-Presidente Executivo da Kongsberg Defence Systems, no momento da assinatura do contrato. (Foto: Kongsberg Defence Systems)

Os novos mísseis, do tipo “dispare e esqueça” serão utilizados nos novos helicópteros MH-16 Seahawk que a Marinha Brasileira está recebendo.

Enhanced by Zemanta

IMAGENS: Cerimônia do 96° Aniversário da Aviação Naval da Marinha Brasileira apresenta os novos Seahawks

8
O helicópteros Sikorsky MH-16 Seahawk (N-3035) do Esquadrão HS-1, destaque da cerimônia do 96° Aniversário da Aviação Naval da Marinha. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok Brasil Team)

A Marinha do Brasil comemorou nessa quinta-feira, dia 23 de agosto, o 96° Aniversário da Aviação Naval. O evento, realizado na Base Aéreo Naval de São Pedro da Aldeia (BAeNSPA), e o destaque principal foi a apresentação no solo e em voo dos dois primeiros helicópteros Sikorsky MH-16 (S-70B) Seahawk recentemente incorporados na frota.

O helicóptero MH-16 (N-3004) ficou em exibição diante do palanque das autoridades. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok Brasil Team)
O MH-16 Seahawk N-3035 do Esquadrão HS-1. Apesar de o tempo no Rio de Janeiro estar seco e com o céu claro, chovia na Região dos Lagos. Felizmente, o sol apareceu durante a cerimônia. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok Brasil Team)
Os dois helicópteros do HS-1, o Sea King e Seahawk, chegam em voo de formação. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok Brasil Team)

Apesar das condições meteorológicas não serem totalmente favoráveis, a Marinha Brasileira conseguiu realizar uma bela demonstração de suas aeronaves. A cerimônia contou com a presença do Ministro da Defesa Celso Amorim e do Comandante da Marinha, Almirante Júlio Soares de Moura Neto, além de muitas outras autoridades civis e militares. O ponto alto da cerimônia foi a incorporação oficial dos primeiros helicópteros MH-16 Seahawk ao Primeiro Esquadrão de Helicópteros Anti-Submarino (HS-1).

O novo e o velho. O SH-3D Sea King (N-3012) e o MH-16 Seahawk (N-3035) do Esquadrão HS-1. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok Brasil Team)
Quatro dos IH-6B Jet Ranger III do Esquadrão HI-1 (N-5054, N-5044, N-5056 e N-5046). (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok Brasil Team)
UH-12 Esquilo N-7084 do Esquadrão HU-1 (N-7084). (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok Brasil Team)
Helicóptero AH-11A Super Lynx N-4011 do Esquadrão HA-1, modernizado com um FLIR no nariz. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok Brasil Team)
O UH-14 Super Puma N-7070 do Esquadrão HU-2 fechou o desfile arrastando uma grande bandeira do Brasil, acompanhado pelo IH-6B Jet Ranger III N-5046. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok Brasil Team)

Outro ponto alto foi o sobrevoo na base dos helicópteros de todas as unidades sediadas na base, incluindo um voo em formação de um SH-3D Sea King e um MH-16 Seahawk, ambos do HS-1, provavelmente a última vez que ambos vetores voarão juntos, pois com a chegada dos MH-16, os antigos SH-3 Sea King serão desativados. Sobrevoaram ainda a base os helicópteros IH-6B Jet Ranger III, UH-12 Esquilo,  AH-11A Super Lynx, e fechando o desfile aéreo o UH-14 Super Puma com a Bandeira do Brasil.

O caça AF-1 Skyhawk N-1019 do Esquadrão VF-1 em exibição estática, armado com mísseis Sidewinder e bombas guiadas Mectron SMKB 83. A pintura deste Skyhawk (e apenas dele) tinha um tom nitidamente esverdeado. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok Brasil Team)

Na exposição estática, além de um novo MH-16 Seahawk, estava também presente um AF-1 Skyhawk do Esquadrão VF-1, armado com mísseis Sidewinder e bombas guiadas Mectron SMKB 83, apresentando um diferente tom esverdeado no padrão de pintura.

Outra imagem do helicóptero MH-16 Seahawk (N-3035) em voo. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok Brasil Team)
Bela imagem dos IH-6B Jet Ranger III N-5054 e N-5044 do Esquadrão HI-1. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok Brasil Team)
No Aeroporto Santos-Dumont, foi feita a foto do emblema comemorativo dos 25 anos da unidade HU-2, no helicóptero UH-16 Super Puma N-7070. (Foto: Mauro Lins de Barros / Cavok Brasil Team)

No mesmo dia, mais dois helicópteros Seahawk chegavam no Aeroporto de Cabo Frio, e em breve serão também integrados no HS-1.

Nota do Editor: Agradecemos mais uma vez ao amigo Mauro Lins de Barros pela gentileza em ceder as imagens e o relato do evento realizado em São Pedro da Aldeia.

 

Enhanced by Zemanta

Chegam mais dois Seahawk para Marinha do Brasil

9
Um dos dois primeiros helicópteros Sikorsky MH-16 Seahawk visto na Base Aéreo Naval de São Pedro da Aldeia (BAeNSPA). (Foto: HS-1)

O Aeroporto Internacional de Cabo Frio, no Rio de Janeiro, recebeu nesta quinta-feira, dia 23 de agosto, mais dois helicópteros MH-16 (S-70B) Seahawk para a Marinha Brasileira. Os dois novos helicópteros (N-3032 e N-3036) vieram a bordo de um avião de transporte militar C-17 Globemaster III da Força Aérea dos EUA, assim como ocorreu no final de julho, quando um C-17 pousou pela primeira vez em Cabo Frio trazendo os dois primeiros helicópteros S-70B do HS-1, que divulgamos aqui em primeira mão as imagens.

A previsão inicial era que os segundo lote de dois helicópteros chegasse ao Brasil em setembro, mas a Marinha do Brasil está acelerando a chegada dos novos helicópteros para o Primeiro Esquadrão de Helicópteros Anti-Submarino (HS-1), visando uma rápida substituição dos atuais helicópteros SH-3A/B Sea King do esquadrão.

Os helicópteros SH-3 Sea King estão antigos mas ainda possuem disponibilidade de horas de célula/motor. Os que tiverem ainda condições de operar devem ser vendidos.

Assim como ocorreu com os dois primeiros, os helicópteros que chegaram nessa quinta-feira devem ser preparados e seguir em voo para Base Aéreo Naval de São Pedro da Aldeia, onde ficarão baseados junto ao HS-1. Os dois últimos helicópteros Seahawk devem chegar somente no início de 2013.

Enhanced by Zemanta

Marinha do Brasil realiza com sucesso o lançamento de um MM40 Exocet com motor nacional

123
O míssil MM40 Exocet produzido pela MBDA em parceria com a Avibrás, que desenvolveu nacionalmente o motor do míssil. (Foto: MBDA)

O Cavok Brasil esteve presente num evento realizado no Rio de Janeiro para apresentar o reforço na parceria entre a Avibrás e a MBDA relacionado ao míssil MM40 Exocet com motor desenvolvido no Brasil. No dia 18 de maio passado, a corveta V-34 Barroso realizou o primeiro lançamento de um míssil MM40 Exocet equipado com um motor desenvolvido, fabricado e certificado pela Avibrás em parceria com o grupo europeu MBDA. Com isso, o Brasil passa a participar do seleto grupo de países capazes de produzir motores de mísseis navais superfície-superfície. Apesar da notícia estar relacionada ao assunto de poder naval, uma versão do míssil será testada em breve num helicóptero EC725 da Marinha, e estaremos acompanhando o desenvolvimento.

O evento tem uma impotância extraordinária para o país. Mísseis tem uma vida limitada em estoque. Sua parte mais perecível é o motor-foguete. Passado o tempo de validade, é preciso trocá-lo. É neste ponto que o país pode se tornar vulnerável. Vários cenários desfavoráveis podem se concretizar. O produtor já não tem mais interesse em dar suporte àquele modelo. Ou o país pode sofrer um embargo. Qualquer que seja o caso, o míssil efetivamente deixa de existir.

Assim, a Marinha do Brasil lançou um programa em 2008 para produzir no país o motor de seus mísseis MM40 Exocet. O produtor francês foi contatado e, após negociações, decidiu-se que formaria uma parceria com a Avibrás, não para fazer aqui o mesmo motor original, mas para dar apoio ao desenvolvimento de um motor inteiramente novo no estado da arte da tecnologia. Além disso, a Mectron também foi envolvida no projeto para desenvolver o indispensável sistema de telemetria para controlar os testes.

Até o final de 2013, todo o lote de novos motores terá sido entregue. A próxima etapa deverá repetir o processo com os mísseis MM39 Exocet lançados pelos novos helicópteros EC725.

Texto: Mauro Lins de Barros / Cavok Brasil

Marinha Brasileira realiza exercício de Incidente de Proteção Marítima durante Operação “TROPICALEX”

0
Infiltração do Grupo Especial de Retomada e Resgate dos Mergulhadores de Combate na Fragata “Bosísio”, que representava um navio mercante. (Foto: Marinha do Brasil)

A Esquadra realizou, no período de 17 a 21 de outubro, um exercício de Incidente de Proteção Marítima, em uma área próxima a Vitória (ES). O propósito do evento foi adestrar um grupamento operativo e avaliar seu desempenho na tarefa de retomar uma plataforma dominada por elementos adversos.

A condução do exercício ficou a cargo do Comando da 2ª Divisão da Esquadra. Além de Mergulhadores de Combate, participaram da ação os helicópteros UH-14 “Super Puma”, AH-11A “Super Lynx” e UH-13 “Esquilo”, as Fragatas “Independência” e “Bosísio”, além dos navios da Operação “TROPICALEX”, que se encontravam próximo a área do exercício. A Capitania dos Portos do Espírito Santo apoiou o evento, servindo de base para as operações das aeronaves “Super Puma” e “Super Lynx”.

O cenário criado para o exercício foi o sequestro de um navio mercante estrangeiro por um grupo terrorista, com o propósito de realizar ataques contra plataformas de petróleo na Bacia de Campos.

No início do exercício, foi simulado o acionamento do Sinal de Alerta de Proteção do Navio (SSAS), indicando um possível comprometimento da segurança em um navio mercante. Em consequência desse fato, o Comando de Operações Navais determinou o suspender para o Navio de Serviço da Esquadra (Fragata “Independência”) para investigar o ocorrido. O navio mercante foi representado pela Fragata “Bosísio”.

Helicóptero AH-11A “Super Lynx” voa próximo a plataforma de petróleo. (Foto: Marinha do Brasil)

A Fragata “Independência” realizou contato com o navio “mercante” e constatou a presença de um grupo terrorista a bordo. Este grupo fez, então, diversas exigências e afirmou que, caso não fossem atendidas, a tripulação do navio “mercante” sofreria as consequências.

Tendo em vista essa ameaça e a aproximação do navio sob controle dos terroristas às plataformas de petróleo, foi decidido, então, que o navio deveria ser retomado. A ação ocorreu na manhã do dia 21, tendo a infiltração do Grupo Especial de Retomada e Resgate dos Mergulhadores de Combate sido realizada pelo helicóptero UH-14 por meio de “Fast Rope”. O assalto foi um sucesso, o navio “mercante” foi libertado e os sequestradores presos.

O exercício foi proveitoso em diversos aspectos, além de ter sido uma oportunidade de familiarizar os meios da Esquadra com os documentos que regulam o assunto, inclusive a legislação internacional. O Comandante-em-Chefe da Esquadra, Vice-Almirante Wilson Barbosa Guerra, esteve a bordo da Fragata “Independência” para acompanhar e avaliar o exercício.

Fonte: Marinha do Brasil

Cavok nas redes sociais

61,781FãsCurtir
340Inscritos+1
6,287SeguidoresSeguir
2,505SeguidoresSeguir
10,510SeguidoresSeguir
2,380InscritosInscrever
Anúncios