Saab

fiqueemcasa

Inicio Tags ONU

Tag: ONU

Jatos suecos J29 Tunnan a serviço da ONU

1
Jato J29 Tunnan da Força Aérea Sueca com marcações das Nações Unidas durante operação no Congo.

A primeira vez que a Suécia participou de uma missão aérea da ONU foi na década de 1960, durante a crise do Congo. A unidade sueca consistia em cinco jatos Saab J29 Tunnan e inicialmente não estava envolvida em nenhuma batalha, mas foram os primeiros aviões a jato suecos a realizar operações de combate.

Anúncios

Bélgica considera desdobrar helicópteros NH90 para Mali

0
A Bélgica pode desdobrar helicópteros de transporte NH90 para Mali. (Foto: Carlos Menendez – Imagem ilustrativa)

A Bélgica está considerando contribuir com a Missão de Estabilização Integrada Multidimensional das Nações Unidas no Mali (MINUSMA) com seus helicópteros NH90, disse o Ministério da Defesa do país (MoD).

Aeronaves da FAB poderão participar na próxima missão de paz sob comando da ONU

8
Aeronaves da FAB, como os UH-60L Black Hawk , poderão participar da nova missão de paz do Brasil, sob comando da ONU. Na imagem, um Black Hawk durante uma missão de ajuda humanitária na Bolívia (Foto: Força Aérea Brasileira)

Após os 13 anos de participação no Haiti, o próximo destino dos boinas azuis brasileiros deverá ser no continente africano. Desta vez, o risco será muito maior, com grande possibilidade de ações de combate. Há oito destinos possíveis no continente, todos cenários de violentas lutas civis.

Alemanha defende o desempenho dos helicópteros Tiger em Mali

0
Apesar do recente acidente, o governo alemão defende o desempenho dos seus helicópteros Tiger em Mali. (Foto: Marcus Schlaf – Imagem ilustrativa)

O Ministério da Defesa da Alemanha defendeu na quinta-feira o desempenho de seus helicópteros de ataque Airbus Tiger como parte de uma missão de paz da ONU em Mali, em meio a indícios de que o recente acidente fatal de uma aeronave foi devido a fatores técnicos.

Acidente com helicóptero Airbus Tiger alemão no Mali

4
Um helicóptero de ataque Airbus Tiger alemão caiu no Mali, matando os dois membros da tripulação. (Imagem ilustrativa)

Um helicóptero de ataque Airbus Tiger alemão designado para a missão de paz da ONU no Mali caiu na quarta-feira no deserto do país da África Ocidental, matando os dois membros da tripulação, disseram os militares alemães.

Equipe da ONU elogia aeronaves da FAB que poderão atuar em missões de paz

3

FAB se prepara para atuar em missões de paz em 2018. (Foto: Agência Força Aérea)
Participar de missões humanitárias da Organização das Nações Unidas (ONU) com o emprego de aeronaves militares pode ser uma das novidades da Força Aérea Brasileira (FAB) em 2018. Para atender aos pré-requisitos exigidos, uma comitiva da ONU fez vistorias em três esquadrões aéreos e uma unidade logística da Aeronáutica, localizados em Manaus (AM), Porto Velho (RO) e Rio de Janeiro (RJ) na última semana. O objetivo foi avaliar as condições de emprego dos meios disponibilizados.

FAB: Esquadrão de Black Hawk, em Manaus, passa por vistoria da ONU

20
Diversidade operacional do Black Hawk é diferencial para comitiva da ONU.

O helicóptero H-60 Black Hawk foi apresentado nesta quarta-feira (26/04) à comitiva da Organização das Nações Unidas (ONU) que visitou o Esquadrão Harpia (7º/8º GAV), na Ala 8, em Manaus (AM). A aeronave multimissão da Força Aérea Brasileira (FAB) é uma das cotadas pela instituição para levar o nome do Brasil em missões de paz.

FAB: Dois A-29 Super Tucano são vistoriados para missões de paz da ONU

0
Comitiva da ONU vistoria esquadrão de caça em Porto Velho (RO). (Foto: Agência Força Aérea)

A comitiva da Organização das Nações Unidas (ONU) partiu, nesta terça-feira (25/05), de Manaus (AM) com destino à Ala 6, em Porto Velho (RO), para conhecer o Esquadrão Grifo (2º/3º GAV), da Força Aérea Brasileira (FAB). A unidade aérea emprega os caças A-29, um dos modelos oferecidos pelo Brasil para atuar em missões de paz.

Aeronave C-105 Amazonas da FAB é inspecionada pela ONU

1
Versatilidade do C-105 Amazonas é um dos atrativos para a equipe da ONU.

O C-105 Amazonas, do Esquadrão Arara (1º/9º GAV) – localizado em Manaus (AM), foi o primeiro avião da Força Aérea Brasileira (FAB) a ser inspecionado pela comitiva da Organização das Nações Unidas (ONU) que desembarcou no Brasil no último domingo (23/04). Nesta segunda-feira (24), integrantes participaram de apresentações sobre a atuação e a operacionalidade da aeronave em território nacional e internacional. Caso seja aprovado, a expectativa é que o avião cargueiro seja empregado em missões de paz em 2018.

Rússia não fornecerá caças e tanques ao Irã

3
Su-30SM – VKS, Foto - Maxim Stankevich
Segundo as informações que tem sido divulgadas, o Irã estaria interessado no Su-30SME, que é a variante de exportação do Su-30SM (acima) empregado na Rússia pela VKS e AVMF / © Maxim Stankevich, em caráter ilustrativo

A Rússia não espera fornecer tanques e caças ao Irã, já que esse tipo de plataforma de combate está sujeito a limitações, segundo declarou Andrei Fomin, chefe do serviço federal de Cooperação Técnico-Militar.

“Não, não temos isso previsto”, disse, em resposta a jornalistas. Segundo Fomin, “todas plataformas de combate estão sujeitas a limitações.”

“Quando forem eliminadas as limitações correspondentes, a conversa será provavelmente outra. Atualmente, só se permite enviar armas leves e outros meios não letais, meios de defesa antiaérea e radares”, explicou.

Fomin afirmou que “os tanques, aviões e mísseis ofensivos estão sujeitos a sanções da ONU”.

Apesar de ainda estar sujeito a sanções, o Irã realizou, nos dias 8 e 9 de março, um teste de mísseis balísticos de longo, médio e pequeno alcance. Os lançamentos, efetuados de diversos pontos do território iraniano, provocou fortes críticas do ocidente.

Alemanha e três dos cinco integrantes permanentes do Conselho de Segurança da ONU sugeriram estudar sanções adicionais ao Irã por considerarem que viola a resolução 2231, aprovada em apoio ao Plano de Ação Integral Conjunto.

Su-30M2 – VKS, Foto - Alexander Lebedev
Outras fontes também indicam que o modelo da caça pretendido pelo Irã é o Su-30MK2, que é a variante de exportação do Su-30M2 empregado na Rússia pela VKS / © Alexander Lebedev, em caráter ilustrativo

divider 1

FONTE: Sputnik News

EDIÇÃO: Cavok

NOTA DO EDITOR: Nós já tínhamos informado que essa venda era improvável, por ferir a Resolução 2231 do Conselho de Segurança da ONU, aprovada em 20 de julho de 2015

Para maiores informações, recomendamos a releitura dos artigos abaixo:

EUA afirmam que vetarão eventual venda de caças Su-30 ao Irã

6
Su-30SM – VKS, Foto - Maxim Stankevich
Segundo as informações que tem sido divulgadas, o Irã estaria interessado no Su-30SME, que é a variante de exportação do Su-30SM (acima) empregado na Rússia pela VKS e AVMF / © Maxim Stankevich, em caráter ilustrativo

O subsecretário de Estado dos EUA para Assuntos Políticos, Thomas Shannon, declarou nesta terça-feira (5) que seu país vai usar seu poder de veto no Conselho de Segurança da ONU para bloquear qualquer venda de caças Sukhoi Su-30 ao Irã.

“Nós não aprovaremos a venda”, afirmou Thomas Shannon durante uma audiência da Comissão de Relações Exteriores do Senado americano, destacando que “uma eventual venda de aeronaves de combate ao Irã vai requerer aprovação prévia por parte do Conselho de Segurança das Nações Unidas”.

ENTENDENDO A SITUAÇÃO

Conforme o Cavok já havia informado, no último dia 16 de janeiro, o Conselho de Segurança da ONU suspendeu suas sanções contra o Irã depois que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) confirmou que o país cumpriu as exigências para iniciar o acordo nuclear pactuado em 14 de julho de 2015 com as potências do chamado Grupo 5+1 (Estados Unidos, Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha).

Com o fim das sanções, entretanto, e atendendo ao que foi negociado e pactuado entre o Grupo 5+1 e o Irã, passou a vigorar a Resolução 2231 do Conselho de Segurança da ONU, o texto com o qual o principal órgão de decisão da ONU ratificou o acordo nuclear em 20 de julho do ano passado.

Segundo essa resolução, algumas medidas contra o Irã continuarão em vigor, como é o caso do embargo de armas – que se manterá durante cinco anos – e da proibição de importar compostos para seu programa de mísseis balísticos, que se estenderá por mais oito anos.

No que tange ao embargo de armas, a resolução explicitamente proíbe carros de combate, veículos blindados de combate, sistemas de artilharia de grande calibre, aviões de combate, helicópteros de ataque, navios de guerra.

Sistemas como o S-300 não estão inclusos na Resolução 2231 pelo fato do mesmo se enquadrar como sendo defensivo (terra-ar). No Registro de Armas Convencionais das Nações Unidas, entretanto, os caças Sukhoi são qualificados como ‘aeronaves de combate’, portanto, a venda destes itens ao Irã exige a aprovação e análise prévia, caso-a-caso, por parte do Conselho de Segurança.

Para baixar uma cópia em pdf (104 páginas) da Resolução 2231 do Conselho de Segurança da ONU, aprovada em 20 de julho de 2015, clique aqui.

Su-30M2 – VKS, Foto - Alexander Lebedev
Outras fontes também indicam que o modelo da caça pretendido pelo Irã é o Su-30MK2, que é a variante de exportação do Su-30M2 empregado na Rússia pela VKS / © Alexander Lebedev, em caráter ilustrativo

Para maiores informações, recomendamos a releitura dos artigos abaixo:

divider 1

FONTE: Reuters

EDIÇÃO: Cavok

EUA: fornecimento de aeronaves de combate ao Irã fere resolução das Nações Unidas

18
Su-30SM – VKS, Foto - Artyom Anikeev (2)
Segundo as informações que tem sido divulgadas, o Irã estaria interessado no Su-30SME, que é a variante de exportação do Su-30SM (acima) empregado na Rússia pela VKS e AVMF / Foto: Artyom Anikeev, em caráter ilustrativo

A Casa Branca afirmou nesta quinta-feira (17) que um eventual fornecimento de aeronaves de combate ao Irã, além de violar o embargo de armas imposto pela ONU àquele país, cria um novo impasse relacionado com o acordo nuclear pactuado no ano passado. O Cavok, ontem, já tinha se posicionado sobre este assunto, diante do fato de que alguns sites tem noticiado que os iranianos podem assinar um contrato para aquisição de algumas unidades do caça russo Sukhoi Su-30SM ainda este ano, o que no nosso entendimento era uma alegação demasiada prematura, para não dizer irresponsável.

Sukhoi Su-30 para o Irã: Será mesmo possível?

27
Su-30SM – VKS, Foto - Ilya Nightingale
Segundo as informações que tem sido divulgadas, o Irã estaria interessado no Su-30SME, que é a variante de exportação do Su-30SM (acima) empregado na Rússia pela VKS e AVMF / Foto: Ilya Nightingale, em caráter ilustrativo

Alguns sites tem noticiado que os iranianos podem assinar um contrato para aquisição de algumas unidades do caça russo Sukhoi Su-30SM ainda este ano. O fato de que existem negociações em andamento entre Rússia e Irã tem sido amplamente noticiado pela imprensa internacional. O próprio Cavok já se posicionou sobre o assunto em mais de uma ocasião, divergindo sobre a variante do caça, sempre relatando o desejo iraniano (que é até uma necessidade real) por novas aeronaves de combate. Afirmar, entretanto, que a compra dos caças pode ser realizada ainda esse ano é demasiado prematuro, para não dizer irresponsável. Será que a aquisição das aeronaves é realmente possível?

Helicóptero de general brasileiro é alvejado no Congo

36
Denel Oryx (2)
Helicópteros Oryx, semelhantes ao que levava o general brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz, comandante das tropas da ONU no Congo (Foto: Denel Aviation)

Helicóptero que levava o general brasileiro Carlos Alberto dos Santos Cruz, comandante das tropas da ONU na República Democrática do Congo (antigo Zaire), foi alvo de tiros de grupos rebeldes na segunda-feira (4). A aeronave teve de fazer um pouso de emergência em uma pista de pouso próxima.

Sete aeronaves israelenses invadem espaço aéreo libanês num curto espaço de tempo

16
O Líbano tem declarado que Israel vem violando uma resolução da ONU ao entrar no seu espaço aéreo seguidas vezes com aeronaves militares.

Sete aeronaves militares israelenses entraram no espaço aéreo libanês e sobrevoaram áreas do país, em flagrante violação de uma resolução do Conselho de Segurança da ONU.

Um avião de reconhecimento israelense cruzou o espaço aéreo libanês sobre a cidade fronteiriça do sul de Alma al-Shaab às 7 da manhã, hora local (04:00 GMT) na terça-feira, de acordo com um comunicado divulgado pelos militares libaneses.

O avião não tripulado realizou vôos de vigilância sobre várias áreas no sul do Líbano e Beirute antes de deixar o espaço aéreo libanês por volta das 14:15 hora local (11:15 GMT) ao sobrevoar a aldeia de al-Naqoura, que está situado à 91 km (57 milhas) ao sul de Beirute.

Na segunda-feira, dois aviões de combate israelenses violaram o espaço aéreo libanês sobre a aldeia no sul de Rmeish, às 17:00 hora local (14:00 GMT). Os aviões de guerra deixaram o espaço aéreo mas permaneceram 15 minutos depois voando sobre a fronteira sul do Líbano.

No início de terça-feira, um veículo aéreo não tripulado israelense violou o espaço aéreo libanês sobre o sul da vila de al-Naqoura às 12:10 hora local (09:10 GMT) e sobrevoou as cidades de Baalbek, al-Harmel, e al-Arz. A aeronave sobrevoou a fronteira sul do Líbano às 18:50 hora local (15:50 GMT) e deixou o espaço aéreo do país.

Um drone israelense violou o espaço aéreo do Líbano sobre a cidade fronteiriça de Alma al-Shaab às 11:45 hora local (08:45 GMT) na segunda-feira, e voou sobre áreas do sul do país. Ele deixou espaço aéreo libanês às 16:20 hora local (13:20 GMT).

E dois aviões de guerra israelenses cruzaram o espaço aéreo libanês na segunda-feira sobre a aldeia de Kfar Kila na fronteira, localizado à 96 km (59 milhas) ao sul de Beirute, às 11h05 hora local (08:15 GMT) e sobrevoaram várias áreas do Líbano.

As aeronaves israelense deixaram o espaço aéreo libanês em torno de 12:50 hora local (09:50 GMT) ao sobrevoar a aldeia sul de Rmeish.

Israel violou o espaço aéreo do Líbano quase que diariamente, alegando que os vôos servem para fins de vigilância”, disse o governo libanês.

O governo do Líbano, o movimento de resistência Hezbollah, e a Força Interina da ONU no Líbano, conhecida como Unifil, têm repetidamente condenado os sobrevoos, dizendo que eles são uma clara violação da Resolução 1701 e da soberania do país.

A Resolução 1701 do Conselho de Segurança da ONU, que mediou um cessar-fogo na guerra de agressão contra o Líbano, lançada por Israel em 2006, apela que Israel respeite a soberania do Líbano e a integridade territorial.

Em 2009, o Líbano apresentou uma queixa junto as Nações Unidas, apresentando mais de 7.000 documentos relativos a violações israelenses do território libanês.

Fonte: PressTV – Tradução: Cavok

Enhanced by Zemanta

Resultado Cavok Foto Quiz 11-2 – EADS (CASA) C-212 Aviocar

15
A aeronave CASA C-212-200 da Força Aérea Uruguaia (FAU), nas cores das Nações Unidas, durante visita ao Aeroporto Salgado Filho em Porto Alegre. (Foto: Fábio Fonseca / Aeroentusiasta)

Aos participantes que acertaram meus parabéns, e foram muitos. A aeronave dessa semana é o CASA C-212, que era conhecido como Aviocar, mas a EADS não usa mais essa designação. O turboélice STOL de transporte médio, amplamente utilizado no mundo todo, é utilizado nas versões de transporte civil e militar, e também nas tarefas de patrulha marítima e SAR. O C-212 realizou seu primeiro voo no dia 26 de março de 1971, e foi introduzido em operação em 1974 na Força Aérea da Espanha. A CASA fabricou 478 aeronaves C-212 nas quatro versões, e sob licença, a IPTN da Indonésia fabricou mais de 100 do dos modelos -100 e -200, esse último atualmente em produção. A EADS prevê que ainda serão entregues mais 85 aeronaves C-212-400 até 2016. A foto acima, feita pelo amigo Fábio Fonseca, do site Aeroentusiasta, é de um CASA C-212-200 da Força Aérea do Uruguai (FAU), que recebeu cinco aeronaves entre 1981-82 e atualmente opera com duas, sendo a da imagem acima pintada toda de branco em missão das Nações Unidas (ONU). As aeronaves C-212 da FAU operam junto a Brigada Aérea I, no Esquadrão nº 3, junto ao Aeroporto Internacional de Carrasco, em Montevidéu. Boa semana a todos e até o próximo foto quiz.

Noruega deve participar da operação militar na Líbia

17
Caças F-16 da Noruega estão preparados para partir rumo à Itália, de onde partirão os voos das aeronaves envolvidas na Operação Odisseia do Amanhecer. (Foto: Jamie Hunter / Aviacom)

Seis caças F-16 da Força Aérea da Noruega deverão fazer partedas operações militares da coalisão contra a Líbia após o governo norueguês ter dado a liberação para envio das aeronaves.

No sábado, a Força Aérea da Noruega informou ter seis caças F-16 e 100 militares, entre pilotos e equipes de apoio, prontos para serem destacados na Operação Odisseia do Amanhecer, sobre a Líbia.

As aeronaves de combate decolarão a noite no começo da semana e ficarão baseados na Sicília, na Itália.

“As aeronaves da Noruega estarão aptas a participar de todos tipos de missões, tanto no reforço para zona de exclusão aérea como no bombardeio de alvos militares no solo,” disse o Primeiro Ministro da Noruega Jens Stoltenberg.

ONU aprova zona de exclusão aérea na Líbia

38
Dois caças Eurofighter Typhoon da Força Aérea Italiana voam em formação com um E-3 AWACS da OTAN. (Foto: Eurofighter)

O Conselho de Segurança da ONU aprovou no início da noite de ontem uma resolução que impõe uma zona de exclusão aérea sobre a Líbia. A votação teve dez votos a favor e cinco abstenções, incluindo o Brasil. Não houve votos contrários.

A resolução, elaborada por EUA, Reino Unido, França e Líbano, autoriza ainda o uso de “todas as medidas necessárias” a fim de proteger os civis contra as forças de Muamar Kadafi. Na prática, isso significa a autorização de uma ação militar contra o ditador. Uma invasão por terra, porém, foi descartada.

A embaixadora do Brasil na ONU, Maria Luiza Ribeiro Viotti, disse que o país não está convencido de que o uso da força levará ao objetivo primordial de defesa ao povo líbio e defendeu o diálogo.

Horas antes da votação, o premiê francês, François Fillon, adiantou que Paris estaria disposta a dar início às operações dentro de algumas horas. Os EUA disseram que já preparavam suas forças. Caças britânicos estariam aguardando ordens, prontos para serem despachados ainda ontem. Entre os países árabes, Qatar e Emirados Árabes Unidos podem participar, segundo a Liga Árabe. A medida foi aprovada depois que tropas do ditador avançaram sobre o leste do país, ameaçando Bengazi, segunda maior cidade da Líbia e centro da resistência rebelde.

Kadafi avança a Bengazi e ameaça Mediterrâneo

Reunião do Conselho de Segurança quando foi votada resolução. (Foto: AP)

O regime do ditador Muamar Kadafi elevou o tom das ameaças ontem, horas antes da aprovação da zona de exclusão aérea.

Kadafi anunciou que as Forças Armadas chegarão a Bengazi à noite (horário local) e que não mostrarão misericórdia contra os opositores que resistirem.

“Limparemos Bengazi, toda Bengazi, dos criminosos e de qualquer um que tente ferir nosso líder e nossa revolução. Não teremos piedade”, afirmou O Ministério da Defesa da Líbia também ameaçou atacar o Mediterrâneo. “Qualquer ação militar estrangeira contra a Líbia deixará o tráfico marítimo e aéreo no Mar Mediterrâneo exposto a perigo e civis e militares se tornarão alvos do contra-ataque da Líbia”, afirma comunicado divulgado pela televisão estatal.

“A bacia do Mediterrâneo enfrentará perigo não só de curto, mas também de logo prazo”, completou.

Cavok nas redes sociais

62,540FãsCurtir
340Inscritos+1
6,540SeguidoresSeguir
2,505SeguidoresSeguir
10,510SeguidoresSeguir
2,780InscritosInscrever
Anúncios