O novo motor Affinity da GE Aviation será para equipar o novo jato executivo supersônico Aerion AS2.

Em uma coletiva de imprensa com a Aerion Corporation realizada no dia 15 de outubro, durante a NBAA, a GE Aviation anunciou que completou a projeto do primeiro motor supersônico construído para jatos executivos. Esta nova classe de motores, revelada hoje como Turbofan GE Affinity, é otimizada com tecnologia comprovada da GE para o voo supersônico e programado para atender o lançamento do jato executivo supersônico Aerion AS2.

O Affinity é uma nova classe de motores com taxa média de bypass que oferece desempenho excepcional e equilibrado através de voos supersônicos e subsônicos. O Affinity integra uma mistura única de comprovada experiência em motores supersônicos militares, confiabilidade comercial e as mais avançadas tecnologias de motores a jato para empresas.

O Affinity da GE é um turbofan com dois fans, de duplo eixo, controlado por uma nova geração de mecanismo de controle digital de plena autoridade (FADEC) para maior confiabilidade de despacho e diagnósticos integrados. Ele é propositalmente projetado para permitir voo supersônico sobre a água e sobrevoo subsônico eficiente sobre a terra, sem requerer modificações nos regulamentos de conformidade. O motor foi projetado para atender aos rigorosos requisitos de ruído subsônico de estágio 5 e padrões atuais de emissões.

Recursos do Affinity da GE:

• Desempenho eficiente em todo o envelope de voo com um teto de serviço de alta altitude de 60.000 pés.
• Um avançado fan duplo com a maior taxa bypass entre qualquer motor supersônico.
• Um sistema especial de escape supersônico não aumentado.
• Um núcleo de motor comprovado adaptado do portfólio da companhia aérea comercial da GE com bilhões de horas fiáveis ??de serviço operacional.
• Um combustor durável com revestimentos avançados para operação sustentada em alta velocidade.
• Tecnologia acústica avançada projetada para atender ou exceder os requisitos regulamentares.
• Design aditivo e tecnologias de fabricação da GE para otimizar peso e desempenho.

“Nos últimos 50 anos, as velocidades de aeronaves comerciais aumentaram menos de 10%”, disse Brad Mottier, Vice-Presidente e Gerente Geral de Negócios e Aviação Geral e Serviços Integrados da GE. “Ao invés voar mais rápido, as cabines aumentaram de tamanho e ficaram mais confortáveis ??- e o alcance se tornou mais longo. Com uma cabine grande e confortável, uma aeronave de longo alcance no mercado tem como próximo passo a velocidade… tornado possível com o Affinity da GE.”

Após dois anos de um estudo preliminar, a GE Aviation e a Aerion lançaram um processo formal em maio de 2017 para definir e avaliar uma configuração final do motor para o jato executivo supersônico AS2. Uma equipe do GE Project, apoiada por uma equipe de engenharia dedicada, continue a trabalhar com a Aerion em um processo formal e fechado. A próxima revisão de design tem como meta 2020, sinalizando início de projeto detalhado e produção das aeronaves de teste.

A Aerion está colaborando com a GE Aviation, Lockheed Martin e Honeywell para desenvolver o AS2.

O jato Aerion AS2.

“Nossa missão é melhorar a mobilidade global com velocidade supersônica, começando pela aviação executiva e seguindo com projetos cada vez mais rápidos e maiores para a aviação comercial”, disse o CEO da Aerion, Tom Vice. “A GE Aviation está possibilitando essa nova era supersônica eficiente e sustentável por meio de seu trabalho pioneiro no motor Affinity.”

A GE Aviation tem mais de 60 anos de experiência em projetar e construir motores adaptados para aeronaves supersônica. Seu primeiro motor para nos levar para a era supersônica foi o J79, que foi introduzido com a Lockheed em seu F-104 Starfighter em meados da década de 1950.

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. isso vai derrubar a Embraer, a Airbus/bombardier e outros fabricantes a longo Prazo tanto nos executivos quando nos regionais. agora a Join venture com a Boeing é imprescindível que só essa para ter acesso a esses motores. cada dia um desafio para não perder mercado.

  2. Esse seria o jato dos supermilionários, incluindo nessa lista alguns políticos e bispos brasileiros. Os milionários normais voariam com os convencionais, creio.

    • sim, é para os super ricos. Hoje, exiatem em número suficiente para viabilizar um projeto deses. Já com relação ao Boom e possível evolução desse Aerion para aviação comercial, sou mais cético, vai depender do preço do petróleo e de possível revisão do banimento de voo supersonico sobre solo, por parte do FAA.

Comments are closed.