O mock-up do novo helicóptero de ataque pesado desenvolvido pela TAI.

A Turkish Aerospace (TAI) exibirá seu novo helicóptero de combate pesado (Multirole Heavy Combat Helicopter) pela primeira vez na Feira Internacional da Indústria de Defesa (IDEF) 2019, entre os dias 30 de abril e 3 de maio.

A Turkish Aerospace, que ampliou sua gama de produtos e causou uma ótima impressão no mercado internacional, especialmente em países asiáticos, participará do IDEF’19 com o drone Anka-Aksungur, o helicóptero de combate pesado, o T129 ATAK, Gökbey, Anka e Hürku?. Além disso, o novo aplicativo de jogos para dispositivos móveis chamado “Operação ANKA” será lançado pela primeira vez e fará do IDEF 19 uma experiência inesquecível para todos os participantes.

O Presidente e CEO, Prof. Temel Kotil, enfatizou a importância do IDEF-19 e o papel da Turkish Aerospace como a principal empresa de aviação da Turquia no setor de defesa. Quanto às expectativas da feira, o Sr. Kotil declarou: “Pretendemos reviver nosso potencial de clientes internacionais no IDEF’19. Nossa gama completa de produtos, incluindo o Helicóptero de Combate Pesado e o drone Anka-Aksungur desenvolvido este ano, do qual estamos muito orgulhosos, será mostrado na IDEF.

“Sentimo-nos orgulhosos em apresentar em nosso país a gama completa de nossos produtos, cujos estudos são conduzidos de acordo com os padrões e requisitos internacionais. A Turkish Aerospace se tornará mais proeminente no setor de aviação e defesa internacional com seus projetos desenvolvidos por engenheiros nacionais.

A Turkish Aerospace é um centro global de tecnologia em projeto, desenvolvimento, modernização, fabricação, integração e suporte de ciclo de vida para sistemas aeroespaciais integrados, de plataformas aéreas de asa fixa e rotativa a sistemas de veículos aéreos não tripulados (UAV) e sistemas espaciais.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Boa noite Senhores!

    Eis mais um exemplo de um governo que não aceita que a empresa estatal de helicópteros fosse apenas uma montadora.

    Fica aí, a dica para o GF… Chegar de ter apenas a Helibrás como um grande depósito de "legos".

    Demorou para criação de uma empresa EPP com disposição de absorver e depois desenvolver algo nacional, ou desenvolver em parceria com um fabricante externo que esteja disposto a diluir os custos de desenvolvimento.

    CM

Comments are closed.