Saab

Inicio Tags Stealth

Tag: stealth

China divulga modelo do novo bombardeiro furtivo em formato de asa voadora

8
Modelo do novo bombardeiro furtivo chinês foi revelado durante testes em túnel de vento na fábrica da Xian, parte da AVIC.

No dia 25 de outubro de 2019, a China publicou o primeiro conjunto de imagens do modelo de bombardeiro estratégico furtivo Xian H-20, na Fábrica de Aeronaves Xi’an (parte do grupo AVIC), em Shaanxi, China.

Anúncios

IMAGENS: F-117 Nighthawk é “visto” em trânsito na Califórnia

1
A aeronave estava sendo transportada em plena luz do dia, com segurança mínima. Foto: Christopher McGreevy.

Um caminhão foi flagrado transportando a fuselagem de um Lockheed F-117 Nighthawk na última sexta-feira (16) por volta das 16h (horário local) em plena luz do dia próximo ao Palmdale Regional Airport, Califórnia.

Novo caça de superioridade aérea da USAF poderá ter custo unitário de US$ 300 milhões

19
Novo caça de superioridade aérea da USAF custará 3 vezes mais que o atual F-35.

Até agora, quando falamos em novos bombardeiros e jatos de combate (olá, F-35), nos assustamos com o custo unitário das aeronaves. Mas o avião que substituiria tanto o F-22 Raptor quanto o F-15 Eagle poderia atingir um incrível custo de US$ 300 milhões por avião.

ESPECIAL: Invisibilidade e Furtividade: a Gênese da Tecnologia Stealth

11
Um bombardeiro B-2 Spirit voa em ofmracao com dois F-117 Nighthawks. (Foto: U.S. Air Force)

A ideia original de prover invisibilidade aos ativos militares, – particularmente  belonaves -, no campo de batalha, nasceu com o chamado Projeto Philadelphia, durante a Segunda Guerra Mundial. De modo diverso de seu congênere, o Projeto Manhattan (que logrou desenvolver e construir a bomba atômica), o Projeto Philadelphia, após consumir muitos milhões de dólares (alguns bilhões de dólares em moeda de 2018), não obteve qualquer êxito operacional, tendo sido definitivamente abandonado logo após o término do conflito mundial para, somente em tempos mais recentes, ter sido retomado, ainda assim a partir de premissas científicas completamente diferentes daquelas originalmente formuladas.

VÍDEO: “Aposentados” jatos furtivos F-117 são vistos novamente voando em Nevada

21
“Fora de combate” desde 2008, os jatos furtivos F-117 continuam aparecendo nos céus de Nevada desde sua aposentadoria da USAF.

O Lockheed Martin F-117 Nighthawk, primeiro avião furtivo criado para entrar em combate, foi aposentado (pelo menos oficialmente) em 2008, após uma carreira de voo relativamente curta, mas cheia de fatos marcantes. Os entusiastas da aviação ainda vislumbram o jato “aposentado” voando de tempos em tempos. O último avistamento ocorreu no final de julho nos céus de Nevada, provocando a pergunta: por que ainda estão voando?

Há dez anos atrás o F-117 Nighthawk oficialmente era retirado de operação

2
No dia 22 de abril de 2008, o F-117 Nighthawk oficialmente se despedia da USAF.

Já faz 10 anos que o F-117 Nighthawk foi retirado de operação (pelo menos oficialmente), um avião tão secreto que o folclore de Nevada o rotulou de OVNI.

USAF quer nova aeronave stealth de reabastecimento em voo

36
A capacidade da USAF de reabastecimento em voo de aeronaves furtivas dependerá dos novos aviões tanques. (Foto: Boeing)
A capacidade da USAF de reabastecimento em voo de aeronaves furtivas dependerá dos novos aviões tanques com a mesma capacidade. (Foto: Boeing)

O chefe do comando de mobilidade aérea da Força Aérea dos Estados Unidos está solicitando para o serviço a aquisição de mais reabastecedores em 2035 e, possivelmente, desenvolver um novo avião de reabastecimento aéreo “KC-Y” para preencher uma lacuna de aquisição.

IMAGEM: China analisa furtividade de modelos de asas voadoras

17

Estudos de RCS - China - Copy

Stephen Trimble, renomado jornalista de aviação e um dos editores do site FlightGlobal, publicou em sua página do Twitter um estudo realizado pela China que tomou por base a análise do RCS (assinatura de radar) de alguns modelos de asa voadora. Em equipamentos onde o bordo de ataque é reto, como é o caso do B-2 e do futuro B-21, percebe-se uma maior furtividade da aeronave, se comparado ao design do X-47B, por exemplo, onde a parte da frente da asa tem o formato mais angular.

Estudos de RCS - China

O estudo chinês baseia-se apenas em design, e não considerou o efeito da aplicação de material RAM nas aeronaves.

divider 1

FONTE: Stephen Trimble, thank you!

EDIÇÃO: Cavok

SAAB: eficácia dos caças stealth já não é mais a mesma

51
141105-F-XC395-173
Formação contendo caças F-35A e F-22A. Segundo executivo da Saab, o advento das tecnologias furtivas também trouxe o desenvolvimento de técnicas que permitem que as aeronaves stealth sejam detectadas / Foto: MSgt Shane A. Cuomo, USAF

Essa, pelo menos, é a opinião de Ulf Nilsson, chefe da área de negócios de aeronáutica da Saab, fabricante do Gripen. Com a declaração, proferida durante o Dubai Airshow, o executivo questiona a viabilidade de se pagar mais pela aquisição do F-35, argumentando que o efeito prático do benefício da furtividade tem diminuído a cada ano que passa devido ao avanços obtidos no desenvolvimento de novos sistemas de detecção.

Israel vai receber um esquadrão de caças F-15SE ‘Silent Eagle’

92
F-15SE Silent Eagle - Boeing (1) - Copy
Boeing F-15SE ‘Silent Eagle’ / Foto: Boeing

A exigência, que foi feita à Casa Branca, e aceita, seria parte do chamado “pacote de compensação”, solicitado por Israel em virtude da suspensão das sanções internacionais contra o Irã.

Northrop poderá basear seu futuro caça de 6ª Geração no YF-23

2
Northrop-McDonnell Douglas YF-23
Em voo, os dois protótipos do YF-23, “Gray Ghost” e “Black Widow II”. (Foto: USAF)

Em janeiro deste ano, a Northrop Grumman anunciou que estava planejando o desenvolvimento de um caça de 6ª Geração para a USAF, entrando, assim, numa disputa que, esperava-se, fosse ocorrer apenas entre a Boeing e Lockheed Martin.

F/A-XX e F-X: Furtividade ainda é necessária

29

LM F-A-X-XFalando a jornalistas, o chefe da Skunk Works, acredita que o próximo caça para a Força Aérea dos Estados Unidos e da Marinha ainda terá características furtivas.

Governo chinês decide que aeronave furtiva J-20 não será exportada!

23

J-20
A decisão de Pequim foi recebida com surpresa nos meios especializados, haja vista, desde 2011, quando o Chengdu J-20 foi visto pela primeira vez, analistas ocidentais acreditavam que essa aeronave estaria disponível para exportação.

Chineses alegam ter desenvolvido radar capaz de detectar o F-22

68

Lockheed_Martin_F-22

Um novo radar chinês, apresentado na Exposição de Aviação e Aeroespacial Internacional da China, que terminou neste domingo (16/11) em Zhuhai, pode localizar os supostamente indetectáveis caças F-22 dos Estados Unidos, afirmou um especialista taiwanês.

CHINA: Surgem novas imagens do caça de 5ª geração J-31

69

1

O teste de voo ocorreu ontem, num ensaio para primeira aparição pública do modelo, programada para ocorrer no próximo mês de novembro, entre os dias 11 e 16, durante o ‘Airshow China 2014 – The 10th China International Aviation & Aerospace Exhibition’, que será realizado da cidade de em Zhuhai, cidade portuária na Província de Guangdong, sul do país.

China planeja adquirir 700 caças stealth

48
J-20 (Imagem: wantchinatimes.com)
J-20 (Imagem: wantchinatimes.com)

Segundo reportagem da Jane´s, a China pretende comprar 700 caças stealth de 5ª Geração.

Japão irá desenvolver radar capaz de detectar aviões furtivos

110
Governo japonês inicia os estudos para o desenvolvimento de um radar capaz de detectar aeronaves com capacidades Stealth.
Governo japonês inicia os estudos para o desenvolvimento de um radar capaz de detectar aeronaves com capacidades Stealth.

O Japão iniciou um programa para desenvolver tecnologias de radar que irá possibilitar a detecção de aviões furtivos.

VÍDEO E IMAGENS: Irã revela seu primeiro caça stealth, o Qaher-313

67
O primeiro caça stealth iraniano, o Qaher-313, revelado no dia 2 de fevereiro de 2013. (Foto: FARS News Agency)
O primeiro caça stealth iraniano, o Qaher-313, revelado no dia 2 de fevereiro de 2013. (Foto: FARS News Agency)

O Presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, participou hoje de uma cerimônia que revelou o novo caça stealth desenvolvido no país, o Qaher-313 (Conquistador-313), o que alegadamente é descrito como similar aos caças norte americanos. Veja a seguir mais imagens e um vídeo da apresentação do novo caça stealth iraniano.

A aeronave de caça Qaher-313 iraniana foi colocada em exposição durante uma cerimônia pelas comemorações dos Dez Dias da Alvorada que celebra a vitória da Revolução Islâmica de 1979. Participaram da cerimônia o Comandante de Exército Iraniano Major General Ataollah Salehi, o Ministro da Defesa General Brigadeiro Ahmad Vahidi e o Comandante da Força Aérea da República Islâmica do Irã (IRIAF) General Brigadeiro Hassan Shah-Safi.

A aeronave foi projetada, desenvolvida e fabricada totalmente por engenheiros e técnicos iranianos, mas o design lembra muito com a Bird of Pray dos EUA. (Foto: FARS News Agency)
A aeronave foi projetada, desenvolvida e fabricada totalmente por engenheiros e técnicos iranianos, mas o design tem similaridades com caças furtivos norte americanos, incluindo as derivas do F-35, e as asas do Boeing Bird of Prey. (Foto: FARS News Agency)

Ahmadinejad também afirmou que o jato foi totalmente projetado e fabricado por especialistas iranianos, da Organização das Indústrias de Aviação do Ministério de Defesa. O caça é o primeiro do país a usar canards.

Embora o país sofra um embargo de armas e tecnologia, o país vem desenvolvendo soluções próprias para melhorar suas aeronaves de combate.

O cockpit ainda muito simples, e com pequenas telas LCD. (Foto: FARS News Agency)
O cockpit ainda muito simples, e com pequenas telas LCD. (Foto: FARS News Agency)

A agência de notícias iraniana FARS disse que o ministro Vahidi teria afirmado que “materias de alta tecnologia e sistemas eletrônicos foram usados na aeronave, que é capaz de pousar e decolar de pistas curtas”, e adicionou que o Qaher-313 “possui uma alta capacidade de combate, e pode levar armas produzidas nacionalmente”.

Q-313-4

Nessas duas imagens  é possível ter uma noção do tamanho reduzido do Qaher-313. (Foto: FARS News Agency)
Nessas duas imagens é possível ter uma noção do tamanho reduzido do Qaher-313. (Foto: FARS News Agency)

Mas numa primeira impressão, a aeronave Qaher-313 parece ter um tamanho muito reduzido, como pode ser visto nas imagens com o piloto no cockpit. A deriva dupla tem muita semelhança com o jato F-35 norte americano, mas o conceito da aeronave, inclusive as asas com as pontas dobradas para baixo, lembra muito com a conceito Boeing Bird of Prey, a qual agora está no Museu da USAF na Base Aérea de Wright-Patterson.

Q-313-2

A aeronave Qaher-313 é a primeira do Irã a ter canards. Na deriva, os dois lemes lembram muito a cauda do F-35 norte americano. (Fotos: FARS News Agency)
A aeronave Qaher-313 é a primeira do Irã a ter canards. Na deriva, os dois lemes lembram muito a cauda do F-35 norte americano. (Fotos: FARS News Agency)

O cockpit, ainda muito espartano, parece com algo produzido para uma aeronave homebuilt experimental, e o canopy parece ser feito de plexiglass. O material da fuselagem também não parece ser muito resistente (provavelmente feito de algum tipo de fibra ou metal de baixa resistência), ou mesmo ter alguma pintura ou revestimento especial stealth, fazendo com que somente o formato da aeronave lembre uma aeronave furtiva.

Q-313-7

As entradas e a tubeira do motor estavam com tampas, e não era possível ver se a aeronave apresentada estava com motor instalado. (Fotos FARS News Agency)
As entradas e a tubeira do motor estavam com tampas, e não era possível ver se a aeronave apresentada estava com motor instalado. (Fotos FARS News Agency)

Não é possível ver se a aeronave possui um motor no seu interior, embora nas imagens dá a impressão que o caça seja ainda um mockup, embora militares iranianos afirmem que a aeronave já teria realizado o primeiro voo.

Nota do Editor: Sem dúvida nenhuma, Ahmadinejad sabe promover seus produtos, no melhor estilo dos produtos “mas adquire já” vendidos na TV. Faz uma propaganda desenfreada de seus produtos, que sinceramente não parecem ter toda alardeada tecnologia. Duvido muito que essa aeronave das fotos consiga passar de Mach 1.

Solicitamos mais uma vez a ajuda de todos com contribuições espontâneas para o site, que ajudam muito nas despesas de hospedagem. Para contribuir, utilize as formas de pagamento online abaixo ou nos botões localizados na barra lateral. Se você gosta de ver notícias atualizadas aqui, colabore para manter o site no ar. Quem quiser também poderá doar através de depósito na conta corrente: Banco do Brasil – Agência: 0181-3 – C/C: 12.742-6 – Favorecido: Fernando Valduga. Desde já, muito obrigado!




Enhanced by Zemanta

Por dentro do arsenal secreto da China

70
O crescimento do poderio militar chinês tem preocupado os militares norte americanos. (Foto: Popular Science)
O crescimento do poderio militar chinês tem preocupado os militares norte americanos. (Foto: Popular Science)

Numa única geração, a China se transformou de um país em grande parte agrário numa potência de fabricação e comércio global. A economia da China é 20 vezes maior do que era há duas décadas e está a caminho de superar os Estados Unidos, tornando-se a maior do mundo. Mas talvez o mais surpreendente foi o ambicioso crescimento militar e cada vez mais poderoso da China. O governo chinês está rapidamente contruindo um maior e mais sofisticado arsenal militar. A reportagem abaixo mostra o que a China tem, o que ela quer e o que isso significa para os EUA.

Apenas 10 anos atrás, o orçamento para o Exército de Libertação Popular (PLA) era de cerca de US$ 20 bilhões. Hoje, esse número é de mais US$ 100 bilhões (alguns analistas acham que está próximo de US$ 160 bilhões). O orçamento do PLA é apenas um sexto do que o governo dos EUA dedica à defesa anualmente, mas os dólares em defesa vão muito mais além na China, e nos próximos anos, a despesa militar chinesa vai crescer na mesma taxa que a sua economia. Enquanto isso, o presidente chinês, Hu Jintao, pediu ao PLA para realizar “novas missões históricas” no século 21, para ir além do tradicional objetivo de defender a soberania da nação e desenvolver o alcance global militar de uma verdadeira superpotência mundial. Em alguns casos, a presença internacional crescente da China poderia levar a uma maior cooperação com os EUA, como fez em 2008, quando a China participou de patrulhas antipirataria na costa da Somália. Mas se as forças americanas e chinesas acabarem no mesmo lugar, com objetivos diferentes, o resultado poderia ser um confronto entre duas das forças militares mais bem equipadas do mundo.

O caça de quinta geração J-20 desenvolvido pela Chengdu.
O caça de quinta geração J-20 desenvolvido pela Chengdu. (Nick Kaloterakis)

As autoridades americanas não estão apenas preocupadas com a quantidade de dinheiro que o exército chinês está gastando. Elas estão preocupadas com a tecnologia que o dinheiro está comprando. Os equipamentos militares norte americanos continuam sendo de uma geração à frente de qualquer rival, mas os chineses começaram a preencher a lacuna. Considere o progresso da China na construção de aviões de guerra avançados. Até recentemente, os EUA com seus aviões F-22 e F-35 era a única nação do mundo com caças de quinta geração (o nome dado a uma classe de caças furtivos desenvolvidos na última década, que estão equipados com recursos que iludem os radares, motores de alto desempenho e aviônicos e sistemas de computadores em rede). Então, em 2011 numa viagem à China, o secretário de Defesa Robert Gates aprendeu o contrário. Enquanto Gates se reunia com Hu Jintao, seus anfitriões “coincidentemente” revelavam a existência de um novo caça avançado, o J-20, encenando o vôo inaugural público sobre a cidade de Chengdu. Em setembro desse ano, a China colocou em voo um segundo caça furtivo, menor que o J-20, o J-31, que se parece com o F-35 norte americano.

O UAV chinês Pterodactyl I.
O UAV chinês Pterodactyl I, muito parecido em design com o Predator norte americano. (Foto: Nick Kaloterakis)

O J-20 está longe de ser a única novidade em aviões da China. O PLA também está agressivamente atualizando sua frota de drones. Uma década atrás, o exército tinha quase nenhum veículo aéreo não tripulado (UAV). Na última mostra de aviação em Zhuhay, empreiteiros chineses exibiram dezenas de drones em desenvolvimento. Entre os mais notáveis: o Yilong (Pterodactyl I) e o BZK-005 Soaring Dragon, que em muito se assemelham ao Predator e o Global Hawk usados pelos militares dos EUA, respectivamente. O futuro dos UAVs da China também poderá receber um impulso a partir de tecnologia norte-americana: o Irã já teria dado aos cientistas chineses acesso ao avançado drone espião RQ-170 que caiu em seu território no ano passado.

O novo porta-aviões chinês Liaoning CV 16.
O novo porta-aviões chinês Liaoning CV 16.

Além disso, a China está investindo pesadamente na sua marinha. Hoje, os EUA são o único país que pode enviar porta-aviões carregados de caças para qualquer canto do globo. O PLA gostaria de mudar isso. Os chineses passaram os últimos adaptando um antigo porta-aviões soviético de 65.000 toneladas (que o PLA adquiriu utilizando uma agência de viagens falsa como cliente) com novos motores e armas, incluindo baterias de mísseis superfície-ar Flying Leopard e sistemas de metralhadoras de defesa aérea automatizada. O navio, chamado de Liaoning, pode transportar cerca de 50 aeronaves, incluindo o Shenyang J-15 Flying Shark, um avião de caça que pode ser tão capaz quanto um F-18. A China também está construindo furtivos destróieres de 8.000 toneladas, juntamente com submarinos nucleares e navios de assalto anfíbio. Um novo navio cruzador de 36.000 toneladas modificado para fins militares, o Bahai Sea Green Pearl, pode transportar mais de 2.000 soldados e 300 veículos. Com a sua nova força naval, a China enviou tropas e força policial para operações de paz da ONU em lugares tão longínquos como África e América Latina.

De certa forma, a ascensão da China ecoa como a da Alemanha imperial, na virada do século 20. Na época, a Grã-Bretanha era a incontestável superpotência econômica e militar do mundo. Quando a Alemanha decidiu construir navios de guerra para enfrentar os dreadnoughts da Grande Frota, os dois países entraram numa corrida armamentista que ajudou a preparar o palco para a Primeira Guerra Mundial. Mas, quando a guerra começou, a Inglaterra não perdeu um único navio de guerra para Frota da Alemanha em alto mar. As minas alemãs e submarinos, por outro lado, as novas tecnologias que chegaram de forma inesperada e mudaram as regras da batalha, afundaram 13 navios de guerra britânicos.

O míssil balístico "anti-navio" DF-21D que após lançado de sistemas terrestres móveis próximo da costa, pode viajar na fronteira do espaço, antes de reentrar na atmosfera à mais de 3.000 mph carregando 1.300 libras de explosivos. (Foto: Nick
O míssil balístico “anti-navio” DF-21D, que após lançado de sistemas terrestres móveis próximo da costa, pode viajar na fronteira do espaço, antes de reentrar na atmosfera à mais de 3.000 mph carregando 1.300 libras de explosivos. (Foto: Nick Kaloterakis)

Da mesma forma, o PLA tem mais a ganhar com o desenvolvimento de novas tecnologias do que competindo para corresponder o poder naval e aéreo norte americano. A China não tem como chegar a ter uma marinha tão poderosa quanto a frota americana mas pode tornar o mar muito perigoso para os navios dos EUA poderem viajar. Para todo efeito, o PLA está adquirindo armas, tais como lançadores móveis de mísseis balísticos anti-navio e mísseis cruzeiros furtivos ao radar movidos a ramjet Sunburn, que voam em direção a seus alvos a Mach 2.5, dando as defesas apenas alguns segundos para responder.

A China também poderia facilmente ir atrás das vulnerabilidades americanas no espaço. Mais de 80 por cento das comunicações do governo dos EUA e dos militares, desde o direcionamento de soldados no campo de batalha até ataques de mísseis de precisão, viajam por satélites. Os satélites GPS controlam o movimento de 800 mil receptores militares dos EUA para tudo, desde porta-aviões até bombas individuais e de artilharia. O sistema não é infalível: no início de 2010, uma “falha” no GPS deixou quase 10 mil destes receptores incapazes de se conectar por dias.

A nave espacial não tripulada e reutilizável Shenlong, ou Divine Dragon, similar ao X-37B norte americano.
A nave espacial não tripulada e reutilizável Shenlong, ou Divine Dragon, similar ao X-37B norte americano. (Foto: Nick Kaloterakis)

Enquanto isso, a China também está ampliando sua capacidade para colocar seus ativos no espaço. Além de seus comprovados mísseis destruidores de satélite, o PLA está desenvolvendo microssatélites manobráveis que agem como pequenos kamikazes no espaço, juntamente com dispositivos (laser) de energia dirigida que poderiam derreter ou cegar os sistemas dos EUA no espaço. Em 2007, o Coronel Sênior Yao Yunzhu da Academia Chinesa de Ciências Militares (o maior instituto de pesquisa no PLA) anunciou que os EUA não seriam a única “superpotência espacial” no mundo por muito tempo. O plano chinês previa enviar mais de 100 satélites civis e militares em órbita na década seguinte, e o PLA está testando o que parece ser um avião espacial não-tripulado e reutilizável.

A mais nova poderosa capacidade da China, porém, pode ser o que o PLA chamou de “guerra informatizada”, ou guerra cibernética. Assim, como os militares dos EUA criaram o seu próprio Comando Cibernético, o PLA atribuiu mais de 130 mil pessoas aos programas de guerra cibernética. E, enquanto o secretário de Defesa Leon Panetta alertou sobre um potencial Pearl Harbor cibernético, a maior ameaça pode ser o roubo de segredos do governo dos EUA e de propriedades intelectuais. Até agora, as operações pensadas são para possíveis ataques vindos da China que poderiam comprometer redes sensíveis do Departamento de Estado, bem como computadores envolvidos no programa F-35 Joint Strike Fighter.

O UCAV chinês DarkSword. (Foto: Nick Kaloterakis)
O UCAV chinês DarkSword. (Foto: Nick Kaloterakis)

No filme Amanhecer Vermelho (Red Dawn) de 1984, um personagem explica por que a guerra entre os EUA e a União Soviética parecia inevitável: “As duas crianças mais jovens do bloco, eu acho. Mais cedo ou mais tarde, eles vão lutar”. Alguns anos atrás, quando Hollywood partiu para refazer o filme, os cineastas atualizaram o script, substituindo os caras maus soviéticos pelos chineses. Em seguida, a economia do mundo real entrou em jogo. Para evitar perder o acesso ao mercado multibilionário chinês de filmes, eles digitalmente jogaram o adversário para a Coreia do Norte na pós-produção.

O episódio ressalta um ponto importante: ao contrário do enfrentamento entre EUA e os soviéticos, os EUA e a China estão unidos por centenas de bilhões de dólares em trocas comerciais e de investimentos. A guerra entre os dois países seria mutuamente ruinosa. Os líderes de ambos os lados sabem disso. As forças americanas e chinesas mantém uma constante vigília suspeita entre os dois países, e o relacionamento pode tornar-se tenso. Mas lembre-se de que a guerra muito temida entre os EUA e os soviéticos, a questão que definiu a política mundial na segunda metade do século 20, nunca aconteceu. Com tanto a perder, as duas mais duras crianças decidiram que não valia a pena lutar.

Fonte: Peter W. Singer / PopSci (Peter W. Singer é diretor da Iniciativa de Defesa do Século 21 e um membro sênior de política externa na Brookings Institution. Este artigo foi publicado na edição de janeiro da revista Popular Science) – Tradução: Cavok

Agradecemos as contribuições até o momento. Graças à colaboração de algumas pessoas estamos conseguindo manter o site no ar, pois o valor necessário para manter o Cavok no ar é alto. Continuamos pedindo a ajuda de todos com as contribuições, que podem ser de qualquer valor. Se cada um ajudar um pouco, poderemos assim manter esse local como o melhor site de aviação do Brasil. Continuamos também lutando para conseguir um patrocínio, que ajudaria bastante nas despesas mensais do site. Para contribuir, utilize as formas de pagamento online abaixo ou nos botões localizados na barra lateral. Quem quiser também poderá doar através de depósito na conta corrente: Banco do Brasil – Agência: 0181-3 – C/C: 12.742-6 – Favorecido: Fernando Valduga. Desde já meu muito obrigado!




Enhanced by Zemanta

Novo sistema de imagem quântica poderá tornar obsoleta a tecnologia stealth

85
A tecnologia stealth usada no F-35 poderá ficar comprometida após um trabalho de imagem quantica desenvolvido nos EUA.
A tecnologia stealth usada no F-35 poderá ficar comprometida após um trabalho de imagem quantica desenvolvida nos EUA.

A tecnologia stealth dos caças de quinta geração, os jatos F-22 e F-35, poderia ficar obsoleta após uma nova descoberta da Universidade de Rochester, em Nova York. Os físicos têm usado a mecânica quântica para criar um sistema de imagem segura polarizada que poderia ser usada para a detecção de aeronaves até então invisíveis aos radares, praticamente anulando as camadas especias de tintas aplicadas nas aeronaves militares

O F-35 utiliza recursos de dispositivos eletrônicos, formas de design e pinturas especiais para evitar a detecção por sofisticados radares. Mas a Universidade de Rochester não parece fazer uso dessa onda de radar, mas sim de uma imagem quântica adquirida através de uma série de fótons que são enviados e recebidos. Este processo não pode ser capturado, confuso ou iludido, e ao invés de ser absorvido, refletido, ou mesmo reestruturado para se parecer com algo diferente, os fótons supostamente informam apenas a realidade.

As detecções de um avião invisível, um B-2 em escala, mostraram com uma margem de erro menor que 1% a forma da aeronave.
As detecções de um avião invisível, um B-2 em escala, mostraram com uma margem de erro menor que 1% a forma da aeronave.

Com essas seguras imagens quânticas, os objetos são detectados através dos fótons deles – e qualquer tentativa de um avião furtivo de contornar o sistema seria sinalizado como se isso mudasse o estado quântico dos fótons.

Os físicos da Universidade de Rochester, Nova Iorque, demonstraram a técnica com uma aeronave em escala reduzida, numa tentativa de falsificar a forma de uma ave. O sistema de imagem quântica foi capaz de detectar a imagem falsificada, e com uma margem de erro menor que 1%.

A equipe observou que, embora seja basicamente impossível mentir para o sistema, existem maneiras de burlar o sistema: os mesmos truques que colocaram a segurança da criptografia quântica em questão no início poderiam funcionar aqui. No entanto, a complexidade dessas técnicas de falsificação tornam-se impraticáveis para uso no mundo real, e os pesquisadores estão trabalhando para corrigir essas inseguranças.

O sistema seguro de imagem quântica se baseia em técnicas que já são amplamente utilizadas, de modo que poderia facilmente ser implantado em radares existentes e em imediatamente em sistemas de imagens. E os bons resultados já obtidos poderão ser ainda mais trabalhados e desenvolvidos, podendo atrapalhar ainda mais o já conturbado programa F-35.

Quem quiser saber um pouco mais, vale a pena ler a matéria do MIT Technology Review.

Nota do Editor: Agradeço as dicas sobre o assunto dos amigos Rodrigo DS e Dhaviix.

Agradecemos as contribuições até o momento. Graças à colaboração de algumas pessoas estamos conseguindo manter o site no ar, pois o valor necessário para manter o Cavok no ar é alto. Continuamos pedindo a ajuda de todos com as contribuições, que podem ser de qualquer valor. Se cada um ajudar um pouco, poderemos assim manter esse local como o melhor site de aviação do Brasil. Continuamos também lutando para conseguir um patrocínio, que ajudaria bastante nas despesas mensais do site. Para contribuir, utilize as formas de pagamento online abaixo ou nos botões localizados na barra lateral. Quem quiser também poderá doar através de depósito na conta corrente: Banco do Brasil – Agência: 0181-3 – C/C: 12.742-6 – Favorecido: Fernando Valduga. Desde já meu muito obrigado!




Enhanced by Zemanta

Cavok nas redes sociais

62,316FãsCurtir
340Inscritos+1
6,375SeguidoresSeguir
2,505SeguidoresSeguir
10,510SeguidoresSeguir
2,560InscritosInscrever
Anúncios