Saab

Inicio Tags Tornado

Tag: Tornado

EUA aprovam venda de avançados mísseis anti-radiação AGM-88E AARGM para Luftwaffe

2
A Força Aérea Alemã (Luftwaffe) adquiriu 99 mísseis AARGM AGM-88E para seus jatos Tornado.

O Departamento de Estado dos EUA aprovou uma possível venda de até 99 avançados mísseis guiados anti-radiação AGM-88E (AARGM) para a Alemanha através do programa de Vendas Militares Estrangeiras (FMS).

Anúncios

Tornados da RAF estão prontos para receber o sistema BriteCloud

0
A RAF deu o sinal verde para começar a implantar o sistema BriteCloud nos jatos de combate Tornado GR4.

A Leonardo iniciou as entregas do sistema de contramedidas “BriteCloud” para a Força Aérea Real do Reino Unido (RAF), para o uso operacional da nova tecnologia, após a liberacão formal do Ministério da Defesa britânico. A contramedida, entre as mais compactas disponíveis no mercado, protegerá as aeronaves dos modernos mísseis guiados por radar e estará pronta a curto prazo para ser usada pelas tripulações do jatos de combate Tornado GR4. A RAF será a primeira força aérea do mundo a colocar em campo essa nova tecnologia de proteção.

Alemanha solicita informações detalhadas sobre caças F/A-18 e F-15 da Boeing

13
A Alemanha solicitou informações classificadas dos jatos de combate F-15 (acima) e F/A-18 Super Hornet. (Foto: Boeing)

A Alemanha solicitou dados classificados aos militares dos Estados Unidos sobre dois aviões de combate da Boeing, já que procura substituir seus aviões antigos de combate Tornado até 2025, dando um impulso à empresa norte-americana bloqueada em uma disputa comercial com o Canadá e a Grã-Bretanha.

Alemanha começa a deixar base aérea turca

1
Primeiros jatos Tornado e A310MRTT seguiram dia 9 de julho para uma base aérea na Jordânia.

A Alemanha começou a retirar suas tropas da base aérea turca de Incirlik onde apoiaram as operações internacionais contra o chamado “Estado Islâmico”. Isso ocorre após a decisão de Ankara sobre as permissões de acesso à base. As primeiras aeronaves de reconhecimento Tornado e de reabastecimento A310MRTT já foram transferidas. 

Parafuso solto deixa fora de voo jatos de combate Tornado da Força Aérea Alemã

8

Jatos de combate Tornado da Força Aérea Alemã tiveram suas operações de voo suspensas pela falta de um parafuso no cockpit traseiro. (Foto: Airwolfhound)
Jatos de combate Tornado da Força Aérea Alemã tiveram suas operações de voo suspensas devido a um parafuso solto no cockpit traseiro. (Foto: Airwolfhound)
A frota de aeronaves de combate multi-função Tornado da Força Aérea da Alemanha (Luftwaffe), em particular da versão modernizada ASSTA 3.0/3.1, teve que ser retirada de voo por razões técnicas, sem data prevista para retomada das operações, é o que disse uma nota oficial da unidade militar alemã. A Airbus Defesa foi acusada pelo programa alemão de modernização da frota de aviões Tornado da Força Aérea.

Força Aérea Britânica usa pela primeira vez os mísseis Storm Shadows contra o Daesh

3
Um Tornado do Esquadrão 617 da RAF, equipado com mísseis de cruzeiro Storm Shadow. (Foto: UK MoD)
Um Tornado do Esquadrão 617 da RAF, equipado com mísseis de cruzeiro Storm Shadow. (Foto: UK MoD)

As forças britânicas continuam realizando operações aéreas na luta contra Daesh, no Iraque. No último final de semana, caças Tornado GR4 da Real Força Aérea Britânica (RAF) realizaram missões de ataque contra um bunker, usando pela primeira vez os mísseis de cruzeiro Storm Shadow. O trabalho de integração do míssil no Eurofighter está levando mais tempo do que o esperado.

Rolls-Royce assina contrato com a Força Aérea Real Saudita

5
Uma aeronave PANAVIA Tornado IDS da Real Força Aérea Saudita.
Uma aeronave PANAVIA Tornado IDS da Real Força Aérea Saudita.

A Rolls-Royce anunciou no dia 16 de janeiro (quarta-feira), a assinatura de um contrato com a Força Aérea Real Saudita. O objetivo é fornecer, pelo período de quatro anos, serviços de reparo aos motores RB199, usados na frota de aviões de combate conhecidos como Tornados. O contrato foi assinado no âmbito do Programa de Cooperação para a Área de Defesa, acordado recentemente entre os governos da Arábia Saudita e do Reino Unido.

O presidente de Negócios ao Cliente da área de Defesa da Rolls-Royce, Nick Durham, comemorou a parceria: “Estamos muito satisfeitos por ter concluído esse acordo. A Força Aérea Real Saudita é um cliente muito valioso e de longa data da nossa companhia”, afirmou. “Continuaremos trabalhando em conjunto, oferecendo o melhor suporte possível para sua frota de aviões com motores Rolls-Royce”, acrescentou.

A Middle East Propulsion Company (MEPC), companhia saudita também especializada na manutenção de motores de aviões, ajudará a Rolls-Royce a realizar alguns dos serviços de reparo relativos às turbinas RB199 em sua fábrica própria, inaugurada recentemente na capital do país, Riad. Atualmente, a Rolls-Royce está conduzindo um projeto para que a companhia saudita possa também oferecer suporte aos motores T56, que equipam aeronaves C-130 da Força Aérea Real do país.

Iniciamos o ano de 2013, e eu gostaria de desejar um maravilhoso ano para nossos leitores e amigos. Aproveito para solicitar mais uma vez a ajuda de todos com as contribuições para o site, que ajudam muito nas despesas de hospedagem. Para contribuir, utilize as formas de pagamento online abaixo ou nos botões localizados na barra lateral. Quem quiser também poderá doar através de depósito na conta corrente: Banco do Brasil – Agência: 0181-3 – C/C: 12.742-6 – Favorecido: Fernando Valduga. Desde já meu muito obrigado!




Enhanced by Zemanta

Acidente com dois jatos de ataque Tornado GR4 da RAF

10
Duas aeronaves Tornado GR4 da RAF estiveram envolvidas num acidente nessa terça-feira, dia 3 de julho.

A Real Força Aérea Britânica (RAF) confirmou um acidente na área de Moray Firth, envolvendo duas aeronaves Tornado GR4 da Base da RAF de Lossiemouth. As informações ainda

O Group Captain Ian Gale, Comandante da Base da RAF de Lossiemouth, fez a seguinte declaração nessa terça-feira:

“É com grande pesar que eu tenho que confirmar a perda de dois aviões Tornado GR4, a partir desta base, num incidente hoje em Moray Firth. As circunstâncias ainda permanecem incertas, mas claramente este é um incidente muito grave.

“Este incidente envolveu quatro tripulantes – todos membros desta base – e os pensamentos de todos aqui estão com as famílias e amigos dos envolvidos. Como eu tenho certeza que vocês entenderão, esta é uma situação em evolução e, como tal, eu não estou preparado para comentar neste momento sobre a sua condição ou especular sobre as circunstâncias deste incidente. No entanto, posso confirmar que dois indivíduos foram resgatados e dois continuam desaparecidos. As operações de resgate continuam e eu gostaria de registrar minha gratidão pelos esforços de todos os envolvidos.

“Estou confiante de que as aeronaves Tornado nesta base são operados com a maior segurança possível – no entanto, o incidente de hoje é um lembrete austero que as operações militares e de treinamento que realizamos possuem sempre risco. O que aconteceu hoje está sob investigação e mais detalhes serão divulgados pela Força Aérea Real no devido tempo. Até então, gostaria de pedir a imprensa para respeitar que este é um momento difícil para a família, amigos e colegas dos envolvidos e para a toda a comunidade da Base da RAF de Lossiemouth.”

A Real Força Aérea opera os jatos Tornado GR4 a partir de duas bases – a Base da RAF de Lossiemouth na Escócia, e na Base da RAF de Marham, na Inglaterra. Os Tornados são aeronaves de dois lugares e descritos como aeronaves de ataque para qualquer tempo, capazes voar em baixas altitudes em velocidades supersônicas.

RAF coloca em operação novo capacete para os pilotos dos Tornados

8
A BAE Systems colocou em operação num curto espaço de tempo o novo capacete HCMS Tornado para os pilotos de aeronaves Tornado GR4 no Afeganistão. (Foto: BAE Systems)

A BAE Systems emitiu uma requisição de Necessidade Operacional Urgente para Real Força Aérea do Reino Unido (RAF) para ajudar os pilotos de aeronaves Tornado GR4 a identificar as forças amigas.

O equipamento é um sistema de capacete high-tech que projeta os dados na frente dos olhos do piloto, permitindo a avaliação imediata de pontos de interesse. A tecnologia pode salvar segundo vitais durante as operações militares.

O pedido para desenvolver o Tornado Helmet Mounted Cueing System (SGUM) para os aviões Tornado GR4 da frota da RAF foi recebida no dia 5 de abril de 2011, após a aposentadoria das aeronaves Harrier GR9. Em poucos meses, engenheiros e técnicos da BAE Systems tinham integrado o sistema para a aeronave que está agora operacional nos Tornados no Afeganistão.

O Wing Commander Kurt Hill, Gerente de Rápida Capacitação do Tornado disse: “A capacidade do HMCS Tornado melhorou substancialmente a consciência situacional das tripulações e a gestão de recursos, permitindo a rápida identificação de pontos de interesse no ambiente homogêneo afegão”.

Martin Taylor, Diretor de Apoio de Combate Aérea da BAE Systems disse: “Estamos muito satisfeitos com o feedback positivo das tripulações da RAF que usaram os HMCS com os Tornados no Afeganistão. A velocidade com que o sistema foi desenvolvido e implantado demonstra a nossa capacidade para responder eficazmente às necessidades dos clientes.”

Alemanha aumenta a capacidade multirole da frota de Tornado

18
Um caça Tornado da Força Aérea Alemã. (Foto: Olli J.)

A Força Aérea Alemã tem desenvolvido esforços significativos para a modernização dos seus Panavia Tornados havendo um plano para o aumento da rapidez de modernização para metade da sua frota.

A companhia responsável pelo programa a Cassidian, empresa subsidiária de defesa e segurança da EADS, informou que o primeiro avião de produção com a nova capacidade standard ASSTA 3.0 (Avionis System Software Tornado Ada) efetuou o seu primeiro voo em Manching, no passado mês de Fevereiro.

Se os testes seguirem o programado, a entrega do primeiro Tornado modernizado está planejada para meio de 2012, afirmou um representante da Cassidian. A Força Aérea conta com a modernização de toda a sua frota terminada em 2015.

Este importante teste vem de encontro com um significativo esforço de restruturação militar do país, que inclui uma redução no número de Tornados operacionais de 185 para 85 aeronaves. Este processo foi acelerado estando previsto ser terminado até ao fim do ano.

Os restantes aparelhos receberão a modernização que os tornará com capacidade operacional multirole até 2025.

A Cassidian deve entregar o primeiro Tornado com o pacote ASSTA 3.0 para Força Aérea da Alemanha em meados de 2012, e eles devem permanecer em operação até 2025. (Foto: Cassidian)

O ASSTA 3.0 inclui a integração do Sistema de Distribuição de Informação Multifuncional da OTAN (MIDS), pacote de comunicações standard Link 16, bem como a introdução de um novo gravador digital de rádio e vídeo.

Apesar da modernização dos sistemas de comunicações nas aeronaves e as instalações OTAN, os Tornados modernizados serão capazes de lançar as munições Laser Joint Direct Attack Munitions (LJDAM), que podem ser guiadas até aos seus alvos por navegação de satélite ou designadores laser. Atualmente, os Tornados alemães são apenas capazes de lançar munições guiadas a laser GBU-24 Paveway II, e no futuro GBU-54 LJDAM guiadas a laser ou por GPS.

Segundo a Forca Aérea Alemã, o desenvolvimento e instalação da modernização ASSTA 3.0 custará um valor aproximado de 760 milhões de euros (US$ 997 milhões)

As duas partes envolvidas já assinaram um contrato de desenvolvimento para uma possível modernização ASSTA 3.1. Esta modernização inclui a substituição dos monitores monocromáticos por monitores a cores.

Também será instalado um pacote básico completo MIDS com monitor de controle/situacional com a integração de imagens vídeo do pod designador laser e do pod RecceLite

De acordo com a Forca Aérea Alemã, existe um valor de 339 milhões de euros incluídos no orçamento para este programa, e as restantes 85 aeronaves começarão a receber o pacote ASSTA 3.1 standard a partir de 2018.

Apesar da introdução da capacidade digital para missões de apoio aéreo aproximado (CAS), a Força Aérea Alemã reconhece que esta modernização permite um aumento na flexibilidade da cada vez mais reduzida frota de Tornados.

Desde o inicio das operações com o Tornado a Força Aérea Alemã utiliza duas versões desta aeronave: o caca bombardeiro IDS (Interdiction Strike), utilizado também para missões de reconhecimento, e a versão de guerra electrónica ECR (Electronic Combat and Reconnaissance).

De acordo com a Luftwaffe, a modernização permitirá a ambas as versões efetuarem qualquer missão.

Apesar de tudo, alguns componentes básicos, não utilizados no passado em algumas versões específicas, como por exemplo o canhão a bordo do Tornado ECR, não farão parte deste processo de modernização.

“Resumindo, a frota de Tornados ficará significativamente mais flexível para um conjunto de missões,” afirmou a Força Aérea Alemã no seu site da internet.

“Com o ASSTA 3, a Cassidian contribui significativamente para a extensão das capacidades da frota de Tornados alemã,” segundo Erik Jensen, executivo do departamento de serviços aeronáuticos da Cassidian. “Com este pacote a Força Aérea poderá operar a aeronave após 2025.”

Segundo a Cassidian, no desenvolvimento desta modernização do Tornado, também foram utilizadas diversas lições aprendidas com o desenvolvimento do novo Eurofighter Typhoon.

Fonte: Defense News – Tradução: Cavok

IMAGEM: RAF pinta Tornado para comemorar 100 anos do Esquadrão N° II (AC)

0
A cauda especialmente pintado do Tornado do Esquadrão Número II (AC) da Base da RAF de Marham. (Foto: Senior Aircraftman Andy Masson, Crown Copyright / MOD UK)

O Esquadrão Número II (Exército de Cooperação) [AC], da Base da RAF de Marham, em Norfolk, decorou um jato Tornado GR4 com uma pintura especial para comemorar o 100° aniversário do esquadrão. A unidade foi formada como um esquadrão do Royal Flying Corps em Farnborough, no dia 13 de Maio de 1912. Para marcar o aniversário, um avião Tornado GR4 recebeu uma especial pintura na cauda que retrata a aeronave icônica BE2 com que o esquadrão foi equipado durante a Primeira Guerra Mundial.

A aeronave será a peça central das celebrações que ocorrem no final de semana dos dias 12 e 13 de maio.

O Comandante da Base da RAF de Marham, Group Captain Cooper, declarou: “Esta é uma homenagem ao ‘brilhante Dois’ e uma demonstração das habilidades das nossas unidades de pintura e acabamento. O pessoal da Royal Air Force de Marham está ansioso para compartilhar o aniversário do Esquadrão Número II este ano juntamente com os três outros esquadrões que celebram a mesma significativa data. As capacidades potentes das forças Tornado e Typhoon não poderiam ter sido imaginadas por esses primeiros aviadores e esses eventos marcam uma ocasião notável na história da Royal Air Force”.

O Esquadrão N° 3(F) da Base da RAF de Coningsby também vai comemorar a ocasião com um similar Typhoon FGR4 especialmente pintado, e espera-se que o Esquadrão 1(F) seja reativado na Base da RAF de Leuchars em tempo para celebrar seu centenário no mesmo final de semana.

Aeronaves Tornado da RAF chegam a 1 milhão de horas de voo

3
Para comemorar a marca de 1.000.000 de horas de voo com as aeronaves de ataque Tornado, a Royal Air Force pintou uma de suas aeronaves Tornado GR4 com o esquema especial visto acima. (Foto: Crown / MoD UK)

Aeronaves de ataque Tornado da RAF registraram a impressionante marca de um milhão de horas de voo esta semana, após mais de três décadas de serviço. O tempo da marca – o equivalente a voar para o sol e voltar duas vezes – foi atingido no Afeganistão, onde ele está sendo atualmente utilizado. Ele está em operação também na Líbia e foi operado também nas Guerras do Golfo e dos Balcãs, uma vez que voou pela primeira vez pela RAF em 1979.

Ele foi levado através de seu milionésimo horas voando esta semana pelo Esquadrão nº617, conhecido como Dambusters por seu papel na Segunda Guerra Mundial.

O Tornado é valorizado por seus mísseis guiados de alta precisão, que atingem desde pequenos veículos em movimento até bunkers fortificados. Ele também é usado na missão de reconhecimento, usando sensores de alta tecnologia para detectar os inimigos, passando os vídeos e fotos detalhadas para as tropas no chão.

O Chefe do Estado-Maior da RAF, Air Chief Marshal Sir Stephen Dalton, disse: “O Tornado tem sido usado para atacar aeródromos inimigos e atacar os seus equipamentos e infra-estrutura, aplicar zonas de exclusão aérea, fornecer apoio aéreo aproximado para as tropas terrestres e continuar sendo um líder mundial de vigilância, de inteligência e de combate dentre os aviões de reconhecimento no Afeganistão e Líbia. “A gama de armas de precisão sofisticados e de sensores de ponta que o Tornado carrega e a capacidade de evoluir mais nestas capacidades fornecerão para Real Força Aérea um rápido poder aéreo de longo alcance que precisa para proteger os interesses da nação por muitos anos futuros.”

O secretário de Defesa Dr. Liam Fox, disse: “Este marco impressionante é a prova não só para o Tornado como um avião de ponta militar, mas também à habilidade e profissionalismo das tripulações da RAF, engenheiros e pessoal de apoio que a têm apoiado nessa operação para obter mais de 30 anos de bons serviços, e que continuam a manter em voo o líder mundial de ataque ao solo e nas capacidades de reconhecimento atuais na Líbia e no Afeganistão. “

Esquadrão da RAF bate recorde de horas de voo feitas num ano

0
Caça PANAVIA Tornado GR4 da Royal Air Force. (Foto: Crown/ MoD UK)

O Esquadrão XV da Royal Air Force (Força Aérea Britânica), uma Unidade de Conversão Operacional que voa com jatos Tornado GR4 na Base da RAF de Lossiemouth, em Moray, Escócia, bateu um novo recorde na RAF de horas de voo realizadas num ano fiscal.

No dia 24 de março, a unidade atingiu a marca de 5.000 horas de voo, a qual nenhum outro esquadrão de jatos de combate atingiu na história da RAF. “Esse recorde não representa apenas horas de voo, é sobre salvar vidas,” explicou o Wing Commander Brian James, Oficial Comandante do Esquadrão XV. “Com as contínias operações no Afeganistão e o novo destacamento para Líbia, estamos garantindo o melhor treinamento de táticas possíveis para proeteger nossas tripulações no ar e as pessoas no solo.”

Anteriormente, o Esquadrão XV havia voado cerca de 4.000 horas por ano e esse acréscimo de 25% no desempenho é devido a melhorias na infraestrutura da base e na adoção de estilos de trabalho focado na busca diária do programa de voo do esquadrão, informou a RAF.

VÍDEO: Reino Unido retira de operação seus últimos caças Tornado F3

4

Os últimos caças Panavia Tornado F3 da Royal Air Force (RAF), pertencentes ao Esquadrão 111(F), estão sendo desativados hoje, na Base da RAF de Leuchars, em Fife.

Os caças Tornado F3 permaneceram em operação na RAF por 25 anos. (Foto: MoD UK)

O esquadrão tem sido a única unidade com os caças F3 desde julho de 2009 e foi mantida como unidade de Alerta de Reação Rápida (QRA) em Leuchars nos últimos 20 anos, finalmente passando a missão para os caças Eurofighter Typhoons do Esquadrão 6 na semana passada.

Uma das aeronaves do Esquadrão 111(F) recebeu uma pintura especial para celebrar os 25 anos de operação das aeronaves Tornado F3 na RAF.

A última missão realizada pelos F3 foi realizada no dia 14 de março, durante uma surtida de patrulha no norte do Reino Unido

As aeronaves também ajudaram a criar as zonas de exclusão aérea sobre o Iraque entre 1999 e 2003, registrando mais de 5.000 horas de voo. Outra importante missão foi de cobrir a defesa aérea das Ilhas Falklands durante anos.

Arábia Saudita adquire mísseis MBDA para seus caças Tornado

0
Um Tornado da Arábia Saudita, em primeiro plano, voando em formação com um Tornado GR4 da RAF, sobre a Escócia. (Foto: Cpl Graham Stewart / Royal Air Force)

A Arábia Saudita assinou um acordo para aquisição de mísseis cruzeiro Storm Shadow da fabricante de armas europeia MBDA como parte de um pacote de melhorias para as aeronaves de ataque Tornado.

O pacote de armas inclui ainda o míssil anti-tanque Brimstone.

Planos anteriores para incluir os mísseis ar-ar de curto alcance ASRAAM terminaram no ano passado quando os sauditas selecionaram o míssil IRIS-T da concorrente Diehl BGT Defence para os aviões Tornado e para os caças Typhoon.

O Tornado ZH917 da Força Aérea da Arábia Saudita equipado com o míssil Shadow Storm, decolando da basa da RAF de Warton.

A empresa de armas francesa MBDA, a qual a BAE é a maior acionista, sempre se recusou a falar sobre essa negociação mesmo quando uma aeronave Tornado (ZH917) saudita sendo modificada no complexo aeroespacial da BAE Warton no Reino Unido foi fotografada decolando para um voo de testes transportando um míssil Storm Shadow.

As primeiras informações sobre a assinatura do contrato apareceram nos relatórios de entradas dos resultados preliminares de 2009 da BAE Systems.

O documento dizia que “um significativo incremento de pedidos totalizando £1,2 bilhão (US$1,9 bilhão) fora recebido no período para o contrato de armas do Programa de Sustentabilidade do Tornado, modernização dos caçadores de minas marítimas e um programa de treinamento naval por vários anos.”

A MBDA permanece sem comentar o acordo, dizendo que maiores detalhes devem ser tratados “com o Ministério da Defesa ou com o cliente.”

A unidade britânica da BAE baseada na Arábia Saudita emprega cerca de 4.900 pessoas e fornece apoio aos aviões Tornado, Hawk e outros programas.

Dois caças Eurofighter Typhoon da Arábia Saudita. (Foto: John Higgins)

No ano passado a companhia entregou as oito primeiras aeronaves Typhoon, de 72 que foram adquiridos pela Arábia Saudita que também incluiu um pacote de suporte para as aeronaves.

Fonte: DefenseNews – Tradução: Cavok

EADS testa a bomba JDAM Laser em caças Tornado da Luftwaffe

0
Tornado da Luftwaffe sendo modificado para uso da JDAM Laser
Tornado da Luftwaffe sendo modificado para uso da JDAM Laser

Como parte do programa de eficiência em combate, a EADS Military Air Systems tem testado as últimas versões de bombas guiadas a laser nos caças tornado da Luftwaffe, a Força Aérea da Alemanha.

Em uma campanha de testes sobre o Mar do Norte, foram verificados o comportamento aerodinâmico da bomba Boeing GBU-54/ B  (JDAM Laser) instalado sob a aeronave e o comportamento dela no momento da desconecção. Foram feitos três testes de sucesso do lançamento da JDAM Laser a partir do Tornado.

A Military Air Systems (MAS), recebeu em 2008 do Instituto Federal de Defesa, Tecnologia e Aquisições (BWB), o contrato para a adaptação das JDAM Laser para o caças Tornados da Força Aérea Alemã. A Luftwaffe é o primeiro cliente de exportação para estas bombas guiadas modernas da Boeing. As armas também estão sendo preparadas para utilização nos caças Eurofighter Typhoon da Força Aérea da Alemanha.

A Laser Joint Direct Attack Munition (JDAM Laser) é um novo desenvolvimento da Boeing e combina uma bomba convencional guiada por GPS com um sensor laser. Isso torna possível identificar e atacar alvos diretamente, ou em combinação com um designador laser, incluindo alvos móveis, em qualquer condição de tempo.

Fonte: EADS Military Systems – Tradução: Cavok

Tornado da Arábia Saudita cai no deserto, mas os dois pilotos ejetam

0
Tornado, da Arábia Saudita
Tornado, da Arábia Saudita

Um caça Tornado, da Força Aérea da Arábia Saudita (Saudi Royal Air Force), caiu no deserto próximo a rodovia Riyadh-Dammam Expressway, no domingo, durante um exercício de treinamento.

“Ninguém morreu ou ficou ferido com o resultado do acidente, causado por uma falha técnica,” disse o Capitão Ali Mubarak Al-Qahtani, porta-voz da Defesa Civil da Província Oriental. Adicionou que o piloto e o co-piloto ejetaram em segurança um pouco antes do avião chocar-se contra o solo.

Al-Qahtani disse que o local da queda, às 12.22 pm hora local, foi em Jaishiya, 135 km distante de Dammam, e que a aeronave ficou completamente queimada mas ficou totalmente destruída, o que poderá ajudar nas investigações.

Al-Qahtani também informou que a Defesa Civil enviou duas equipes de bombeiros para o local, mas que houve demora para chegar devido a dificuldade de acesso onde o avião teria caído.

Houveram vários acidentes envolvendo caças Tornado e F-15 Eagle na Arábia Saudita no passado. Em janeiro de 2004, dois tripulantes de um caça F-15 morreram num acidente, durante um treinamento na base aérea de King Abdul Aziz. Nesse acidente, a aeronave acabou entrando em um restaurante da base e resultou na morte de um trabalhador egípcio do restaurante. Dois outros trabalhadores – um indiano e um filipino – ficaram feridos com o acidente.

Dois outros caças Tornado também se acidentaram devido a problemas técnicos em acidentes diferentes, em junho e julho de 2001.

No primeiro acidente, o piloto e o co-piloto efetaram em segurança da aeronave britânica. No entanto no segundo acidente, os dois membros da tripulação morreram.

IMAGEM DA SEMANA: Raspando a ponta da asa

0
Tornado ECR, da AMI
Tornado ECR, da AMI

Esta foto retrata um Tornado ECR, numa configuração limpa, efetuando uma agressiva curva para esquerda, numa altitude incrivelmente baixa, muito provavelmente logo após a decolagem. A aeronave está com as marcas típicas de ‘boca de tubarão’ do 155° Gruppo do 50° Stormo da Aeronautica Militare (Força Aérea Italiana), baseado em Piacenza.

A aeronave Tornado ECR, está completamente sem nada sob as asas e sem o receptáculo de reabastecimento aéreo. Essa manobra se assemelha a típica curva para esquerda que o piloto John Derry efetuava no início de cada apresentação com o Tornado pelo 311° Gruppo Volo. A foto foi tirada no dia 18 de dezembro de 2008, às 14:09 LT, com uma Canon EOS 350D, 234mm de lente focal, ISO400. Neste dia, a base aérea de Piacenza ainda estava fechada (foi reaberta no dia 19 de dezembro) e o esquadrão 155° estava operando a partir da base aérea de Cameri, onde talvez a foto foi tirada.

Cavok nas redes sociais

61,799FãsCurtir
340Inscritos+1
6,298SeguidoresSeguir
2,505SeguidoresSeguir
10,510SeguidoresSeguir
2,390InscritosInscrever
Anúncios