A USAF estuda uma forma de manter a frota de jatos U-2S coando até 2011. (Foto: Lockheed Martin)

A Força Aérea dos EUA está estudando se poderia continuar voando seus 27 aviões de reconhecimento de alta altitude U-2S Dragon Lady pelo resto do século, disse um oficial de serviço no dia 15 de março. A Lockheed Martin se candidatou para realizar uma modernização necessária.

Um “estudo estrutural” está sendo feito para analisar se a Força Aérea dos EUA poderia usar totalmente a vida útil estimada de 75.000 horas de voo do U-2, “o que os levaria até 2100”, disse Susan Thornton, diretora dos programas de domínio da informação da Força Aérea. “Tão bom ver ele operando tão longe.”

A Força Aérea dos EUA, que tem pilotado o avião construído pela Lockheed Martin há décadas, já planeja mantê-lo em serviço até 2055. Essa durabilidade se deve em grande parte à manutenção extensiva em hangar que reconstrói cada aeronave a cada sete anos, disse Thornton, testemunhando perante o painel tático de forças aéreas e terrestres do Comitê de Serviços Armados da Câmara. Como regra, o serviço envia cada U-2 para a instalação de manutenção para uma revisão completa a cada 4.800 horas de voo.

Desde 2011, a Força Aérea tem ido e voltado com a idéia de implantar os U-2S Dragon Ladies com os drones RQ-4 Global Hawk. Recentemente, em 2016, o serviço ainda planejava aposentar o U-2S no máximo até 2020.

O estudo atual marca uma reversão dramática de investimento para o U-2, já que a Força Aérea dos EUA pretendia começar a se aposentar no ano fiscal de 2019. O serviço cancelou os planos de aposentadoria depois que os legisladores se opuseram, citando forte demanda por ativos de inteligência, vigilância e reconhecimento. O U-2 coleta várias formas de inteligência, incluindo imagens e sinais.

Além do estudo, a Força Aérea dos EUA está buscando outros esforços de modernização do U-2, incluindo tornar o assento ejetável mais seguro e abordar “fontes de fabricação decrescentes” para os sensores do avião, de acordo com Thornton. A Lockheed Martin está lançando propostas para fornecer os sensores atualizados e links de dados, bem como a capacidade de transportar três diferentes sistemas de coleta de inteligência na mesma missão, num programa chamado Tri-INT.

A modernização Tri-INT será um grande desafio, pois exigirá que os engenheiros encontrem um modo de acomodar carga útil adicional nos espaços já escassos dos pods e no nariz do avião.

O sistema será ser capaz de automaticamente apresentar os dados dos alvos para os caças e bombardeiros próximos, utilizando diversos equipamentos de comunicação, como data link de multifunção similar ao utilizado no F-35 Lightning II.

Thornton disse que a Força Aérea dos EUA espera fornecer mais detalhes sobre os planos de modernização do U-2 em um “anexo de alta altitude” ao seu “Plano de Voo de Dominância de Próxima Geração ISR”, programado para estar concluído neste trimestre.

Também em seu depoimento, Thornton disse que o esforço do Centro de Operação Aérea (AOC) Pathfinder da Força Aérea, iniciado em agosto de 2017, está “indo muito bem”. O AOC Pathfinder foi projetado para lançar novos softwares rapidamente permitindo que os aviadores forneçam feedback diretamente aos desenvolvedores ao longo da vida do sistema.

“A essa altura, era esperado que entregássemos uma capacidade, a qual é a capacidade crítica de designação de alvos”, disse Thornton aos legisladores. “Na verdade, fornecemos quatro recursos para a base de Al Udeid (Base Aérea em Doha, no Catar), o que é um grande benefício para os usuários que estão por aí”.

A Força Aérea cancelou seu esforço de modernização anterior, a AOC 10.2, devido a custos excessivos, atrasos no cronograma e problemas de desempenho. A Northrop Grumman foi o principal contratante da AOC 10.2.

Os comandantes usam o sistema de armas AOC para planejar, executar, monitorar e avaliar as operações aéreas, espaciais e ciberespaciais.

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

    • Com certeza vai servir na FAB quando os EUA fornecerem vários U-2S/BR pelo programa FMS por volta de 2075.

  1. fantástico começou a voar antes de muitos terem nascidos e pelo visto se aposentará apenas no tempo de vista de seus netos e bisnetos!

Comments are closed.