Saab

Inicio Tags Zonas de Guerra – Atlântico Sul

Tag: Zonas de Guerra – Atlântico Sul

Nord AS.30: A história do primeiro míssil de precisão ar-terra na América do Sul

2

Nord (Aérospatiale) AS.30 em operação nas Forças Aéreas do Peru e da Argentina.

Anúncios

GUERRA DAS FALKLANDS/MALVINAS: Como a guerra salvou o governo de Margaret Thatcher

14

Com o governo à beira do colapso, a decisão do Primeiro-Ministro de entrar em guerra em 1982 mudou tudo.

GUERRA DAS FALKLANDS/MALVINAS: uma controversa missão argentina

6

No dia 8 de junho de 1982, um C-130H e um Canberra da FAA (Fuerza Aerea Argentina) atacaram o superpetroleiro VLC Hercules.

GUERRA DAS FALKLANDS/MALVINAS: As falhas que culminaram com o afundamento do HMS Sheffield

8

Relatório desclassificado do desastre revela oficiais “hipnotizados” pela visão dos mísseis chegando e sua paralisia em não dar alarme.

GUERRA DAS FALKLANDS/MALVINAS: Piloto relata como afundou o Sheffield

10

Armando Mayora conta como foi o voo que resultou no ataque ao navio inglês, considerado um duro golpe às forças britânicas durante o conflito.

Guerra das Falklands/Malvinas: uma guerra singular

5

Entre os dias 2 de abril e 4 de junho de 1982, ingleses e argentinos travaram a mais singular guerra do século XX.

GUERRA DAS FALKLANDS/MALVINAS: o dia em que uma aeronave brasileira esteve há minutos de ser abatida

16

Na Guerra das Malvinas, um flerte com a morte sobre o Atlântico Sul. Britânicos confundiram avião e quase abateram DC-10 com 188 pessoas – entre elas Brizola.

GUERRA DAS FALKLANDS/MALVINAS: A pista do aeroporto de Stanley poderia ter feito a diferença para os argentinos?

19

Quando se fala na guerra travada entre argentinos e britânicos em 1982 no Atlântico Sul, uma das primeiras coisas que se diz é que os argentinos perderam a guerra por não poderem usar a pista do Aeroporto de Port Stanley. Será?

GUERRA DAS FALKLANDS/MALVINAS: Desastre militar sepulta regime argentino

3

Se va acabar la dictadura militar.” Com essas palavras, a população de Buenos Aires exprimiu seu repúdio a um governo que sujeitara o país a uma humilhante derrota.

GUERRA DAS FALKLANDS/MALVINAS: Triunfo britânico – Batalhas decisivas e rendição argentina

5

Ao serem traçados os planos para a ofensiva final contra Port Stanley, a disposição argentina de combater permanecia uma variável desconhecida. A passividade em relação ao desembarque não deveria ser superestimada: a luta feroz na colina Darwin bastava para mostrar que, bem liderados, os argentinos eram capazes de resistir até que fossem fisicamente dominados.

Falklands/Malvinas: Vitória de Pirro

92

O grosso da ofensiva Argentina contra a força-tarefa britânica ficou por conta dos A-4. Um esquadrão da Marinha e dois da Força Aérea destruíram quatro navios e um lanchão, além de avariar mais quatro barcos. Dezoito aviadores e 22 aeronaves foram sacrificados.

Falklands/Malvinas: Sea Harrier operando nas ilhas

26
"Sem o Sea Harrier, não poderia ter havido a Força-Tarefa." Com essas palavras inequívocas, o Almirante Sir Henry Leach registrou um tributo da Marinha ao papel do jato à vitória britânica na Guerra das Falklands/Malvinas.(Imagem: Coleção particular)
“Sem o Sea Harrier, não poderia ter havido a Força-Tarefa.” Com essas palavras inequívocas, o Almirante Sir Henry Leach registrou um tributo da Marinha ao papel do jato à vitória britânica na Guerra das Falklands/Malvinas.(Imagem: Coleção particular)

Os Sea Harrier foram um fator decisivo para a Vitória britânica. O preço, porém, foi elevado: seis aviões foram perdidos na campanha.

Cavok nas redes sociais

62,405FãsCurtir
340Inscritos+1
6,423SeguidoresSeguir
2,505SeguidoresSeguir
10,510SeguidoresSeguir
2,780InscritosInscrever
Anúncios