Helicóptero H225M em versão operacional, o mais complexo já desenvolvido pela empresa. (Foto: Yam Wanders / Heibras)
Helicóptero H225M em versão operacional, o mais complexo já desenvolvido pela empresa. (Foto: Yam Wanders / Heibras)

A mais nova versão do H225M desenvolvido para a Marinha Brasileira (MB) para missões anti-navio e vigilância marítima, conforme os testes são avançam, caminha para a certificação operacional em 2018.

A versão de combate marítimo do Airbus H225M conta com avançados sensores e sistemas de auto-defesa, podendo carregar até dois mísseis anti-navio MBDA AM39 Exocet.

Anúncios

10 COMENTÁRIOS

  1. Em um momento do vídeo, aparece "na mira" o ferry-boat que faz a travessia São Sebatião – Ilhabela (SP), pela "gloriosa" DERSA (Departamento de Estradas de Rodagem S. A.).

    Apesar de muitos usuários deste sistema de transporte e contribuintes adorarem a ideia de disparar um Exocet naqueles "ferros velhos", não compensa o custo nem o trabalho, visto que aquilo afunda por si só…

    Brincadeiras a parte, quando vão realmente testar o sistema, com um lançamento de uma unidade do Exocet real? E já não é um projeto muito manjado (conhecido) pelas marinhas de vários países, fácil de neutralizar ou enganar? Só de história que
    conheço, bota-se ai 34 anos do afundamento do HMS Shefield por um Exocet na Guerra das Falklands/Malvinas…

    • alferreira,

      O Exocet vem sendo atualizado ao longo dessas décadas. A atual variante disponível no mercado pouco tem a ver com aquela empregada nas Falklands.

      Orientação por INS/GPS e seeker melhorado, além de um muito maior alcance ( mais de 150 km ), são algumas das novidades do 'block 3', que graças a isso ganhou também uma limitada capacidade de atacar alvos em terra.

      A variante a ser lançada pelo Caracal provavelmente é a AM-39 'block 2', com consideráveis melhoramentos em relação a variante original.

  2. Esse vídeo do lançamento do Exocet foi montado ou é impressão minha? Parece é um vídeo antigo a partir do lançamento do míssil.

  3. Com todo respeito para com os que curtem a aeronave, meu comentário é apenas uma brincadeira…

    Tá gordinha a criança em!!! Quanto tempo a caixa "guenta" com esses "pinduricalhos". Já é arriscado voar sem, imagina assim. rsrs

  4. Na moderna guerra aérea seria possível um heli entrar num TO impunemente e conseguir lançar um Exocet? Sei não, se em 1982 e na guerra Irã-Iraque já foi difícil com aviões de alta performance…

    • Eu compartilho da sua opnião! Acho que para Guerra Anti Submarino até viável, mas cada vez mais difícil com o advento do submarino nuclear, mas para vetores de superfície acho um desperdício.

    • Giordani, leocardeal,

      Depende… Se estivermos falando de uma força naval sem proteção aérea, então vale muito a pena. E se considerarmos que contam-se nos dedos as marinhas que dispõem de uma aviação embarcada de asa fixa, vale mais ainda…

      Vindo abaixo da visada do radar, o helicóptero pode aproximar-se ao limite do alcance do míssil, subir rapidamente para uma "fuçada" com seu próprio radar, e lançar ( pode fazer fogo utilizando informações provenientes de outros meios também, como o P-3BR ), voltando para a baixíssima altura e tomando a direção oposta.

      Considerando que o helicóptero somente ficaria exposto um punhado de segundos enquanto localiza seu alvo, muito provavelmente não haveria tempo para o navio engaja-lo, restando a este ultimo somente engajar os mísseis, que poderão ser atacados no extremo alcance do horizonte-radar ( uns 25 km de distância ), posto que virão rasando as ondas. O grande 'X' da questão, por tanto, passa por varar as defesas dos próprios navios… Dois Exocet não servem de nada. Mas dez deles lançados em salva podem resolver…

      O dia em que navios contarem com algum meio de vigilância aérea a longa distância que não seja baseado em porta-aviões e que possa partir de si mesmos, que vare os problemas do horizonte-radar, então poderá se dizer que o emprego de um tipo como o H225M é questionável… Até então, acredito que tem todo o sentido…

      Fora isso, há a questão da interdição do mar, fechando-o ao tráfego mercante…

  5. Boa noite Senhores!

    Ainda que a contra gosto de muitos, o programa vai avançando bem…obrigado.

    CM

Comments are closed.