Sem título-1
© U.S. European Command

Em uma das ações mais agressivas registradas nos últimos tempos, um bombardeiro tático Sukhoi Su-24 russo passou a apenas 9 metros (30 pés) do USS Donald Cook (DDG-75), um  destroyer da classe Arleigh Burke pertencente a Marinha dos Estados Unidos (US Navy).

O incidente ocorreu ontem, no Mar Báltico, e foi considerado pelo comandante do Donald Cook como sendo um ato “inseguro e pouco profissional”. Ainda de acordo com as informações, a aeronave não possuía armamentos visíveis.

Segundo um oficial do Departamento de Defesa dos EUA, a natureza do sobrevoo, caracterizado como um “ataque simulado”, pode violar um tratado de 1972 entre os EUA e a então URSS (que a Rússia herda as obrigações), que proíbe especificamente esse tipo de manobra.

Veja abaixo o vídeo do evento:

divider 1

FONTE: Military Times, US Navy

EDIÇÃO: Cavok, com informações do amigo Hammer Head, direto da Rússia

Anúncios

60 COMENTÁRIOS

  1. Tem um pessoal que está defendendo uma irresponsabilidade falando ser normal.. hahahahahha

    São provocativos sim!

    Olhem só, primeiro um Su-30SM da VKS viola o espaço aéreo Russo 01/10/15 : http://www.cavok.com.br/blog/caca-russo-viola-esp
    Depois são avisados que na próxima ia ser abate

    Caça F-16C Turco abate Su-24M que teria invadido o espaço aéreo Russo 24/11/15 : http://www.cavok.com.br/blog/caca-f-16-da-turquia

    E como se não bastasse, Su-34 invade espaço aéreo turco 31/01/16 : http://www.cavok.com.br/blog/bombardeiro-tatico-s

    E pra finalizar com chave de ouro, no começo de fevereiro um Su-35S simplesmente foi até a fronteira turca-síria e ficou orbitando chamando F-16 Turco pra Dogfight: https://www.youtube.com/watch?v=g-bZ7LpeMws

    Esse ultimo evento, parece até coisa de hollywood. É muita loucura só de pensar que um Força aérea faria isso!

    • Tentativa de dar o troco, mas, os Turcos não caíram na pegadinha…

      • Vc chama de tentativa de troco?! Eles são os errados de invadir o espaço aéreo turco e eles que vão dar um troco?

  2. Será que a Marinha dos EUA ficou traumatizada quando abateu o Airbus Iraniano a ponto de não se defenderem mais?

  3. O mar Báltico é quintal da Rússia. Qualquer movimentação aí ameaça a soberania da Rússia por isso que foram tão agressivo.
    Se um navio de guerra da Rússia fizer manobra em Cuba , pertinho dos EUA, acredito que a reação dos EUA não seria tão diferente dos Russos…

    • Com certeza os EUA daria uns rasantes nos navios mas a 9 metros como fez os russos é irresponsabilidade, pode causar um acidente sério.

      Agora esse explicação de que seria uma simulação de ataque, esse pessoal deve achar que a tecnologia é a mesma da WWII com bombas burras sendo jogadas a esmo, pode acontecer em caso de países do nível da Argentina nas Falklands mas não com potências.

    • Bem por aí. Creio que nenhum dos lados são 'santos'. São águas internacionais, mas os russos tem lá sua razão tambem.

  4. Ato hostil, na minha humilde opinião é enviar um navio de guerra para a fronteira de outro pais, ou o que voce acha que os EUA fariam se um navio militar russo fosse localizado proximo de sua fronteira naval ?

    • Com a devida vênia, águas internacionais são águas internacionais, e isso independe do fato de se existir uma base militar próxima à região. É exatamente por isso que ninguém questiona o direito russo de realizar um sobrevoo de verificação para apurar as atividades da embarcação americana nas proximidades de sua base, mas estando em águas internacionais, alguns procedimentos precisam ser obrigatoriamente observados. Os russos sabem que nada justifica o rasante, e esse é o único ponto que se questiona. Se eles sobrevoassem a região respeitando os acordos vigentes, ninguém poderia falar absolutamente nada.

      Faço lembrar que a Rússia, por inúmeras vezes, realiza sobrevoos com sua aviação estratégica ao redor do globo, em localidades distantes de suas fronteiras, e nem por isso a interceptação das aeronaves é realiza de forma insegura pelas aeronaves dos países averiguadores da situação. Ao contrário, sempre é realizado um voo de acompanhamento, a uma distancia segura, e respeitadas as regras de aproximação vigentes.

      Cito abaixo dois exemplos:

      U.S. intercepts Russian bombers off coast of Alaska, California [July 10, 2015] http://edition.cnn.com/2015/07/09/politics/russia

      Russian planes intercepted near U.S., Canadian airspace [November 13, 2014] http://edition.cnn.com/2014/09/19/us/russian-plan

      • A URSS emitia comunicados informando que em determinado horário seus aviões sobrevoariam tal lugar, coincidentemente sempre havia um porta-aviões da Marinha dos EUA nas quebradas…

        • Pois é… isso faz parte do jogo, e ninguém questiona o direito das partes em um averiguar a atividade militar do outro, entretanto há que, obrigatoriamente, se observar os acordos vigentes quanto à execução desses procedimentos.

Comments are closed.