Os dois últimos caças F-CK-1 Ching Kuo modernizados foram entregues no final de dezembro para Força Aérea da República da China (Taiwan).

A fabricante Aerospace Industrial Development Corp (AIDC), com sede em Taipei, Taiwan, completou a fase de atualização do caça F-CK-1 “Ching Kuo”. O objetivo foi atualizar a frota de 127 caças F-CK-1A de assento único e F-CK-1B de dois lugares da Força Aérea da República da China (RoCAF) para os padrões F-CK-1C e F-CK-1D.

Os dois últimos jatos F-CK-1 modernizados foram entregues em uma cerimônia com a presença do comandante-adjunto da Força Aérea, o tenente-general Hu Kai-Hung. A cerimônia marca a conclusão da fase 2 do programa Hsiang-chan para atualizar 56 aeronaves para o padrão F-CK-1C / D. Na primeira fase foram 71 aeronaves. 

O programa de modernização que começou em 2009 dos aviões de combate “Ching Kuo” F-CK-1 visou melhorar a aviônica dos aviões com a adição de telas coloridas no cockpit e uma atualização do radar de varredura mecânica Kam-Lung GD-53 “Golden Dragon” (na verdade, um AN/APG-67 licenciado), dando-lhe uma melhor capacidade de lidar com contramedidas eletrônicas, bem como uma melhor capacidade de detecção em alcances maiores que 80 milhas náuticas. Além disso, as melhorias na aviônica ajudam a diminuir a carga do piloto com a chegada dos controles digitais de voo de 32 bits, além de capacidades de guerra eletrônicas aprimoradas.

A aeronave tem uma estrutura reforçada para acomodar pontos fixos de armas adicionais para mísseis ar-ar “Tien Dog II” e “Sky Sword II”. A integração dos mísseis “Sky Sword II” e das bombas “Wan Chien” guiadas por GPS torna o F-CK-1C um caça verdadeiramente versátil. O trem de pouso foi reforçado e um sistema antiderrapante digital adicionado, embora os planos anteriores para instalar tanques de combustível conformais à frota foram abandonados.

Com a modernização, a Força Aérea da República da China (RoCAF) dobra o número de mísseis ar-ar (AAMs) de médio alcance guiados por radar Tien Chien II (Sky Sword 2, TC-2) no jatos F-CK-1 Ching Kuo, também conhecido como Indigenous Defense Fighter (IDF).

Enquanto isso, funcionários da Força Aérea se encontraram com representantes da França para discutir a possibilidade de atualizar a frota de aviões Dassault Mirage 2000 de Taiwan. O chefe de gabinete da Força Aérea de Taiwan, o general Cheng Rong-Feng, disse aos legisladores taiwaneses que um pedido foi apresentado durante uma reunião de cooperação de defesa entre os dois países em junho.

Além dos F-CK-1, Taiwan também pretende modernizar seus Mirage 2000.

Ele acrescentou que a França já buscou informações da Força Aérea de Taiwan sobre o escopo de trabalho para qualquer programa de atualização potencial, bem como o número de aeronaves destinada à atualização.

6 COMENTÁRIOS

  1. Isso não adianta nada contra a defesa aérea chinesa. Trump devia vender o F-35 para taiwan que Pequim ajuda Kim Jung e o usa como isca para afastar os USN do mar no sul contra a ASEAN. Atualizar esse, F-16 e Mirage não adianta. Com ameaças de Pequim nenhuma país europeu venderia armas para eles. Trump devia ter coragem,