Oficialmente revelado no Royal Air Air Tattoo desta semana no Reino Unido, o Airbus “Bird of Prey” é essencialmente um avião híbrido-elétrico, turbo-hélice para transporte aéreo regional.

Oficialmente revelado no Royal Air Air Tattoo desta semana no Reino Unido, o Airbus “Bird of Prey” é essencialmente um avião híbrido-elétrico, turbo-hélice para transporte aéreo regional.

A aeronave é inspirada na eficiente mecânica das águias, com estruturas de asa e cauda que imitam as de uma ave de rapina, enquanto apresentam penas controladas individualmente que fornecem controle de voo ativo. Este conceito futurista é apoiado pela campanha GREAT Britain, pela Royal Aeronautical Society, pela Air League, pela Institution of Engineering e pelo Technology and Aerospace Technology Institute.

Embora não tenha a intenção de ser uma aeronave real, esse conceito é baseado em idéias realistas, ao mesmo tempo em que fornece uma visão de como seria uma futura aeronave regional. Há uma articulação asa-fuselagem mesclada que reflete o arco gracioso e aerodinâmico de uma águia ou falcão, representando o potencial da biomimética inspirada pela natureza.

Também é evidente a ausência de uma cauda vertical tradicional, contando com uma cauda dividida em forma de cunha para reduzir o arrasto.

“Uma das prioridades de toda a indústria é como tornar a aviação mais sustentável – tornando o voo mais limpo, mais verde e mais silencioso do que nunca. Sabemos do nosso trabalho sobre o jato de passageiros A350 XWB que, por meio da biomimética, a natureza tem algumas das melhores lições que podemos aprender sobre o projeto”, disse Martin Aston, gerente sênior da Airbus.

A aeronave regional levaria até 80 passageiros até 1.500 quilômetros e queimaria 30% a 50% menos combustível do que os atuais aviões equivalentes, disse a Airbus.

A Airbus informou que seu avião conceito terá uma fuselagem geodésica ou curva que lembra os contornos do bombardeiro Wellington projetado pelo designer de aviões britânico Barnes Wallis.

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

  1. Então é como aqueles desfiles de moda bizarros com roupas que ninguém vai usar.
    Já que não vai sair do papel e é só uma viagem na maionese, poderiam ter dispensado os motores e colocado o avião para bater as asas, seria ainda mais eficiente. ahaha
    Just fun..