O KC-135 comemorou em 2016 seu aniversário de 60 anos do primeiro voo, e ainda permanece como principal vetor de reabastecimento aéreo da USAF e aliados.

Uma Força Aérea dos EUA menor planeja voar com seus envelhecidos aviões de reabastecimento KC-135 por mais 30 a 40 anos. O Boeing de quatro motores Stratotanker, similar ao 707, comemorou 60 anos de seu primeiro voo em 2016 (voou pela primeira vez em 31 de agosto de 1956).

Para colocar sua longevidade em perspectiva, os reabastecedores substituíram o KC-97, que não conseguia acompanhar os caças e bombardeiros da época.

O KC-135 foi peça importante na Guerra do Vietnã.

O general Carlton Everhart, que deixou o cargo de chefe do Comando de Mobilidade Aérea da Força Aérea em setembro, disse no ano passado que “a USAF enfrenta sérios desafios dentro de nossa frota e da sua estrutura”.

“A nação enfrenta uma Rússia ressurgente e uma potência crescente na China, com novas abordagens de combate e armas ultramodernas”, disse Everhart a um grupo de escritores de defesa. “Ainda estamos projetados para pilotar o KC-135 até que ele tenha pelo menos 100 anos antes que eu consiga que o avião seja totalmente substituído por um novo reabastecedor.”

Dois F-22 Raptors voam ao lado de um KC-135 Stratotanker, atribuído à 434ª Ala de Reabastecimento Aéreo, da Base Aérea de Grissom, Indiana.

Um novo relatório do Escritório de Orçamento do Congresso disse que a Força Aérea tem cerca de 5.600 aeronaves com idades entre a entrega e apenas 60 anos de idade.

“Muitas dessas aeronaves – incluindo os caros caças F-16C/D, F-15C/D, F-15E, aviões de carga C-130 e bombardeiros B-1B – estão chegando ao fim de sua vida operacional”, disse o gabinete do orçamento.

Painel de comando do KC-135 Block 45.

A Heritage Foundation disse em um relatório de outubro que a capacidade da Força Aérea dos EUA, em termos do número de aeronaves que possui, está em constante declínio desde 1952.

“Os adversários estão se modernizando e inovando mais rápido do que a USAF, colocando em risco a vantagem tecnológica dos EUA no ar e no espaço”, disse a fundação.

De acordo com o grupo, essa perda de capacidade incluiu reduções nos aviões de carga e caça mais antigos para garantir que os três principais programas de modernização da USAF – o caça de ataque conjunto (JSF) F-35A, o bombardeiro de longo alcance e os novos aviões de reabastecimento KC-46 – sejam preservados.

A USAF possui cerca de 400 aeronaves KC-135 na ativa.

A Força Aérea dos EUA planeja manter sua frota de 400 aeronaves KC-135 por mais décadas, mesmo quando está próximo de colocar em serviço o novo avião tanque de KC-46, baseado em um Boeing 767, mas em número menor que o esperado devido a cortes orçamentais e deslizes de custos.

Estima-se que um total de 179 dos novos aviões-tanque KC-46 acabem substituindo cerca de um terço de sua frota de reabastecedores antigos, composta principalmente por KC-135, de acordo com o Government Accountability Office.

Um novo KC-46A Pegasus é reabastecido em voo por um KC-135.

Os KC-135 podem até reabastecer os novos KC-46s para estender a ponte aérea para outras aeronaves, disse a Força Aérea dos EUA.


Fonte: Task & Purpose – Edição: Cavok

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

  1. Vem aí uma nova leva de jatos Century na USAF: estrelando KC-135, B-52 e grande elenco.

  2. Se fosse russo ia bater umas 100 criticas sobre sucata, museu, e outros absurdos…

    Deus tá vendo, igual ao ixpecislista que fala que a Kombi solta peças rsss

    • Os russos voam os Bear e não há demérito algum nisso….

      Já a kombosa,além de ser oriunda de um negócio escuso cuja finalidade foi alimentar o lobby da apertaparafusobrás, tem MGB bichada

  3. Foi tão inovador em seu lançamento que os posteriores são apenas 'novos'. O KC-135 inaugurou uma nova era no combate aéreo, onde o reabastecedor deixa de ser um fardo para o estrategista. O vetor acompanha a 'esquadrilha' no combate!

  4. USAF > o programa do KC-46 atrasou e com vários defeitos na função REVO que a Boeing demorou a solucionar e assim a produção deste atrasou. O produto antigo da Boeing que ainda voa não tem nada digital na função REVO. O Japão está na esperar do KC-46.

Comments are closed.