Boeing 737 MAX da United.

A United Airlines está começando a transladar seus 14 jatos Boeing 737 MAX para armazenamento de curto prazo em Phoenix, Arizona, que tem um clima melhor para aeronaves armazenadas e onde será mais fácil prepará-las para voos comerciais novamente, informou a companhia aérea na quarta-feira (28/08).

A frota mundial de 737 MAX fabricados pela Boeing foi aterrada em março, depois de dois acidentes fatais na Indonésia e na Etiópia que mataram 346 pessoas em cinco meses.

A fabricante de aeronaves está trabalhando em uma correção para o software no centro dos dois acidentes e tem como objetivo recolocar o jato em voo em outubro, disse à na terça-feira o presidente-executivo da Boeing, Dennis Muilenburg.

Depois que a Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA) aprovar o novo software e o treinamento dos pilotos, as companhias aéreas terão que fazer o upload das alterações de software e executar uma série de verificações de manutenção nos jatos antes de voar novamente com os passageiros.

Ter todos os seus aviões MAX em um só lugar no Aeroporto Phoenix Goodyear será mais eficiente para esse processo, afirmou a United.

A companhia aérea recebeu uma licença de translado da Administração Federal de Aviação dos EUA para cada um dos 14 voos para Phoenix a partir de suas localizações atuais em Los Angeles e em Houston, onde citou ameaças da temporada de furacões no Golfo do México. Houston fica a menos de 100 km do Golfo do México. As permissões permitem que uma companhia aérea transporte uma aeronave de um lugar para outro.

As companhias aéreas que possuem o MAX foram forçadas a cancelar milhares de voos desde que os aviões foram aterrados, atingindo lucros durante a temporada movimentada de verão.

A United, com sede em Chicago, removeu seus jatos MAX do seu voo programados até 3 de novembro e não fez nenhuma alteração no cronograma na quarta-feira.

A Southwest Airlines, a maior operadora MAX do mundo, está programando sem seus 34 jatos até o início de janeiro. Esses jatos estão estacionados em uma instalação em Victorville, Califórnia, no extremo sudoeste do Deserto de Mojave.

A Boeing finalizaram o sistema de controle de voo proposto em junho, mas os pilotos de teste da FAA identificaram um novo problema durante os testes do simulador, que também devem ser abordados.


Fonte: Reuters – Edição: Cavok

Anúncios