Na década de 1980 a Marinha dos EUA tinha na Força Aérea da Líbia um potencial adversário. Em várias ocasiões os aviões estiveram a ponto de se enfrentaram, até que aconteceu.

Cinco anos depois que os F-14 abateram os Sukhois Su-22 da Líbia, em 1986 houve um sério incidente que quase culminou em nova ação ar-ar do F-14.

Durante o Operations Attain Document II e o Attain Document III em março de 1986, junto a costa da Líbia, no início da tarde de 24 de março de 1986, dois MiG-25PDS da Força Aérea líbia decolaram de Misurata com ordens de interceptar e abater dois Tomcats da Marinha dos EUA em patrulha ao norte da base.

Ainda operando sob as regras de engajamento de 1981 – segundo o qual um piloto só pode atirar depois que for alvejado – a Marinha dos Estados Unidos acionou dois F-14A do esquadrão VF-33 Starfighters para interceptar os Foxbats.

Como das outras vezes, os Tomcats, mais manobráveis, pegaram os líbios de surpresa. Logo depois que os quatro caças se fundiram a uma altitude de 6.000 m, ambos os F-14 estavam em posições vantajosas, às 6 horas de seus oponentes. Um dos Foxbats começou a manobrar muito agressivamente, tentando se livrar do Tomcat. Sem sucesso. O MiG-25 foi irremediavelmente superado pelo F-14A em um dogfight.

No decorrer desse engajamento, o sistema de câmera tática (TCS) do F-14 capturou um dos vídeos mais espetaculares de um MiG-25 enquanto este tentava se livrar do Tom.

Embora não ocorresse um embate no ar, quando os Foxbats não obtiveram sucesso, os líbios dispararam um míssil SAM SA-5 contra uma PAC de F-14A do esquadrão VF-102. Por sua vez, esses dois incidentes provocaram a retaliação dos EUA na forma da Operação Prairie Fire, no curso da qual os pilotos da Marinha afundaram dois navios de guerra da marinha líbia e destruíram o sítio de SAM SA-5.

Até onde se sabe, este foi o último confronto entre o F-14 Tomcat e o MiG-25 Foxbat. Enquanto o resultado geral pode parecer escasso, com os Tomcats marcando apenas uma vitória confirmada, os resultados da maioria desses encontros não deixaram dúvidas sobre a superioridade do F-14 em relação ao poderoso caça soviético.


FONTE: War is Boring – VÍDEO: Youtube

10 COMENTÁRIOS

  1. Um 747 carregado manobra melhor que o Mig-25…rs!

    Agora, em abates confirmados o maior algoz do Foxbat ao que tudo indica foi o F-15 pois teriam abatido em torno de 10-11 Migs-25 durante a Tempestade do Deserto enquanto sobre o Vale do Bekaa os Eagles da Heyl Ha'Avir derrubaram 3 dos caças russos.

    • Só que nas mãos de pilotos soviéticos, eles eram imbatíveis. Os israelenses que o digam.

      • Ah é!? Quantos alvos dentro de Israel foram atacados e quantos caças da Heyl Ha'Avir foram derrubados pelos Migs-25 soviéticos mesmo?

        No mais a missão mais relevante dos Migs-25 soviéticos de reconhecimento foi quando constataram que Ariel Sharon havia cruzado o canal e cercado dois exércitos egípcios. Que coisa não Xings!?

  2. Realmente o cão que ladrava mas não mordia só prestava mesmo para tirar fotos e fugir a 3000 km/h. Além de perna curta era tão agil quanto um Zeppelin. Até um P-51 Mustang o abateria com facilidade.

  3. O maiores algozes dos Mig-25s foram os F-14s iraquianos, abateram vários da versão de recon e ao menos 02 da versão caça (PD), os F-15s americanos abateram 02 Mig-25 PD iraquianos…

    • O Iraque admite a perda de apenas dois MiG-25 durante a guerra. Um derrubado por F-14/AIM-54 e outro por falta de combustível. Já o Irã reivindica o abate de três.

  4. O MiG25 empregado em dogfight é uma clara alusão á falta de doutrina operacional.

    • Com certeza!!! Ele tem sua utilidade, alias todo o caça tem, porem é imperativo conhecer seus pontos fortes e fracos assim como o do seus oponentes!

Comments are closed.