Jato de treinamento de combate Yak-130.

O Vietnã assinou um acordo de US$ 350 milhões no final do ano passado para comprar uma dúzia de aviões de treinamento de combate da Rússia, informou o diário de negócios Vedomosti nesta quarta-feira (29/01)

A Rússia é o maior fornecedor de armas do Vietnã e do Sudeste Asiático. A frota do Vietnã emprega caças russos, navios de superfície e submarinos, de acordo com a agência de notícias estatal TASS.

O acordo de 2019 cobre pelo menos 12 compras de jatos de treinamento de combate Yak-130, disse Vedomosti, segundo dois executivos da indústria de defesa russa não identificados. A publicação não indicava quando os jatos seriam entregues ao Vietnã.

Destinado ao treinamento de pilotos de aeronaves de combate avançadas, o Yak-130 também pode ser equipado com armas ar-superfície, incluindo mísseis guiados e bombas.

O Vietnã seria o sexto país a importar o Yak-130, de acordo com Vedomosti. A Rússia já havia vendido os jatos para Argélia, Bangladesh, Mianmar, Laos e Bielorrússia.

Nem o exportador estatal de armas da Rússia, Rosoboronexport, nem o serviço federal de cooperação militar comentaram a reportagem de que o Vietnã havia encomendado 12 Yak-130 no ano passado.

Yak-130 nas cores da Força Aérea Mianmar.

O contrato abre caminho para a compra de jatos mais avançados da Rússia, incluindo o Su-30SM e o Su-35, o especialista militar e editor-chefe da revista Arms Exports, Andrei Frolov, foi citado como tendo dito.

O Vietnã tem sido um dos importadores de armas mais ativos do mundo nos últimos anos, segundo a Reuters. Hanói aumentou suas importações em meio a reivindicações territoriais cada vez mais agressivas da China no Mar da China Meridional, onde os vizinhos têm reivindicações rivais de longa data.

O esquadrão de aeronaves russas adquiridas pela Força Aérea do Vietnã deve substituir os obsoletos L-39s da Checoslováquia fornecidos ao país desde o início dos anos 80, diz um dos interlocutores, e provavelmente o Yak-130 será transferido para o 915º regimento aviação de treinamento, formado em uma das bases aéreas vietnamitas em 2018.

O regimento também inclui um esquadrão de helicópteros da Escola Superior da Força Aérea do Exército Popular do Vietnã, armado com helicópteros Mi-8. A Rosoboronexport e o Serviço Federal de Cooperação Técnico-Militar (FS MTC) se abstiveram de comentar.

Anúncios

2 COMENTÁRIOS

  1. Há alguns meses atrás disse que o Vietnã poderia ser o primeiro cliente do Su-57 (estes boatos até surgiram na mídia vietnamita), mas acabou sendo a Argélia, mas ainda acredito que nos próximos 2 anos o Vietnã assinará um contrato para Su-35 ou 57…

  2. Vocês ja viram os armamentos do Vietnã? Ta certo que ali não deve ter altos gastos com programas sociais, mas os caras em equipamento, nas 3 forças, dão um sacode na nossa.

Comments are closed.