Bombardeiros Tu-22M3 da Força Aérea russa vem realizando ataques a locais do Estado Islâmico na Síria.
Bombardeiros Tu-22M3 da Força Aérea russa vem realizando ataques a locais do Estado Islâmico na Síria.

O Ministério de Defesa da Rússia divulgou na sua página oficial no YouTube um vídeo de 1 minuto e meio, que mostra cenas de um bombardeiro estratégico de longo alcance Tu-22M3 Backfire-C durante uma missão de ataque com bombas na Síria.

No vídeo é possível ver um dos seis seis aviões despejando uma dúzia de bombas, sobre o que o Ministério disse que eram ativos do Daesh, na região sudeste, norte e noroeste de Raqqa, reduto do grupo terrorista no norte da Síria. Um dos últimos ataques divulgado pela Rússia ocorreu no final de julho.

O ataque aéreo destruiu um depósito de armas, uma fábrica de produção de armas químicas, bem como um campo principal de treinamento, e mataram um grande número de militantes, de acordo com os militares russos.

Anúncios

10 COMENTÁRIOS

  1. O Daesh como estado já colapsou. As forças Iraquianas estão impondo derrota atrás de derrota ao estado da bandeira preta. A coalizão e a mãe Russia bombardeiam seus territórios diariamente. O problema agora são os terroristas ressentidos que estão partindo para covardia contra civis no Iraque, Europa, EUA e provavelmente na Rússia daqui um tempo. É preciso lembrar que existem muitos russos muçulmanos combatendo com os terroristas, e com o fim do auto intitulado Estado Islâmico eles vão querer voltar para casa.

    • Mãe Rússia é? sei……

      No mais a maioria do estrago contra o Daesh não vem das bombas russas, que atingem muito mais os opositores da Assad,mas sim da coalizão liderada pelos EUA, especialmente no Iraque.

      • Eu iria colocar um "eventualmente a mãe Russia", mas quis evitar a polêmica =P.

  2. Incrível como a silhueta do Tu-22M é semelhante à do MiG-23 … Tantos anos acompanhando o noticiário de aviação e só agora reparei nisso.

  3. Acredito que em caráter meramente militar não se justifica usar uma aeronave deste porte para despejar pouco mais de 3 toneladas de bombas sobre a Síria, já que os Su-34 poderiam fazer estas tarefas partindo de Latakia, o que envolveria um custo muito menor.

    Talvez a única coisa que justifique o emprego dos Tu22 de forma tão subdimensionada seja a possibilidade de se emprega-lo num treinamento usando armamento real e em ambiente real, preparando as tripulações num ambiente mais realístico.

    • Concordo, e acrescento que existe um fator de demonstração de força.

      Seria melhor usar o Su-34 e Su-30SM para tal tipo de missão, mas devemos lembrar que o Tu-22M3, Tu-95MS e Tu-160M foram usados para empregar mísseis de cruzeiro também.

    • Esse conflito é oportunidade de treinar militares em situação real de combate. Acredito que por isso que essa aeronave vem sendo usado.

Comments are closed.