Helicóptero de ataque T129 ATAK.

Um helicóptero de ataque T129 ATAK do exército turco, participando da Operação Olive Branch, foi derrubado na manhã deste sábado pelas forças curdas no distrito de Kirikhan, na província do sudeste de Hatay, matando dois soldados, conforme relato da mídia turca.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdo?an, confirmou o incidente enquanto falava em Istambul em 10 de fevereiro.

Ele disse que os perpetradores “pagarão um preço pesado” por derrubar o helicóptero turco, e as perdas, como o incidente do helicóptero, deveriam ocorrer no tempo de batalha.

“Ontem, destruímos uma grande quantidade de depósitos de mísseis, o que, naturalmente, os conduziu a este ato [as Unidades de Proteção do Povo (YPG)]. Podemos perder um helicóptero, mas eles pagarão um preço mais pesado”, disse ele.

A Operação Olive Branch foi lançada pela Turquia no dia 20 de janeiro para remover os membros do PKK / PYD / YPG / KCK e os militantes do Daesh de Afrin no noroeste da Síria.

De acordo com o Estado-Maior turco, pelo menos 1.141 membros das Unidades de Proteção do Povo (YPG) foram “neutralizados” desde o início da operação em Afrin.

O TAI/AgustaWestland T129 ATAK é um helicóptero de ataque, bimotor, com assentos em tandem, multi-função, baseado na plataforma do Agusta A129 Mangusta.

O T129 foi desenvolvido pela Turkish Aerospace Industries (TAI), com a parceira AgustaWestland. O programa ATAK foi iniciado para atender aos requisitos das Forças Armadas turcas para um ataque e helicóptero de reconhecimento tático.

O helicóptero foi projetado para ataque avançado e reconhecimento em ambientes quentes e altos e geografia áspera em condições de dia e noite.

O T129 é o resultado da integração de aeronáutica de alta tecnologia desenvolvida pelos turcos, com várias modificações e sistemas de armas sobre a estrutura comprovada do AgustaWestland A129, com motores, transmissão e pás do rotor atualizadas.

Está em uso pelo Exército turco, e também está sendo oferecido a outros serviços.


Fonte: DefPost

7 COMENTÁRIOS

    • Pelo vídeo já dá pra ver o caso. Mesmo erro dos russos e israelenses: Duvidar da capacidade dos MANPADS e do "exército de Hilux" com .50 de curto alcance. Um ATGM a queima-roupa é possível. Os pilotos ainda não estão devidamente orientados sobre o cenário…

      • Parece que esse é o caso kwhvelasco, o que na verdade me surpreende um pouco. Porque são pilotos que voam helicoptéros de combate, voando sobre um território infestado de ameaças, e sabemos que helicóteros estão bem sujeitos à esses tipo de ameaça.

        Então me surpreende um pouco o fato de que eles continuam voando da mesma forma. Por mais que equipamento seja bom, eles não parecem tomar nenhuma ação ou prevenção. E temos muitos exemplos de, principalmente helicópteros, sendo abatidos com MANPADs e ATGMs.

        • Talvez seja uma limitação nos eletro-opticos do heli, tanto dos sensores como das armas, e aí não tem tanta precisão para realizar ataques a uma distância maior.
          https://twitter.com/claudioriccio/status/95837557

          Note no vídeo como ele precisou se aproximar da colina para atirar, talvez não tenha como manter uma distância muito grande e ser efetivo, não sendo uma questão de preferência. Aliás, por esse vídeo dá pra notar como o heli é alvo de tiros constantemente durante o ataque, provavelmente tem proteção balística pros motores e cabine, mas é sempre risco de um tiro acertar um parte vulnerável.

  1. Por informações da TV estatal turca, provavelmente o helicóptero turco foi derrubado por um canhão antiaéreo ZU-23-2 ou um míssil Hongijian -8 (HJ-8). Estes equipamentos foram capturados em uma ação de contra ataque das forças especiais turcas. Armamentos chineses na mãos dos terroristas do PKK.