Aeronave A350-900 Ultra Long Range da Singapore Airlines estreiou o voo mais longo do mundo, entre Cingapura e Nova York.

O voo comercial mais longo do planeta, realizado com sucesso pela Singapore Airlines (SIA), com o novíssimo A350-900ULR, partiu do Terminal 3 do Aeroporto Internacional de Chang, em Cingapura, na noite de ontem às 23h37 e chegou ao Aeroporto Internacional Newark Liberty, de New Jersey um dia depois, às 5h29 da manhã (horário da costa leste dos EUA), 6h29 horário de Brasília. Vejam em imagens os bastidores deste voo.

Calorosa recepção aos passageiros desde a ponte de embarque com lembranças e um certificado.

Os passageiros entusiasmados embarcaram na aeronave Airbus A350-900ULR (ultralongo alcance), novinha em folha, com duas classes, por volta das 11 da noite, antes de se instalarem em 67 suítes a bordo do voo SQ22 e 94 assentos na econômica premium. Enquanto desciam pela ponte de embarque, a equipe da companhia aérea distribuiu recordações que incluíam um certificado de voo assinado do capitão SL Leong.

A tripulação, com 13 auxiliares de cabine, trabalhará em turnos para que todos tenham as quatro horas de descanso mínimo regulamentar, informou a Singapore, eleita neste ano a melhor companhia aérea do mundo pelo Skytrax, o prêmio mais importante da aviação comercial.

Parte da equipe de comissárias do voo SQ22.

A maratona de quase 19 horas e 16.700 km (8.285nm) será inicialmente realizada três vezes por semana, partindo de Cingapura às segundas, quintas e sábados, com operações diárias iniciando em 18 de outubro. A companhia aérea tem adicionais sete A350-900ULRs encomendados e a partir de 2 de novembro voará sem escalas também para Los Angeles.

Os dois voos são apenas os serviços mais recentes que significam uma presença mais forte da companhia aérea nos EUA: em outubro de 2016, a SIA iniciou voos sem escala entre Cingapura e São Francisco e até o final deste ano operará 27 serviços sem escalas por semana de Cingapura para os EUA.

A aeronave A350ULR sendo preparada para voo de quase 19 horas.

A jornada de 8.285 nm, medida pelo Great Circle Mapper, bate o voo de 7.848 milhas náuticas entre Auckland-Doha da Qatar Airways, que era até então o voo mais longo do mundo desde o seu lançamento em fevereiro de 2017, operado por um Boeing 777-200LR e que tinha duração de 17 horas e 58 minutos.

“Esses novos voos também proporcionarão conexões convenientes a partir do Aeroporto de Changi, ajudando a impulsionar a conectividade para e através do hub de Cingapura”, disse o vice-presidente sênior de vendas e marketing da companhia, Campbell Wilson, em uma recepção antes do voo dentro da portaria.

Vice-presidente sênior de vendas e marketing da SIA, Campbell Wilson.

“Voar na Singapore Airlines não é sobre um único serviço ou recurso – é uma experiência holística que inclui os melhores assentos, boa comida, muito entretenimento, a oportunidade de um bom descanso e, claro, serviço incomparável”, disse ele ao embarcar no voo, e acrescentando que ele estava ansioso para relaxar com várias “refeições agradáveis ??e algumas boas horas de sono” antes de passar por e-mails e estar pronto para tocar o solo em Nova York.

Para combater qualquer jet lag, o A350-900ULR oferece aos passageiros uma experiência de viagem mais confortável com recursos como tetos mais altos, janelas maiores, um corpo extra-largo e iluminação projetada para reduzir o jetlag. Sua estrutura de composto de carbono também permite melhorar a qualidade do ar devido à altitude otimizada da cabine e aos níveis de umidade.

Músicas temáticas norte americanas foram entoadas antes do embarque.

A companhia aérea também contratou a marca de bem-estar Canyon Ranch para projetar refeições adicionais, bem como vídeos de exercícios e alongamentos especificamente adaptados ao voo. Suites da classe executiva se beneficiam de um novo colchão e uma escolha de travesseiros duros ou moles, enquanto os assentos premium de econômica também foram atualizados com peles de bezerro. O sistema de entretenimento a bordo agora tem 1.200 horas de filmes, televisão e áudio para escolher.

Passageiros – muitos deles entusiastas de aviação que haviam chegado de todo o mundo apenas para pegar este voo – chegaram ao portão mais cedo para a recepção, tilintando taças de champanhe e desfrutando de uma apresentação colorida de crooners da tripulação, incluindo o clássico de Frank Sinatra, “New York, New York” e Etta James com “At Last”.

O âncora da CNN, Richard Quest, apaixonado por aviação, também esteve presente no voo.

O âncora internacional da CNN e conhecido “avgeek” Richard Quest também estava a bordo do voo, blogando ao vivo durante toda a viagem. Como um experiente passageiro de longa distância – em 2005 Quest estava a bordo de um voo de demonstração de 22 horas da Boeing que entrou no Guinness Book of Records – ele tinha algumas palavras de sabedoria para seus companheiros de viagem.

“A chave de tudo é como você planeja um voo dessa duração, senão você ficará lá entediado. Você precisa maximizar o tempo que é relevante para onde você está indo – acerte o relógio para onde você está indo e durma em todos os momentos certos”, ele aconselhou.

O próprio Quest não dormiu muito, twittando e arquivando atualizações de sua história da CNN ao vivo durante a maior parte das 19 horas.

“Sempre houve um nível e dedicação à qualidade que é muito exclusiva da Singapore Airlines”, disse ele. “Mas nos últimos cinco anos vi que isso melhora ainda mais. Existe agora um grau ainda maior de flexibilidade, e isso é enorme. Eu estou muito impressionado não pela frescura, mas pela natureza perfeccionista [da companhia aérea].”

 

 
 
 
 
 
Visualizar esta foto no Instagram.
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

SQ22 is making good progress. Just to the side of the North Pole and heading towards Alaska

Uma publicação compartilhada por Richard Quest (@questinny) em

Vippin Bagga, de Nova Déli, decidiu fazer um desvio para uma reunião de negócios em Toronto, a fim de participar do voo inaugural SQ22. “Eu poderia facilmente ter voado da Índia para Toronto, mas escolhi um caminho mais longo para poder experimentar tudo isso”, disse ele.

No interior do A350ULR somente duas classes: executiva e econômica premium, para evitar o desconforto de um voo tão longo.

Cherag Dubash voou de sua base de Dubai para estar a bordo do SQ22. “Eu sou um ‘avgeek’ e tenho um Instagram [dedicado à aviação]. Este será o voo mais longo que já fiz, mas planejei minha rotina. Primeiro, configurarei minha GoPro e, em seguida, instalarei filmes e navegarei na Internet”, disse ele.

Mapa de assentos do A350-900ULR da Singapore Airlines.

Dr. Chong Jeng How de Cingapura é de um grupo chamado “First to Fly”. Ele estava viajando no SQ22 com oito outros membros do grupo, que se conheceram durante outro voo inaugural da SIA, 11 anos atrás – o primeiro voo comercial do Airbus A380 de dois andares – e descobriram um interesse comum na aviação. “Este voo é uma coisa de amizade para nós – é um momento para se relacionar”, disse ele.

O grupo conhecido como “First to Fly” participou do voo de ultra longa duração.

E enquanto a conexão ao WiFi do voo era prioridade para muitos passageiros, Tilo Kruger, da Irlanda, estava fazendo exatamente o oposto. “Para mim, um voo desse tamanho é uma ótima oportunidade para escapar e desconectar”, disse ele. “É isso que eu amo em voar”.

A última vez que a SIA serviu Nova York sem escalas a partir de seu hub de Cingapura em 2013, foi com o A340-500s de quatro motores. No entanto, terminou o voo devido aos altos custos de combustível que tornaram a rota antieconômica.


Fonte: Claire Knoxs / Silverkris – Edição: Cavok

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Para quem é apaixonado em aviação como eu, isso seria diversão, ainda mais com todos esses mimos.. E aliás que máquina esse A-350!

  2. Realmente, a época dos grandes quadrijatos foi passada longe.

Comments are closed.