Primeiro disparo de míssil AMRAAM de um caça F-35A da Real Força Aérea da Noruega. (Foto: Ministério das Forças Armadas da Noruega)

No início da semana passada, um caça F-35A norueguês, atribuído ao 332º Esquadrão da Real Força Aérea Norueguesa, realizou os primeiros disparos de um míssil ar-ar de médio alcance AIM-120 Advanced (AMRAAM), no campo de testes de Halten, a noroeste da base aérea de Orland.

O programa de testes na Noruega foi executado pelo 332º Esquadrão em colaboração com o esquadrão TTT (testes, treinamento e táticas) e a organização de manutenção e logística.

O Ministério da Defesa da Noruega selecionou o F-35A para cumprir sua exigência de Aeronave de Combate Futuro (FCA) em novembro de 2008, com os primeiros F-35s noruegueses chegando no país na Base Aérea de Orland em novembro de 2017.

No dia 1º de abril todas as atividades do F-16 serão transferidas de Ørland para Bodø e, em breve, o caça F-35 estará pronto para assumir partes do portfólio de missões do F-16.

Este foi um marco importante no trabalho de implantação em fases do F-35 na Noruega para atingir a capacidade operacional inicial (IOC) durante 2019, disse o comandante do esquadrão.

Até o momento, o governo norueguês confirmou a verba para 40 dos 52 caças F-35s, e a autorização para investimento das aeronaves restantes deve ocorrer em breve.

O míssil AMRAAM está operacional em todas as variantes do F-35. É o único míssil ar-ar guiado por radar certificado para o F-35. A aeronave F-35 tem um total de 11 pontos para colocar armas, chamadas de estações. Quatro das estações de armas do F-35 são internas, onde a aeronave pode transportar de duas a oito armas ar-terra e dois mísseis ar-ar controlados por radar.

Em 2025, quando o caça F-35 atingir a capacidade operacional total, a Noruega terá uma das mais modernas defesas aéreas do mundo.

“Sem o F-35, não teremos uma defesa confiável. É crucial que a especialização, a organização e os conceitos sejam desenvolvidos para que o potencial do F-35 seja totalmente utilizado”, afirma a líder da Força Aérea Norueguesa, Major-General Tonje Skinnarland.

Adquirido por 37 países, incluindo os EUA, o míssil AMRAAM comprovado em combate foi integrado ao F-15, F-16, F/A-18, F-22, Typhoon, Gripen, Tornado e Harrier. Os mísseis AIM-120C-5 e AIM-120C-7 estão totalmente integrados ao F-35 e suportam a capacidade operacional inicial do F-35B do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. como os russos não tem stealth a TV deles vai reclamar muito disso. Parabéns ao governo e parlamento do país por investir na defesa contra amizade russa. Espero que a USAF esta melhorando ou criando uma nova geração de misseis ar-ar.

Comments are closed.