Um F-35A lança uma bomba GBU-31 JDAM em um voo de teste (Foto: US Government). Imagem ilustrativa.

Nesta terça-feira (10), a coalizão dos EUA e as forças de segurança iraquianas confirmaram uma operação em andamento para eliminar as forças do ISIS (Daesh) de uma ilha ao longo do rio Tigre.

O comunicado de imprensa do Comando Central dos EUA descreveu missões dos caças F-15 e F-35 da Força Aérea dos EUA para bombardear a ilha de Qanus, localizada na província de Salah ad Din, no Iraque, usando quase 36.000 kg de bombas contra os esconderijos do ISIS.

O comunicado à imprensa foi acompanhado por um vídeo mostrando as explosões, “twittadas” pelo coronel do exército Myles B. Caggins III, porta-voz das operações. Assista no tweet abaixo:

 


Caggins disse que os ataques aéreos foram coordenados com as forças de segurança iraquianas, e o comunicado à imprensa disse que “operações subsequentes de limpeza do solo” estavam sendo conduzidas pelo 2º Batalhão de Forças Especiais do Iraque.

Os ataques aéreos fazem parte Operação “Inherent Resolve” afim de derrotar o ISIS.

Foi relatado que Qanus é um centro de “trânsito” para membros do ISIS que se deslocam entre a Síria e regiões iraquianas como Mosul, Makhmour e Kirkuk.

“Estamos impondo ao Daesh muitas dificuldades para se esconderem na ilha de Qanus”, disse o major-general Eric T. Hill.

Hill, o comandante da Força-Tarefa Conjunta de Operações Especiais que conduz a Operação Inherent Resolve, disse que os ataques aéreos estabeleceriam “as condições para que nossas forças parceiras continuem trazendo estabilidade para a região”.

Outro tweet anexado ao comunicado à imprensa parece mostrar as forças de segurança iraquianas se aproximando da ilha de barco.


Integrantes do ISIS teria fugido nos últimos meses, após relatos da perda de seu reduto sírio em Baghouz. Apesar de seu aparente recuo, oficiais militares dos EUA pediram pressão contínua sobre o ISIS.

“Certamente todos podemos estar orgulhosos do progresso que ocorreu desde 2015. Em termos expulso o ISIS de Mosul, de Raqqa, de Fallujah e assim por diante, mas também sabemos que ainda há uma insurgência bastante intensa que voltou à utilizar táticas de guerrilha e, portanto, ainda existe uma ameaça ”, disse o general do Corpo de Fuzileiros Navais Joe Dunford em julho.

Desde a queda de suas várias “fortalezas”, o ISIS também se espalhou para fora do Iraque e da Síria. Eles reivindicaram crédito por um atentado no Afeganistão em junho e até alegaram conspirações para infiltrar membros nos EUA através da fronteira sul com o México.


FONTE: American Military News

Anúncios

3 COMENTÁRIOS

  1. Impressionante a precisão do ataque, com todas as explosões seguindo intervalos de distância praticamente perfeitos.
    Com toda certeza, se havia alguma coisa ali, já era…
    Só não entendi bem qual a relação da foto do F-35 lançando uma nuke, com a matéria.. Mesmo sendo uma "dummy"..

  2. Verdade Bruno, que perfeito os intervalos.

    Quanto ao F-35, também não entendi.
    Abraços

  3. A GBU-31 da imagem é verde, armamento para testes não são pintados de azul?

Comments are closed.