Yves Rossy, o Jetman, sobrevoa o Rio de Janeiro no dia 2 de maio com sua asa voadora movido a jato.

Yves Rossy, conhecido como “Jetman”, cruzou o céu acima do Rio de Janeiro no dia 2 de maio, usando seu corpo para controlar em vôo uma asa rígida amarrada às suas costas, equipada com quatro pequenas turbinas. Rossy ainda permanece sendo a única pessoa no mundo a voar com uma asa rígida movido a jato. Mais uma vez Yves amplia o horizonte da aviação, conforme pode ser visto no vídeo completo feito pela Breitling.

Durante o voo sobre o Rio de Janeiro, Yves Rossy planejou passar sobre alguns pontos turísticos cariocas. Ele saltou de um helicóptero acima da Lagoa Rodrigo de Freitas, antes de estabilizar a asa e em direção ao norte atingiu a aceleração completa voando ao redor do Corcovado. Ele, então, seguiu ao sul da cidade voando junto a Praia de Ipanema, depois Copacabana e passando próximo do Pão de Açúcar, antes de acionar o seu paraquedas e pousar em segurança na praia em frente ao hotel Copacabana Palace. Em alguns momentos a sua velocidade chegou a 180 mph.

O piloto Yves Rossy saltou de um helicóptero sobre a Lagoa Rodrigo de Freitas. (Foto: REUTERS/ Joe Parker/Breitling/Handout)
O Jetman Yves Rossy sobrevoou os pontos turísticos mais famosos do Rio de Janeiro.

A carreira de Rossy inclui o serviço de aviação como piloto de caça e piloto de avião comercial, sendo comandante da companhia aérea Swiss Air Lines. Começou a construir sua asa voadora em 1993. Desde então refinou o design e em 2008, ele atravessou o Canal da Mancha, e em 2011 ele sobrevoou o Grand Canyon. Patrocinado pela famosa fabricante de relógios suíços Breitling desde 2010, Rossy voou também em formação com dois jatos L-39C Albatros da Equipe Breitling Jet.

Ao circular o Corcovado, o piloto suíço atingiu a velocidade mais alta durante seu voo.

A especial roupa de carbono-kevlar é chamada de Jetwing, e é equipado com quatro motores a jato, cada um com um empuxo de 22 kg, assim possibilitando a impulsão do aviador suíço a uma velocidade de 200-300 km/h, com ele podendo controlar a potência através de um simples acelerador de mão preso no seu pulso. Para ajustar sua trajetória e sua altitude, ele basicamente mexe seu corpo, ombros e pernas.

Depois de cerca de 11 minutos de voo, Yves Rossy acionou seu paraquedas e pousou na praia de Copacabana.

A façanha inteira durou 11 minutos e 35 segundos, numa altitude média de 1.200 metros, e nenhum problema foi relatado antes, durante ou após o vôo.

Anúncios

4 COMENTÁRIOS

  1. fez eu lembrar do desenho centurions que passou na decada de 80,onde um dos principais usava um equipamento assim!

    os de 35 anos pra cima vai lembrar!

  2. Cada ano que passa…verifica-se que as "engenharias militares"…dos brinquedos/bonecos "Comandos em Ação"…vão se tornando uma realidade…

    Imaginem, guardadas as devidas proporções, uma companhia de Forças Especiais fazendo uma infiltração noturna com tais "asas"…

  3. Eu sou paraquedista e geralmente tenho algo em torno de 30s de queda livre antes de comandar o acionamento do velame. Eu fico pensando no prazer que esse cara tem!!!!

Comments are closed.