Saab

fiqueemcasa

Inicio Tags Shows aereos

Tag: shows aereos

SHOW AÉREO: Air Expo da Base Conjunta Lewis-McChord – McChord/Washington

4
O destaque principal do Air Expo, a equipe de demonstração aérea da USAF, os Thunderbirds e seus caças F-16. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Nos dias 21 e 22 de julho (sábado e domingo), a Base Conjunta Lewis-McChord (JBLM), localizada no Estado de Washington, realizou a primeira edição do Air Expo. Até então, o show aéreo era realizado a cada dois anos na Base Aérea de McChord, que agora está operando integrada ao Fort Lewis do Exército dos EUA. Por isso que os destaques de 2012 foram os principais esquadrões de demonstração dos dois serviços: os Thunderbirds, da Força Aérea dos EUA, e a Equipe de Paraquedistas do Exército, os Golden Knights. Acompanhe conosco mais uma cobertura de um ótimo show aéreo nos EUA, em mais de 190 imagens.

Placa localizada na entrada da Base Conjunta Lewis-McChord. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Uma das estrelas do Air Expo na Base Conjunta Lewis-McChord foi o bombardeiro stealth B-2 Spirit que fez três passagens baixas no sábado, dia 21 de julho. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Vista aérea da Base Conjunta Lewis- McChord (JBLM). (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Na entrada da base estão expostas duas grandes aeronaves que serviram em McChord, um Globemaster e um Starlifter. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

O evento contou com um público de quase 150 mil pessoas entre os dois dias que veio apreciar quase 20 demonstrações aéreas, e mais dezenas de aeronaves de todos tipos na área da exposição estática. Durante a tarde, o show aéreo foi ininterrupto, contando com esquadrões de demonstração, passagens dos três atuais bombardeiros da USAF, acrobacia aérea, demonstrações de caças de combate e helicópteros militares e paraquedismo.

As aeronaves de transporte C-17 Globemaster III da Base Aérea de McChord. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O T-34 Mentor do Centro de Pesquisas de Voo Dryden da NASA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A fortaleza voadora B-17G “Sentimental Journey”. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O belo Catalina SA-10A do McChord Air Museum. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Logo na entrada já era possível ver os gigantes de transporte militar C-17 Globemaster III baseados em McChord, com diversas aeronaves militares em volta. A Marinha dos EUA também esteve presente com um F-18F Super Hornet do esquadrão VX-31 da Estação Naval de China Lake, aviões de guerra eletrônica EA-18G Growler do VAQ-129 da Estação Naval de Whidbey Island e um T-45C. A NASA veio com um T-34 Mentor do Centro de Pesquisa de Voo Dryden, da Base Aérea de Edwards. A Guarda Aérea Nacional esteve presente com F-16D do esquadrão “Lone Star Gunfighters” do Texas e um F-15C do “Redhawks” de Oregon. Dentre os Warbirds estavam incluidos o B-17G “Sentimental Journey”, um T-28 Trojan e um AT-6 Texan. A USAF destacou ainda dois bombardeiros estratégicos B-1B Lancer da Base Aérea de Dyess, com um permanecendo em exposição estática, enquanto o outro realizou demonstrações aéreas nos dois dias. Além disso, a base aérea possui o McChord Air Museum, que deixou em exposição um C-130, um Catalina SA-10A, e um CL-41A Tutor nas cores da Força Aérea Canadense.

O KC-10 Extender da USAF. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Pátio das aeronaves de grande porte, com a presença de três C-17, um KC-10, um KC-135 e um AC-130H Gunship, além dos jatos EA-18G Growlers e A-10C Thunderbolt II. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Um C-17 visto de cima de um A-10. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Detalhe do AC-130H Spectre da Base Aérea de Cannon com as marcas das “vítimas” pintadas na parte da frente. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Mas numa outra área de exposição estática estavam as grandes aeronaves militares, como o KC-10 da Base Aérea de Travis, um KC-135 da Base Aérea MacDill, e uma aeronave que chamou muita atenção: um AC-130H “Gunship Spectre” da Base Aérea de Cannon, o qual estava armado com um obuseiro lateral de 105 mm e um canhão Bofors de 40mm. A aeronave permanece em operação constante no Afeganistão e por isso é difícil ver ele nos shows aéreos pelos EUA. Mais interessante foi ver as marcações de “vítimas” das armas da aeronave pintadas logo abaixo do parabrisa da aeronave.

A aeronave de ataque A-10C Thunderbol II da Base Aérea de Davis-Monthan. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Chegada de um helicóptero CH-47 Chinook. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O helicópteros de escolta armada OH-58 Kiowa Warrior. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Bill Braack e seu carro a jato Smoke-n-Thunder, e Tim Weber com o Extra 300S. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Estavam ainda presentes na área estática dois aviões de ataque A-10 Thunderbolt II da Base Aérea de Davis-Monthan que também fornecem apoio aéreo aproximado para as tropas terrestres. O Exército dos EUA compareceu com uma grande quantidade e variedade de helicópteros, muitos dos quais baseados na JBLM, incluindo um AH-64 Apache Longbow, variantes de transporte CH-47 e MH-47G Chinook, utilitários LUH-72 Lakota e MH-60L Blackhawk, e um modelo de escolta armada OH-58 Kiowa Warrior. Na pista, teve ainda Bill Braack e seu Smoke-n-Thunder Jet Car, sim, um carro movido a turbina a jato!

Um paraquedista do 22° Esquadrão de Táticas Especiais desce com a bandeira dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Herb Baker e seu T-28 Trojan “Ditto” durante a apresentação junto aos paraquedistas. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Os helicópteros UH-1 Huey e AH-1 Cobra do Olympic Flight Museum. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Greg Colyer e seu T-33 Shooting Star “Ace Maker”. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Mas foi o show da tarde que realmente chamou o público para o evento, que começou com a equipe de paraquedistas do 22° Esquadrão de Táticas Especiais que saltou de um C-17, e desceu juntamente com a bandeira dos EUA, enquanto Herb Baker a bordo de seu T-28 Trojan “Ditto” (Herb & Ditto T-28 Trojan Aerobatics) fazia círculos ao redor do paraquedista, logicamente com a entoação do hino nacional norte americano. Em seguida vieram os helicópteros militares da época da Guerra do Vietnã, um UH-1 Huey e um AH-1 Cobra do Olympic Flight Museum, que juntos realizaram uma impressionante demonstração de combate. Na sequência, Greg “Wired” Colyer realizou uma apresentação com seu jato de treinamento T-33 Shooting Star “Maker Ace”, com direito a loopings e passagens em alta e baixa velocidades.

Demonstração tática do C-17 Globemaster III da Base Aérea de Hickam. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Vista aérea do C-17 durante aproximação para pouso na Base Conjunta Lewis-McChord. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A piloto Vicky Benzing a bordo do FESTO Extra 300. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A impressionante decolagem do B-1B Lancer da Base Aérea de Dyess, Texas. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Numa das passagens, o B-1B com pós combustão aplicada criou vapor sobre as asas. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

A Base Aérea de Hickam, no Havaí, levou para a JBLM um avião de transporte tático militar C-17 Globemaster III que demonstrou as capacidades de voo em baixa velocidade e de pouso curto da aeronave de carga, que também é capaz de operar em pistas semipreparadas e inclusive andar de ré apenas com o reverso de seus potentes motores. Entrou em cena então a piloto civil Vicky Benzing no seu FESTO Extra 300. Logo após surgiu o poderoso bombardeiro B-1B Lancer da Base Aérea de Dyess, com o piloto Major Jim “SLAC” Corrigan e sua tripulação. A primeira passagem foi em baixa velocidade, com as asas estendidas, mas logo em seguida retraiu as asas e realizou duas passagens em alta velocidade com o pós combustor a pleno. No final ainda realizou uma passagem baixa com trem de pouso baixado.

A aeronave C-31A Troopship decola com a equipe de paraquedismo Golden Knights do Exército dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A equipe Golden Knights prepara-se para mais uma apresentação. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Um paraquedista dos Golden Knights no momento que saltava do C-31A. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Dois membros dos Golden Knights no momento que chegavam no solo. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Dentro do C-31A dos Golden Knights, o Sargento Leroy A. Petry, condecorado com a Medalha de Honra em 2011, por ato heróico no Afeganistão em 2008, quando salvou dois soldados e acabou perdendo a mão direita. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Vista aérea do pátio de aeronaves da Boeing, com vários 787 Dreamliners no primeiro plano e um P-8I da Marinha da Índia ao fundo. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Foi a vez então da equipe de paraquedistas do Exército dos EUA, os Golden Knights, que demonstrou as habilidades de paraquedismo que já conquistou diversas medalhas em competições internacionais. Os membros saltam em pares de uma aeronave C-31A Troopship, um Fokker F-27 militarizado, e depois se juntam em queda livre antes de abrir os paraquedas. No domingo, a equipe Golden Knights decolou com o Sargento Leroy A. Petry, que recebeu a Medalha de Honra em 2001 por atos heróicos em 2008 no Afeganistão. Mas devido as más condições do tempo, o salto do sargento não foi possível. Estávamos a bordo do C-31A para acompanhar o voo e também possibilitando fotos aéreas do pátio da base e de algumas aeronaves quase prontas no pátio da fabricante Boeing, incluindo vários 787, um P-8I da Marinha da Índia e um 767 AWACS do Japão.

Dois jatos L-39 do Patriots Jet Team. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Um L-39 dos Patriots numa passagem baixa. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Passagem final dos Patriots com a parede de fogo ao fundo. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Passagem do bombardeiro B-52H da Base Aérea de Minot. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Uma equipe de demonsração civil muito aguardada era a Patriots Jet Team, a qual inclui ex-pilotos dos Thunderbirds, Blue Angels e Snowbirds, e que voam com seis jatos L-39C pintados nas cores preta e vermelha, e que deixavam um rastro de tinta colorida. No final da apresentação ocorria a parede de fogo com os jatos passando baixo em formação delta. Somente no sábado, após os Patriots, um bombardeiro estratégico B-52H Stratofortress da Base Aérea de Minot, que completou 50 anos de operação, realizou uma passagem baixa sobre McChord.

A aeronave de observação O-1 Bird Dog. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A aeronave de apoio aéreo aproximado A-1D Skyraider. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Numa simulação, o helicóptero AH-1 fornecia cobertura aérea e o UH-1 Huey resgatava o piloto abatido. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O B-2 Spirit surge no céu, vindo por trás da Torre de Controle da Base Aérea de McChord. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O B-2 veio da Base Aérea de Whiteman e realizou três passagens sobre o Air Expo. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Após o B-52 foi a vez de uma apresentação de busca e salvamento em combate (CSAR) da era da Guerra do Vietnã, que contou com as aeronaves O-1 Bird Dog que avistava um piloto abatido e chamava um A-1D Skyraider “The Proud American” para fornecer apoio aéreo aproximado. Depois de várias passagens do A-1D, surgia os helicópteros AH-1 Cobra para proteção do piloto e o UH-1 Huey para resgatar o piloto abatido. Após encerrar a coreografada apresentação, um raro avião surge no céu para três passagens. Um bombardeiro invisível B-2 “Spirit of Ohio” veio da Base Aérea de Whiteman durante um voo de treinamento, e fez a felicidade dos fotógrafos no sábado.

O piloto da Guarda Aérea Nacional John Klatt e seu Panzl S330. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Lee Lauderback e seu P-51D Mustang “The Little Witch”. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O Capitão Garret “Mace” Dover a bordo do F-16C do Viper West Demo Team da Base Aérea de Hill. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O Heritage Flight realizado com o F-16 do Viper West e o P-51D Mustang “The Little Witch”. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Tim Weber e seu GEICO Extra 300S. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Agora era a vez das apresentações solo, iniciando com John Klatt que demonstrou suas capacidades acrobáticas surpreendentes no Panzl S330 da Air National Guard MXS Aerobatics. O piloto Klatt é tenente coronel da Guarda Aérea Nacional. Em seguida surgiu no céu Lee Lauderback com seu P-51D Mustang “The Little Witch”. Depois do Mustang, outro famoso caça norte americano, numa rara aparição na temporada de shows em 2012, o F-16 Falcon do Viper West Tactical Demonstration. O Capitão Garrett “Mace” Dover não perdeu tempo e logo colocou seu caça em voo aplicando pós-combustão e puxando altos G’s na decolagem. A apresentação teve um tempo menor do que normalmente executado pela equipe, mas em seguida o caça F-16 entrou em formação com o Mustang para o Heritage Flight, com três passagens com os dois caças lendários. Terminando as apresentações solo estava Tim Weber com seu GEICO Extra 300S numa ótima performance acrobática.

Os Thunderbirds com os caças F-16 fecharam os dois dias de apresentações aérea no Air Expo da Base Conjunta Lewis-McChord. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

[nggallery id=10]

No final dos dois dias de show ocorria o evento mais aguardado pelo público, a apresentação da Equipe de Demonstração Oficial da Força Aérea dos EUA, os Thunderbirds com seus caças F-16C/D. Quem já viu um show deles sabe que a união de uma ótima trilha sonora e as manobras arrojadas e precisas dos caças conseguem prender o público. Para os fotógrafos, uma excelente oportunidade de fotografar os jatos pintados nas cores norte americanas contrastando com o céu aul e o Monte Rainier de fundo.

[nggallery id=9]

O Monte Rainier servia de pano de fundo nas apresentações em McChord. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Agradecemos ao amigo Ricardo von Puttkammer por ceder gentilmente mais essas espetaculares imagens.

Anúncios

SHOW AÉREO: Vectren Dayton Air Show – Dayton/Ohio

6
As duas aeronaves QF-4E Phantom II do 82° Esquadrão de Alvos Aéreos da Base Aérea de Tyndall, Flórida, realizam uma passagem em formação com o P-51 Quick Silver. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Mais uma vez o Cavok Brasil esteve presente no anual Vectren Dayton Air Show, realizado entre os dias 7 e 8 de julho no Aeroporto Internacional de Dayton, em Vandalia, Ohio. A 38ª edição contou com a presença do esquadrão de demonstração da Marinha dos EUA, os Blue Angels, e diversas aeronaves da Força Aérea dos EUA, que sempre comparece em peso no evento localizado no berço da aviação dos EUA. Acompanhe conosco a cobertura do evento com quase 200 fotos.

O jato QF-4E Phantom II sobrevoa a torre de controle do Aeroporto Internacional de Dayton. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O público presente no Vectren Dayton Air Show 2012. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A torre de controle do aeroporto visto na noite de sexta-feira, quando ocorreu o show aéreo noturno. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

O público esse ano novamente reduziu, um pouco por causa do calor extremo do verão nos EUA, mas mesmo assim, cerca de 47 mil pessoas compareceram ao evento. O local conta com ótimos locais para realização das fotos, e junto ao aeroporto de Dayton está localizado o Museu Nacional da Força Aérea dos EUA, visita obrigatória para quem comparece no show aéreo.

A bandeira dos EUA descendo com uma paraquedista da equipe Misty Blues. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A equipe de paraquedismo Misty Blues, composta apenas por mulheres, desce com as bandeiras, e é acompanhada pelo Extra 330SG do piloto Mike Goulian. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Caças F-16C da Guarda Aérea Nacional de Ohio rasgam o céu na abertura do show aéreo em Dayton. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

A abertura do show aéreo nos dois dias, como de costume, foi com o Hino Nacional dos EUA, que tocava enquanto uma paraquedista descia junto com a bandeira dos EUA. A equipe de paraquedismo escolhida foi a Misty Blues, composta somente de mulheres. Enquanto a paraquedista descia, um Extra 330SG pilotado por Mike Goulian efetuava círculos ao redor dela. Na sequência, uma passagem em alta velocidade de dois caças F-16Cs Block 42 do 112° Esquadrão de Caça, da 180ª Ala de Caça da Guarda Aérea Nacional de Ohio deu início as demonstrações aéreas. Os caças eram pilotados no sábado pelo tenente-coronel Aric “Diver” Dimeff e Tenente Coronel John “Skeeter” Silance, e no domingo eles foram voados pelo Major Nick “Waldo” Zetocha e o Capitão Dustin “Wayst” Buchenroth.

A rara apresentação em voo de dois jatos Phantom II juntamente com um P-51. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Um dos “alvos aéreos” QF-4E Phantom II da Base Aérea de Tyndall. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
No domingo o Heritage Flight foi realizado apenas com um Phantom II e o Mustang. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Um dos jato de combate Phantom II durante uma passagem no domingo. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Um dos destaques desse ano (visto na foto de abertura da matéria) foi a passagem no sábado de dois QF-4Es Phantom II do 82º Esquadrão de Alvo Aéreo (82ATRS) da Base Aérea de Tyndall, Flórida, que voaram em formação com o P-51 Mustang “Quicksilver” com o piloto Vlado Lenoch nos comandos. Mesmo nos EUA, é raro ver dois Phantoms em voo ao mesmo tempo. No dia seguinte, o Heritage Flight da USAF foi realizado apenas com um QF-4E e o P-51.

O jato de ataque A-4B Skyhawk totalmente restaurado pela Warbird Heritage Foundation. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O jato Sea Harrier F/A2 de Art Nalls, durante uma passagem no dorso sobre a pista. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O Sea Harrier civil realizou pousos e decolagens verticais no Dayton Air Show. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Um jato de ataque Douglas A-4B, que foi restaurado pelo Warbird Heritage Foundation, e que tinha na cabine o piloto Paul Wood voou nos dois dias. A aeronave estava nas cores do jato A-4C que foi voado pelo Tenente Coronel Ted “TR” Swartz, que derrubou um MiG-17 em 1967 no Vietnã do Norte. Uma atração em Dayton este ano foi a apresentação do único BAE Sea Harrier civil do mundo, de propriedade do aposentado piloto dos Fuzileiros Navais dos EUA Art Nalls. Durante a apresentação o jato Sea Harrier F/A2 realizava pousos e decolagens verticais. A aeronave esteve presente em 2010 no AirVenture em Oshkosh.

A impressionante passagem do bombardeiro B-52 da Força Aérea dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O rastro de fumaça preta dos oito motores TF33 do bombardeiro B-52. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A apresentação pirotécnica Tora! Tora! Tora! com aeronaves da Segunda Guerra Mundial. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
As passagens dos aviões de combate da Segunda Guerra Mundial contavam com efeitos especiais de pirotecnia. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

No sábado, um gigante bombardeiro Boeing B-52H fez uma passagem sobre Dayton, deixando um rastro de fumaça preta característico dos seus oito motores Pratt & Whitney TF33. O evento em Dayton também contou com a presença da equipe de voo Tora! Tora! Tora! da Comemmorative Air Force (CAF), sediada em Midland, Texas. A apresentação conta com aeronaves transformadas para se parecer com os aviões japoneses usados no ataque real durante a Segunda Guerra Mundial. Durante as passagens sobre a pista, a equipe simula explosões e os sons ouvidos durante a guerra. As aeronaves foram utilizadas pela primeira vez no filme Tora! Tora! Tora! de 1960, e desde então são mantidas em voo e se apresentam em diversos shows aéreos pelos EUA. No domingo, a passagem em voo ficou por conta de uma aeronave B-17 “Yankee Lady”, com o piloto Major “Dutch” Van Kirk.

Um T-6 Texan do Museu Nacional Tuskeegee. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Apresentação solo do P-51 Mustang “Quicksilver”. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A apresentação de wingwalking com o casal Gene Soucy e Teresa Stokes a bordo do colorido Grumman Showcat. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Gene Soucy no show aéreo noturno de sexta-feira. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

As comemorações dos 75 anos do incrível avião de treinamento Piper J-3 foi lembrado em Dayton. Ainda foi possível ver um T-6 do Museu Nacional dos Aviadores Tuskeegee, o P-51 Quicksilver se apresentando em voo solo, com o piloto Scott “Scooter” Yoak, e Gene Soucy com seu Grumman “Show Cat”, realizando apresentação de acrobacia e também de wingwalking com a mulher Teresa Stokes sobre a asa. esse ano, Gene Soucy realizou a primeira apresentação noturna em Dayton, ocorrida na sexta-feira.

Um jato de guerra eletrônica EA-18G Growler da Marinha dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A aeronave de vigilância CT-142 Dash 8 das Forças Armadas Canadenses. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O DC-3 Flagship Detroit na chegada em Dayton. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Momentos antes do por-do-sol na sexta-feira, dois jatos de guerra eletrônica EA-18G Growlers realizaram uma passagem e depois seguiram para área estática, que contava com diversas aeronaves das forças armadas dos EUA, além de um CT-142 Dash 8 da Força Aérea Canadense, pertencente a Canadian Forces Air Navigation School (CFANS). Outro destaque na área estática era do DC-3 da Flagship Detroit Foundation, nas cores da American Airlines.

Os caças F-18 Hornets dos Blue Angels. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A precisão e as manobras arriscadas são os destaques da apresentação dos Blue Angels. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O show aéreo em Dayton ocorre no aeroporto internacional, que fecha uma das pistas para a realização das apresentações. Na foto acima, os Blue Angels na linha de voo enquanto um MD-83 da Delta decola ao fundo. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Close de um F-18 Hornet dos Blue Angels. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O KC-130T “Eddie” de apoio aos Blue Angels. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Em ambos os dias, o show aéreo terminava com a apresentação dos sete caças F-18 Hornets dos Blue Angels. Uma ausência sentida esse ano foi a do C-130 “Fat Albert”, que ainda está passando por manutenção. A equipe está sendo apoiada ns shows aéreos pelo “Eddie”, um KC-130T dos Marines. Outra presença sentida no evento foi a da Esquadrilha da Fumaça da Força Aérea Brasileira, que cancelou a participação no mês de junho, devido a cortes no orçamento.

O Extra 330SG de Mike Goulian. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Final da tarde em Dayton. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Como informado no site do evento, era possível realizar voos a bordo de helicópteros de combate da época da Guerra do Vietnã. Um passeio num UH-1H Huey, incluindo a presença de veteranos da Guerra do Vietnã, custava US$ 50, e num AH-1F Cobra custava US$ 450.

[nggallery id=7]

Outras aeronaves em exposição estática foram:

Força Aérea dos EUA:

Um dos dois F-15E Strike Eagle presentes em Dayton. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O gigante C-17 Globemaster III na área de exposição estática. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
  • C-27J Spartan (Guarda Aérea Nacional)
  • C-17 Globemaster III
  • F-15E Strike Eagle (2)
  • EC-130J
  • E-3 AWACS
  • F-16C Fighting Falcon (2)
  • T-1 Jayhawk
  • RC-135

Exército dos EUA:

Detalhe de um AH-64 Apache do Exército dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
  • UH-60 Blackhawk
  • AH-64 Apache (2)

Guarda Costeira dos EUA:

Um dos 14 aviões HC-144A Ocean Sentry em operação com a Guarda Costeira dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
  • HC-144A Ocean Sentry

Marinha dos EUA:

Um dos aviões de treinamento T-6B Texan II da Marinha dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
  • T-6 Texan II (2)
  • TH-57 Sea Ranger
  • EA-18G Growler
  • HH-60 Seahawk

Outras:

Um hidroavião Grumman Goose estava entre as aeronaves na exposição estática. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
  • Boeing 727 Fedex
  • B-25 Mitchel “Champaign Gal”
  • Grumman Goose
  • P-51D Mustang “Baby Duck”

Mais uma vez agradecemos ao amigo Ricardo von Puttkammer pelo envio das belas imagens e do relato do evento.

SHOW AÉREO: Canadian Warplane Heritage (Hamilton Air Show) – Ontario/Canadá

7
O Capitão Patrick “Paco” Gobeil do CF-18 Demo Team da Força Aérea Canadense foi o ponto alto do Hamilton Air Show 2012. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Nos dias 16 e 17 de junho, o Canadian Warplane Heritage Museum (CWHM) realizou o tão aguardado show aéreo, chamado de Hamilton Air Show que é o nome do aeroporto, que comemorava os 40 anos do museu localizado na cidade de Mt. Hope, em Ontario, Canadá. O final de semana de tempo bom reuniu diversas aeronaves modernas e históricas, incluindo um já conhecido caça e seu piloto: o CF-18 Hornet e o Capitão Patrick “Paco” Gobeil, que estiveram no Brasil para o aniversário de 60 anos do EDA.

O Avro Lancaster do acervo do museu canadense. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Réplicas de caças da Primeira Guerra Mundial, incluindo um Fokker Dr.I. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Os Snowbirds foram um dos destaques do show aéreo no Aeroporto Internacional de Hamilton. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Os dois dias do show aéreo realizado no Hamilton International Airport, em Mt. Hope, reuniou cerca de 100 aeronaves e mais de 30.000 visitantes que foram acompanhar as demonstrações das aeronaves da Força Aérea canadense e também do acervo do museu. A Força Aérea dos EUA esteve presente com dois A-10 Thuderbolt e um C-130J Hercules. O show aéreo anual do museu não ocorria desde 2001, devido aos atentados de 11 de setembro.

Um paraquedista do Hamilton Sport Club na abertura do evento aéreo. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Bombardeiro Avro Lancaster Mk X. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Lysander IIIA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Fairey Firefly Mk VI. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
North American B-25J Mitchell “Hot Gen”. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Consolidated Canso. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Boeing B-29 Superfortress “FiFi”. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

O show sempre começava com o salto de paraquedas do Hamilton Sport Club a partir de um Beech 18 Expeditor. Em seguida vinha um desfile aéreo com as aeronaves do acervo do museu canadense: Lancaster Mk X, Lysander IIIA, Fairey Firefly Mk VI, B-25 Mitchell, Consolidated Canso. Uma aparição esperada pelos apaixonados por bombardeiros foi a da B-29 “Fifi” da Commemorative Air Force (CAF), que realizou uma passagem juntamente com outras aeronaves da Segunda Guerra Mundial. Algumas aeronaves do acervo do museu, como o B-24 Liberator, Focke-Wulf 190, outro Lysander e o Wildcat FM-2 tiveram problemas técnicos e não se apresentaram.

O jato Sabre Hawk One. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O piloto Dan Dempsey a bordo do Sabre Hawk One. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A formação do jato Sabre Hawk One com um P-40, um Corsair, um Hurricane e um Mustang. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Impressionante demonstração em voo do FG-1D Corsair. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Paul Kissman a bordo do Corsair. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A Canadian Harvard Aerobatic Team com suas nove aeronaves Harvard II. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Um dos pontos altos do evento foi a passagem do caça Canadair Sabre Hawk One pilotado por Dan Dempsey, em formação com alguns dos caças da Segunda Guerra Mundial do museu: um P-40 Kitty Hawk, um FG-1D Corsair, um Spitfire Mk XVIe e um P-51 Mustang. O Corsair realizou uma apresentação solo na sequência, pilotado por Paul Kissman. A equipe de acrobacia aérea canadense Harvard realizou uma bela apresentação com as nove aeronaves Harvard (T-6).

A equipe de demonstração acrobática oficial da Força Aérea Canandese, os Snowbirds. (Fotos: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Pete McLoud com seu Red Bull Edge 540. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Na metade do evento vieram os jatos CT-114 Tutor dos Snowbirds, a equipe de demonstração aérea oficial da Força Aérea Canadense, que normalmente se apresenta como evento de encerramento do dia. Na sequência dos Snowbirds ocorreu duas demonstrações impressionantes de pilotos civis: Pete McLoud com seu Edge 540 da Red Bull e Matt Younkin com seu Beech 18.

A aeronave de patrulha marítima CP-140 Aurora. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Numa das passagens o CP-140 Aurora abriu seu compartimento de armas. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O caça Hornet do CF-18 Demo Team. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O Capitão “Paco” demonstra a agilidade do caça Hornet. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Uma aeronave de treinamento Beechcraft T-6 Texan II da Força Aérea do Canadá. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Uma aeronave A-10 Thunderbolt II da Força Aérea dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A fortaleza voadora Boeing B-17G “Chuckie”. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Uma aeronave CF-104 Starfighter “espetada” na entrada do museu. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Dentre as aeronaves da Força Aérea do Canadá, estiveram presente um avião de patrulha marítima CP-140 Aurora (o P-3C Orion canadense) que foi pilotado por um futuro piloto dos Snowbirds, e depois veio a equipe de demonstração CF-18, que realizou um belíssimo e preciso show aéreo com o caça Hornet especialmente pintado, o mesmo que esteve no Brasil em maio para o aniversário da Esquadrilha da Fumaça. O capitão “Paco” demonstrou mais uma vez toda capacidade de manobra e de agilidade do caça norte americano, fechando com chave de ouro os dois dias. Outras aeronaves da Força Aérea Canadense que estiveram presentes, mas na exposição estática foram um C-130J-30 Super Hercules e um T-6 Texan II de treinamento.

[nggallery id=5]

Outros participantes do evento foram os bombardeiros B-17G “Chuckie” e B-25J Mitchell “Hot Gen”, um avião de transporte C-47 Dakota e um bombardeiro de mergulho SB2C Helldiver, além de algumas visitas de aeronaves comerciais como diversos 727 de carga. Os visitantes ainda tinham a oportunidade de visitar o acervo do museu, que conta com as aeronaves Starfighter, CF-100 Canuck, CF-5 Freedom Fighter, C-47 Dakota, CL-14 Tutor, T-28 Trojan entre outras.

Nosso incansável colaborador procurando novos ângulos de fotos. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Agradecemos ao amigo e colaborador Ricardo von Puttkammer pelo envio das belas imagens.

SHOW AÉREO: Andrews AFB Air Show – Maryland, NJ / EUA

4
Os caças F-18 dos Blue Angels, o esquadrão de demonstração da Marinha dos EUA, foram um dos destaques no show aéreo realizado na Base Aérea de Andrews em 2012. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Este ano, a Base Aérea Conjunta de Andrews, próximo a Washington D.C., comemorou os 100 anos da Aviação do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, entre os dias 19 e 20 de maio, no show aéreo anual na base, o Joint Service Open House & Air Show. Acompanhe aqui no Cavok mais uma cobertura internacional de um show aéreo, com quase 150 fotos.

Sean D. Tucker e seu Oracle Challenger III. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Mike Swanson, da equipe Red Bull Skydiving, chega ao solo com a bandeira norte americana. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Mike Goulian no seu Extra 330SC. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

O show foi aberto pelo comandante do Corpo de Fuzileiros Navais, General James F. Amos, com a ajuda da Banda da Força Aérea dos Estados Unidos. A queda tradicional bandeira foi feita por Mike Swanson, da equipe Red Bull Skydiving. Conforme a bandeira descia para o solo, o hino nacional era entoado, e as aeronaves Oracle Challenger III de Sean Tucker, e Extra 330SC de Mike Goulian circulavam o paraquedista com a bandeira. Posteriormente, ambos os pilotos realizaram suas rotinas de exibição individual no final do show.

O caça de quinta geração Lockheed F-22 Raptor. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
As passagens do F-22 Raptor sempre impressionam. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O bombardeiro B-2 Spirit fez sua passagem no show aéreo. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A aeronave B-2 veio direto de uma base aérea no Missouri. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

O céu da Base da Força Aérea de Andrews foi preenchido com shows aéreos ininterruptos durante todo final de semana. O esquadrão Blue Angels da Marinha dos Estados Unidos, e os Golden Knights do Exército dos EUA foram os destaques no cartz de divulgação do evento. Mas as grandes estrelas no céu foram as aeronaves stealth Lockheed F-22 Raptor e Northrop B-2 Spirit, que voaram sobre a base aérea no sábado.

A aeronave Fairchild F27 dos Golden Knights. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Gigantes da USAF no pátio da Base Aérea de Andrews. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O Super Guppy da NASA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O B-24 Liberator, um dos warbirds vistos em Andrews. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

A área de exposição estática estava repleta, com warbirds e modernas aeronaves de todos os setores das Forças Armadas. A grande atração no solo foi o Super Guppy da NASA, com seu formato diferente. No sábado, o ator Elijah Kelly falou com o público, promovendo o filme Red Tails.

O MV-22 Osprey dos Fuzileiros Navais dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Um AV-8B Harrier do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A aeronave T-6C de demonstração da Hawker Beechcraft. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O helicóptero CH-46 Sea Knight. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

O Corpo de Fuzileiros Navais realizou impressionantes demonstrações com as suas aeronaves AV-8B Harrier e MV-22 Osprey. A Hawker Beechcraft trouxe a sua aeronave T-6C Texan de demonstração, pilotado por Michael “Game Show” Rambo. A Beechcraft está tentando comercializar uma versão de ataque do popular treinador, inclusive competindo com o Super Tucano no programa LAS da USAF.

A equipe Wounded Warrior com o jato L-39C e um Yak-9. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Kirby Chambliss e seu Edge 540. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Chuck Aaron e seu helicóptero Bo105 da equipe Red Bull. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A AgustaWestland mostrou em voo seu AW169. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

A equipe do vôo Wounded Warrior voou com as aeronaves L-39C e Yak 9, tanto em exibições individuais como em voo de formação. A Red Bull Air Force levou sua equipe de paraquedismo, realizando um show junto com a demonstração em voo de Kirby Chambliss, voando o seu Edge 540, e Chuck Aaron, com seu helicóptero BO-105, que realizava manobras acrobáticas de tirar o fôlego.

A equipe GEICO Skytipers e seus aviões SNJs. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O único Helldiver em condições de voo do mundo, o The Beast, voou no show aéreo em Andrews. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O Helldiver realizou várias passagens no evento. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

A equipe GEICO Skytypers, de Long Island, NY, demonstrou a sua ótima habilidade para voo em formação e escrita no céu com suas aeronaves SNJs (T-6). Mark Allen voou com o Helldiver SB2C “The Beast” da West Texas Wing da Commemorative Air Force (CAF). Este é o único Helldiver em voo no mundo!

O Heritage Flight da USAF, realizado por um F-22 e um P-51. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O B-52 visto no pátio de aeronaves da base em Andrews. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Logo em seguida veio Vlado Lenoch, com seu P-51 Mustang e, assim que terminou sua apresentação solo, juntou-se ao F-22 Raptor pilotado pelo Major Henry “Schadow” Schantz, para realização do Heritage Flight da USAF. O Heritage Flight começou em 1997, e foi financiado pelo Departamento de Defesa em todos estes anos. Devido a cortes no orçamento do Departamento de Defesa, este não consegue mais bancar o Heritage Flight, que agora está sob a coordenação do Heritage Flight Foundation, uma entidade civil que permitirá que este importante show histórico continue atuando nos shows aéreos em todo o país.

Passagem em voo do KC-130 dos Fuzileiros dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A aeronave C-5B Galaxy da USAF. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Um agrado para a enorme multidão foi o desempenho do Flash Fire Jet Truck da Guarda Aérea Nacional, que com uma turbina de caça chamou a atenção para pista. Logo depois, o localmente baseado 1° Esquadrão de Helicópteros voou com um UH-1N Huey numa exibição com quatro exemplares voando em formação.

A aeronave Nanchang CJ-6A de Bill "Pirate" Mills. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Os caças F-18 dos Blue Angels. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Passagem dos Blue Angels. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A bordo do "Earnie", o KC-130T usado pelos Blue Angels. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Após os helicópteros, entrou em cena Bill “Pirate” Mills, que fez uma apresentação inesquecível no Nanchang CJ-6A. E o show em Andrews terminou com os Blue Angels, o esquadrão de demonstração aérea da Marinha dos EUA, que com os caças F-18 Hornets realizaram mais um vôo de precisão. O C-130 “Fat Albert” dos Blue Angels não esteve presente no show, pois ele está sendo temporariamente substituído por um KC-130T, chamado de Earnie.

Um F/A-18C Hornet no pátio de exposição estática. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Um caça F-16 exposto para o público. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Uma aeronave HC-144A Ocean Sentry da Guarda Costeira dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

O show aéreo praticamente não teve intervalos, e a área de exposição estática contou com mais de 50 aeronaves. Além disso foram instalados dois mega telões para o público poder acompanhar em detalhes as apresentações. Cerca de 200.000 pessoas compareceram no final de semana, com um clima perfeito. Apesar disso tudo, infelizmente foi anunciado que, devido a cortes orçamentais, o show aéreo na Base Aérea de Andrews se tornará um evento bienal, depois de ser realizado anualmente desde 1950!

[nggallery id=3]

Algumas das aeronaves em exposição estática:

Panorâmica aérea da Base Aérea de Andrews. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

P-47 Thunderbolt
F-16C Fighting Falcon
B-52H Stratofortress
B-1B Lancer
C-130J Hercules
AV-8B Harrier II
HC-144A Ocean Sentry (USCG)
B-24 Liberator
P-51 Mustang “Red Tails”
KC-10 Extender
C-5 Galaxy
C-17 Globemaster III
Super Guppy NASA
HMM-361
e muitos outros …

O autor das fotos, Ricardo von Puttkammer, gostaria agradecer especialmente a Eric Sharman e sua equipe da 11ª Ala de Relações Públicas pela hospitalidade e cooperação, e ao Major Ryan Vanveelen, do 1° Esquadrão de Helicópteros pelo voo no UH-1N para as tomadas aéreas. Graças ao apoio e da organização dos militares, foi possível a realização e divulgação dessa cobertura.

SHOW AÉREO: Base Conjunta McGuire-Dix-Lakehurst Open House, New Jersey/EUA – 95 Anos de História

2
O bombardeiro B-1B Lancer do 28° Esquadrão de Bombardeiros da USAF, da Base Aérea de Dyess, a grande estrela do show aéreo na Base Conjunta de McGuire-Dix-Lakehurst. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

O final de semana dos dias 12 e 13 de maio trouxe de volta a Base Aérea de McGuire cerca de 200.000 pessoas para o primeiro show aéreo desde 2008. A combinação de clima perfeito e a interessante grade de programação de voo contribuiu muito para o público recorde. O longo período sem shows aéreos na base foi devido as questões de segurança após o ataque terrorista frustrado em Fort Dix, que fica próximo. Desde então, a Base Aérea de McGuire fundiu-se com Fort Dix, com a Estação Naval de Lakehurst, para formar o que hoje é conhecido hoje como JB MDL (Joint Base de McGuire-Dix-Lakehurst). O tema deste ano foi “Celebrando 95 anos de Tradição: Defendendo a nossa nação por terra, ar e mar”. Acompanhe a cobertura do Cavok Brasil de mais uma evento internacional, ocorrido na JB MDL, que está localizada a cerca de 16 quilômetros ao sul-sudeste de Trenton, estado de Nova Jersey.

Os caças F-16 dos Thuderbirds. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A aeronave Fokker F27 da equipe de paraquedistas Golden Knights do Exército dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A poderosa decolagem do B-1B Lancer. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O B-1B realizou três passagens realmente espetaculares. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O roll realizado pelo B-1B no final da apresentação. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A potência dos motores do B-1B permitem que ele suba para os 15 mil pés com extrema rapidez. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Os destaques do show aéreo eram o Esquadrão de Demonstração Aérea da Força Aérea dos EUA, os Thunderbirds, e os Paraquedistas do Exército dos EUA, a equipe Golden Knights. Mas a estrela do show foi o bombardeiro Rockwell B-1B Lancer do 28º Esquadrão de Bombardeiros da Base Aérea de Dyess, no Texas. Esta poderosa aeronave decolou da pista 24, subiu para 8 mil pés, e depois desceu para realizar 3 passagens em frente ao público, incluindo um completo roll no final da última passagem, quando subiu então direto para os 15 mil pés. A apresentação completa pode ser vista num vídeo a seguir, e mais o video exclusivo da visita ao cockpit do B-1B.

Duas aeronaves B-1B foram deslocadas de Dyess, na California, para a apresentação e um treinamento no Maine. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Uma aeronave B-1B se apresentou em voo e outra permaneceu na exposição estática. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O cockpit do bombardeiro B-1B Lancer. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A tripulação do B-1B do 28° Esquadrão de Bombardeiros. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O B-1B em close durante uma das passagens. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

O bombardeiro não foi a principal atração apenas no céu, mas também no solo, já que um segundo “Bone” (apelido dado ao bombardeiro na USAF) foi colocado na rampa de exposição estática. Normalmente, o B-1B levaria cerca de 3 horas para voar a partir da base de Dyess para Mcguire, mas a viagem para este show aéreo foi combinada como uma missão de treinamento, que os levou para o espaço de treinamento aéreo em Maine, antes de pousar em McGuire, tornando-se uma missão de treinamento de 5 horas. Veja a seguir o vídeo do voo com os Golden Knights.

Os Golden Knights fizeram a abertura das apresentações com o salto com a bandeira dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Os Golden Knights do Exército dos EUA utilizam uma aeronave Fokker F27 nas suas apresentações. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Um dos paraquedistas dos Golden Knights no momento que saltava do F27. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Passagens do C-17 (no topo), KC-10 (meio) e do KC-135 (acima). (Fotos: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

O show começou com o salto da bandeira dos EUA junto a equipe dos Golden Knights. No domingo, acompanhamos o voo da equipe de dentro da aeronave Fokker F27, onde foi fotografado o momento do salto dos membros da equipe. Após a apresentação dos Golden Knights, as aeronaves militares C-17 Globemaster III, KC-10 Extender e KC-135 Stratotanker realizaram uma passagem em formação sobre a base.

Dois helicópteros CH-46 Sea Knights do MAGTAF 49 realizaram uma apresentação de infiltração com apoio aéreo. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Um caça F/A-18C Hornet deu apoio aéreo durante a apresentação simulada. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Um helicóptero Bell Super Cobra do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Apresentação do super pesado CH-53D Sea Stallion. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O KC-130 realizou passagens simulando um reabastecimento aéreo de dois CH-53D. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Em seguida veio a apresentação em voo da 49ª Força Tarefa Aérea/Terrestre dos Fuzileiros dos EUA (MAGTAF 49), que realizou uma demonstração completa com seus helicópteros, incluindo pirotecnia. Helicópteros UH-1N e CH-46s deixavam tropas no solo, com um caça F/A-18C dando cobertura aérea a dois helicópteros de ataque AH-1W Super Cobra. Um CH-53 do Esquadrão de Helicópteros de Carga Pesada dos Fuzileiros 772 realizou uma operação de voo com carga externa com os pilotos da 621ª Ala de Resposta de Contingência. Membros atuais dos esquadrões 108° e 514° das forças de segurança também participaram dessa demonstração. Depois, dois helicópteros CH-53Es realizaram um voo simulado de reabastecimento aéreo com um KC-130 do U.S. Marine Corps.

O T-28 Trojan de Herb Baker. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Bill Gordon e seu Bull Stearman. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A equipe do Northeast Raiders com as aeronaves Yak-52 e Nanchang C56. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
As aeronaves SNJs (T-6) da equipe GEICO Skytypers. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Outras demonstrações acrobáticas foram feitas por Herb Baker, pilotando seu T-28 do Herb & Ditto Show, gerando anéis de fumaça e também fumaça a partir das pontas das asas do Trojan. Na sequência houve a apresentação de Bill Gordon com seu biplano Bull Stearman. O grupo GEICO Skytypers voou com seus SNJs (T-6) logo após o corte de motores do B-1B através dos céus McGuire. A equipe acrobática Northeast Raiders também voou com seus Yak 52 e Nanchangs C56.

Lançamento de paraquedistas de uma aeronave C-17. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Passagem do caça Corsair "Skyboss". (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O Legacy Flight com um F/A-18F e um Corsair. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O caça F/A-18F Super Hornet do VFA-106 Gladiators. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Na apresentação militar, um C-17 Globemaster III, a partir da Base Aérea de Charleston, fez uma passagem na linha de voo soltando paraquedistas de sua porta traseira e porta lateral, e uma aeronave C-17 também ficou na exposição estática. Uma aeronave que lutou na Batalha do Pacífico na Segunda Guerra Mundial, o Corsair FG-1D “Skyboss”, do Museu do Poder Aéreo Americano, fez um voo solo no sábado, pilotado por Dan Dameo. No domingo ele voou novamente, mas junto do caça F/A-18F Super Hornet do VFA-106 “Gladiators”, no voo conhecido como Legacy Flight.

O caça F-16 dos Thuderbirds inicia a decolagem para sua apresentação. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Os caças F-16 dos Thuderbirds. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Cruzamento em voo de caças F-16 dos Thuderbirds. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A precisão é o ponto forte dos Thuderbirds. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

O último show ficou por conta do esquadrão de demonstração oficial da USAF, os Thunderbirds, que com muita precisão e potência realizou uma bela apresentação aérea com os caças F-16C/D.

Vista aérea das aeronaves no pátio da base. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Réplica do SPAD VII. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A aeronave anfíbia PBY Catalina. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Aeronave P-47 Thunderbolt. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Na área estática, dentre os destaques estava uma réplica de um caça SPAD VII da Primeira Guerra Mundial e uma aeronave anfíbia PBY Catalina, e um P-47 Thunderbolt. Como o primeiro show aéreo em JB MDL foi realizada em dezembro de 1945, na época as aeronaves expostas foram o P-38 Lightning, o P-51 Mustang e o P-59 Air Comet, o primeiro caça a jato dos EUA. Isso fez com que um grande número de aeronaves antigas fosse trazida para o evento que marcou os 95 anos de show na base.

[nggallery id=2]

Segue a lista com algumas das aeronaves vistas no pátio da base:

P-47 Thunderbolt
F-15E Strike Eagle (2)
F-16 Falcon (2)
A-10C Thunderbolt II (3)
C-9 Nightdale
B-1B Lancer
B-25 “Panchito”
T-34 Mentor
L-19 Birddog
PBY-5A Catalina
C-5 Galaxy
C-17 Globemaster III
C-118 Liftmaster
SPAD VII
CH-53D Sea Stallion
Boeing 757 Delta
ERCO 415
Airbus A300 FedEx
KC-10 Extender
KC-135 Stratotanker
C-130 Hercules
P-51 Mustang
T-6 Texan II
T-38 Talon

O o tenente coronel Brian "Seabass" Witkowsky, piloto do B-1B. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

O autor Ricardo von Puttkammer gostaria de agradecer a equipe de demonstração Golden Knights pela cooperação no domingo ao permitir acompanhar o voo e realizar as fotos aéreas da base. Um gradecimento especial também para a tripulação do B-1B que permitiu entrar no cockpit e fazer as fotos momentos antes da apresentação: o tenente coronel Brian “Seabass” Witkowsky, piloto; major Jim “SLAC” Corrigan, piloto; e os oficiais de sistemas de armas major Brendon “Carny” Weygandt e Capitão Mark “Durden” Tyler.

SHOW AÉREO: Robins AFB Air Show 2012 – Georgia/EUA

23
A Base Aérea de Robins, na Georgia (EUA), recebeu diversas aeronaves para seu show aéreo anual, incluindo o caça F-22 Raptor, que realizou um voo em formação com o Mustang Crazy Horse II. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Entre os dias 28 e 29 de abril, a Base Aérea de Robins, na Georgia, abriu as suas portas ao público pela primeira vez desde 2009. A base é o local do Centro Logístico da Força Aérea, e está localizada em Houston County, Georgia, perto das cidades de Warner Robins e Macon, cerca de 100 quilômetros de Atlanta. A temperatura parecida com a de verão não intimidou o público recorde, de 110.000 pessoas no sábado e 70.000 no domingo, que compareceram para ver os Blue Angels e o poderoso F-22 Raptor voar sobre a base. A última vez que o Blue Angels estiveram na Base Aérea de Robins foi em 1998!

O caça F-15E Strike Eagle, da Base da RAF de Lakenheat, abriu o show aéreo com uma passagem em alta velocidade. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A equipe de paraquedistas Silver Wings desceu com a bandeira dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

O show aéreo começou com um estrondo sônico por uma visita de um F-15E Strike Eagle da 48ª Ala de Caça, da Base da RAF de Lakenheath, Reino Unido, seguido por uma salto de paraquedas com a bandeira dos EUA com a equipe Silver Wings, a Equipe de Demonstração de Paraquedismo do Comando de Apresentações de Fort Benning, Georgia, enquanto era entoado o hino nacional norte americano. E a sequência do show aéreo foi sem conseguir respirar, com força total. Foram dois dias de aeronaves o tempo todo no céu.

Os pilotos Buck Roetman e Gary Rower, com suas aeronaves Christen Eagle e PT-17 Stearman. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Passagem de um E-8C J-STARS, aeronave de vigilância da USAF. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O avião de transporte tático C-27J Spartan. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O caça F-15E voltou para mais passagens. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Os pilotos de demonstração aérea Buck Roetman e Gary Rower se apresentaram com suas aeronaves Christen Eagle / PT-17 Stearman voando em formação. Roetman com o seu Christen Eagle modificado e construído em 2003 e Rower com seu venerável Stearman construído em 1942. Esta combinação do novo e o velho cria um show muito interessante de se assistir. A sequência foi um desfile em voo que incluía KC-130 Hercules, E-8C J-STARS, C-5 Galaxy, F-15E Strike Eagle e um C-27J Spartan. Os caças F-15E voltaram para mais algumas passagense logicamente mais fotos.

A apresentação do ônibus escolar equipado com motor de um caça F-4 Phantom. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A equipe de demonstração Tiger Air Show com as aeronaves Yak-55M pintadas na cor de tigres. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O jato de treinamento Canadair CT-33 Silver Star. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Patty Wagstaff, a bordo de seu Extra 300SX. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Mas um dos pontos que mais chamou a atenção do público não foi um avião, e sim um ônibus escolar do Indy Boys School Time, que fez com que crianças e adultos lotassem a cerca para dar uma olhada no tradicional ônibus amarelo, dirigido por Paul Stender, mas que foi altamente modificado e estava equipado com um motor a jato GE J-79 de um caça F-4 Phantom, gerando aprximadamente 42.000 HP. Depois veio a equipe de demonstração Tiger Air Show, de Mark Sorenson e Roetman Buck, que realizou uma exibição muito patriota voando com seus dois Yak-55M pintados num esquema de cores digno do Tiger Meet. Um favorito veterano também voou no show aéreo: Gregory “Wired” Colyer realizou várias foto-passagens com seu Canadair CT-33 Silver Star de 1954. Patty Wagstaff voou com seu avião acrobático Extra 300SX para o deleite do público presente.

O P-51C do Red Tails Squadron, pertencente a CAF. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
E o P-51D Crazy Horse II. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O C-47 Dakota que levou os paraquedistas do Liberty Jump Team. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Kyle Franklin e seu PA-18. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Depois do meio dia, tinha muito mais, e dois aviões P-51 se apresentaram. O P-51C do Esquadrão Red Tail da Commemorative Air Force, que ajuda a promover a história dos aviadores de Tuskegee, e o P-51D Crazy Horse II, convertido a partir de  TF-51 do Stallion 51, com base em Kissimmee, Flórida, pilotado por Lee Lauderback. A época da Segunda Guerra Mundial também foi representada pela Equipe de Salto Liberty, que saltou de um C-47 Dakota nos trajes completos do Dia-D. Um outro favorito da multidão que retornou ao circuito de show aéreo este ano foi Kyle Franklyn, com sua peça de comédia, onde ele “rouba” uma aeronave PA-18A Piper Super Cub “Franklinstein”.

Passagem do F-22 Raptor com o compartimento de armas aberto. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Uma passagem do F-22 Raptor. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O P-51D e o F-22 no término do Heritage Flight. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Um helicóptero Huey da equipe Sky Soldiers. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O helicóptero de ataque Cobra da equipe Sky Soldiers. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Os Blue Angels e seus caças F-18 numa formação diamante. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
Cruzamento de dois caças F-18 Hornet dos Blue Angels. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Mas o público estava aguardando as grandes estrelas do evento. Primeiro foi o F-22 Raptor que subiu para sua espantosa exibição de vôo. Após terminar sua apresentação impecável, pouco tempo depois ele retornou voando ao lado do Crazy Horse II no Heritage Flight. A visão é impossível de ser esquecida, ao ver dois dos mais históricos caças dos EUA voando em formação. Um pouco antes da última atração, os helicópteros dos Sky Soldiers realizaram uma demonstração com um Huey, um Cobra e um Birddog, antes de iniciar o show da Equipe de Demonstração Oficial da Marinha dos EUA, os Blue Angels, com suas aeronaves F-18 Hornet nas cores azul e amarelo.

O caça F-15E quase que totalmente desmontado, sendo revisado na base. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A aeronave Helio U-10. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
O caça F-16CJ do Viper East Demo Team que está parado na base. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)
A chegada do C-5 Galaxy. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

Na área de exposição estática estavam várias aeronaves militares e civis, incluindo um semi-desmontado F-15E e um C-130, mostrando o trabalho de manutenção da base nas aeronaves da Força Aérea dos EUA. Outra adição interessante na linha de exposição estática foi um Helio U-10 da época da Guerra do Vietnã. Um dos F-16CJ que estava em exposição faz parte da ex-equipe de demonstração Viper East, que não está realizando voos este ano, devido a cortes orçamentais.

[nggallery id=1]

Confira abaixo a lista das aeronaves da exposição estática:

A aeronave RC-135 Rivet Joint da Força Aérea dos EUA. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

A-10
F-15E
C-130
C-17
C-5
C-23
C-27
C-54 (Berlin Airlift)
Alon Aircoupe
J-STARS
Gulfstream G2 (John Travolta)
Boeing 757-200 (Delta)
Airbus A300 (FedEx)
T-1 Jayhawk
T-6 Texas II
Helio U-10
F-16CJ
T-28
B-25

Os dois Aircoupes da Tiger Fly Foundation. (Foto: Ricardo von Puttkammer / Cavok)

O autor do texto, Ricardo von Puttkammer, gostaria de agradecer a Chrissy Miner, Chefe de Operações de Imprensa da Base e a Phil “Sunny” Cataldo e Scotty Willis, da Fundação Tiger Fly. A missão dessa fundação é inspirar os jovens e adultos a se tornarem “pilotos em comando” de suas próprias vidas. Mais informações podem ser encontradas em www.tigerflightfoundation.org.

SHOW AÉREO: Os 60 anos da Esquadrilha da Fumaça (105 imagens)

31
A Esquadrilha da Fumaça comemorou seus 60 anos com uma grande festa em Pirassununga. (Foto: Lucas Dresdi Delcaro / Cavok Brasil Team))

No último final de semana, dos dias 12 e 13 de maio, participamos das festividades dos 60 anos da Esquadrilha da Fumaça, um grande evento realizado na Academia da Força Aérea, em Pirassununga, interior de São Paulo. O show aéreo foi o ponto máximo do dia, aliás, os dois dias foram somente de shows aéreos, contando com as presenças muito esperadas dos caças Super Hornet da Marinha dos EUA, dos Hornets da Força Aérea Canadense e dos Halcones do Chile. Acompanhe conosco as fotos que preparamos para vocês dos dois dias que realmente marcaram a história dos shows aéreos no Brasil, e mostraram como é possível realizar um evento desse tipo no Brasil.

A chuva caiu no sábado de manhã, mas não atrapalhou a apresentação do Super Hornet. (Foto: Carlos Gabriel Martins / Cavok Brasil Team)
A decolagem do caça norte americano Boeing F/A-18F super Hornet.

O sábado, dia 12 de maio, começou com muita chuva em São Paulo. Apesar de uma previsão otimista de tempo bom pela manhã, a chuva parecia que iria estragar todo evento. Mas, por volta das 10:30, mesmo com chuva e teto baixo, o caça F/A-18F Super Hornet da Marinha dos EUA resolveu voar, e o piloto chefe de testes da Boeing, Ricardo Traven, realizou manobras espetaculares com a aeronave com uma condição meteorológica realmente desfavorável para voos de demonstração.

As apresentações eram constantes, incluindo aeronaves Super Tucano, C-105 Amazonas e da esquadrilha Extreme.
A wingwalker Marta Bognar com seu piloto Coronel Crespo, durante uma passagem na aeronave Stearman.

A partir daí, estava aberto oficialmente as demonstrações aéreas do aniversário do EDA. A programação seguiu de forma ininterrupta, mesmo com alguns momentos de chuva e sempre tempo nublado, contando com as apresentações das aeronaves C-105 Amazonas, que lançou paraquedistas; decolagem do Super Tucano; show aéreo da esquadrilha de T-6 da Extreme Produções Aéreas; passagens da wingwalker Marta Bognar com uma bela aeronave Stearman; o preciso voo da esquadrilha Halcones, da Força Aérea do Chile e a belíssima apresentação do CF-18 Demonstration Team, da Força Aérea Canadense.

A decolagem do caça CF-18 Hornet da Força Aérea do Canadá. (Foto: Fernando Valduga / Cavok Brasil Team)

As manobras do CF-18 Hornet fizeram com que a apresentação canadense fosse a melhor do final de semana. (Foto: Carlos Gabriel Martins / Cavok Brasil Team)

O CF-18 Demonstration Team utiliza um caça CF-18 Hornet da Força Aérea Canadense. Durante o voo, o Capitão Patrick “Paco” Gobeil, um ex piloto dos Snowbirds, a equipe de demonstração do Canadá, realiza uma fantástica apresentação em voo, com o caça especialmente pintado. A pintura desse ano tem o nome de “The True North, Strong and Free” (O Norte Verdadeiro, Forte e Livre). O voo na Academia da Força Aérea foi a primeira apresentação oficial do esquadrão de demonstração canadense com a nova pintura, e o voo de estreia da temporada 2012.

O Hornet canadense apresentava uma pintura especial. (Foto: Fernando Valduga / Cavok Brasil Team)
O Capitão Patrick “Paco” Gobeil mostra a bandeira do Brasil após a sua apresentação. (Foto: Carlos Gabriel Martins / Cavok Brasil Team)

A oficial de relações públicas, Capitã Holly Anne Brown, sempre muito atenciosa, explicou cada detalhe do caça, incluindo o número 14 e sua presença no Demo Team: No Canadá são 14 etnias e povos diferentes, também são 14 tipos diferentes de flocos de neve (cada um representado no CF-18), além da equipe do CF-18 Demo Team ser de 14 pessoas ao total. Em cada floco de neve do CF-18 havia um desenho diferente, em referência á algo. Por exemplo, um tinha as pontos com desenhos do Canadair CF-114 Tutor que foi um dos principais caças canadenses, já em outro floco de neve tinha um desenho de escaladores escalando cada ponta do floco de neve.

O caça CF-18 é uma das mais importantes aeronaves no Canadá, realizando diversas tarefas.

A capitã ainda disse que o caça CF-18 Hornet é um dos principais vetores canadenses, realizado missões de patrulha, reconhecimento, ataque terrestre, treinamento avançado e o principal que é a superioridade aérea. E complementou dizendo que o CF-18 serve muito bem o Canadá, e que o substituto dele (F-35) também fará o mesmo, um caça multi-função. E que isso seria ótimo para o Brasil caso ele escolhesse o Super Hornet no FX-2.

As aeronaves comerciais da Azul e da Passaredo estiveram presentes no evento.

Na expsoição estática, aeronaves da FAB como o helicóptero H-60L Black Hawk, A-1B, P-3AM, além de um helicóptero Esquilo do Exército Brasileiro.

O evento contou também com a participação de duas aeronaves comerciais, um ERJ-145 da Passaredo, pintado especialmente para os 60 anos da Fumaça, e um Embraer 195 da Azul Linhas Aéreas, pintado nas cores do Brasil. No solo, diversas aeronaves da FAB, como um P-3AM Orion, o C-105 Amazonas, C-99, helicópteros Puma e Black Hawk, um caça F-5EM e uma aeronave A-1B, além dos diversos T-25 e T-27 da Academia da Força Aérea.

A Esquadrilha da Fumaça como sempre encantou o público.

Mas os anfitriões do evento não podiam deixar passar o dia em branco, e a apresentação da Esquadrilha da Fumaça ocorreu no final da tarde, com as sete aeronaves T-27 desenhando o céu e encantando mais uma vez o público presente, dessa vez com um sabor especial de aniversário.

O CC-130J da Força Aérea Canadense realizou a última apresentação no sábado.

Encerrando o dia, as passagens do CC-130J da Força Aérea Canandense, que taxiou com a bandeira do Brasil tremulando sobre o cockipt, arrancando os aplausos do público. O locutor oficial da Força Aérea Canadense é nascido no Rio Grande do Sul e de certa forma agradeceu o carinho do povo brasileiro, que realmente encantou a equipe canandense.

As crianças se divertiram com os brinquedos do projeto Kero Voar. (Foto: Susana Sampaio / Cavok Brasil Team)
Dentro do hangar uma homenagem a Fernando de Arruda Botelho.

As crianças que estiveram presentes no evento, não foram esquecidas, e um espaço especial foi montado num dos hangares da AFA, contendo pequenos aviões e locais de recreação, onde os baixinhos realmente se divertiram. Um dos projetos, chamado de KeroVoar, foi o que mais chamou a atenção das crianças, e vale a pena a visita ao site: www.kerovoar.com.br. Dentro do hangar do EDA, um Phenom 300 da Embraer, e uma homenagem ao empresário Fernando de Arruda Botelho, que faleceu no final de abril num acidente aéreo.

No sábado a noite foi a oportunidade de fazer essas belíssimas imagens dos caças Hornets e Super Hornets. (Fotos: Carlos Gabriel Martins / Cavok Brasil Team)

Após o show de sábado, participamos de uma janta com o pessoal da Esquadrilha da Fumaça e seus convidados, e conseguimos conversar com os atuais e ex-fumaceiros sobre diversos assuntos. Ao mesmo tempo, nos preparávamos para um domingo que tinha previsão de mais chuva.

Apresentação do H-60L Black Hawk do 5°/8° Grupo de Aviação da Base Aérea de Santa Maria, o Esquadrão Pantera. (Foto: Carlos Gabriel Martins / Cavok Brasil Team)
Passagem baixa do Mirage 2000B do 1° GDA. (Foto: Carlos Gabriel Martins / Cavok Brasil Team)
Várias equipes de demonstração realizaram apresentações no final de semana.

No domingo, as apresentações se repetiam: Super Hornet da Marinha dos EUA, com suas turbinas F414 ensurdecendo o público, as manobras espetaculares do CF-18 Demo Team, a precisão dos Halcones, e a Esquadrilha da Fumaça, que realizou duas apresentações no dia. Como surpresa, um Mirage 2000B do 1ºGDA apareceu no evento, e fez duas passagens baixas, mas logo em seguida foi embora.

Coletiva de Imprensa

Durante o meio-dia, a Esquadrilha da Fumaça realizou a coletiva de imprensa, onde as perguntas e dúvidas sobre o esquadrão foram esclarescidas ao público.

Integrantes da Esquadrilha da Fumaça receberam a imprensa para responder perguntas.

A primeira pergunta já esperada era sobre o A-29 Super Tucano no esquadrão. A resposta oficial dada pela Esquadrilha, pelo Fumaça #1, o Tenente Coronel Aviador Esteves foi que “a fumaça realizou em Fevereiro testes com o Super Tucano no Recife, e que os testes foram satisfatórios, mas o avião está passando por outras avaliações, não existindo um prazo para o A-29 vestir as cores da Fumaça”. O Cavok Brasil, em abril, divulgou a informação das chegadas das aeronaves este ano, através de uma fonte junto a FAB. A notícia ainda não está oficializada pelo CECOMSAER, que disse aguardar uma confirmação de Brasília sobre o envio das aeronaves A-29 ao esquadrão de demonstração aérea. Ao que tudo indica, serão novas aeronaves, de um lote que ainda está sendo fabricado para FAB. Mas caso o Comando da Aeronáutica não confirme o Super Tucano, a Fumaça estaria sem opções num curto prazo. Portanto, com a informação da avaliação positiva por parte do esquadrão, e a não existência de outra solução, confirma a informação recebida durante a FIDAE 2012. Vamos então aguardar a Aeronáutica confirmar a notícia.

Também uma questão levantada pelo jornalistas era se o Super Tucano estaria apto para realizar a manobra “Lancevack” que foi tirada da lista de manobras da Fumaça em 1998, após um acidente em 96 que quebrou uma pá da hélice do T-27. Essa manobra exige muita força no motor e a Embraer efetuou testes e concluiu que não é segura no Tucano. Porém, segundo o Tenente Esteves, o A29 está inicialmente pronto para essa manobra, ainda faltando alguns testes, e se tudo correr bem, não há motivo para que a manobra não volte a ser realizada pelo Esquadrão, já que o Major Caldas realizou a manobra num A-29 em Recife, durante a avaliação do novo avião.

O Cavok Brasil perguntou sobre a possibilidade da Esquadrilha adotar um avião de apoio próprio, pois segundo o SO Loureiro, a Força Aérea Brasileira sempre ajuda o Esquadrão dispobinilizando um Bandeirante, Amazonas ou um Hércules para apoio lógistico. Mas como a Esquadrilha normalmente faz deslocamentos curtos, nem sempre é necessário um avião para os equipamentos. Apenas para os deslocamentos internacionais que é totalmente necessário uma aeronave de apoio.

Ainda segundo Loureiro, com possível vinda do Super Tucano para o esquadrão, essa possibilidade será reavaliada, e se caso se faça a necessidade não há porque algum avião de apoio ser pintado nas cores da Fumaça.

A Esquadrilha da Fumaça apresentou seu novo uniforme agora na cor azul.

Para finalizar, foi questionado sob o novo uniforme da Fumaça, que agora passa a ser azul, num tom parecido ao usado pelos pilotos na época dos Tucanos com pintura vermelha e branca. Segundo o Major Aviador Alexandre Ribeiro, a decisão da troca de uniforme foi levantada pelo aniversário de 60 Anos e também pela diferenciação de outras unidades da Força Aérea.

“Com esse novo uniforme, o contato com o público fica mais fácil. Além disso, na sua maioria as esquadrilhas de demonstração aérea do exterior usam uniformes de cores diferenciadas das outras divisões, na maioria das vezes azul. Também colocamos o nome do piloto e sua posição na frente como destaque, além do nome Força Aérea Brasileira atrás para evidenciar de onde são os fumaceiros,” adiciona o major Alexandre.

O pouso do caça Super Hornet da Marinha dos EUA.
O piloto de demonstração Ricardo Traven da Boeing mostra a bandeira do Brasil após seu voo no Super Hornet.

Os Halcones da Força Aérea do Chile sobrevoam o novo Hangar do EDA.

Após a entrevista, o sol começou a aparecer para alegria de todos, e o Super Hornet estava começando a taxiar, conseguindo realizar sua primeira apresentação com tempo bom. Porém, no momento que o caça americano começou os procedimentos para pouso, o sol começou a desaparecer novamente sendo encoberto pelas nuvens, assim atrapalhando um pouco a apresentação dos Halcones, que fizeram um show que o público adorou, com as manobras de um Coração com uma flecha e uma estrela de 5 pontas.

Os Halcones vieram ao Brasil com cinco aeronaves Extra 300L.
Uma aeronave A-1B do Esquadrão Poker da Força Aérea Brasileira.
A decolagem do caça F-5EM e do A-1B.

Logo após os Halcones, os caças F-5EM e A-1 decolaram praticamente juntos, o “Mike” na cabeceira 02C e o AMX na cabeceira 02L, e nessa corrida o Tiger ganhou fácil. Assim que os caças brasileiros foram para Santa Cruz, o Super Hercules Canadense pousou, e durante o táxi, mais uma vez a bandeira do Brasil foi levantada no cockpit, e na porta de carga traseira que estava aberta, um Canadense levava a bandeira de seu país. Enquanto o CC-130J finalizava o taxi, o CF-18 já decolava para a sua última apresentação, com o piloto “Paco” também mostrando a bandeira brasileira após o seu show aéreo.

As apresentações finais do domingo, a Esquadrilha da Fumaça, o CF-18 e CC-130J do Canadá.

Após isso a Esquadrilha da Fumaça fecha o dia, escrevendo no céu “Feliz Dias das Mães”, mas que ainda estava encoberto e pode ser visualizado completamente.

Os "Anjos da Guarda" da Esquadrilha da Fumaça.

O Cavok Brasil gostaria de agradecer a especial atenção e organização realizada pela equipe da Esquadrilha da Fumaça, que demonstrou mais uma vez seu profissionalismo e capacidade para atender um público tão grande (cerca de 100 mil pessoas nos dois dias de evento). A imprensa foi tratada com todo respeito e teve um acesso quase irrestrito nos dois dias, podendo registrar com facilidade as apresentações aéreas, como deve ser em qualquer evento de aviação, pois são esses profissionais que ajudam a divulgar a Força Aérea Brasileira.

Gostaria também de deixar os parabéns do Cavok Brasil pela passagem do aniversário de 60 anos da Esquadrilha da Fumaça ocorrido no dia 14 de maio de 2012. Que a nossa Fumaça comemore muitos outros aniversários, e que a festa de 70 anos seja muito maior que essa realizada.

Obrigado também aos dois fotógrafos colaboradores do Cavok Brasil, Carlos Gabriel Martins e Lucas Dresdi Delcaro, que de forma ímpar, registraram belíssimas imagens da festa, e cederam as imagens para essa especial cobertura. O fotografo Carlos gostaria de agradecer a Boeing pela ajuda durante a apresentação do Super Hornet e aos colegas Alana Pereira e Santiago Nicholas.

A todos amigos do Cavok Brasil… FUMAÇA JÁ!!!

Cobertura Moscou Air Show (MAKS) 2011 – 74 imagens

32
O caça stealth de quinta geração Sukhoi T-50 PAK FA decola de Zhukovsky para sua apresentação em voo durante o Moscou Air Show MAKS 2011. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

As mais modernas e recentes aeronaves militares e civis do mundo estiveram presentes no Salão Internacional de Aviação e Espaço de Moscou, o MAKS 2011, um evento bi-anual que ocorreu entre os dias 16 e 21 de agosto, na Base Aérea de Zhukovsky, local em que se localiza o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Gromov, maior centro aeronáutico da Rússia, onde as novas aeronaves militares russas se encontram em fase de testes, como o caça Sukhoi T-50 PAK FA, estrela do show aéreo desse ano. O Cavok Brasil mais uma vez brinda seu público com essa importante cobertura fotográfica, após uma semana de intensa cobertura de fatos que marcaram o maior evento aeronáutico russo.

A apresentação em voo do protótipo do caça russo de quinta-geração PAK FA durante o MAKS 2011. (Fotos: Bernardo Malfitano / Cavok)

Já na entrada do evento duas grandes aeronaves chamavam a atenção: uma era comercial, o gigante Airbus A380, e a outra militar, o novo C-5M Super Galaxy da Força Aérea dos EUA. Mas nenhuma delas foi tão aguardada como o novo caça de quinta geração Sukhoi T-50, que desde o primeiro voo de ensaio no sábado, dia 13, já despertava a atenção dos jornalistas presentes. Foi que no dia 16, a aeronave Blue 51, o primeiro protótipo do PAK FA chegou voando em formação com a Blue 52 (o segundo protótipo) e esta última realizou uma apresentação de cerca de 7 minutos com a presença do Primeiro Ministro russo Vladimir Putin.

O caça Sukhoi T-50 PAK FA demonstra sua agilidade no céu de Moscou. (Foto: Bernardo Malfitano)

Sobre o PAK FA, a importante informação que surgiu no evento foi que o Presidente da UAC Mikhail Pogosyan disse à imprensa que mais dois protótipos do T-50 devem ficar prontos até o final do ano e já entrar na fase de testes de voo do programa de desenvolvimento. O Chefe da Força Aérea da Rússia Aleksandr Zelin confirmou que as primeiras unidades serão entregues para a Força Aérea da Rússia para testes e avaliações em 2013, e a partir de 2015 elas deverão passar para o estado de operacionais, com a produção em série já iniciada ainda em 2014.

O caça Sukhoi T-50 PAK FA "Blue 52" chega para pouso após apresentação no MAKS 2011. (Fotos: Bernardo Malfitano / Cavok)

A Força Aérea da Rússia deverá receber cerca de 200 aeronaves do tipo até 2020, com a Força Aérea da Índia recebendo um número similar, de um caça que está sendo desenvolvido entre os dois países, baseado no atual PAK FA. O custo de desenvolvimento do projeto está avaliado em US$ 35 bilhões, e tornou-se uma prioridade para o Ministério de Defesa da Rússia, que também demonstrou interesse em muitas outras categorias de aeronaves militares.

O lotado pátio de aeronaves em Zhukovsky durante o MAKS 2011. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
Um bombardeiro estratégico Tu-160 Blackjack. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

No pátio de aeronaves de Zhukovsky podia se ver o poderio militar e a variedade de modelos presentes no evento, de bombardeiros a aeronaves de caças, de helicópteros a aeronaves comerciais. Estavam presentes os bombardeiros estratégicos russos Tu-160, Tu-95, os caças MiG-35, MiG-29K, Su-35, Su-30MK2, Yak-130, helicópteros de transporte Mi-26, Mi-171, o novo Mi-38, e diversas outras aeronaves, incluindo a primeira aparição na Rússia do gigante da Airbus, o A380, que se apresentou em voo durante todos dias do evento.

O Airbus A380 durante apresentação em voo. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
Decolagem de um Antonov An-124 da Volga-Dnepr. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
O Sukhoi Superjet 100 aguarda a decolagem enquanto o Airbus A380 chega para pouso. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

O Ministério de Defesa da Rússia definiu um ambicioso projeto de compra de aeronaves militares durante o MAKS, no qual espera receber mais de 100 aviões de transporte militar a serem adquiridos entre o período 2011-2020. Primeiramente virão os aviões Il-112, Il-476 e Il-76MD, depois chegarão dez aeronaves An-124 entre 2014-2015, e mais tarde um número maior de aeronaves An-70. Pogosyan disse que a partir de 2011, a UAC irá entregar mais de 20 aviões militares por ano para o Ministério de Defesa da Rússia.

O jato de ataque Sukhoi Su-34 Fullback. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
Caça Su-34 Fullback que a Rússia pretende adquirir 120 unidades. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

Na área dos caças presentes em Zhukovsky, além do PAK FA, outros modernos e letais jatos de combate também subiram aos céus para demonstrações, como a aeronave de ataque Sukhoi Su-34 Fullback, o qual a Rússia pretende adquirir 120 aeronaves (cinco esquadrões), com a Força Aérea da Rússia chegando a seis aeronaves do tipo agora em 2011, mais 12 em 2012, de um contrato de 32 aeronaves encomendadas até o momento.

O caça de superioridade aérea Sukhoi Su-35 decola para sua apresentação. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
A apresentação em voo do caça Sukhoi Su-35 durante o MAKS 2011. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

Outro grande caça presente e demonstrado em voo foi o Sukhoi Su-35S. Quarenta e oito destes caças de geração 4++ serão adquiridos, mas o número poderá aumentar se houver atraso na entrega dos caças de quinta-geração Sukhoi T-50. Mas mesmo que não ocorra um atraso, o Ministério da Defesa da Rússia também poderá optar por uma mistura de caças de 4ª e 5ª geração. Além dessas aeronaves, alguns antigos caças Su-27s foram atualizados para a versão Su-27SM, e até mesmo alguns novos Su-27SM3 – que não foram vendidos para a China – foram adquiridos pela Rússia.

O novo caça multimissão MiG-35 sendo reabastecido em voo por um MiG-29. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
Um caça MiG-29 Fulcrum equipado com sistema de reabastecimento em voo. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

Outro caça que se apresentou durante o MAKS 2011 foi o MiG-35, que fez passagem sendo reabastecido em voo por um MiG-29 equipado para reabastecer no ar outras aeronaves. Mas o futuro da RAK MiG ainda está incerto. A Rússia demonstrou interesse no modelo MiG-35, que acabou não vendendo na Índia, no programa MMRCA, mas ainda não confirmou qualquer exigência para o MiG-35. Com isso surgiu uma possibilidade de venda de caças embarcados MiG-29Ks para substituir os atuais caças Su-33 da Marinha Russa no convés do porta-aviões Kuznetsov. O modelo MiG-29K atualmente está sendo fabricado para a Marinha da Índia, mas com a produção passando a ser feita sob licença na fabricante indiana HAL, a unidade russa ficará em breve sem pedidos.

Modernos caças de combate dividem o espaço do pátio com grandes aeronaves comerciais durante o MAKS 2011. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
O helicóptero de transporte leve Ka-226, equipado com um kit de evacuação médica. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

Por outro lado, a Irkut, uma unidade da United Aircraft Corporation (UAC), responsável pela fabricação das aeronaves Sukhoi Su-30 de exportação, e que teve enorme sucesso com a venda de aeronaves para a Força Aérea da Índia, agora também está visando o mercado interno. Além de fechar um contrato de modernização dos caças indianos Su-30MKI para o padrão Su-30SM, ela também poderá fechar um negócio de 40 unidades do tipo para o Ministério da Defesa. Doze dessas aeronaves devem substituir as aeronaves Su-24 Fencer em uso para Aviação Naval Russa em Gvardeyskoye, na Frota do Mar Negro.

O helicóptero de ataque Kamov Ka-52 Alligator. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
Uma demonstração em voo de todos modelos de helicópteros presentes no MAKS 2011. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

Na área de helicópteros, outro grande negócio foi fechado junto ao Ministério de Defesa da Rússia e o conglomerado Russian Helicopters. Esse setor de aeronaves de asas rotativas tem se mantido estável nos últimos anos e mais uma vez o MAKS 2011 viu um grande número de pedidos de aeronaves civis e militares, tanto interno como externo. Tanto que durante o MAKS houve um dia especial dedicado aos helicópteros.

O mais recente helicóptero de ataque russo, o Ka-52 Alligator. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
O helicóptero de ataque Mil Mi-28N Night Hunter. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
O novo helicóptero de transporte russo Mi-38. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

O Ministério de Defesa da Rússia pretende adquirir cerca de 1.000 helicópteros de todos os tipos até 2020. Em 2010 já havia sido fechado um contrato para 100 helicópteros de ataque Mi-28 Night Hunter. Além disso, a produção em série do modelo Ka-52 Alligator foi mantida, com um grande número desse modelo também em negociação para preencher o convés de voo dos navios da Classe Mistral. Do modelo de transporte Mi-8 foram comprados mais de 50 unidades. Até o final de 2012, várias unidades de todos os modelos de helicópteros já devem começar a ser entregues para os serviços militares da Rússia. Outras tantas aeronaves ainda passarão por um processo de modernização. No total estima-se que o Ministério de Defesa da Rússia chegue a um número de 1.500 helicópteros em 2020.

O Sukhoi Superjet 100 durante passagem sobre Zhukovsky. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
Visto por baixo o Sukhoi Superjet 100. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

Na área civil, a aeronave regional de passageiros Sukhoi Superjet 100 acabou levando dois pedidos firmes durante o MAKS 2011, totalizando 22 aeronaves, e a fabricante Irkut fechou um pedido de 50 jatos MS-21. No total os contratos assinados no MAKS 2011 totalizaram mais de US$ 10 bilhões, sendo que 80% são relativos a vendas dos dois modelos de jatos de passageiros russos. As fabricantes de aeronaves russas pretendem vender mais de 200 aeronaves até 2012. A Airbus levou também um pedido de 40 de suas novas aeronaves A320neo para a Transaero.

Mais uma visão geral do evento MAKS 2011. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
Um jato de combate a incêndios Beriev Be200. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

A Tupolev apresentou no MAKS dois novos modelos. Um deles é o novo avião de passageiros de alcance médio Tu-204SM e a outra novidade é o avião Tu-214ON que recentemente foi certificado sob o Tratado de Céus Abertos para monitorar os voos nos Estados Unidos e no Canadá.

A Boeing levou o 787 Dreamliner para Moscou. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
E a Força Aérea dos EUA (USAF) se apresentou com um caça F-15E Strike Eagle. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

Os Estados Unidos foi o país que mais levou aeronaves para o MAKS 2011 depois do país sede. No total foram 12 aeronaves militares e uma aeronave comercial, o Boeing 787 Dreamliner que pela primeira vez visita a Rússia. A USAF levou as seguintes aeronaves: um C-5M Super Galaxy, um KC-10 Extender, dois C-130J Hercules, dois F-16CJ Falcon, dois F-15E Strike Eagle da Base da RAF de Lakenheat, três aeronaves de ataque A-10C Thunderbolt, um P-3C Orion e mais o B-52 da Base Aérea de Bakersdale que realizou um voo sobrevoando o Pólo Norte.

O Força Aérea Francesa se fez presente com um caça Dassault Rafale com uma pintura comemorativa de 30.000 horas de voo do modelo no serviço francês. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

A França foi um dos únicos países europeus que levou aeronaves para o evento, com um caça Rafale, com a pintura especial de 30.000 horas de voo do modelo, realizando apresentações em voo durante a semana.

Os caças Sukhoi Su-27 da esquadrilha Russian Falcons. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)
Os jatos de treinamento L-39 Albatross do esquadrão Baltic Bees. (Foto: Bernardo Malfitano / Cavok)

Durante a tarde também houve shows aéreos com as esquadrilhas de demonstração, dentre elas os Russian Knights (Russkey Vitazi) com aeronaves Sukhoi Su-27, que comemoram seus 20 anos com uma apresentação conjunta com outra importante esquadrilha, os Swifts (Strizhi) com caças MiG-29, os quais também celebram seu 20º aniversário este ano. Complementaram as apresentações os Baltic Bees com jatos L-39 Albatross.