Durante a exposição de defesa EurAsia 2018, a Antonov apresentou uma maquete do An-188, que oferece para produção conjunta com a Turquia.

A Ucrânia ofereceu a produção conjunta da proposta de aeronave de transporte Antonov An-188 com a Turquia, durante o Airshow EurAsia-2018 realizado em Antalya, na Turquia.

Uma maquete da aeronave, que está planejada para ser produzida em uma joint venture, foi apresentado na exposição EurAsia entre os dias 25 a 28 de abril deste ano, embora a data exata do início da produção conjunta das aeronaves não foi divulgada.

A aeronave An-188 é uma versão com motor a jato do avião de transporte Antonov An-70 projetada e desenvolvida com quatro motores propfan Ivchenko Progress D-27.

A Ucrânia não pode mais fabricar o motor D-27 agora, já que o propfan é feito pela russa Aerosila.

A Antonov planeja alimentar a aeronave com os motores turbofan Ivchenko Progress D-436 FM feitos na Ucrânia, mas também tem planos para oferecer motores ocidentais.

O An-188 foi desenvolvido a partir do programa An-70.

Os motores turbofan aumentarão o empuxo das atuais 7,5 toneladas métricas (16.534 libras) para 8,2 ton métricas (18.078 libras) com um consumo de combustível de 4600 kg/hora.

O An-188 terá capacidade semelhante à do avião turboélice Airbus A400M, com seu peso máximo de decolagem de 140 toneladas e carga útil máxima de 40 toneladas, entre o Lockheed Martin C-130J (79/20 toneladas) e o Boeing C-17 (255/75 toneladas).

A aeronave terá capacidade de decolagem e aterrissagem curta (STOL) e capacidade de operar em pistas não pavimentadas com um comprimento de cerca de 1 km.

Em 2017, a Turquia cancelou o desenvolvimento de uma família de jatos regionais de transporte, com opções de motores turboélice e turbofan, baseados nas aeronaves Dornier 328 e 628 da Alemanha.

Nos últimos anos, a Turquia investiu cerca de US$ 35 bilhões na indústria de defesa.

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

  1. Incrível como os ucranianos não desistem desse projeto, será que não seria mais interessante ele utilizar 2 motores assim como o Kawazaki C-2?

    • Mas aí a Ucrânia vai ter que importar motores em vez de usar o deles, além disso o An-70 teve a asa projetada para usar 4 motores menores, usar dois fortes vai exigir alterações pela concentração do esforço em só um ponto em cada lado do avião.
      .
      Eles tem que insistir mesmo, o An-70 é um bom avião que a Russia desistiu pela aproximação política dos ucranianos com o ocidente e o ocidente não compra por ter seus projetos.

      • Mas só por eles terem trocado os motores do avião já não houve a exigência de grandes alterações?
        Eu gosto muito do An-70, vejo nele até mais potencial que no A-400, porém infelizmente só a Ucrânia não consegue o bancar.

  2. A Ucrânia está dando tiro para todo os lados, vendo se acerta algum acordo. A Antonov está praticamente falida.

Comments are closed.