93120

O programa FAB em Ação traz nesta edição um especial sobre a Aviação de Asas Rotativas da Força Aérea Brasileira (FAB). Conheça os helicópteros utilizados pela FAB, as diversas missões que essas aeronaves são capazes de cumprir e o treinamento dos pilotos para operá-las. Veja ainda os novos helicópteros que fazem parte do processo de reaparelhamento dessa aviação multitarefa.

divider 1FONTE: FAB

EDIÇÃO: Cavok

 

24 COMENTÁRIOS

  1. Quem arrisca dizer quais os novos Helicopteros de ataque da FAB e onde eles provavelmente estarão sediados?

    Os americanos Apache e Cobra eu acredito que nunca veremos.

    Russos ou Europeus? Existe algum movimento no sentido de dotar a Helibrás da capacidade de montagem de Helicopteros de ataque?

      • LaMarca,

        Na verdade fui me informar aqui e o exército que testou 4 helicópteros, 2 russos (mi 28 havoc e kamov) e 2 europeus (aligator e tiger).
        Resta saber se realmente existe essa intenção, se é para formação de um novo esquadrão ou substituição de existentes e quantas aeronaves o EB tem intenção de comprar.

        • Agora, sim, Antônio… O EB!

          Ao que parece, a intenção existe, e sinceramente eu torço que eles eventualmente possam adquirir um vetor para formar um bom esquadrão de combate. Mas você sabe como é o Brasil.

          Quem sabe, né?

          • O apache é muito caro…
            Agora porque não o cobra?

            Fiquei feliz…
            Sendo um Mi-28, na realidade é o melhor dos testados!

            Já o Tiger, eu acho que é o menos favorito….

  2. Sr. Antônio, o EB testou o Cobra também (AH-1)… Houve uma desculpa (isso para mim é desculpa), que o Kamov Ka-52 Alligator foi testado, mas não foi incluso, pois não era utilizado completamente pela VKS… Da onde tiraram isso? Deixa pra lá… Mas no Brasil não dá para esperar muita coisa né, mas se desse eu escolheria o AH-1 Cobra ou Mi-28, pois o Ka-52 está muito distante da verba do EB… Sobre a FAB, mais helicópteros UH-60 seria ótimo

    • Qual seria uma encomenda mínima para justificar a abertura de uma linha de montagem em itajubá?
      36 unidades? Eu acredito que pensando nessa possibilidade, o Airbus Tiger seria uma boa opção.
      Qual a função desses helicopteros no EB? Ficariam baseados na fronteira norte? Seriam desdobrados em missões da ONU?
      São helicopteros de emprego muito específico, diferentemente do esquadrão Poti.

  3. O EB não teve grana para comprar meia dúzia de Caravans usados, vai ter grana pra heli de ataque ? Me poupem

  4. Dos helicópteros que o Brasil se interessou o que poderia ter uma linha de montagem seria o AW129 – Mangusta, pelo fato da Turquia ter escolhido e produzido localmente. De começo seria 12 unidades divididas em 3 lotes, total 36. Eu particularmente preferiria o Mi-28 ou o Cobra, o Airbus Tiger é caro e já deu muitos problemas para Austrália. Ficariam locados no Norte. Sobre ser utilizado em Missões da ONU, não sei lhe dizer.

    TrollbusterBR

    Sobre os helicópteros de ataque, isso foi no começo do ano, antes de acontecer os cortes, se já era difícil antes, agora então…

    ___

    Se falava até que na compra dos Cobras o Brasil teria mais oportunidades no CH-47, mas os EUA só venderia a versão D e o Brasil queria a F, a qual eles tinham se impressionado no Air Show na Italia

    • mas os EUA só venderia a versão D e o Brasil queria a F

      Natan,
      De onde saiu isso que o Tio Sam não venderia a versão F, caso o Brasil realmente se interessasse em adquirir o Chinook?

      • Eu li (não lembro onde) que o Tio Sam não venderia (tão fácil) a versão F, só a versão D com os upgrades. Mas se a informação estiver errada, não levem em conta, já que com o dinheiro em mãos compra-se tudo. Se eu achar LaMarca, eu coloco… Mas foi bom você ter tocado nesse ponto.

        • Isso é conversa, Natan…
          Por isso perguntei… Nunca houve tal negação, até porque nunca houve real interesse na aquisição do Chinook por nossa parte. É preciso lembrar que, por conta do FX-2, o Tio Sam queria nos vender até o F-35. Seria justamente o Chinook que eles vetariam?

          Isso papo furado de quem não tem o que falar e precisa conseguir alguma relevância.

          • É verdade LaMarca. Obrigado, sempre bom está aprendendo contigo hehe… Ótimo fim de semana pra ti e a todos do Blog.

  5. Off Topic : LaMarca já saiu algum resultado sobre o treinamento com a US NAVY? Ou será falado alguma coisa só depois do dia 22?

  6. Amigos,

    No TO sul americano, qualquer coisa artilhada já serve… Um Esquilo com um quarteto de mísseis Spike já seria suficiente… E em se tratando de EB, o Panther também poderia ter interessante uso nesse aspecto.

    Só a título de exemplo, cito a atuação dos Gazelle sírios em 1982, durante operações no sul do Líbano, nas quais obtiveram considerável sucesso contra a força mecanizada israelense; mesmo estando em número tão limitado…

    No mais, penso que o País não deveria correr atrás de helicópteros de ataque. Há prioridades demais para se pensar nisso… Na FAB, pra mim, a ordem deve ser completar a substituição dos UH-1 pelo Black Hawk e substituir os Super Puma pelos Caracal; na MB, substituir os Super Pumas navais pelo Caracal ( acho que deveria ser o Knight Hawk e garantir alguma padronização com o Sea Hawk, mas vá lá… ); e no EB, dar sequência a modernização dos Panther ( já que começou… ) e dos Esquilos, além de completar a dotação de Caracal ( pra mim, a ideia devia ser mais Hawk e substituir gradualmente tudo, deixando um espaço pra apenas um punhado de Chinoock )…

    Padronizar deveria se a ordem, mas creio ser algo difícil no EB, que opera uma miscelânea de helicópteros; alguns deles relativamente novos… Os Cougar foram adquiridos no início dos anos 2000 e os Black Hawk pouca coisa mais antigos. Antes deles, vieram os Panther, que são todos do final dos anos 80 e, não fosse a modernização, ofereceriam uma perspectiva de uso até o final dessa década. E agora os Caracal, todos ainda novos… Logo, acredito que pelo menos os Panther poderiam dar lugar a novos Hawks…

  7. Senhores quanto a aviação rotativa de ataque no EB que os senhores estão comentando, eu postei uma entrevista do comandante do EB para o estadão a alguns dias, sugiro que os senhores procurem.
    Lá ele diz que o EB não dinheiro para NADA, nem para honrar o que já está em processo de aquisição. ESQUEÇAM bateria AA e Heli de ataque.

Comments are closed.