Um F-5E Tiger II da Força Aérea da República da China durante exercício em uma rodovia próxima de Taipei. (Foto: Mandy Cheng/AFP via Getty Images))

A Força Aérea dos EUA (USAF) quer avaliar fontes que possam fornecer peças de reposição para a frota de caças Northrop F-5E Tiger II de Taiwan.

O Gabinete de Aeronaves Comprovadas do Comando de Material da Força Aérea emitiu uma lista de 37 componentes separados do F-5 que são necessários, que vão desde painéis de pára-brisas e tanques de combustível até computadores de informações de voo.

A Força Aérea da República da China (ROCAF) tem 56 jatos F-5 em serviço, todos produzidos localmente pela AIDC. Estes incluem 20 monopostos F-5E, 31 bipostos F-5F e cinco jatos de reconhecimento RF-5E. A idade média da frota é de 36,8 anos.

Além disso, Taiwan tem 142 exemplares – 123 F-5Es e 19 F-5Fs – listados como armazenados.

 

Uma reportagem da mídia local sugeriu no ano passado que Taipei estava procurando uma maneira de usar os motores General Electric J85 dos F-5s aposentados em um míssil de cruzeiro que seria desenvolvido no pais. Tal arma seria útil em um conflito com a China, que considera Taiwan uma província separatista.

Taipei está ansiosa para modernizar a força aérea que está envelhecendo, preocupada com o crescente poder militar de Pequim, que inclui novos tipos de caças, como o Chengdu J-20, bem como a modernização de tipos existentes, como o J-10 e o Shenyang J-11.

Taiwan está em processo de atualização de 113 caças Lockheed Martin F-16 A/Bs para o padrão F-16V, e está esperançoso de obter novas jatos F-16Vs dos EUA.

Globalmente, existem 498 caças F-5 ainda em serviço, incluindo a frota de Taiwan. Outros grandes operadores do tipo de jato desenvolvido durante a Guerra Fria incluem a Coreia do Sul (133), os EUA (55), o Brasil (47), a Suíça (36) e a Tailândia (34).


Fonte: Flightglobal

Anúncios