Um especialista de informática a bordo do simulador do 737-800NG com o sistema ALIAS da Aurora Flight Sciences. (Foto: Aurora)

O trabalho da Aurora Flight Sciences no programa do sistema de automatização do cockpit (ALIAS), da Agência de Projetos e Pesquisas Avançadas (DARPA), demonstrou ainda mais suas capacidades de voo automatizado com vários cenários de voo bem-sucedidos em um simulador do Boeing 737.

Demonstrado em um simulador do Boeing 737-800NG no Centro de Sistemas de Transporte Nacional John A. Volpe do Departamento de Transportes dos EUA em Cambridge, Massachusetts, o ALIAS mostrou sua habilidade ao utilizar o sistema de pouso automático do 737 para pousar a aeronave com segurança no caso de incapacitação do piloto.

A Aurora também demonstrou o ALIAS várias vezes em aeronaves em voo, mais recentemente no Diamond DA42. Na demonstração, o ALIAS atualizou os procedimentos de cockpit do DA42 em tempo real e, supervisionado por um piloto de segurança a bordo, realizou um pouso totalmente automatizado em um local simulado a 3.000 pés de altitude.

As novas realizações baseiam-se na instalação bem sucedida e testes de componentes ALIAS da Aurora em outras aeronaves como Cessna 208 Caravan, Bell UH-1 Iroquois e DHC-2 Beaver.

“Tendo demonstrado com sucesso em uma variedade de aeronaves, o ALIAS provou a sua capacidade versátil de voo automatizado”, disse John Wissler, vice-presidente de Pesquisa e Desenvolvimento da Aurora. “À medida que avançamos para um voo totalmente automatizado desde a decolagem até o pouso, e podemos afirmar com segurança que desenvolvemos um sistema de automação que permite uma redução significativa da carga de trabalho da tripulação”.

O sistema de demonstração da tecnologia ALIAS da Aurora foi projetado para funcionar como um segundo piloto em uma aeronave com dois tripulantes, permitindo reduzir as operações da tripulação, assegurando ao mesmo tempo que o desempenho da aeronave e o sucesso da missão sejam mantidos ou melhorados. A visão, publicada pela DARPA para o ALIAS, é que o sistema é “um kit removível e adaptável, que promove a adição de altos níveis de automação às aeronaves existentes, permitindo a operação com reduzida tripulação”.

A solução ALIAS da Aurora inclui o uso de visão da máquina no cockpit, componentes robóticos atuam nos controles de voo, com uma avançada interface de usuário baseada em um tablet, com reconhecimento de fala, e um processo de aquisição de conhecimento que facilita a transição do sistema de automação para outro avião em apenas 30 dias. A Aurora também está trabalhando em uma versão do sistema sem atuação robótica que, em vez disso, visa apoiar o piloto monitorando os estados físicos, processuais e de missão da aeronave, aumentando a segurança, atualizando ativamente a consciência situacional do piloto.

Anúncios

1 COMENTÁRIO

  1. Interessante que, a aeronave terá que ser mais FBW, como o caso dos Airbus; nota-se o Joystick, instalado nesse simulador de B737, algo que não partiu da Boeing diretamente.

Comments are closed.