O Boeing 747 “Cosmic Gilr” da Virgin Orbit, com o foguete LauncherOne preso num pilone. (Foto: Virgin Orbit)

Pela primeira vez, a Virgin Orbit conectou seu foguete de 21 metros na aeronave 747 modificada e então decolou para seu primeiro voo de testes. A empresa realizou este voo de teste, para verificar o desempenho da aeronave com o foguete conectado sob sua asa, no domingo (18) em Victorville, localizado a nordeste de Los Angeles.

“Os veículos voaram como um sonho hoje”, disse o piloto-chefe da Virgin Orbit, Kelly Latimer, em um comunicado à imprensa. “Todos na tripulação de voo e todos os nossos colegas no solo ficaram extremamente felizes com os dados que vimos dos instrumentos a bordo da aeronave, no pilone e no próprio foguete. Da minha perspectiva no cockpit, os veículos funcionaram incrivelmente bem e combinavam perfeitamente com o que treinamos nos simuladores.”

No início deste mês, a empresa realizou uma série de testes envolvendo a fixação do foguete LauncherOne na aeronave, apelidado de Cosmic Girl, e depois realizando testes de taxiamento. Mas o voo de domingo representa uma nova fase de testes aéreos que incluirão voos da aeronave com e sem o foguete anexado. Esses testes garantirão que Cosmic Girl e o foguete se comportem como previsto durante o voo.

A etapa final antes do lançamento de um foguete no ar envolverá pelo menos um teste de liberação, no qual o foguete de fibra de carbono será lançado da aeronave 747 sem acionar o motor, a fim de coletar dados sobre seu desempenho em queda livre na atmosfera.

A Virgin Orbit fez um progresso considerável neste ano para lançar seu foguete, mas, após o teste de domingo, o fundador da empresa, Richard Branson, reconheceu que o projeto vai atrasar um pouco. “Estamos ansiosos para alcançar a órbita no início de 2019”, escreveu Branson em um post no blog.

Quando começam as missões operacionais, a empresa planeja voar com a Cosmic Girl para uma altitude de cerca de 10 quilômetros, onde o avião lançará o foguete de 25,8 toneladas e então se desviará. O motor Newton 3 do foguete irá disparar, empurrando o foguete para o espaço. O veículo LauncherOne de dois estágios terá a capacidade de transportar até 500 kg para órbita baixa da Terra por cerca de US$ 10 milhões.

A Virgin Orbit estava mirando cerca de uma dúzia de voos comerciais em 2019, mas isso foi previsto com um lançamento de teste este ano. Não está claro quantos voos a empresa realizará no próximo ano, mas chegar ao marco deste voo, no entanto, representa um progresso significativo.

A empresa espera se tornar a segunda entre uma nova onda de empresas de lançamento de foguetes que oferecem serviços de lançamento comercial para pequenos satélites e outras cargas úteis na órbita terrestre baixa com preços convidativos. Outro concorrente, o Rocket Lab, acaba de completar sua terceira missão na semana passada. Vários outros provedores estão correndo para a plataforma de lançamento também.

Anúncios

SEM COMENTÁRIOS