Tags Post com a tag "porta-aviões"

Tag: porta-aviões

VÍDEO: Operações no porta-aviões Charles de Gaulle no Afeganistão

1

Vídeo feito pelo canal de televisão TFI da França, mostrando as operações a bordo do porta-aviões francês Charles de Gaulle, que está participando da operação Agapenthe 2010 no Mar da Arábia, e participando de missões de apoio as tropas da coalisão no Afeganistão.

Anúncios

IMAGENS: O Pequeno e o Grande no Afeganistão

5
O porta-aviões USS Abraham Lincoln (CVN 72) (em primeiro plano) navega junto ao Charles De Gaulle (R 91) durante destacamento no Afeganistão. (Foto: Chief Mass Communication Specialist Eric S Powell / U.S. Navy)

Os porta-aviões norte americano USS Abraham Lincoln (CVN 72), da U.S. Navy, e o francês Charles De Gaulle (R 91), da Marinha Francesa, navegaram juntos para uma oportunidade de fotos durante manobras no Mar da Arábia, no dia 10 de dezembro.

As embarcações USS Halsey (DDG 97), USS Abraham Lincoln (CVN 72), Charles De Gaulle (R 91), FS Forbin (D 620), FS Tourville (D 610) e USNS Rainier (T-AOE 7) navegam no Mar da Arábia durante manobras em apoio as operações no Afeganistão. (Foto: Chief Mass Communication Specialist Eric S. Powell / U.S. Navy)

Ambas embarcações estão apoiando as operações aéreas no Afeganistão, sob responsabilidade da 5ª Frota Naval dos EUA.

Porta-aviões britânico HMS Ark Royal chega em Portsmouth para ser desativado

3
O porta-aviões britânico HMS Ark Royal chega no porto de Portsmouth para ser oficialmente retirado de operação. (Foto: MoD UK)

Depois de 25 anos de operação, nessa sexta-feira fria e com neve, centenas de pessoas pararam para ver o navio HMS Ark Royal chegar pela última vez ao seu porto de origem, em Portsmouth, na Inglaterra, antes de ser desativado. O comandante do porta-aviões disse que foi um dia “triste”, segundo a BBC News.

O governo britânico decidiu aposentar a embarcação como parte do plano de corte de 8% nos gastos em defesa através do Strategic Defence and Security Review. O HMS Ark Royal será desativado em janeiro, após um desfile em Portsmouth. Sua tarefa na Royal Navy será inicialmente feita pelo navio de assalto anfíbio HMS Albion.

A quinta embarcação a receber o orgulhoso nome, o Ark Royal foi lançado pela Majestade Rainha Elizabeth no dia 20 de junho de 1981, tenho sido aceito pela Royal Navy no dia 1° de julho de 1985 e comissionado no dia 1° de novembro do mesmo ano. Em novembro deste ano, a rainha Elizabeth II fez uma visita de despedida ao navio. O evento marcou o 25º aniversário da embarcação em serviço.

Durante sua vida corrida o navio foi visto em operação em todo globo terrestre e foi adaptado a partir de sua missão original como um porta-aviões para helicópteros anti-submarino na época da Guerra Fria para uma central de comando para helicópteros e um porta-aviões de ataque nos anos mais recentes.

No começo desse ano o HMS Ark Royal liderou uma força tarefa multinacional durante o Exercício Auriga, onde demonstrou sua versatilidade através da operação de uma ampla gama de aeronaves, incluindo uma Força Conjunta de jatos Harrier GR9 e aeronaves AV-8B Harrier do U.S. Marine Corps, bem como helicópteros Chinook, Apache, Sea King, Merlin e Lynx.

Porta-aviões britânico HMS Invincible é colocado a venda na internet

4
No pacote do HMS Invincible colocado a venda na internet não estão inclusas as aeronaves Sea Harrier.

Após 32 anos de serviço com a Royal Navy, a Marinha Real Britânica, o porta-aviões HMS Invincible está pronto para venda através do site da Disposal Service Authority – o equivalente governamental do eBay.

O HMS Invincible foi retirado de operação devido a cortes do orçamento de defesa mas poderá arrecadar £2 milhões após ter sido colocado a venda no site com estilo similar ao eBay.

O porta-aviões no site edisposals.com do Ministério da Defesa do Reino Unido.

Este é um fim infame para o navio que serviu a Royal Navy entre os anos de 1973 e 2005, e participou das guerras das Falklands, Balcãs e Iraque antes de sair de operação em 2005.

O Ministério da Defesa entende que poderá arrecadar os £2 milhões após ter colocado a embarcação de 17.000 toneladas a venda no site edisposals.com.

Mas até agora não foram recebidos lances para o Invincible, o qual é listado no site como “em estoque”.

Enquanto operava, o navio era movido por quatro motores convencionais Rolls-Royce que faziam com que ele atingisse uma velocidade máxima de 28 kts, e possuísse uma autonomia de 7.000 milhas náuticas. Ele era equipado com 18 caças Sea Harrier, quatro helicópteros Sea King e levava cerca de 1.050 soldados a bordo.

O navio passou por uma grande reforma em 2004 mas foi retirado de operação em 2005 com uma previsão de que poderia ser “reativado” 18 meses após a crise ter passado. Mas durante os anos, os motores, válvulas e outras peças foram canibalizadas para serem utilizadas em outras embarcações. Do seu peso total de 17.000 toneladas, 10.000 é composto de metal o qual pode ser atrativo para ferro-velho.

A Leavesley International disse estar interessada em utilizar o navio para ferro-velho. O gerente de operações da companhia, Stuart Halsley, disse: “Eu ainda não tomei a decisão. Eu ainda estou pesquisando preços. Certamente existem muito navio ainda mas alguém que esteja olhando o trabalho precisa olhar para os custos envolvidos.'”

Os lances para o navio deverão ser postados no site até o dia 5 de janeiro de 2011.

O Invincible devia ter sido vendido para a marinha Australiana por £175 milhões em 1982 mas o acordo não ocorreu devido ao início da Guerra das Malvinas ocorrido no mesmo ano.

O navio foi fabricado em Barrow-in-Furness pela Vickers Ship Building & Engineering. Ele foi lançado na água em 1973 e se uniu a frota real no dia 3 de maio de 1977.

Fonte: The Telegraph – Tradução: Cavok

VÍDEO: Porta-aviões George Washington inicia exercício militar com a Coreia do Sul

2

O porta-aviões nuclear norte americano USS George Washington (CVN 73) que já está na Coreia do Sul, iniciou hoje os exercícios militares com a Força Aérea da República da Coreia (RoKAF). No vídeo acima, um caça F/A-18E Super Hornet da U.S. Navy pousa a bordo do porta-aviões após um voo realizado na península coreana.

VÍDEO: Últimos caças Harrier deixam o porta-aviões britânico HMS Ark Royal

4

Os últimos caças Harrier GR9 da Royal Air Force (Força Aérea Britânica) e Royal Navy (Marinha Britânica) embarcados no porta-aviões HMS Ark Royal fizeram suas últimas decolagens nessa manhã do dia 24 de novembro, levando ao fim 30 anos de operações com aeronaves de asa fixa na Armada Aérea da Frota com as aeronaves e o porta-aviõe se despedindo das forças armadas.

As duas últimas aeronaves fizeram várias passagens ao lado do Ark Royal antes de seguirem para Base da RAF de Cottesmore.

Quatro aeronaves Harrier, dois do Esquadrão 1(F) da RAF e dois do Esquadrão Aéreo Naval 800 partiram às 9 horas, assistidos pelos membros da embarcação. O último piloto a deixar o navio foi o Lt Cdr James Blackmore, um piloto da marinha atualmente servindo no Esquadrão 1(F). Todos quatro Harriers retornaram para Base da RAF de Cottesmore, em Rutland, após praticarem algumas manobras de combate aéreo 2×2.

O porta-aviões HMS Ark Royal retornará para Portsmouth no dia 3 de dezembro para ser retirado de operação, mas seu futuro ainda é incerto, bem como da frota de caças Harrier, os quais terão as operações suspensas no dia 16 de dezembro.

A última viagem do porta-aviões britânico ‘Ark Royal’

5
O porta-aviões britânico HMS Ark Royal parte para sua travessia de despedida pela costa escocesa.

O navio-almirante da marinha de guerra britânica, o porta-aviões ligeiro HMS Ark Royal, percorre as águas junto à costa escocesa naquela que é a sua última viagem. No final deste ano será desativado no âmbito da restruturação do sector da defesa, resultante das restrições orçamentais e da necessidade de reduzir em cerca de 8% das despesas nesta área.

Com as suas 22 mil toneladas, o HMS Ark Royal esteve no serviço ativo durante 25 anos, sendo o quinto navio com este nome na história da marinha de guerra britânica. Construído em 1978, entrou ao serviço em julho de 1985, sendo um pouco mais longo, com os seus 213 metros, do que os restantes porta-aviões britânicos, o HMS Invincible e o HMS Illustrious. Equipado com quatro motores Olympus, os mesmos utilizados nos Concorde, o HMS Ark Royal pode atingir os 30 nós.

Concebido no auge da Guerra Fria, estava vocacionado para o combate anti-submarino, podendo transportar até 22 aparelhos de combate, entre caças e helicópteros.

Fonte: DN Globo

Cavok nas redes sociais

61,365FãsCurtir
340Inscritos+1
6,192SeguidoresSeguir
10,510SeguidoresSeguir
2,250InscritosInscrever
Anúncios