Notícias de aviação militar e civil, com destaque para fotografias e debate sobre assuntos aeronáuticos
TwitterFacebookGooglePinterestYouTubeEmailRSS

PODER JAPONÊS: Mitsubishi F-2

O Mitsubishi F-2 “Viper Zero” é uma aeronave de combate multifuncional de 4ª geração, desenvolvida e fabricada pela MHI (Mitsubishi Heavy Industries) e Lockheed Martin.

Continue reading

Japão: os projetos aeronáuticos mais importantes do ‘Império do Sol Nascente’

japan-flag

Com o lançamento oficial do Mitsubishi Regional Jet (MRJ) , ocorrido no último dia 18 de outubro, em Nagoya, Japão, muita gente questionou a capacidade japonesa em desenvolver projetos aeronáuticos de grande porte.

Continue reading

FARNBOROUGH: SkyWest assina acordo inicial para compra de 100 aeronaves Mitsubishi Regional Jets (MRJ)

A Mitsubishi Aircraft conseguiu um acordo preliminar com a SkyWest para 100 aeronaves MRJs. (Foto: Mitsubishi)

A Mitsubishi Aircraft Corporation e a SkyWest Inc. chegaram a um acordo inicial onde SkyWest vai colocar uma encomenda firme de 100 jatos regionais da Mitsubishi. As empresas – juntamente com a Pratt & Whitney, que é a única fabricante dos motores turbofan PurePower PW1200G das duas versões da família Mitsubishi Regional Jet (MRJ) – anunciaram o acordo no dia 11 de julho, durante o Farnborough International Airshow 2012.

A SkyWest Inc, que é a holding para duas companhias aéreas regionais que combinadas realizam as maiores operações de aviação regional do mundo, diz que o acordo estabelece as bases para uma relação de negócios que conduzirá a entrega de jatos MRJs da Mitsubishi Aircraft para Skywest a partir de 2017.

O acordo contempla, em princípio, que as aeronaves MRJs da Mitsubishi iriam começar a ser entregues durante 2017 e todos os 100 MRJs estariam entregues antes do final de 2020. A SkyWest ainda não anunciou se a sua encomenda planejadas de 100 aeronaves será especifica para o MRJ70 de 70 assentos, ou do MRJ90, ou ambas as versões.

A SkyWest também não informou se os MRJs serão destinados para a Skywest ou para a subsidiária operacional ExpressJet Airlines, ou ambas as companhias.

“A SkyWest continua empenhada em oferecer liderança inovadora na indústria da aviação regional”, disse Bradford Rich, presidente da SkyWest, Inc. “Este acordo é o produto de uma parceria de cooperação que estamos confiantes que vai criar valor a longo prazo para ambas as partes. Estamos ansiosos para o desenvolvimento contínuo de um relacionamento de longo prazo com os aviões Mitsubishi.”

“A Mitsubishi Aircraft está absolutamente encantada com a expansão de sua presença no mercado [aeronave regional] com um cliente proeminente como a SkyWest”, disse Hideo Egawa, presidente da Mitsubishi Aircraft.

A SkyWest Inc. e a Mitsubishi Aircraft Corporation disseram que pretendem continuar os seus esforços para transformar o acordo inicial num contrato definitivo, nas próximas semanas.

A MRJ recebeu encomendas e compromissos para 130 aeronaves até agora, incluindo 25 (15 firmes, 10 opção) da All Nippon Airways do Japão, 100 (50 firmes, 50 opção) da companhia aérea regional dos EUA Trans States Holdings, e cinco (todos firmes) da ANI Group Holdings.

A Mitsubishi Aircraft Corporation iniciou suas operações no dia 1° de abril de 2008 para realizar o projeto, a certificação de tipo, compras, vendas, marketing e suporte ao cliente do Mitsubishi Regional Jet (MRJ).

Japão continua investindo no seu novo caça de quinta geração, o “Espírito Divino” da Mitsubishi

O Japão está desenvolvendo seu primeiro caça de quinta geração, o ATD-X.

Após os EUA, a Rússia e a China, o Japão pode se tornar o quarto país a ter seu próprio caça de quinta geração. Um novo caça, relativamente pequeno em tamanho e peso, será o primeiro avião de combate desenvolvido independentemente no Japão nas últimas sete décadas, o ATD-X “Espírito Divino”.

A alternativa japonesa

Apesar de encomendar o F-35, o Japão ainda busca ter seu caça de quinta geração nacional.

No início de maio, o Japão encomendou os primeiros quatro caças F-35 norte-americanos. Nesta década, o Japão pretende comprar 42 máquinas deste tipo, continuando após 2020, mas esses planos podem mudar em caso de êxito no desenvolvimento de seu próprio caça japonês, que promete superar o F-35 no conjunto de características.

O novo avião japonês, desenvolvido no âmbito do programa ATD-X (Advanced Technology Demonstrator-X), é relativamente pouco conhecido, e até recentemente sua realização na prática era posta em questão.

O projeto de desenvolvimento foi iniciado em 2004, e ao mesmo tempo foi atribuído ao programa o código ATD-X: o novo avião era considerado um demonstrador de tecnologia, e não se falava da sua utilização prática.

Os voos do novo caça russo T-50 em janeiro de 2010 e do chinês J-20 um ano depois, deram um novo impulso ao trabalho dos japoneses. A incapacidade de adquirir caças F-22 junto com as perspectivas indefinidas (até agora) do F-35 e as capacidades limitadas dessa máquina, levaram as autoridades japonesas a aumentar o financiamento do projeto ATD-X.

Em março de 2012, a fábrica da Mitsubishi em Tobishima, perto da cidade de Nagoya, começou a montagem do primeiro protótipo do ATD-X para testes estáticos. No ano seguinte deve começar a construção de três protótipos voadores, e o primeiro voo do novo caça Mitsubishi, apelidado de Shinshin (a tradução mais próxima do sentido dos hieróglifos ?? que compõem seu nome é “espírito divino”), é esperado em 2014.

Como ultrapassar as limitações?

A aeronave ATD-X vai poder levar armas no compartimento interno.

O caça F-35A que o Japão pode (e planeja) comprar nos EUA tem algumas limitações significativas. Em particular, ele não tem alta capacidade de manobra, tem uma velocidade de cruzeiro subsônica, não tem radar lateral. Em conjunto, isso leva muitos especialistas a avaliar o potencial do F-35 como menor mesmo em comparação com as atuais máquinas de série da geração 4++, como o Su-30MKI e o Su-35S, e como significativamente menor que o F-22 e, potencialmente, o T-50.

Entretanto, os adversários mais prováveis do Japão – a China e a Rússia – estão atualmente rearmado sua aviação com máquinas avançadas de quarta geração, e deverão receber aviões de quinta geração já nos próximos 10 anos. O potencial do projeto chinês J-20, por enquanto, é questionável, mas a probabilidade da força aérea chinesa de obter caças de quinta geração é uma ameaça bastante grande.

Assim, o projeto ATD-X deve dar à força aérea japonesa um novo avião que não terá as limitações do F-35 causadas pelo desejo de construir uma plataforma versátil que atenda aos requisitos de todos os tipos de aviação. Restrições financeiras e tecnológicas não têm muita importância – o Japão é um país bastante rico para poder se permitir até mesmo um caça muito caro, e seu nível tecnológico torna possível desenvolver em um período razoável de tempo todo o equipamento necessário para as novas máquinas, incluindo o motor.

Futuro provável

O novo caça de quinta geração do Japão será desenvolvido pela Mitsubishi.

Tendo em conta o tempo que todos os estados com aviação geralmente levam para desenvolver equipamento militar, o novo caça japonês, se o primeiro voo for realizado em 2014, entrará em série limitada não antes de 2017-18, e em produção em massa – mais próximo de 2020-21. Por esta altura, o Japão irá receber caças F-35 de combate, que entrarão em serviço da força aérea em 2016. Se as características do “Espírito divino” forem bastante altas, no futuro, o Japão poderá deixar de comprar F-35 em larga escala, fazendo uma aposta em sua própria indústria aeronáutica.

Além disso, se o Japão conseguir desenvolver seu próprio motor e tornar o projeto totalmente independente do fornecimento de peças críticas, será possível também sua exportação – pelo menos para diminuir o preço de uma unidade com o aumento dos volumes de produção.

Fonte: Voz da Rússia

Voo inaugural do MRJ adiado 12 meses para o final de 2013

O jato regional Mitsubishi MRJ vai demorar um pouco mais para decolar.

O voo inaugural do jato regional Mitsubishi Aircraft MRJ será adiado para mais de um ano, estando agora previsto para o final de 2013, sendo a ultima previsão estabelecida o segundo trimestre de 2012.

A primeira entrega do MRJ será também adiada em um ano, estando agora prevista para o verão de 2015, com a anterior previsão para o primeiro trimestre de 2014, afirmou a Mitsubishi Aircraft numa breve declaração.

O construtor Japonês afirma que é necessário “confirmar o respectivo processo de construção” e providenciar o tempo suficiente para os estudos técnicos.”

Questionado por mais detalhes sobre estes novos desenvolvimentos, um porta-voz da companhia afirmou que é necessário mais tempo para rever o processo industrial que envolve a produção da aeronave. Acrescentando, que esse mesmo processo necessita da aprovação da entidade responsável pela aviação civil Japonesa (Japan Civil Aviation Bureau.)

O período de validação de todo o processo deverá durar mais tempo do que fora anteriormente previsto, afirma.

A companhia acrescentou ainda que o desenvolvimento do motor que equipará o MRJ está a progredir dentro do previsto, e que segundo as previsões da Pratt & Whitney, o PW1217G deverá efetuar o seu primeiro voo ainda durante este mês de Abril.

Durante o Singapore Airshow realizado no passado mês de Fevereiro, a Mitsubishi em declarações já havia declarado que provavelmente haveria um atraso no programa do MRJ, e que teriam de ser efetuadas algumas alterações no projeto. O porta voz da empresa acrescentou que estes atrasos já teriam sido discutidos com os atuais três clientes da aeronave, mas negou-se a prestar mais detalhes.

Atualmente só três companhias aéreas anunciaram os seus planos para a aquisição do MRJ. A sua ultima encomenda data de há um ano atrás, Junho de 2011, quando a empresa de leasing com base em Hong Kong, ANI Group Holdings, assinou um memorando de entendimento (MOU) para a compra de cinco aeronaves. A ANI faz parte do grupo Indonésio Aero Nusantara Indonesia, uma empresa de MRO (maintenance, repair and overhaul) que também faz contratos de leasing com cinco companhias aéreas Indonésias.

A Japonesa All Nippon Airways (ANA) tem uma encomenda de quinze aeronaves mais 10 opções, e a Americana Trans States Holdings 50 encomendas e mais 50 opções.

Fonte: Flightglobal – Tradução: Cavok

Japão começa a construir o caça ATD-X

Concepção artística do Mitsubishi ATD-X.

Mitsubishi Heavy Industries (MHI) anunciou o começo da montagem em grande escala do modelo estrutural para o protótipo do caça Advanced Technology Demonstrator (ATD-X), também chamado de Shinshin, avançando sobre o cronograma do vôo inaugural para o protótipo programado para 2014.

Shinshin está sendo desenvolvido pela areá de Pesquisa Técnica do Ministério da Defesa Japonês, pelo Instituto de Desenvolvimento Japonês e pela Mitsubishi Heavy Industries. Produzido internamente como caça de quinta geração para substituir no final da década a frota japonesa de 49 F-2 e 135 F-15. Será uma alternativa, ou uma completação, para a compra planejada dos caças F-35 produzidos pela Lockheed Martin.

A aeronave será a primeira aeronave stealth fabricada no Japão.

Em dezembro, em uma decisão controversa, o Ministério da Defesa decidiu comprar 42 F-35 para substituir os F-4EJ Kai Phantoms produzidos na década de 60, a serem entregues a partir de 2016 a um custo de US $ 114 milhões por jato. Mas os contratempos logo aparecerem em fevereiro deste ano, quando as preocupações internacionais sobre a capacidade de os EUA para diminuir custos F-35 chegaram ao Japão. A questão surgiu em Janeiro de 2012 após a decisão do Pentágono em adiar a compra de 179 caças F-35, levando o Ministro da Defesa Japonês Naoki Tanaka em transmissão televisiva a demandar que EUA não aumentem os preços dos aviões.

As origens do projeto Shinshin remete a um antigo desejo Japonês de operar os Lockheed F-22 Raptors, o qual foi bloqueado quando o Congresso dos EUA proibiu a exportação do caça, levando o Japão a comprar o F-35 e desenvolver uma própria alternativa.

O projeto foi lançado em 2009 em meio a preocupações sobre o avanço tecnológico alcançados pela Força Aérea do Exército de Libertação Popular. China lançou seu Chengdu J-20 em janeiro de 2011, e o caça de quinta geração está previsto para entrar em operação já em 2017.

Mitsubishi disse que a montagem estrutural estática para teste em grande escala do ATD-X está a caminhindo para produção de um protótipo de vôo do Shinshin, o qual é se espera o primeiro vôo para 2014. Conclusão do projeto está previsto para março de 2017.

Shinshin contará com vários avanços tecnológicos, incluindo capacidade de empuxo vetorial 3-D, um sistema de controle de vôo fly-by-optics, um radar AESA, contramedidas eletrônicas e, eventualmente, funções microondas de armamento.

Fonte: Defense News – Tradução: Cavok