O projeto FS2020 da Saab poderá servir de apoio para o desenvolvimento do futuro caça turco. (Foto: Saab)
O projeto FS2020 da Saab poderá servir de apoio para o desenvolvimento do futuro caça turco. (Foto: Saab)

A empresa estatal de defesa da Turquia, a Turkish Aerospace Industries (TAI) assinou um acordo com a empresa aeroespacial sueca Saab para “assistência técnica” no desenvolvimento de um avião de caça nacional, informou nessa quarta-feira o Hürriyet Daily.

O acordo segue as conversações semelhantes, que foram abandonadas em 2011, e vem depois de um empurrão de Ankara para produzir um jato doméstico que possa impulsionar a indústria de defesa do país em rápida expansão nacional. O Hürriyet também especulou na quarta-feira que a TAI iria adquirir no negócio um avançado projeto aeroespacial e design de software da Saab. O negócio já atraiu a sua quota de ceticismo de analistas de defesa dado aos custos prováveis ??do projeto, além do fato de que as empresas estatais turcos já produzem uma versão doméstica do jato Lockheed Martin F-16 e que a Turquia pretende basear a sua futuro frota aérea no novo Lockheed Martin F-35.

saabjet_2No entanto, a TAI já definiu o lançamento da primeira série de produção de helicópteros de ataque T-129 este ano, um projeto que tem feito a TAI trabalhar de perto com a fabricante anglo-italiana de helicópteros AgustaWestland. O exército turco é o principal cliente para o helicóptero e já teria encomendado 60 unidades, enquanto outros potenciais clientes incluem o Azerbaijão, Paquistão e Arábia Saudita.

A empresa estatal de defesa Roketsan, entretanto, anunciou esta semana que havia concluído os testes do primeiro míssil fabricado na Turquia, que é projetado para atacar blindados e outros alvos no solo. O helicóptero de ataque T-129 deverá ser equipado com o míssil quando ele entrar em operação no próximo ano.

As exportações de defesa da Turquia quadruplicaram na última década já que o país vendeu um crescente número de veículos blindados, mísseis e navios de patrulha. “A Turquia atende 54 por cento da defesa que o país precisa internamente”, disse o primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan, em entrevista a TV TRT Haber em novembro. “Nosso objetivo é a plena prestação as nossas forças armadas com produtos de defesa feitos através da produção doméstica”, disse ele.

FONTE: Haberler – Tradução: CAVOK

 

Enhanced by Zemanta
Anúncios

26 COMENTÁRIOS

  1. Esse era pra ser o projeto que o Brasil deveria entrar.

    Compra-se Gripen e com a ToT participaria desse projeto. Ou Rafale e F-18 com o mesmo esquema, evoluir pra um 5G.

    Mas não. A ToT vai servir só pra pagar mais caro e não vão usar o conhecimento pra nada… =/

    • R_Silvestro,

      Tudo vai depender de como as empresas estão capacitadas para receber o que quer que venha. Seja Rafale, F-18 ou Gripen, é crucial que as empresas brasileiras estejam prontas para receber a tecnologia que vier e a partir disso evoluírem por si mesmas. E, creio eu, estão sim… O maior perigo aqui é deixar de investir e perder o conhecimento que vier…

      • Acredito que nas áeras envolvidas, temos várias empresas capacitadas para receber a ToT.

        Meu receio é que não seja passado nada critico, tem de ser colocado no papel exatamente quais conhecimentos vão ser transmitidos nesse processo, senão complica.

  2. Se for um caça pequeno com características furtivas o nosso brasilzão poderia colocar o bedelho nessa negociação para se tornar um parceiro nesse protótipo, quem sabe até a Coreia do Sul entraria nessa "brincadeira", isso reduziria os riscos e mais encomendas reduzindo o preço do "brinquedo"….

  3. pelo menos a Turquia não encomendou para a Revell um kit de montar como o Irã fez para mostrar o seu invisivel caça!!!! alias, em parte e verdade, porque ninguém jamais irá ver esse aparelho voando!

  4. É frustrante ver a Turquia, Coréia do Sul, Índia, Japão procurando desenvolver seus próprios caças de 4,75ª/5ª geração, enquanto que ao mesmo tempo fazem pesadas compras com seus parceiros seja o F-35 ou o PAKFA.
    Mais frustrante ainda é saber que provavelmente devem ter sido feito ofertas para que o Brasil entrasse como parceiro nessas empreitadas. Imaginem o Brasil operando seu próprio caça de 5ª geração desenvolvido em parceria.
    Mas não, aqui temos que ficar torcendo para que esse F-X/FX-2 que já tem 15/ 5 anos saia. E ainda conjecturando a possibilidade de comprar caças tampões caso seja definitivamente cancelado.

    Dureza.

    []'s

  5. Eis aí uma parceria que tem tudo para dar certo.

    Vale citar que aí estão dois países sérios, que levam suas defesas a sério.

    Turquia e Suécia em particular são sim verdadeiros exemplos a serem seguidos no campo militar, com forças bastante racionais e com vistas sempre em ampliar de maneira crescente a sua própria participação na concepção de seus equipamentos de defesa…

  6. Mais uma oportunidade perdida pelo bananão aqui, vulgo "Brasil – PuTênfia", se lá em 2009 não tivesse ocorrido a nefanda tragédia do dia 07/09, cristalizada na escolha "político-etílica" do iluminado….

    • O bananão continua deitando em berço esplendido e falando de TOT.

    • Concordo quase que 100% com vc TIRELESS, só não concordo com a parte "PuTênfia" se tivesse outro partido no poder não faria a menor diferença, talvez fosse ainda pior. Mas o problema definitivamente não é o partido A ou B o problema é, ou são, os políticos brasileiros que independente do partido que se escondem são verdadeiros culpados por esse país não crescer como devia e podia. É incrível que a oposição veja tanta coisa errada e não faça nada (claro estão esperando a vez deles) assim como o governo também não faz, sinceramente só não saio metendo o pau no governo porque não tenho fé algum em nenhum politico do Brasil, sai um ladrão e entra outro tão ladrão como ou pelo menos tão burro e incompetente que passa a imagem de um.

      Agora sobre o caça em questão, estou tão triste, chateado, frustado como a maioria aqui. Diferente do Gripen que não acho grande coisa mesmo esse projeto vejo com outros olhos, é algo novo moderno que realmente podemos participar e aprender, mas nossa querida Dilma assim como a oposição não falam nada nem desse projeto nem de nenhum outro. Não sei se é porque no final sobra mais $… ou se por burrice e incompetência de ambas as partes não se fala em defesa nesse país. Beleza se pegassem o dinheiro da defesa e colocassem nas estradas na saúde na educação, mas simplesmente o dinheiro (que não é tão pouco assim) some nas mãos de um numero absurdo de militares (que talvez nem existam na verdade) e ninguém fala nada. E nós pagamos por aquilo que não vemos, mas é só por isso que não concordo 100% com vc, porque acho que todos são culpados por esse estado lamentável que nos encontramos.

      • Isto é Brasil (país que amo), nosso suado dinheiro, que nos é tomado mensalmente vai para este tipo de coisa:

        Brasília – O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), abriu inquérito para apurar se o senador Eduardo Braga (PMDB-AM) participou de fraude em 2003, quando era governador do Amazonas. O atual líder do governo no Senado é acusado de autorizar desapropriação de terreno com valorização de 3.100% em favor da empresa Columbia Engenharia.

        Braga é suspeito dos crimes de peculato, formação de quadrilha e fraude em licitação. Segundo denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR), um imóvel comprado pela empresa de engenharia por R$ 400 mil foi desapropriado três meses depois pelo governo do Amazonas por R$ 13,1 milhões para a construção de casas populares.

        Os documentos apontam que parte do valor se destinava ao terreno e a outra parte para benfeitorias de urbanização. A denúncia narra que as obras não existiam e seriam construídas pela empresa de engenharia na sequência, violando a exigência de licitação. Além disso, o Ministério Público informa que não há notícia de que as benfeitorias foram feitas e nem sobre o assentamento das famílias.

        Além de Eduardo Braga, a denúncia envolve seis pessoas que teriam participação no esquema. Um dos argumentos para tentar derrubar a apuração é que duas ações cíveis foram abertas, mas não houve condenação. Ao determinar a abertura de inquérito, o Gilmar Mendes alega que o argumento não é suficiente para suspender as apurações criminais.

        ..eu não estou nem ai para partidos políticos, o que me indigna é não ver parte disto sendo direcionado para nossa defesa.

  7. A Turquia é um "Brasil" que assina acordos, e só.
    Porque a Saab não apresenta um prototipo de 5G? Será que é porque ela ainda não sabe e não tem grana para perder com países nada sérios….

  8. Uma dúvida. Por quê a SAAB ajudaria alguém a produzir uma aeronave, de baixo custo, com características furtivas que poderá concorrer no mesmo nicho que o Gripen E/F???

    E quanto ao brazil, bom, esse não perde uma oportunidade para perder…

    • GIORDANI,

      Aí é que está… Ainda há um risco do NG não vingar… Logo, nada mais lógico que se cercar de oportunidades… E o futuro está aí… Mesmo que o NG saia do forno, o fato é que chegará em uma época em que outras aeronaves médias já serão mais populares, tendo que concorrer com possíveis atualizações do F-16 block 50/52 ( que talvez seja algo mais em conta ). Ou seja, o NG corre o risco de ser pouco competitivo num mundo dominado por aeronaves mais pesados ou mais leves que ele…

    • Talvez essa parceria não é para concorrer com o Gripen E/F e sim um caça para substitui-lo no futuro, acredito que a Suécia e Turquia seriam sócios e não concorrentes, se até o Gripen E/F está precisando de clientes externos para existir, imagina um caça com características furtivas deve furar o bolso de qualquer governo!!

    • A Suécia (Saab) está jogando muito bem, se o cliente não gostar do Gripen E que tem custo relativamente pequenos, mas por isso uma capacidade mais limitada a Saab simplesmente oferece algo mais capaz porém mais caro. Vão poder jogar com as duas cartas com o barato e o caro vai do cliente seja como for ela vai ganhar.

    • Caro Giordani,

      O FS2020 não vai concorrer com o Gripen E/F. E sim com o F-35.

      Enquanto que o Gripen E/F é uma alternativa de baixo custo operacional para o Typhoon/Rafale,
      O FS2020 PODE ser uma alternativa de custos operacionais mais baixos que o F-35, e convenhamos, do jeito que anda o F-35, isso não é muito difícil de ser atingido.

      A SAAB tem o projeto, precisa de alguém que tenha essa necessidade. A Turquia terá o F-35, mas quer ter uma alternativa menos dependente dos políticos americanos. E isso só fazendo em casa. Aliás é algo que o Brasil deveria fazer também.

      []'s

  9. Basta sair uma postagem sobre o desenvolvimento de um caça, que os entusiastas de plantão querem que o Brasil participe dele.

    Fico imaginando se estes comentaristas realmente vivem no planeta Terra.

    O desenvolvimento de um caça de 4° geração não é simples e muito menos barato, como desemvolver o Bandeirante, Tucano, Super-Tucano ou KC-390. Se ainda for um projeto de 5° geração, as dificuldades e os custos aumentam exponencialmente.

    Basta ver que as únicas aeronaves de 4,5° geração desenvolvidas do zero (Typhoon e Rafale) ainda hoje, mais de 20 anos após seu primeiro voo, ainda não possuem todas as capacidades planejadas no projeto, operacionais nas aeronaves. Isto sem contar o custo proibitivo de desenvolvimento dos 2 modelos, que mesmo após tanto tempo, ainda não geraram os frutos esperados nos projetos.O custo de desenvolvimento do Rafale até hoje já consumiu mais de 56 bilhões de Euros. O custo de desenvolvimento do Typhoon é estimado em 37 bilhões de Libras. Estas são as únicas 2 aeronaves de 4,5° geração desenvolvidas do zero, cujos projetos se originaram na década de 70 e sofreram alterações importantes (e ainda sofrem alterações que estouraram todas as espectativas de custo de desenvolvimento e operação) para que hoje, mais de 30 anos depois, as aeronaves estejam em serviço.

    As demais aeronaves de 4,5° Geração se originaram do desenvolvimento de aeronaves de 4° Geração pré-existentes e que hoje deram origem aos Su-35, Gripen-Ng, F-18 E/F, F-16 e F-15 (nas novas versões propostas). Mesmo estas "atualizações", "modernizações" nos projetos para transformar uma aeronave de 4° geração em um de 4,5°, não saíram barato. Vale lembrar que estas alterações incluem o desenvolvimento e integração de tantas novidades, que são praticamente um projeto de uma nova aeronave.

    Eu nem citei os custos de desnvolvimento das aeronaves de 5° Geração. Até mesmo porque estes custos estão indefinidos. Não existe hoje nenhuma aeronave de 5° Geração considerada "pronta". Nem o F-22 (que teve sua produção encerrada sem a aeronave estar completamente desenvolvida), nem o F-35 podem ser consideradas aeronaves prontas para entrar em serviço. Na verdade a produção a colocação em serviço do F-35 está sendo acelerada sem a solução dos diversos problemas em seu projeto, como uma forma de tentar diminuir a insatisfação dos parceiros. Aliás muitos deles, cogitam desistir da compra do F-35. Os custos de desenvolvimento estimados do F-35 (até hoje) são de mais de 800 Bilhões de dólares. Os custos de desenvolvimento de F-22 são estimados em mais de 600 Bilhões de dólares . Isto sem contar o PAK-FA e o J-20 (ou J-qualquer coisa) que são apenas projetos em fase inicial de desenvolvimento. Por isso acredito que a 5° Geração só poderá ser considerada uma realidade daqui uns 10 anos.

    Aí você visita os sites dedicados ao assunto de defesa e vê comentaristas defendendo o desenvolvimento de um caça de 4,5 ou 5° Geração.

    Fico me perguntando se os tais defensores deste desenvolvimento, sabe dos custos para tornar isto possível. Isto sem contar a quantidade de aeronaves incial para poder viabilizar a produção. Estamos falando de pelo menos 200 aeronaves para, pelo menos cobrir os custos de desenvolvimento (se é que só 200 aeronaves bastariam). Além disto temos que levar em conta que quando este "futuro caça" estiver pronto para ser produzido, pelo menos uns 10 anos (para 4.5° Geração e uns 15 a 20 anos para 5° Geração), a tecnologia e o avanço alcançado já será algo obsoleto. Será uma aeronave que chegará a um mercado onde já existem e existirão diversas opções já em produção. E conhecendo o Brasil, como conhecemos (produzir qualquer coisa no exterior sai mais barato do que produzir aqui), esta futura aeronave atrasaria, estouraria todos os orçamentos, isso se em algum dia ela ficar pronta.

    Me perdoem os entusiastas do Brasil Potencia. mas pensar em desenvolvimento de um caça no Brasil, conhecendo o nosso país como conhecemos, é no mínimo burrice ou falta de senso de realidade.Por favor acordem para a realidade!!!

    Um abraço!

    • Concordo com tudo que o amigo escreveu. Quanto ao brazil, bom, para chegar em algum lugar é preciso dar o primeiro passo…

      • Concordo em partes, Mas se é para sonhar em ter um caça de 4.5º ou 5 º Geração, Porque não uma parceria com países que já tem alguma experiência no desenvolvimento de caças?…Ser for para pensar que para desenvolver um caça do zero, com gastos exorbitante no desenvolvimento, não compensa para o Brasil , é o mesmo que pensar que o Brasil nunca será capaz de tal proeza, Como diz o "Caro Giordani, preciso dar o primeiro passo… é o que falta!

    • "Fico imaginando se estes comentaristas realmente vivem no planeta Terra"

      No meu caso vivo no planeta Brasilis, conhecido informalmente de bananalândia.

      "Nem o F-22 (que teve sua produção encerrada sem a aeronave estar completamente desenvolvida), nem o F-35 podem ser consideradas aeronaves prontas para entrar em serviço."

      Só na Bananalândia que existe caça pronto, compra aeronaves e só depois de 20, 30 anos vão modernizar, em outros países existe sempre modernizações para não ficarem obsoletos, como o Rafale (F1, F2, F3), F18 (H, SH), Gripen(A, C, D), SU-27(30,35), Thyphon(T1, T2, T3) e dentre varios outros…

      "Me perdoem os entusiastas do Brasil Potencia. mas pensar em desenvolvimento de um caça no Brasil, conhecendo o nosso país como conhecemos, é no mínimo burrice ou falta de senso de realidade.Por favor acordem para a realidade!!!"

      A realidade e essa mesmo, "o país do futuro" isso mesmo futuro, igual frase de boteco: "Fiado só amanhã" ou Fiado só acima de 90 anos acompanhado pelo avô ou o sujeito que sempre espera para comprar um modelo de carro novo com medo de desvalorização, e acaba por não comprar nada.

      "O desenvolvimento de um caça de 4° geração não é simples e muito menos barato, como desenvolver o Bandeirante, Tucano, Super-Tucano ou KC-390. Se ainda for um projeto de 5° geração, as dificuldades e os custos aumentam exponencialmente. "

      O problema não é o Brasil potência e sim Brasil com independência, tecnologia hoje se chama independência.

      A rapadura é doce mas é dura, se o Brasilis não der o primeiro passo nunca sairá do lugar, tecnologia custa dinheiro, tempo, neurônio e suor, não existe outro caminho, até existe, vamos viver como os pigmeus a base de extrativismo vegetal, animal e mineral…

    • Realmente projetar um avião de quinta geração do nada, aqui no Brasil, é algo quase impossível tanto por capacidade técnica como pela nossa politicagem cretina. Mas participar de um projeto como esse da Saab que já tem a Turquia envolvida, não vejo nada de mais, pelo contrario é um caminho logico para quem deseja ser mais que um simples vegetal.

    • Caro Zorann,

      O F-22 e o F-35 estão saindo caríssimos, por que ambos tem tecnologias inovadoras, e também por causa do sistema de contratação da LM, que permite à mesma aumentar o orçamento de desenvolvimento como ela quiser. 🙂

      No caso do Brasil, poderíamos seguir um caminho não tão arriscado, por exemplo, se utilizando muito das tecnologias disponíveis nos caças de 4.5ª geração, mas embalados em uma plataforma mais moderna, com shape e materiais furtivos. Acredito que a conta não sairia tão cara assim.

      []'s

  10. Pra que se preocupar em desemvolver uma industria robusta de defesa se o povo e´ docil, ama carnaval ,forro , po´ e derivados, bolsas carinhos , se orgulha de ser pacifista (pelo menos em relaçao a problemas externos,pois aqui estao matando esposas,crianças ,mendingos e pacientes de uti como se fossem frangos),entao nao ha lux no fim deste tunel (ainda), esta mais facil organizarem um leilao e fatiar esta nacion semi-bolivariana,doque tocarem um projeto realistico de potencia plena(nao basta ser um lixo que apenas possui armas nucleares).

  11. Retidão Moral. Se não formos honestos com a nossa própria consciência, como poderemos cobrar dos outros?

    "Não é quem Eu sou por dentro que me define, mas sim os meu Atos…" (Batman)

  12. Voltar ao tempo da colonização e pedir aos portugueses que ao invés de mandarem um bando de "manés" e "bandidos", além de oportunistas… que mandem gente decente com pensamento construtivo!? (só falta a máquina do tempo)

Comments are closed.