Montagem final do Boeing 777X, em Everett. Esta aeronave é a primeira que será usado nos testes de voo. (Foto: Boeing)

A Boeing reuniu as principais seções da fuselagem para completar o primeiro avião 777X que decolará em 2019. Em um importante marco de produção chamado de “montagem final da fuselagem”, as equipes da Boeing conectaram o nariz do avião, as seções média e traseira e asas na fábrica da empresa em Everett, Washington. O jato agora mede 77 metros de comprimento, sendo o jato de passageiros mais longo que a fabricante já produziu.

“O 777X é um novo avião e um novo sistema de produção”, disse Josh Binder, vice-presidente e gerente geral do 777X. “Com o 777X, o sistema de produção foi integrado ao programa de desenvolvimento mais rápido do que qualquer outro avião, e a equipe está fazendo um ótimo trabalho ao atingir nossas metas como esperado.”

O 777X se baseia no 777 e no 787 Dreamliner, líderes do mercado, para oferecer às companhias aéreas o maior e mais eficiente jato bimotor do mundo. O avião proporciona um consumo de combustível 12% menor e custos operacionais 10% menores do que os aviões concorrentes.

O 777X alcança o desempenho sem precedentes por meio da introdução das mais recentes tecnologias, como o motor comercial mais econômico de todos os tempos, o GE9X, e um design de asa composto totalmente novo de quarta geração que proporciona sustentação e eficiência. Com a extensão de um conjunto de pontas das asas dobráveis ??e inclinadas, a envergadura do avião é de 72 metros.

Adicionando wingtips dobráveis, a envergadura do 777X foi aumentada para aumentar a eficiência aerodinâmica da asa, reduzindo o empuxo do motor e o uso de combustível. Além disso, as wingtips dobráveis ??permitem que o 777X mantenha a compatibilidade do aeroporto com a família 777 existente, agregando valor para os clientes.

O primeiro 777X introduzido será o modelo 777-9, que pode acomodar de 400 a 425 passageiros em uma configuração padrão e oferecer um alcance de 7.600 milhas náuticas (14.075 km). A Boeing está construindo o interior preferido dos passageiros do atual 777 e construindo as inovações internas do 787 para criar uma experiência de passageiros como nenhuma outra aeronave. Os passageiros poderão desfrutar de janelas maiores e localizadas um pouco mais elevadas na fuselagem do que as usadas nos atuais 777, além de uma cabine mais ampla, nova iluminação e arquitetura aprimorada.

Detalhe da ponta da asa do novo 777X.

O primeiro avião de teste 777X para testes estáticos no solo foi concluído em setembro de 2018. Três aviões de teste de voo adicionais serão construídos após o avião de teste de voo nº 1.

O primeiro voo do 777X está previsto para 2019. A primeira entrega está prevista para 2020.

Até o momento, a Boeing já ganhou 340 pedidos e compromissos para o 777X de várias companhias aéreas, incluindo a All Nippon Airways, a Cathay Pacific, a Emirates, a Etihad Airways, a Qatar Airways, a Lufthansa e a Singapore Airlines.

Anúncios

5 COMENTÁRIOS

  1. Quando esta aeronave entrar em operação veremos a frota de A-380 atualmente em serviço nas companhias citadas saindo de cena a passos largos.

  2. Confesso que quando anunciaram as asas dobráveis eu não levei fé, achei que seria "171" pois várias vezes no passado os fabricantes anunciaram isso para aeronaves comerciais e no fim das contas as empresas aéreas "roíam a corda" por causa dos custos adicionais de manutenção. Aí o fabricante mudava o projeto.
    Mas dessa vez vai, a foto mostra isso. Vai ser bem interessante. Isso se não tô enxergando mal, só acesso num smartphone de tela pequena (e ainda é xing ling eu acho kkkkkkk), aí fica ruim visualizar, ainda mais que uso um "fundo de garrafa" rsrsrs

    • Troque o fundo de garrafa por uma lente de contato! as meninas vão se amarrar…rs!

    • Em pleno 2018, com toda parafernalha de segurança, economia de combustível, conectividade, etc, esse deve ser um dos sistemas mais simples da aeronave.

      • Pois é, até porque na área militar elas são usadas há muito tempo sem problemas. As aeronaves embarcadas já tinham no tempo da segunda guerra.
        Sobre lentes de contato: tentei por muito tempo, mas não consegui, nunca me adaptei rsrsrs 🙂

Comments are closed.