Um caça bombardeiro Su-24 Fencer sobrevoa embarcações da Marinha Holandesa no Báltico.

A Marinha Holandesa está desde a semana passada no mar Báltico com a fragata de defesa aérea HNLMS Evertsen participando do esquadrão da OTAN junto ao Standing Maritime Group NATO 1. No dia 16 de maio, o navio holandês viu sobrevoando próximo dele, e em altitude muito baixa, duas aeronaves Su-24 Fencer da Marinha russa. De acordo com o Ministério de Defesa da Holanda as aeronaves russas passaram a menos de 200 metros da fragata.

Os dois aviões russos foram seguidos durante o voo por jatos JAS-39 Gripens suecos de Alerta de Reação Rápida, também composto por dois caças. A passagem não foi uma ameaça à defesa aérea e ao comando da fragata. No entanto, as operações foram monitoradas de perto pela fragata da classe De Zeven Provinciën.

Os jatos russos Su-24 foram acompanhados de perto por caças suecos Gripen, como pode ser visto na imagem acima.

Nas fotografias divulgadas pelo Ministério da Defesa da Holanda, em um dos aviões é possível ver o número do jato de combate Su-24M, que opera desde 2016 na base de Kaliningrado. Não ficou claro se os caças bombardeiros russos estavam armados.

Detalhes de um dos Su-24 que passou próximo da fragata holandesa.

Não é a primeira vez que aeronaves russas voam tão próximos de navios da OTAN. Em 2016 o destróier americano USS Donald Cook recebeu a visita dos jatos Su-24MR, e em 2014 foi a vez da fragata canadense HMCS Toronto. Os norte-americanos chamaram as ações dos russos de “perigosas e pouco profissionais”.

Desde o fim da Guerra Fria, esta é a primeira vez que as aeronaves russas voam tão perto de um navio holandês.

O Sukhoi Su-24 Fencer foi originalmente desenvolvido em 1974, e o Su-24M modernizado alguns anos mais tarde. A aeronave tem uma asa de geometria variável, dois motores e um arranjo de assentos lado a lado para seus dois tripulantes.

Atualmente, existem mais de 90 jatos Su-24 em serviço com a Marinha russa e um número maior na Força Aérea russa. O Su-24M pode lançar vários mísseis, incluindo mísseis anti-radar. Em uma situação de guerra, um Su-24 Fencer não se aproxima tão perto do alvo, podendo lançar seus mísseis de longa distância. Variantes do Su-24 também foram produzidas e projetadas para reconhecimento e contramedidas eletrônicas.

8 COMENTÁRIOS

  1. Ainda bem que os russos pegaram leve e não usaram o raio bugador de navio e as bombas de lactopurga.

  2. Engraçado esse Gripen que acompanhou o Su-24 esta "fumando" mais do que um MIG-29, mas pelo jeito ninguém vai falar nada, afinal de contas é um Gripen.

Comments are closed.