Um artigo recente do Up Media de Taiwan afirma que o país está avaliando um plano para comprar o Boeing F-15 ou F/A-18 Super Hornet como substituto do Mirage 2000.

A Força Aérea evitou a especulação quando questionada pela mídia local, não confirmando nem negando a história e disse que “estava atualizando suas capacidades militares com a mais nova tecnologia com base nas necessidades atuais e futuras ameaças“.

O objetivo é fortalecer as capacidades de defesa contra o Sukhoi Su-30 chinês. O relatório disse que Taiwan e os EUA tiveram discussões preliminares sobre a compra.

Independentemente da precisão do relatório, houve uma ligeira mudança na estratégia de defesa militar de Taiwan nos últimos dois anos para maior ênfase no fortalecimento da Força Aérea e da Marinha do país para proteger as áreas costeiras.


FONTE: Focus Taiwan


NOTA DO EDITOR: A publicação original faz menção a um modelo de F-15 desconhecido, bem como um tal de F/A-18XT, além de dizer que os aviões são da McDonnell Douglas. Independente do jornalista pauteiro, que não sabe sobre o quê está escrevendo, é fato que Taiwan vai precisar de novos aviões. Resta saber se os EUA vão vender.

Anúncios

23 COMENTÁRIOS

  1. Notícia sem muito sentido.
    Taiwan está na linha de frente de ser pulverizada por um ataque da China, caso isso ocorra.
    O mais lógico seria tentar comprar aviões de 5ª geração e não aviões que estão até com suas linhas de produção ameaçadas.

    • Dane-se o povo de Taiwan não é mesmo!? Afinal para quem invadiu o Tibete fazer o mesmo com Taiwan é fichinha não é mesmo!?

      No mais as linhas de produção do F-15 e do F/A-18 estão garantidas.??

    • Escuto essa história de que a China vai destruir Taiwan desde que era criança, nos anos 80. Assim como minha mãe também ouvia isso, nos anos 60, e meu avô ouvia isso nos anos 50.
      Hoje, Taiwan produz tanta tecnologia, que muitas empresas tem sua produção na China. Um precisa do outro. Essa retórica ideológica é só para enganar os trouxas que sonham com o "paraíso" socialista.

  2. Neste momento os EUA precisam muito da China , a CN é o problema a ser resolvido… enquanto isto não sair da pauta formosa não recebe qualquer armamento proveniente dos EUA

  3. Que país vai se indispor com a China Popular e se atrever a vender armamento para Taiwan? Ainda mais esse tipo de armamento. O único que pode "peitar" os chineses hoje seriam mesmo os EUA.

    Por isso, acho que há um fundo de verdade nessa notícia.

    • Com essa doutrina do Trump, mais agressiva, ele pode tentar. Assim poderá ver as reações. Tipo um balão de ensaio.
      Mas, capitalista, gosta de dinheiro e certamente o establishment não verá com bons olhos o Governo perturbar o gigante ao lado. É lá que está rolando a grana, E muita.

    • Os EUA possuem um acordo com o Taiwan que permite vender armamentos para o mesmo…

  4. A Boeing está fazendo uma reestruturação em sua área militar, inclusive com a demissão de cargos gerenciais.
    Se as linhas de produção do F-15 e do F-18 acabarem, como esperado, visto as baixíssimas ou quase inexistentes encomendas, teremos um pequeno terremoto.
    Esta venda, embora totalmente anacrônica e improvável, daria uma espécie de sobrevida nessa altura do campeonato.

  5. Mais um chute pro alto da mídia " especializada".
    Quais as quantidades de vetores, suas respectivas versões, contrato abrange quais quesitos, as entregas começariam quando?
    São tantas perguntas básicas que até dá preguiça de pensar na possibilidade desta notícia ser totalmente falsa.
    Partindo da prerrogativa de que a notícia possa ser verdadeira, de forma comparativa SuperHornet leva vantagem por ser um projeto mais moderno e de custo operacional mais baixo.

  6. Taiwan deveria ir de F-35 para fazer frente a qualquer avião que a China vier a implantar na região.

    • A única aeronave realmente de respeito que os chinos têm atualmente é o SU-35, com suas 24 unidades, além de mais de 70 SU-30. Fora isto, a espinha dorsal da força aérea deles é composta por J-7 (clone do Mig-21), com cerca 380 unidades, J-11(clone do SU-27), com cerca de 270 unidades e o J-10 cerca de 230 unidades, todas estas aeronaves muito inferiores a qualquer versão de F-15 e F-16 em operação na região em relação a tudo, motorização, aviônica, radares, softwares de combate, armamentos. A farsa J-20 não merece nem ser citada.

      • Concordo que neste momento uma aeronave tao avançada nao é nescessaria, mas pensando a medio-longo prazo a China vai vir a ser uma das mais bem equipadas forças aereas do mundo, entao sem um fator de dissuasao tao grande como o F-35, Taiwan nao vai ter muito o que fazer

  7. Reestruturações são comuns no mundo corporativo! Como um empresário amigo meu já disse custos são como as unhas, precisam ser sempre cortados.

    E a linha de produção do F-15 tem tantas encomendas inexistentes que está entregando 90 aparelhos para a AS e depois mais 36 para o Qatar. Ao mesmo tempo serão entregues 40 F/A-18E/F para o Kuwait e 48 aparelhos para a USN.

    Você devia se informar melhor..?

    • Essas linhas F-15, F-16 e F-18 só estão sobrevivendo graças a essas poucas encomendas destes Estados monárquicos anacrônicos do Oriente Médio. Mas, esteja certo que isso vai acabar. E não vai demorar muito.

      • Em tempo. Essas encomendas são o típico 'uma mão lava a outra'. Devemos até desconfiar quem está ganhando o que com isso.

      • Claro que vai acabar, vão ser substituídos pelos caças de 5° geração.

        Outra o F-18 ainda está sendo comprado pela USNavy e ainda vem mais algumas dezenas por aí.

      • E quem vai acabar com eles? Sua amada China ou o estado fascista iraniano? Cada besteira que você escreve que dá a exata dimensão do estrago que fizeram " nestepaiz" de 2003 a 2016

      • Parece até que com aviões russos é muito diferente, olha exemplo dos migs que a Rússia compra pra não falir a fábrica.

        • Vc está corretíssimo. Essa é a típica situação em que o Estado intervém para ajudar as empresas nacionais.
          É comum no mundo inteiro.

Comments are closed.