Momento do vídeo onde o caça Su-57 lança um míssil cruzeiro, durante testes na Síria.

A Rússia testou na Síria avançados mísseis de cruzeiro a partir de um caça de quinta geração Sukhoi Su-57, disse o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu.

“Para avaliar as capacidades de combate das capacidades declaradas dos equipamentos militares que estão sendo desenvolvidos, em fevereiro deste ano, foram realizados lançamentos práticos de avançados mísseis de cruzeiro a partir dos caças de quinta geração Su-57”, disse Shoigu em uma reunião do conselho do departamento de defesa, quando apresentava um vídeo do lançamento.

O míssil foi lançando a partir do compartimento interno de armas do Su-57. O vídeo é a primeira demonstração do tipo de míssil sendo testado, bem como dos compartimentos internos de armas do Su-57 em uso. Ao que tudo indica o míssil deve ser o Kh-59MK2, que foi projetado especialmente para o Su-57 para que possa ser encaixado nos compartimentos de armas.

O míssil navega usando o sistema INS com GPS embutido (GLONASS / Navstar). Um buscador infravermelho é usado para a fase terminal, permitindo que ele atinja alvos móveis, tenha seu ponto final de impacto ajustado para o efeito máximo ou seja redirecionado em tempo real. A capacidade de navegar por uma área-alvo é outra possibilidade baseada nas capacidades de projetos similares.

Shoigu destacou o grande esforço do Ministério da Defesa russo nos teste e avaliações de novas armas no campo de batalha sírio, mas não está claro se este lançamento ocorreu ou não sobre o país devastado pela guerra.

De acordo com a declaração, os testes do míssil ocorreram no mesmo mês que um par de Su-57 foi enviado para Síria em condições ainda não totalmente esclarecidas, pois os caças permaneceram menos de dois dias na região e depois retornaram para Rússia.


Colaborou Rustam Bogaudinov, direto de Moscou

Anúncios

20 COMENTÁRIOS

  1. É o padrão Russo, quando divulgam informações é porquê já são ultrapassadas, de domínio. Não duvido de já terem uns três ou quatro esquadrões operacionais desse avião.

  2. Lembro que quando noticiou-se que aqueles aparelhos lá estavam os "Ispecialistas by CNN" da Internet falaram que eram "aviões desdentados e sem garras" que foram lá só para passear. Pois é, a Russia teve a "honra" de ter feito o primeiro uso de um avião de 5ª geraçao em combate bem como esta adiantada em armar o Su-57 não apenas com misseis Ar-Ar mas tambem cruise Ar-terra de nova geração.

    Juntamente com os Su-34, Mig-35 e os Su-25 modernizados, a capacidade de ataque regimentos de ataques russos é bem consideravel e não pode ser desdenhada como alguns o fazem.

    • Quem diga o turcos, cuidado quando menos imagina um míssil acerta um caça russo.

      • Sim, um Su-24 que não tem condições de defender-se de um F-16. Quando os Russos começaram a voar com escoltas naquela região os aventureiros turcos sumiram.

    • Essa sua mania de mal ver uma vergonha para já querer passar está se tornando patológica Pedroca!

      Quanto à matéria, Como teste esse evento é valido! Contudo seria interessante imaginar como seria enfrentar um ambiente contestado com sistemas de AAe e SAM, assim como uma força de caças inimigos, algo bem diferente de disparar um míssil de cruzeiro contra barbudinhos de sandália e AK-47.

      Como batismo de fogo, as primeiras incursões do F-35I na Síria são bem mais interessantes.

  3. Sei que não tem a ver com o tema mas li agora no site Terra que a Colômbia vai entrar na OTAN…. Se isso se confirmar, para o Brasil é uma seria dor de cabeça.

  4. Interessante! Parece ser similar ao JASSM ER, mas ao contrário do que acontece com o F-35, pode ser levado internamente.

        • Talvez seja, considerando a natureza da fonte que postei acima, focada em exportação, mas não sei se uma variante de exportação teria alcance menor (ou maior) que uma variante doméstica.

          Outras fontes oficiais, com natureza doméstica, citam o mesmo número, logo creio que é seguro afirmar que esse realmente é o alcance independente de ser para exportação ou não.

          Veja:

          http://eng.ktrv.ru/production_eng/323/513/539/

      • O interessante no link da rosoboronexport que você colocou, é que o míssil tem 0,38m de diâmetro, de forma que provavelmente caibam 2 mísseis desse em cada baia ventral (que tem aproximadamente 1m de largura). O Su-57 tem 2 baias ventrais em tandem.
        Seria, portanto, capaz de carregar 4 mísseis de cruzeiro desses, só internamente.

        • Não necessariamente. Tenha em mente que fiação, pylons etc também ocupam bastante espaço. São números muito rasos para ter alguma certeza, seria melhor esperar alguma ilustração sobre a capacidade de payload ser liberada.

  5. Mostrou só o lançamento não mostrou o funcionamento e nem o alvo sendo atingido

    • kkkkkkk

      Sempre falta alguma coisa né?
      Se mostrasse o alvo sendo atingido, diriam

      "não mostraram os componentes internos do missil'

Comments are closed.